Curso Online de PSICOLOGIA INFANTIL

Curso Online de PSICOLOGIA INFANTIL

A psicologia infantil deve às distinções e necessidades de estudo da mente em oposição ao estudo do comportamento.

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 3 horas

Por: R$ 150,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

A psicologia infantil deve às distinções e necessidades de estudo da mente em oposição ao estudo do comportamento.

O instituto conta com pessoas capacitadas em áreas afins: Graduada em Pedagogia. Pós Graduada em: Gestão; Inspeção; inclusão; Supervisão; Coordenação. Especialista em Psicopedagogia,Neurociencia, Educação física, Teologia, Educação para o trânsito...entre outras.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • PSICOLOGIA INFANTIL

    PSICOLOGIA INFANTIL

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    A psicologia do homem deve às distinções ou necessidades de estudo da mente em oposição ao estudo do comportamento. A psicologia é a ciência que estuda os processos mentais e o comportamento humano e animal, utilizando a metodologia da comparação. O objeto de estudo dessa ciência, contudo, ainda hoje é alvo de controvérsias especialmente quanto ocupar-se da análise das formas complexas de representação da realidade, que se constituíram ao longo da historia da sociedade e são realizadas pelo cérebro humano incluindo as subjetivas formas da atividade consciente sem substituir essas pelos estudos dos processos fisiológicos que lhes servem de base nem limitar-se à descrição exterior dos mesmos. As leis da sensação e percepção humana estabelecem regulação dos processos de atenção, memorização na análise do pensamento lógico, formação das necessidades complexas e da personalidade.

  • OBJETO DE ESTUDO

    OBJETO DE ESTUDO

    Os objetos de estudo da psicologia, inclusive compartilhado com a psiquiatria, são as personalidades inadaptáveis com comportamentos desviantes, chamados de doentes mentais pela psicopatologia. Considerando a relação mente – corpo como uma unidade, como vem sendo demonstrado progressivamente desde os primórdios fundação da psicologia como ciência (distinguindo-se da filosofia), e a partir desse pressuposto básico da existência de um monismo - e não um dualismo como Descartes apregoou - este ramo do conhecimento tem seus estudos voltados a esse axioma principal. Entre outras atuações que esta ciência permite ao profissional da área, estão a explicação dos mecanismos envolvidos em determinados comportamentos, assim como preveni-los e modificá-los.
    “O psicólogo pediátrico distingue-se do psicólogo clínico fundamentalmente pelas características da situação em que exerce, que determinam papéis diferenciados. (Drotar et al., 1982).”
     

  • 1.1. INTROSPECÇÃO

    1.1. INTROSPECÇÃO

    A introspecção é um método usado para chegar aos processos conscientes, é um processo que necessita ser acompanhado e guiado por um psicoterapeuta, dada a dificuldade intrínseca que comporta. Isto se deve ao fato de cada um de nós possuir mecanismos defensivos que têm como função impedir o acesso aos produtos do nosso inconsciente como forma de nos proteger da desorganização mental. Na proposição psicanalítica uma das primeiras correntes da psicologia a propor a validade da introspecção como método, o efeito da interpretação realizada pelo terapeuta, desse conteúdo inconsciente (insight) na remoção de sintomas ou transformações de comportamento é, entre outros métodos, o que comprova a validade da teoria psicanalítica a partir da experiência clínica. O estudo de casos clínicos é a sua forma principal de adequação à metodologia científica existem, contudo, vários outros métodos desenvolvidos, cada um para estudo de um ou mais processos mentais entre os quais análise dos símbolos, mitos e obras de arte e os testes projetivos. Cabe à psicologia estudar questões ligadas à personalidade, à aprendizagem, à motivação, à memória, à inteligência, ao funcionamento do sistema nervoso de modo integrado ao conjunto de disciplinas que formam a Neurociência, e também à Comunicação Interpessoal, ao desenvolvimento, ao comportamento sexual, à agressividade, ao comportamento em grupo, aos processos psicoterapêuticos, ao sono e ao sonho, ao prazer e à dor com especial atenção aos processos afetivos ou cognitivos do sofrimento.

  • 1.2. HISTÓRIAS E SISTEMAS DA PSICOLOGIA

    1.2. HISTÓRIAS E SISTEMAS DA PSICOLOGIA

    História e sistemas da Psicologia são importantes para o estudo, pois é nela que aparecerão as principais críticas acerca de cada escola de pensamento. Recomenda-se o estudo da história e dos sistemas da psicologia a qualquer acadêmico, já que este estímulo inicial o ajudará na atuação como profissional. Em seus estudos de epistemologia coloca o historiador de uma ciência no papel de juiz dos valores de verdade referentes a essa ciência a partir de seu estado da arte na atualidade. Junto ao estudo da história, observam-se também as inúmeras correntes teóricas. Cada escola com seu foco de estudo, o que as torna diferentes em alguns ou vários parâmetros. Uma escola surge normalmente contrapondo-se ou complementando uma escola anterior. ou cognitivos do sofrimento

  • 2.PSICOLOGIA NO SÉCULO XIX ESTRUTURALISMO

    2.PSICOLOGIA NO SÉCULO XIX ESTRUTURALISMO

    A psicologia se tornou uma ciência independente da filosofia no final do século XIX. Foi a partir deste acontecimento que se desenvolveram de forma sistemática as investigações em psicologia, através de vários autores que a esta ciência se dedicaram, construindo múltiplas escolas e teorias. O estruturalismo tem como objeto de estudo a estrutura consciente da mente, as sensações. Segundo esta perspectiva, o objetivo da psicologia seria o estudo científico da Experiência Consciente através da Introspecção. As principais limitações do Estruturalismo residem no fato de a introspecção não ser um verdadeiro método científico incontestável e de esta corrente excluir a psicologia animal e infantil. Esta corrente foi praticamente extinta em meados do século XX.

  • 2.1 O PSICÓLOGO EM SUA GRADUAÇÃO

    2.1 O PSICÓLOGO EM SUA GRADUAÇÃO

    O psicólogo, em sua graduação, pesquisa novos caminhos a partir de dados já existentes; forma opiniões convergentes ou divergentes, podendo ser na forma de crítica ou avanço em uma determinada pesquisa; monta estudos com bases em experimentos, observação, estudos de casos, análises neurológicas e farmacológicas, além de estudar em grupos multidisciplinares vários outros conteúdos. As áreas mais conhecidas desta criação científica são a Psicologia Social, a Psicometria, a Psicologia Experimental, a Psicologia do Desenvolvimento, a Psicologia Metafísica, a Neuropsicologia e a Psicopatologia. Esses estudos criam teorias que são utilizadas na Psicologia Aplicada, que como o nome diz, é a aplicação dos construtos teóricos em áreas específicas. Esta Psicologia Aplicada está inserida nos mais diversos campos da sociedade, resolvendo problemas práticos, sendo a área clínica a mais famosa. Além da clínica, o psicólogo aplicado trabalha em escolas, empresas, nas terapias de grupos, na criminologia, nas academias de esportes, nos clubes esportivos, nas propagandas, nos hospitais e no tratamento de adições (drogadicções) Essas duas áreas, a de produção científica e a Psicologia Aplicada, são práticas aceitas pelos Conselhos de Psicologia.

  • 3. DESENVOLVIMENTO HUMANO

    3. DESENVOLVIMENTO HUMANO

    Uma criança é um ser humano no início de seu desenvolvimento. São chamadas recém-nascidas do nascimento até um mês de idade; bebê, entre o segundo e o décimo oitavo mês, e criança quando têm entre dezoito meses até doze anos de idade. O ramo da medicina que cuida do desenvolvimento físico e das doenças e/ou traumas físicos nas crianças é a pediatria. Os aspectos psicológicos do desenvolvimento da personalidade, com presença ou não de transtornos do comportamento, de transtornos emocionais, e/ou presença de neurose infantil, incluídas toda ordem de carências, negligências, violências e abusos, que não os deixa "funcionar" saudavelmente, com a alegria e interesses que lhes são naturais, recebem a atenção da Psicologia Clínica Infantil (Psicólogos), através da Psicoterapia Lúdica. Os aspectos cognitivos (intelectual e social) é realizada pela Pedagogia (Professores), nas formalidades da vida escolar, desde a pré-escola, aos cinco anos de idade, ou até antes, aos 3 anos de idade. A infância é o período que vai desde o nascimento até aproximadamente o décimo primeiro ano de vida de uma pessoa. É um período de grande desenvolvimento físico, marcado pelo gradual crescimento da altura e do peso da criança - especialmente nos primeiros três anos de vida e durante a puberdade. Mais do que isto, é um período onde o ser humano desenvolve-se psicologicamente, envolvendo graduais mudanças no comportamento da pessoa e na aquisição das bases de sua personalidade.

  • 4.MATURAÇÃO

    4.MATURAÇÃO

    A maturação na infancia é um período no qual a criança cresce fisicamente e se desenvolve psicologicamente. Após isto, vem a adolescência. Embora em várias crianças ocorra o que se chama de puberdade precoce, deve-se esclarecer que tais crianças ainda não têm maturidade psicológica suficiente para serem consideradas adolescentes, mesmo tendo o porte físico de um. Do nascimento até o início da adolescência, os pais são os principais modelos da criança, com quem elas aprendem, principalmente por imitação. Filhos de pais que os abusam ou negligenciam tendem a sofrer de vários problemas psicológicos, inclusive, depressão. 0 - 18 meses: Neste estágio, o bebê é totalmente dependente de terceiros (geralmente, dos pais) para quaisquer coisas como locomoção, alimentação ou higiene. Neste período, o bebê aprende atos básicos de locomoção como sentar, engatinhar, andar. Recomenda-se o aleitamento materno exclusivo até que o sexto mês de vida; isso porque o leite materno tem uma composição mais adequada e exige cuidados mais simples em relação a outros tipos de leite, bem como possui anticorpos e outros fatores para proteger o lactente de infecções, e ainda fortalece a relação entre a mãe e seu filho. Caso haja empecilho ou, raramente, contra-indicação, ao aleitamento materno, leites substitutos como de vaca, cabra ou soja podem ser usados, além de leites de vaca modificados para ter composição mais semelhante ao humano.

  • 4.1.PÓS-AMAMENTAÇÃO

    4.1.PÓS-AMAMENTAÇÃO

    Os leites de vaca modificados para ter composição mais semelhante ao humano, porém, têm maior risco de induzir alergias na criança (especialmente os leites animais in natura), e exigem suplementação de nutrientes como ferro ou ácido fólico, exceto aqueles que têm adição de vitaminas. Após o sexto mês de vida, a dieta alimentar de um bebê começa a variar, com a introdução lenta e gradual de novos alimentos. Neste estágio da vida, a criança cresce muito rapidamente. Os primeiros cabelos, bem como os primeiros dentes, aparecem neste estágio. Aos 18 meses de vida, a maioria dos bebês já soltaram suas primeiras palavras. Este período é caracterizado pelo egocentrismo, pois o bebê não compreende que faz parte de uma sociedade, e o mundo para ele gira em torno de si mesmo. 18 meses - 3 anos: A pequena criança neste estágio cresce menos do que durante os primeiros 18 meses de vida. A criança, então, pode correr uma curta distância por si mesma, comer sem a ajuda de terceiros, e falar algumas palavras que têm significado (por exemplo, mamãe, papai, bola, etc), e a expectativa é que a criança continue a melhorar estas habilidades. O principal aspecto desta faixa etária é o desenvolvimento gradual da fala e da linguagem. Aos três anos de idade, a criança já pode formar algumas frases completas (e corretas gramaticalmente) usando palavras já aprendidas, e possui um vocabulário de aproximadamente 800 a mil palavras.

  • 4.2. DESENVOLVIMENTO INFANTIL

    4.2. DESENVOLVIMENTO INFANTIL

    A criança lentamente passa a compreender melhor o mundo à sua volta, e a aprender que neste mundo há regras que precisam ser obedecidas, embora ainda seja bastante egocêntrica - comumente vendo outras pessoas mais como objetos do que pessoas, não sabendo que estas possuem sentimentos próprios. Assim sendo, a criança muitas vezes prefere brincar sozinha a brincar com outras crianças da mesma faixa etária. No final desta faixa etária, uma criança geralmente já sabe diferenciar pessoas do sexo masculino e pessoas do sexo feminino, e também já começa a ter suas próprias preferências, como roupas e entretenimentos, por exemplo. Pode também ser capaz de se vestir sem a ajuda de terceiros, e de antecipar acontecimentos. 3 a 4 anos: Crianças desta faixa etária começam a desenvolver os aspectos básicos de responsabilidade e de independência, preparando a criança para o próximo estágio da infância e os anos iniciais de escola. As crianças desta faixa etária são altamente ativas em geral, constantemente explorando o mundo à sua volta. As crianças passam também a aprender que na sociedade existem coisas que eles podem ou não fazer. Nesta faixa etária, a criança já compreende melhor o mundo à sua volta - tornando-se gradualmente menos egocêntrica - e melhor compreendendo que suas ações podem afetar as pessoas à sua volta. Também passam a compreender que outras pessoas também possuem seus próprios sentimentos.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 150,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • PSICOLOGIA INFANTIL
  • INTRODUÇÃO
  • OBJETO DE ESTUDO
  • 1.1. INTROSPECÇÃO
  • 1.2. HISTÓRIAS E SISTEMAS DA PSICOLOGIA
  • 2.PSICOLOGIA NO SÉCULO XIX ESTRUTURALISMO
  • 2.1 O PSICÓLOGO EM SUA GRADUAÇÃO
  • 3. DESENVOLVIMENTO HUMANO
  • 4.MATURAÇÃO
  • 4.1.PÓS-AMAMENTAÇÃO
  • 4.2. DESENVOLVIMENTO INFANTIL
  • 5. IDENTIFICAÇÃO
  • 6. DESENVOLVIMENTO PSICOLÓGICO
  • 7. A AUTO IMAGEM
  • CONTINUAÇÃO
  • 8. CRESCIMENTO
  • 9. PUBERDADE
  • 9.1 MATURAÇÃO DOS ÓRGÃOS GENITAIS
  • 10. SOCIALIZAÇÃO INFANTIL
  • 11. NECESSIDADE FÍSICA E PSICOLÓGICA
  • 12. DESENVOLVIMENTO DE VACINAS
  • 13. MANIFESTAÇÃO DE NECESSIDADE
  • EXERCÍCIOS