Curso Online de Formação de professores de filosofia para atuação em sala de aula.
4 estrelas 3 alunos avaliaram

Curso Online de Formação de professores de filosofia para atuação em sala de aula.

O objetivo do curso é fornecer uma formação complementar para estudantes e licenciados em filosofia, assim como uma base teórica a docent...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 10 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Mais de 100 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

O objetivo do curso é fornecer uma formação complementar para estudantes e licenciados em filosofia, assim como uma base teórica a docentes com outras formações para o melhor desempenho do profissional de educação no ensino de filosofia em sala de aula.
Para atingir esta intenção é necessário discutir a concepção de filosofia, sua utilidade prática e a distinção entre historiador da filosofia, professor de filosofia e filósofo.
O que implica em rever as diretrizes fixadas pela LDB para o ensino de filosofia e, portanto, o conceito de cidadania, além da história do ensino de filosofia no Brasil e sua atual inserção no panorama educacional.
Indicando leituras complementares para que os temas abordados possam ser aprofundados, debatidos e incorporados na prática docente do professor de filosofia.

Doutor em História Social pela USP. MBA em Gestão de Pessoas pela UNIA. Licenciado em História pelo CEUCLAR. Bacharel em Filosofia pela FFLCH/USP. Licenciado em Filosofia pela Faculdade de Educação da USP. Possui vários livros publicados e artigos em revistas acadêmicas e de grande circulação. Pelas suas pesquisas recebeu o Prêmio Jabuti, o Prêmio Casa Grande e Senzala e uma Mensão Honrosa da USP. Foi professor na PUC de Campinas, Fundação Santo André e outras grandes universidades. Atuou em cursos EAD de graduação e pós-graduação no Centro Universitário Claretiano. Atualmente está vinculado como professor titular na Unimonte. É editor da revista eletrônica "Para entender a história...", a qual já recebeu mais de 4 milhões de acessos. http://fabiopestanaramos.blogspot.com.br/ Para acessar o curriculo completo consulte: http://lattes.cnpq.br/4329309661638530 Veja também: http://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%A1bio_Pestana_Ramos


- Maria Francisca Gomes De Sousa Silva

- Djalma Ferreira Lucio

"bom"

- Aline Gomes Rossi

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • Formação de professores de filosofia para atuação em sala de aula.

    formação de professores de filosofia para atuação em sala de aula.

    prof. dr. fábio pestana ramos
    doutor em história social pela usp
    mba em gestão de pessoas
    bacharel em filosofia pela fflch/usp
    licenciado em filosofia pela faculdade de educação da usp
    http://lattes.cnpq.br/4329309661638530

  • objetivos.

    o objetivo do curso é fornecer uma formação complementar para estudantes e licenciados em filosofia, assim como uma base teórica a docentes com outras formações para o melhor desempenho do profissional de educação no ensino de filosofia em sala de aula.
    para atingir esta intenção é necessário discutir a concepção de filosofia, sua utilidade prática e a distinção entre historiador da filosofia, professor de filosofia e filósofo.
    o que implica em rever as diretrizes fixadas pela ldb para o ensino de filosofia e, portanto, o conceito de cidadania, além da história do ensino de filosofia no brasil e sua atual inserção no panorama educacional.
    indicando leituras complementares para que os temas abordados possam ser aprofundados, debatidos e incorporados na prática docente do professor de filosofia.

  • certificado.
    a cada unidade, na finalização, você terá a oportunidade de realizar um teste autoavaliativo. as questões foram elaboradas para ajudar na fixação do conteúdo, embora não exista um teste final exigirá para que possa receber o certificado de conclusão.
    portanto, ao terminar seus estudos receberá um certificado de um curso de extensão de 10 horas/aula.
    este curso utiliza métodos pedagógicos especialmente desenvolvidos para cursos de ensino à distância (ead), adotados nas melhores universidades do brasil.
    o valor cobrado para participar do curso se destina a auxiliar no desenvolvimento de novos cursos e na manutenção da estrutura da revista técnico cientifica on-line gratuita “para entender a história...”
    (issn 2179-4111).
    http://fabiopestanaramos.blogspot.com/
     
    bons estudos.
    prof. dr. fábio pestana ramos.

  • Unidade 1: Filosofia em sala de aula.

    unidade 1: filosofia em sala de aula.

  • até 1996, discutir a adequação da formação dos professores para ministrar filosofia no ensino básico não tinha sentido, porém, a partir da promulgação da nova lei de diretrizes e bases da educação nacional (ldb) - lei 9394/96 (brasil, 1996) -, a questão voltou a constituir um debate relevante.

    a redemocratização do brasil, em 1985, conduziu a um fomento do sentimento de cidadania, onde a filosofia foi colocada como principal instrumento necessário à educação do cidadão.

  • antes de 1996 não cabia discussão, porque, desde a década de 1960, o ensino da filosofia havia sido excluído dos currículos escolares do ensino fundamental e médio, curiosamente, a ldb de 1961 (brasil, 1961) foi responsável pelo expurgo, regulamentado em 1969, sendo a disciplina completamente enterrada pela ldb de 1971 (brasil, 1971), promulgada pelo regime militar.

    entretanto, contemporaneamente, o tema se mostra prioritário, visto a regulamentação da obrigatoriedade da filosofia e sociologia no ensino médio em 2008, através da resolução 22/08 da câmara de ensino básico do conselho nacional de educação (brasil, 2008).

  • a grande questão é que não existem profissionais docentes de filosofia em número suficiente, com capacitação adequada, para lecionar filosofia na educação básica. quando os docentes possuem licenciatura especifica na área, esta não atende os requisitos à prática da disciplina nos sistemas educacionais estaduais.

    quando os docentes possuem licenciatura especifica na área, esta não atende os requisitos à prática da disciplina nos sistemas educacionais estaduais.

  • existe uma grande confusão, reinante mesmo entre os formadores dos quadros docentes, que não discerniu ainda as diferenças entre o que nomeamos filósofo, historiador da filosofia e professor de filosofia.

    à primeira vista, frente às conceituações de senso comum, parecem termos que se equivalem, soam como sinônimos, mas não são, constituem funções distintas que, por vezes, podem se cruzar transversalmente, embora distantes quando pensadas no âmbito da atuação docente em sala de aula .

    o que termina influenciando o modo de lidar com o conhecimento, com conteúdos, com a dinâmica da vivência educacional e com as relações estabelecidas entre professores e alunos (folscheid; wunenburger, 2006).

  • a formação dos professores de filosofia altera a visão dos educandos sobre o que de fato é filosofia e a concepção da sociedade quanto a real utilidade da obrigatoriedade de estudar filosofia (cardoso, 2004).

    isto mesmo quando atuam na disciplina profissionais que possuem grande arcabouço teórico, já que a falta de professores de filosofia conduz os docentes de outras áreas a lecionarem a disciplina como se fossem especialistas.

    o que causa igualmente estragos, pois, neste caso, aborda-se de tudo, desde complementação as aulas de história e geografia até sessões de terapia coletiva, menos filosofia.

  • quando abordamos o tema filosofia em sala de aula, as pergunta inicias não poderiam ser outras:

    o que é cidadania?

    o que é filosofia afinal?

    para que serve a filosofia?

  • questões autoavaliativas.

    encerrada a unidade 1, chegou o momento de responder algumas questões autoavaliativas, para que possa medir o aproveitamento de seu desempenho no curso.
    são 2 questões de multiplaescolha que possuem, cada qual, apenas uma única alternativa correta.
    anote a questão e a alternativa escolhida para que possa conferir o gabarito ao final do teste.

    questão 1 – por que antes de 1996 não cabia discutir o ensino de filosofia em sala de aula?
    a – antes de 1996, a sociedade brasileira não conhecia o que era a filosofia, hoje este conhecimento é completo e equivalente ao mesmo grau de desenvolvimento na europa ocidental. o fez com que a população exigisse a obrigatoriedade do ensino de filosofia no ensino fundamental e médio a partir de 2008.
    b – antes de 1996, por conta da supressão da disciplina pela ditadura militar, não cabia discutir o ensino de filosofia porque não fazia parte do currículo do ensino fundamental e médio. somente a partir de 1985, a redemocratização remeteu a discussão em torno da cidadania, remetendo ao ensino de filosofia, regulamentado como obrigatório no ensino médio apenas em 2008.
    c – a filosofia sempre foi encarada como alienadora das massas, por isto repudiada pela população brasileira.
    d – a filosofia sempre foi encarada como alienadora das massas, por isto repudiada pelos governantes, principais fomentadores do livre pensamento questionador.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Formação de professores de filosofia para atuação em sala de aula.
  • Unidade 1: Filosofia em sala de aula.
  • Unidade 2: O que é cidadania?
  • Unidade 3: O que é filosofia?
  • Unidade 4: Filosofia para quê?
  • Unidade 5: A distinção entre historiador, professor e filósofo.
  • Unidade 6: Breve histórico do ensino de filosofia no Brasil.
  • Unidade 7: O profissional da educação e o ensino de filosofia.
  • Indicação de leituras sobre os temas abordados.