Curso Online de A COMUNICAÇÃO DA ARTE ESCRITA

Curso Online de A COMUNICAÇÃO DA ARTE ESCRITA

Parte I A comunicação verbal A Arte escrita (literatura) 10 Redações 10 Sonetos Parte II Tratados do surrealismo Parte III A Literatur...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 15 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Parte I
A comunicação verbal
A Arte escrita (literatura)
10 Redações
10 Sonetos

Parte II
Tratados do surrealismo

Parte III
A Literatura Falada

Parte IV
Interpretação de Textos

Parte V
Criação de Texto

Vocábulos

Autobiografia

José Vieira Cabral Nasceu no dia 25 de agosto de 1.960 em Xambrê, Paraná, viveu ali até os seus oito anos de idade e depois os seus pais se mudaram para Maringá no mesmo Estado. E aos 19 anos mudou-se para São Caetano do Sul, Região do Grande ABC, São Paulo, onde permanece até o presente momento. O Autor/produtor foi comerciante a maior parte de sua vida, mas também trabalhou como empregado em algumas Empresas: Foi Administrativo e Encarregado de obras Civis, tendo como formação (Mestria em Construção Civil) e, mais de 100 Cursos de diversas áreas. Como Escritor e pesquisador escreveu diversas Obras Literárias e Didáticas: É fundador da Livraria e Editora Virtual Cabral Veríssimo (seu nome artístico) e pertencente ao Clube de autores. O seu Site:(ciacabralverissimo.loja2.com.br), onde produz os seus Livros e Cursos online para a plataforma da (www.buzzero.com/autores/jose-cabral).



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • TEMÁTICA DE ESTUDO

    Parte I
    A comunicação verbal............................................................................... 06
    A Arte escrita (literatura).......................................................................... 08
    10 Redações......................................................................................... 09 a 18
    10 Sonetos............................................................................................ 19 a 28
    Parte II
    Tratados do surrealismo.................................................................... 29 a 69
    Parte III
    A Literatura Falada............................................................................. 70 a 75
    Parte IV
    Interpretação de Textos...................................................................... 75 a 78
    Parte V
    Criação de Texto.................................................................................. 78 a 83
    Vocábulos........................................................................................... 84 a 94
    Autobiografia............................................................................................ 95

  • Parte I
    A comunicação verbal

    A comunicação verbal assume o relacionamento entre os seres humanos de uma forma tão precisa que ficamos a imaginar... O que seria do universo se não existisse a fala?
    A expressão verbal consegue dissolver e redimir de nossa ‘alma os mistérios do sentimentalismo através de uma elasticidade habitual, de forma singela ou, porém profunda quando necessário.
    Não há nada igual, nem de semelhança precisa, qual a elasticidade, dessa nossa linguagem; ela busca os mais profundos sentimentos em oculto e organiza! Ruídos e melodias, do alfabeto português e logo idealiza: morfemas, versos, frases, parágrafos e textos vivos!
    Ela consegue estender no papel a escrita, munida de cenas diversas... Como se fosse o próprio filme!
    A nossa linguagem é doce ao paladar e belíssima aos olhares; porque por ela expressamos tudo o que vemos e sentimos _ nela está à configuração de tudo que imaginamos e das buscas que precisamos fazer, para trazer ao mundo externo, numa troca de valores sociais e individuais.
    Sem esse meio incrível de comunicação, teríamos um mundo escuro, pela cultura precária! As dificuldades seriam inevitáveis! Pois é através dessa liga linguística, que

  • misturamos os valores, que se desprendem dia-a-dia, num circuito tão belo e maravilhoso! Que é capaz de registrar passado, presente e renovos da evolução humanos, vigentes.
    O recurso da fala é uma dádiva de Deus! Que consiste facilidade de relacionamento entre povos de eras diferentes; que tendo uma mesma linguagem deixam suas culturas registradas em documentos.
    Entre um povo de linguagem igual, o relacionamento é bem familiar _ porque há uma circulação de assuntos corriqueiros, que sistematiza o comportamento humano dentro de uma nação.
    Diferentemente isso se dá quando se estende um relacionamento de uma nação para outra; pois os costumes são outros e a linguagem também!
    Há um domínio territorial e linguístico que faz uma diferença, muitas vezes, totalmente oposta, noutras nem tanto! Mas em tudo isso... Há uma troca de valores humanos que configuram os seus comportamentos (evolução, equilíbrios e desequilíbrio) tudo nos leva a crer!
    Que não existe individualismo absoluto: _ somos células formando uma mesma nação, com uma mesma linguagem e sistema de vida domesticado.
    Sabemos muito bem, que há uma desigualdade constrangedora, acerca dos níveis sociais, que tanto se debatem para melhorias (e quase não se vê melhorias satisfatórias); mas mesmo assim vivemos de forma incomum,

  • porque estamos buscando melhorias, que nos parece ser individuais, mas essa busca gera benefícios, unânimes.
    Nesse comportamento “vida!” Creio que os que ficam prejudicados são os deficientes visuais e linguísticos (cegos e mudos) _ porque ficam distanciados da marcha nacional do seu próprio País.
    Embora, são muitíssimos beneficiados dentro daquilo que se preparou para eles, serem ingressados ao meio social. Exemplo disso:
    - Língua Braile (para cegos)
    - Língua Libras (para surdos e mudos). Esse sistema de comunicação vem sendo divulgado em cadeias de comunicação, quase que assiduamente _ para favorecer o convívio social desses deficientes visuais e linguísticos: o processo é lento por mais que se esforçam! Devido à falta de interesse unânime no aprendizado da “Língua Libras”.
    O ideal é que boa parte da população soubesse falar essa linguagem para valorizar a vida dessas pessoas. Mas infelizmente há uma divisa de separação entremeio irmãos duma mesma nacionalidade. O espaço de comunicação para eles são restritos, com disponibilidade apenas a uma pequena parte da população.
    Graças ao esforço dos que se preocupam! Já está aberta uma grande porta para os surdos e mudos - As redes de

  • televisão estão pondo os intérpretes para transmitir-lhes, programações.
    E isso faz com que eles sintam-se mais humanos, numa participação mais ativa para com a sociedade. Esses avanços satisfazem a todos os que querem o bem do próximo e principalmente aos beneficiados.
    A qualidade de melhorias! Estende-se á todos os que querem participar dessa evolução de comunicação, para com os mudos e surdos; esse avanço enche de alegria e satisfação os olhos de todos aqueles que desejam o bem estar desses deficientes.
    “O povo e sua linguagem” tem construído um mundo melhor na valorização do comportamento humano: ao buscar facilidade de comunicação em todos os meios e principalmente aos desfavorecidos (deficientes).

  • A arte escrita (literatura)

    O tema desenvolvido aqui nesse estudo se refere especialmente às composições escritas, de níveis literários, como: versos e prosas; ensaios, romances, novelas, contos etc. A palavra, letras, também define outros valores dentro da expressão da nossa linguagem.
    As letras exercem um poder absoluto de elasticidade intelectual e física, dentro do espaço privado da vocação e da cultura da nação. Essa elasticidade é comparável a uma fôrma de dimensões reguláveis, onde se modelam obras de artes escritas (excelentes, boas, regulares ou péssimas).
    Quando uma obra é registrada pelo seu autor; logo passa a exercer o seu poder absoluto de existência dentro do seu gênero e valores culturais; tanto em níveis abstratos (que é a parte invisível da obra) como no seu corpo físico (que é o corpo visível posto no papel).
    Considera-se; que o lado visível é o corpo da obra; o escrito lido pelos nossos olhos, configurado como: significativo; e depois disso; temos o lado abstrato que é o invisível: uma forma de espírito da obra: conhecido por: significado.

  • As obras escritas sempre registram suas pegadas-de-ouro, dentro da cultura do mundo inteiro; quando suas qualidades vão além do realismo, dando aquecimentos surrealistas, que é essa transposição onde o autor viaja pelo o seu próprio interior de Alma de uma forma tão maravilhosa! Pois a sua inspiração já sai da pista de voo... E o tal aviador já narra elevados acontecimentos imaginários da terra, visíveis ao olhar de lá de cima do seu espaço - sem valor aos leigos, e absolutos aos intelectuais da arte literária!
    A arte de escrever bem vem do berço de nascimento; pois de um pequeno momento, o escritor ou poeta põem vida naquela simplicidade e faz uma obra louvável, desde que ele descubra que tem a tal vocação da Ciência das Letras.
    O indivíduo que nasce energizado para produzir obras de artes poderá possuir ao mesmo tempo mais de uma vocação: Sendo premiado pela fonte das Artes por mais, que um pedaço fracionado...
    As vocações existem e não podem ser esbarradas enquanto o decreto divino não se impor. Já que Deus deu aos homens tais ferramentas de arte, o bom mesmo é usá-las!
    Essa fonte maravilhosa! Fornece diversificados gêneros artístico, responsável pela iluminação no mundo das artes; suas claridades nos penetram mais profundos sentimentos humanos e flutua-se sobre as mais singelas expressões das crianças (que gostam de ouvirem historinhas). A arte tem afeições profundas para conquistar o íntimo humano (exceto a virtude de Deus; que é inexplicável em totalidade, por estar mui acima de nós).

  • As letras trazem de dentro para fora; o mais profundo sentimento quando inspirado _ onde as sensações da vida e do amor; abate... Ou eleva a alma na mais robusta empolgação de amar a vida e interpretar o mundo e seus pertences para a idealização do “EGO”.
    O homem busca compreender o mundo; mas o seu tempo é tão curto na terra; que é preciso aprender contar os seus dias de maneira sábia, para que entenda um pouco mais de si mesmo:
    Nesse labirinto; somos formigas racionais, carregando fragmentos de pecado e se ajuntá-los dentro de sua casa espiritual, tamanho será o aquecimento de iniquidade que morrerá queimado.
    Mas, quem fez o mundo e seus pertences tem condições de entender cada.
    Um dos humanos e livrá-los dos fragmentos mortíferos, conduzindo-os à porta de saída para que tenham vida!
    As letras são obras são obras que brilham no plano da terra, edificando emoções! Ilustrando as vidas com os entusiasmos do sentimentalismo; e até mesmo com as decadências das ruínas (ainda as artes brilham com valores altamente confirmados!).
    Todas as obras depois de produzidas (do invisível para o visível); é expecionada pela correção do seu criador: Há erros cometidos no invisível, que só será sabido pelo autor; porém, os visíveis serão vistos pelos peritos de arte.

  • Se não fosse assim! Não haveria espaço para inovações artísticas. Os segredos disso estão para inspirações mais precisa que anteriores; onde o artista faz os seus retoques de aperfeiçoamentos em momentos que sua alma está mais próxima dos mistérios da fonte.
    Essa liga vocacional leva o artista em várias posições dimensionais da fonte, de acordo com a percepção do espírito do momento. Mas o querer da fonte se objetiva, em expressar toda a índole intelectual do artista; a partir de sua resistência natural (ponto de partida) e elasticidade de aquecimentos de alma artística; para inspirar toda caloria contida numa inspiração!... Porém; se os resultados gerar constrangimentos... Não convém insistir no prosseguimento de ir além do realismo; talvez já esteja penetrando enxertos de espíritos diferentes, na energia nativa: o melhor mesmo é a paz de espírito; que todas as glórias das artes!
    Na verdade somos juízes de nós mesmos: _ se mostrarmos aparência dos males, logo teme instinto maligno! Mas se estivermos em uma enrascada, onde o que sentimos se traduza em constrangimentos; lutemos, pois, para que livremo-nos dos tais obstáculos; para que haja em nós regozijo, sem qualquer contensão enganosa.
    Devemos escolher os objetos de imagem: Se compararmos os escritores, poetas e jornalistas, como um fotógrafo! Logo veremos... Que sua vocação é uma máquina de tirar fotografias (de si e tudo que estiver pela sua frente...).

  • As fotografias mostram as imagens capturadas; porém; a qualidade e falhas se revelam, sintetizando a qualidade técnica do fotógrafo e da máquina: cada gênero de arte é uma imagem! E ela somente será bela, se a máquina estiver ajustada, dentro do seu mecanismo legal, para capturar diversificados objetos: falo da vocação capturando obras para o seu gênero.
    Sendo assim: teremos na vocação (uma máquina fotográfica!); no gênero (a imagem literária); e nos assuntos desenvolvidos, os objetos dessa imagem.
    A qualidade da máquina; fica para a intensidade vocativa, e as técnicas postas à imagem; são os graus intelectuais do artista na representação do gênero em que pertence!
    Sintetizando:
    Artistas (fotógrafo) - Vocação (máquina fotográfica) - Gênero (imagem) – Assunto (objetos da imagem) - Qualidade da máquina (intensidade vocativa) - Técnica expressa na imagem (graus intelectuais do artista).
    “As obras escritas que por si falam... têm corpo de gente, espírito de Deus, deuses ou, de homens!”.

  • Leia atentamente as 10 Redações
    Redação (01)
    Rupturas da Urbanização

    Ontem mesmo eu vi uma casinha erguida num morro, onde a enxurrada escorria lentamente, após um forte circuito d’água que havia ido e deixando rasgos enormes pelo o solo desprotegido, do asfalto.
    Trouxe comigo a imagem dos sinais de sofrimento daquela gente que forçadamente moram por ali, a pedir a Deus uma breve emigração para imigrar numa área mais competente, a acolher a vida humana.
    Ao meditar a penúria daquela gente, senti um grande aperto na alma... E logo após isso, então, reforçando o pensamento em condolência, já imaginava a enxurrada levando também a frágil casinha e outras que hão por ali.
    O último pensamento me roubou o sono e tangeu-me profundamente, de modo que jamais dormirei sossegado em noites chuvosas: Tomara que isso suceda as tantas Autoridades (Que percam também o sono); que saibam eles fique um pouco mais penalizado e usem suas forças políticas e providenciem um recurso mais avolumado a essa Classe mais desprotegida da Cidade.
    Esperamos que essas Rupturas da Urbanização venha sumir o quanto antes com as providencias a serem tomadas – e com isso, nós brasileiros, possamos viver num mundo mais digno (de moradias, cultura e moralidade).


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Parte I
  • A comunicação verbal
  • A Arte escrita (literatura)
  • 10 Redações
  • 10 Sonetos
  • Parte II
  • Tratados do surrealismo
  • Parte III
  • A Literatura Falada
  • Parte IV
  • Interpretação de Textos
  • Parte V
  • Criação de Texto
  • Vocábulos
  • Autobiograf