Curso Online de INVESTIGADOR PRIVADO
4 estrelas 1 aluno avaliou

Curso Online de INVESTIGADOR PRIVADO

01. LINGUAGEM 02. CONCEITO 03. CONDIÇÕES GERAIS DE EXERCÍCIO 04. O DETETIVE PARTICULAR 5) CAMPO DE ATUAÇÃO 6. MERCADO DE TRABALHO 7. MOR...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 8 horas

Por: R$ 45,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

01. LINGUAGEM
02. CONCEITO
03. CONDIÇÕES GERAIS DE EXERCÍCIO
04. O DETETIVE PARTICULAR
5) CAMPO DE ATUAÇÃO
6. MERCADO DE TRABALHO
7. MORAIS E INTELECTUAIS.
8. CARACTERÍSTICAS FUNDAMENTAIS MENCIONADAS
9. O DETETIVE DE POLÍCIA
10. FLAGRANTE DELITO
11. OS MANDAMENTOS DO DETETIVE PARTICULAR
12. TERMOS EMPREGADOS
13. INSTRUÇÕES RESERVADAS
14. INVESTIGAÇÃO
15. INDAGAR COM CUIDADO
16. OBSERVAR OS DETALHES
17. EXAMINAR COM ATENÇÃO
18. CONCEITO
19. OBJETIVO
20. AS PROVAS
21. LÓGICA APLICADA
22. TIPOS DE ESPIONAGEM
23. CONTRA INFORMAÇÃO
24. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE UMA OBSERVAÇÃO
25. FONTES DE INFORMAÇÕES
26. INFORMANTES
27. NÍVEIS DOS INFORMANTES
28. CONCEITO
29. LEVANTAMENTOS DOCUMENTAIS
30. LEVANTAMENTOS DOCUMENTAIS COMO PROVA
31. CAMPANAS - CONCEITO
32. CAMPANA FIXA
33. REGRAS PARA A CAMPANA FIXA
34. CAMPANA MÓVEL
35. CAMPANA MOTORIZADA
36. CAMPANA a PÉ
37. DIFICULDADES FREQÜÊNTES EM CAMPANAS A PÉ
38. CAMPANA MISTA
39. OBSERVAÇÃO URBANA
40. MOVIMENTAÇÃO DE CÂMERA
41. TÉCNICAS DE DESPISTAMENTO
42. DESPISTAMENTO a PÉ
43. FUNÇÕES DOS AGENTES NA EQUIPE
44. INFILTRAÇÃO
45. PENETRAÇÃO EM AMBIENTES
46. O DETETIVE PARTICULAR EM SEU ESCRITÓRIO
47. TIPOS DE CLIENTES
48. HONORÁRIOS
49. GENERALIDADES
50. NOÇÕES DE DIREITO PENAL - CONCEITOS:
51. CÓDIGO PENAL BRASILEIRO DO FURTO
52. FURTO QUALIFICADO
53. FURTO DE COISA COMUM
54. DO ROUBO E DA EXTORSÃO ROUBO
55. EXTORSÃO
56. EXTORSÃO MEDIANTE SEQUESTRO
57. EXTORSÃO INDIRETA
58. DA APROPRIAÇÃO INDÉBITA
59. APROPRIAÇÃO DE COISA HAVIDA POR ERRO, CASO FORTUITO OU FORÇA DA
NATUREZA.
60. QUADRILHA OU BANDO
61. LEGISLAÇÃO ESPECIAL – ENTORPECENTE
62. LEI DAS CONTRAVENÇÕES PENAIS
63. DEFESA DO CUNSUMIDOR
64. ORÇAMENTO

José Vieira Cabral Nasceu no dia 25 de agosto de 1.960 em Xambrê, Paraná, viveu ali até os seus oito anos de idade e depois os seus pais se mudaram para Maringá no mesmo Estado. E aos 19 anos mudou-se para São Caetano do Sul, Região do Grande ABC, São Paulo, onde permanece até o presente momento. O Autor/produtor foi comerciante a maior parte de sua vida, mas também trabalhou como empregado em algumas Empresas: Foi Administrativo e Encarregado de obras Civis, tendo como formação (Mestria em Construção Civil) e, mais de 100 Cursos de diversas áreas. Como Escritor e pesquisador escreveu diversas Obras Literárias e Didáticas: É fundador da Livraria e Editora Virtual Cabral Veríssimo (seu nome artístico) e pertencente ao Clube de autores. O seu Site:(ciacabralverissimo.loja2.com.br), onde produz os seus Livros e Cursos online para a plataforma da (www.buzzero.com/autores/jose-cabral).


- Marcelo Leodido Montenegro

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • DESCRIÇÃO:
     
    01. LINGUAGEM
    02. CONCEITO
    03. CONDIÇÕES GERAIS DE EXERCÍCIO
    04. O DETETIVE PARTICULAR
    5) CAMPO DE ATUAÇÃO
    6. MERCADO DE TRABALHO
    7. MORAIS E INTELECTUAIS.
    8. CARACTERÍSTICAS FUNDAMENTAIS MENCIONADAS
    9. O DETETIVE DE POLÍCIA
    10. FLAGRANTE DELITO
    11. OS MANDAMENTOS DO DETETIVE PARTICULAR
    12. TERMOS EMPREGADOS
    13. INSTRUÇÕES RESERVADAS
    14. INVESTIGAÇÃO
    15. INDAGAR COM CUIDADO
    16. OBSERVAR OS DETALHES
    17. EXAMINAR COM ATENÇÃO
    18. CONCEITO
    19. OBJETIVO
    20. AS PROVAS

  • 21. LÓGICA APLICADA
    22. TIPOS DE ESPIONAGEM
    23. CONTRA INFORMAÇÃO
    24. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE UMA OBSERVAÇÃO
    25. FONTES DE INFORMAÇÕES
    26. INFORMANTES
    27. NÍVEIS DOS INFORMANTES
    28. CONCEITO
    29. LEVANTAMENTOS DOCUMENTAIS
    30. LEVANTAMENTOS DOCUMENTAIS COMO PROVA
    31. CAMPANAS - CONCEITO
    32. CAMPANA FIXA
    33. REGRAS PARA A CAMPANA FIXA
    34. CAMPANA MÓVEL
    35. CAMPANA MOTORIZADA
    36. CAMPANA a PÉ
    37. DIFICULDADES FREQÜÊNTES EM CAMPANAS A PÉ
    38. CAMPANA MISTA
    39. OBSERVAÇÃO URBANA
    40. MOVIMENTAÇÃO DE CÂMERA
    41. TÉCNICAS DE DESPISTAMENTO
    42. DESPISTAMENTO a PÉ

  • 43. FUNÇÕES DOS AGENTES NA EQUIPE
    44. INFILTRAÇÃO
    45. PENETRAÇÃO EM AMBIENTES
    46. O DETETIVE PARTICULAR EM SEU ESCRITÓRIO
    47. TIPOS DE CLIENTES
    48. HONORÁRIOS
    49. GENERALIDADES
    50. NOÇÕES DE DIREITO PENAL - CONCEITOS:
    51. CÓDIGO PENAL BRASILEIRO DO FURTO
    52. FURTO QUALIFICADO
    53. FURTO DE COISA COMUM
    54. DO ROUBO E DA EXTORSÃO ROUBO
    55. EXTORSÃO
    56. EXTORSÃO MEDIANTE SEQUESTRO
    57. EXTORSÃO INDIRETA
    58. DA APROPRIAÇÃO INDÉBITA
    59. APROPRIAÇÃO DE COISA HAVIDA POR ERRO, CASO FORTUITO OU FORÇA DA
    NATUREZA.
    60. QUADRILHA OU BANDO
    61. LEGISLAÇÃO ESPECIAL – ENTORPECENTE
    62. LEI DAS CONTRAVENÇÕES PENAIS
    63. DEFESA DO CUNSUMIDOR
    64. ORÇAMENTO

  • INVESTIGADOR PRIVADO
     
    01. LINGUAGEM
    Detetive é uma palavra de origem inglesa (origem por vota de 1850), que significa
    detectar um fato, investigar, pilhar, desmascarar.
    * Inglês: Detective * Espanhol: Detective * Francês: Détective
    * Alemão: Detektiv * Italiano: Poliziotto.
    Profissionalmente falando é Detetive aquele investiga um fato, suas circunstâncias e
    pessoas nele envolvidas. Em todos os países do mundo, o Detetive Particular só pode
    exercer a profissão em consonância com as leis vigentes, isto é, respeitando a vida
    privada do cidadão, a inviolabilidade dos direitos humanos, no que tange a vida em
    particular e o recato dos lares.
    No dia 16 de Junho de 1978, com a portaria n°13, o Ministério do Trabalho, através da Classificação Brasileira de Ocupação (C.B.O.), decide o reconhecimento da Profissão de Detetive Particular, designando a esta profissão o código de atividade número 5-82.40
    Grupo. O Governo Federal criou a lei 3.099 reconhecendo as atividades destes profissionais, fixando as condições necessárias para o funcionamento dos estabelecimentos prestadores de serviços de informações reservadas ou confidenciais.
    Os Detetives Particulares vêm desenvolvendo suas atividades no Brasil desde 1950.

  • 02. CONCEITO
    Detetive Particular (também chamado Investigador Particular) é o profissional que
    levanta informações e obtém provas a serviço de pessoas ou empresas, valendo-se de
    recursos técnicos e de artifícios adequados a cada caso. Sua função varia de acordo
    com o cliente.
    Portanto, Detetive Particular é a pessoa que trabalha com informações particulares,
    sem contrariar os dispositivos legais, podendo também, denominar-se Detetive
    Particular, em virtude de fazer de suas atividades uma profissão, ou seja, uma
    atividade econômica.
    O Detetive Particular é obrigado a respeitar a ética profissional e a cooperar com as
    autoridades constituídas do país, desde que venham a ser solicitadas a fazê-las através
    de expediente oficial, ou em casos extremos, sempre que as circunstâncias exigirem.

  • 03. CONDIÇÕES GERAIS DE EXERCÍCIO
    Para exercer a atividade de Detetive Particular é necessário que o cidadão ao concluir o curso, faça sua inscrição Juno ao INSS (Instituto de Seguridade Nacional) a fim de adquirir os benefícios da Previdência Social, podendo ainda, facultativamente, filiar-se a sua Associação de Classe, em seu Estado.
    Os Detetives Particulares atuam em empresas de serviços pessoais ou por conta
    própria. Os profissionais trabalham em locais fechados, abertos ou em veículos, em
    horários irregulares e variados, com ou sem rodízio de turnos. Podem estar sujeitos a
    situações de pressão, à exposição de material tóxico e risco de morte.
    * É vetado ao Detetive Particular:
    A) Prestar declarações à mídia, a não ser em defesa própria ou de terceiros, observada a legislação em vigor no país;
    B) Prestar informações a terceiros, salvo no caso de requisição expressa de autoridade competente ou em defesa do território nacional (respeitando a lei do sigilo profissional);

  • 04. O DETETIVE PARTICULAR
    É considerado um profissional autônomo que desempenha atividade de prestação de serviços COM FINS LUCRATIVOS e sem atribuições definidas de leis administrativas, regulamentos ou regimentos policiais.
    Realiza investigações de caráter particular, colhendo informações, fazendo sindicância, entrevistando pessoas ou usando outros recursos, para atender a solicitação de estabelecimentos comerciais e outras empresas ou de pessoas físicas.
    O Detetive Particular tem sua função específica e deve desempenhá-la com nobreza e eficiência sem pretender exercer atividades policiais. Ele não é policial, é detetive
    Particular. Aliás, uma atividade sigilosa, e se o Detetive pretender bancar o policial e prender todo mundo, sua missão simplesmente fracassará. Mas se ele se preocupar em manter segredo nas suas informações, certamente reunirá provas suficientes para elucidação de qualquer caso. Esta é a missão do Detetive Particular: investigar diretamente, discretamente, obter o maior número de informações possíveis. Reunir provas, documentos e testemunhas. Enfim, esclarecer e desvendar. Descobrir e Provar: Isto sim é tarefa de detetive. Nada de prender ou ameaçar. Muito menos portar arma indevidamente. A arma denuncia o detetive e pode prejudicar suas investigações.
    O Detetive Particular não tem poder de polícia, mas como qualquer cidadão tem
    poderes de investigação própria, Art. 12 CPP (Código Processual Penal), trabalhando
    para ajudar a justiça na obtenção de provas.

  • 5) CAMPO DE ATUAÇÃO
    O campo de atuação é vasto, notadamente no comercio, indústria, bancos e
    imobiliárias com referências à apuração de informações sobre idoneidade de pessoas cuja relação comercial interesse aos vários negócios relacionados a aluguel de casa, apartamentos, levantamentos de empréstimos, mudanças de cargo de funcionários que vão galgar postos de confiança, enfim, uma indeterminável série de serviços e informações em que o Detetive Particular atua para apuração.
    Investigação de casos de furto, fraude e outros atos ilícitos em estabelecimentos, como empresas industriais e comerciais, bancos, companhias de seguros, hotéis e outros, atentando para as pessoas e atividades que lhes pareçam suspeitas, para descobrir os infratores e possibilitar a tomada de medidas cabíveis em cada caso;
    Localização do paradeiro de pessoas desaparecidas, baseando-se em fotografias,
    retratos falados e outros recursos, para localizá-las e possibilitar o encaminhamento
    das mesmas à família, entidades ou local de onde se afastaram.
    Averiguação sobre a vida e conduta de pessoas ou grupo de pessoas, realizando
    sindicâncias com base nos dados preliminares fornecidos pelos clientes, para colher
    informações completas sobre as mesmas com vistas a apurar suspeitas, contratação
    para empresas e outros fins.

  • Vigilância de estabelecimentos e empresas e os bens e objetos neles depositados, em caráter permanente, para evitar e/ou descobrir furtos e outras irregularidades.
    Apuração de casos de suspeita de infidelidade conjugal, onde o comportamento e a
    rotina diária do cônjuge ou amante do (a) cliente serão levantados a fim de constatar a infidelidade.
    Na contra espionagem industrial, o Detetive irá investigar os fatos narrados pelo cliente a fim de solucionar os problemas existentes.
    Informações comerciais, o Detetive Particular age junto aos cadastros bancários,
    serviços de proteção ao crédito, cartório de protestos, distribuidores de ações diversas, casas comerciais de compra a crédito, etc. checando, inclusive, as demais informações particulares, tais como: saber empregos anteriores bem como residências e transações comerciais aos que se quer apurar.
    O Detetive buscará junto aos informes indicados à comprovação dos dados fornecidos, sempre com perguntas e nunca deixando de apurar qualquer indicio mesmo vago, sobre determinada situação, pois desses indícios, aparentemente sem importância, é que na maioria das vezes obtêm-se informes preciosos.
    6. MERCADO DE TRABALHO
    *Empresas e geral *Escritórios/lojas *Empresas estrangeiras *Seguradoras
    *Clientes particulares *Escritórios de advocacia *Grandes hotéis
    REQUISITOS PARA EXERCER A PROFISSÃO
    Os requisitos para o ingresso na carreira de Detetive Particular podem ser reunidos em três grupos, que dadas às características, podem ser denominadas de FÍSICOS,

  • 7. MORAIS E INTELECTUAIS.
    As aptidões FÍSICAS do Detetive Particular não podem ser avaliadas pelo padrão
    estabelecido para outras profissões semelhantes. Ele deverá ter a perfeição dos
    sentidos e resistência à fadiga e ao desconforto.
    A Perfeição dos Sentidos: É também condição física indispensável, não só porque a
    capacidade de compreensão dos fatos depende dos órgãos sensitivos, porque qualquer deficiência de um deles pode levar o investigador a prática de excessos procurando compensar uma desvantagem em que possa ter motivo de temor.
    Aos requisitos, podemos dar a denominação de notas, prova distingui-los de outros que pode receber a designação de adquiridos: é o conhecimento da arte de lutar sem armas, absolutamente necessário para o investigador.
    Essa arte, da ao agente investigador maior capacidade para atuar em situações
    difíceis, infundiu-lhe maior confiança e assim contribuem para atuar sempre que
    necessário, o emprego de meios violentos.
    O investigador deve manter e aperfeiçoar suas condições físicas por meio de exercícios racionais e periódicos.
    A formação MORAL é indispensável, pois é reveladora de honestidade profissional a
    educação é uma boa decorrência da formação moral. É também indispensável e pode ser considerada como composta de urbanidade no trato, paciência e discrição.

  • A urbanidade no trato, se não criar um ambiente de simpatia, concorre, pelo menos,
    para não gerar o de antipatia. E o Detetive Particular precisa de boa vontade geral,
    para ter a sua missão facilitada e, o que é muito importante, para poder contar com a ajuda de populares em caso de necessidade.
    A discriminação deve ser preocupação constante. A boa formação moral facilita
    também a compreensão do que seja disciplina, seu valor e o comportamento dentro
    dela.
    Os requisitos INTELECTUAIS podem ser divididos em naturais e adquiridos.
    Os ADQUIRIDOS são constituídos dos conhecimentos que advém dos cursos, escolas e também dos conhecimentos sobre as variadas atividades humanas. Esses
    conhecimentos têm grande importância porque podem facilitar bastante o trabalho do Detetive Particular que encontra pela frente os mais variados problemas.
    Estes conhecimentos têm grande importância porque pode facilitar bastante o trabalho do investigador, que encontrará pela frente os ais variados problemas.
    Interesses e sentimentos:
    No exercício de suas funções o investigador deve ter independência. Não
    independência no sentido de ampla liberdade de ação, coisa impossível para quem
    pertence a uma organização hierarquizada, como é a Polícia. A independência de que se cogita é a que permite evitar que interesses e sentimentos, interfiram nos
    trabalhos.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 45,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • 01. LINGUAGEM
  • 02. CONCEITO
  • 03. CONDIÇÕES GERAIS DE EXERCÍCIO
  • 04. O DETETIVE PARTICULAR
  • 5) CAMPO DE ATUAÇÃO
  • 6. MERCADO DE TRABALHO
  • 7. MORAIS E INTELECTUAIS.
  • 8. CARACTERÍSTICAS FUNDAMENTAIS MENCIONADAS
  • 9. O DETETIVE DE POLÍCIA
  • 10. FLAGRANTE DELITO
  • 11. OS MANDAMENTOS DO DETETIVE PARTICULAR
  • 12. TERMOS EMPREGADOS
  • 13. INSTRUÇÕES RESERVADAS
  • 14. INVESTIGAÇÃO
  • 15. INDAGAR COM CUIDADO
  • 16. OBSERVAR OS DETALHES
  • 17. EXAMINAR COM ATENÇÃO
  • 18. CONCEITO
  • 19. OBJETIVO
  • 20. AS PROVAS
  • 21. LÓGICA APLICADA
  • 22. TIPOS DE ESPIONAGEM
  • 23. CONTRA INFORMAÇÃO
  • 24. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE UMA OBSERVAÇÃO
  • 25. FONTES DE INFORMAÇÕES
  • 26. INFORMANTES
  • 27. NÍVEIS DOS INFORMANTES
  • 28. CONCEITO
  • 29. LEVANTAMENTOS DOCUMENTAIS
  • 30. LEVANTAMENTOS DOCUMENTAIS COMO PROVA
  • 31. CAMPANAS - CONCEITO
  • 32. CAMPANA FIXA
  • 33. REGRAS PARA A CAMPANA FIXA
  • 34. CAMPANA MÓVEL
  • 35. CAMPANA MOTORIZADA
  • 36. CAMPANA a PÉ
  • 37. DIFICULDADES FREQÜÊNTES EM CAMPANAS A PÉ
  • 38. CAMPANA MISTA
  • 39. OBSERVAÇÃO URBANA
  • 40. MOVIMENTAÇÃO DE CÂMERA
  • 41. TÉCNICAS DE DESPISTAMENTO
  • 42. DESPISTAMENTO a PÉ
  • 43. FUNÇÕES DOS AGENTES NA EQUIPE
  • 44. INFILTRAÇÃO
  • 45. PENETRAÇÃO EM AMBIENTES
  • 46. O DETETIVE PARTICULAR EM SEU ESCRITÓRIO
  • 47. TIPOS DE CLIENTES
  • 48. HONORÁRIOS
  • 49. GENERALIDADES
  • 50. NOÇÕES DE DIREITO PENAL - CONCEITOS:
  • 51. CÓDIGO PENAL BRASILEIRO DO FURTO
  • 52. FURTO QUALIFICADO
  • 53. FURTO DE COISA COMUM
  • 54. DO ROUBO E DA EXTORSÃO ROUBO
  • 55. EXTORSÃO
  • 56. EXTORSÃO MEDIANTE SEQUESTRO
  • 57. EXTORSÃO INDIRETA
  • 58. DA APROPRIAÇÃO INDÉBITA
  • 59. APROPRIAÇÃO DE COISA HAVIDA POR ERRO, CASO FORTUITO OU FORÇA DA
  • NATUREZA.
  • 60. QUADRILHA OU BANDO
  • 61. LEGISLAÇÃO ESPECIAL ? ENTORPECENTE
  • 62. LEI DAS CONTRAVENÇÕES PENAIS
  • 63. DEFESA DO CUNSUMIDOR
  • 64. ORÇAMENTO