Curso Online de REDAÇÃO e COLETIVOS

Curso Online de REDAÇÃO e COLETIVOS

I. A comunicação verbal II. Como fazer uma boa redação III. Interpretação de Textos, IV. Criação de Textos V. A Literatura falada VI. C...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 9 horas

Por: R$ 35,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

I. A comunicação verbal
II. Como fazer uma boa redação
III. Interpretação de Textos,
IV. Criação de Textos
V. A Literatura falada
VI. Coletivos

José Vieira Cabral Nasceu no dia 25 de agosto de 1.960 em Xambrê, Paraná, viveu ali até os seus oito anos de idade e depois os seus pais se mudaram para Maringá no mesmo Estado. E aos 19 anos mudou-se para São Caetano do Sul, Região do Grande ABC, São Paulo, onde permanece até o presente momento. O Autor/produtor foi comerciante a maior parte de sua vida, mas também trabalhou como empregado em algumas Empresas: Foi Administrativo e Encarregado de obras Civis, tendo como formação (Mestria em Construção Civil) e, mais de 100 Cursos de diversas áreas. Como Escritor e pesquisador escreveu diversas Obras Literárias e Didáticas: É fundador da Livraria e Editora Virtual Cabral Veríssimo (seu nome artístico) e pertencente ao Clube de autores. O seu Site:(ciacabralverissimo.loja2.com.br), onde produz os seus Livros e Cursos online para a plataforma da (www.buzzero.com/autores/jose-cabral).



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • REDAÇÃO E COLETIVOS

    Descrição:
    I. A comunicação verbal
    II. Como fazer uma boa redação
    III. Interpretação de Textos,
    IV. Criação de Textos
    V. A Literatura falada
    VI. Coletivos

    CURSO
    ONLINE

  • I. A comunicação verbal

    A comunicação verbal assume o relacionamento entre os seres humanos de uma forma tão precisa que ficamos a imaginar... O que seria do universo se não existisse a fala?
    A expressão verbal consegue dissolver e redimir de nossa ‘alma os mistérios do sentimentalismo através de uma elasticidade habitual, de forma singela ou, porém profunda quando necessário.
    Não há nada igual, nem de semelhança precisa, qual a elasticidade, dessa nossa linguagem; ela busca os mais profundos sentimentos em oculto e organiza! Ruídos e melodias, do alfabeto português e logo idealiza: morfemas, versos, frases, parágrafos e textos vivos!
    Ela consegue estender no papel a escrita, munida de cenas diversas... Como se fosse o próprio filme!
    A nossa linguagem é doce ao paladar e belíssima aos olhares; porque por ela expressamos tudo o que vemos e sentimos _ nela está à configuração de tudo que imaginamos e das buscas que precisamos fazer, para trazer ao mundo externo, numa troca de valores sociais e individuais.
    Sem esse meio incrível de comunicação, teríamos um mundo escuro, pela cultura precária! As dificuldades seriam inevitáveis! Pois é através dessa liga linguística, que

  • misturamos os valores, que se desprendem dia-a-dia, num circuito tão belo e maravilhoso! Que é capaz de registrar passado, presente e renovos da evolução humanos, vigentes.
    O recurso da fala é uma dádiva de Deus! Que consiste facilidade de relacionamento entre povos de eras diferentes; que tendo uma mesma linguagem deixam suas culturas registradas em documentos.
    Entre um povo de linguagem igual, o relacionamento é bem familiar _ porque há uma circulação de assuntos corriqueiros, que sistematiza o comportamento humano dentro de uma nação.
    Diferentemente isso se dá quando se estende um relacionamento de uma nação para outra; pois os costumes são outros e a linguagem também!
    Há um domínio territorial e linguístico que faz uma diferença, muitas vezes, totalmente oposta, noutras nem tanto! Mas em tudo isso... Há uma troca de valores humanos que configuram os seus comportamentos (evolução, equilíbrios e desequilíbrio) tudo nos leva a crer!
    Que não existe individualismo absoluto: _ somos células formando uma mesma nação, com uma mesma linguagem e sistema de vida domesticado.
    Sabemos muito bem, que há uma desigualdade constrangedora, acerca dos níveis sociais, que tanto se debatem para melhorias (e quase não se vê melhorias satisfatórias); mas mesmo assim vivemos de forma incomum,

  • porque estamos buscando melhorias, que nos parece ser individuais, mas essa busca gera benefícios, unânimes.
    Nesse comportamento “vida!” Creio que os que ficam prejudicados são os deficientes visuais e linguísticos (cegos e mudos) _ porque ficam distanciados da marcha nacional do seu próprio País.
    Embora, são muitíssimos beneficiados dentro daquilo que se preparou para eles, serem ingressados ao meio social. Exemplo disso:
    - Língua Braile (para cegos)
    - Língua Libras (para surdos e mudos). Esse sistema de comunicação vem sendo divulgado em cadeias de comunicação, quase que assiduamente _ para favorecer o convívio social desses deficientes visuais e linguísticos: o processo é lento por mais que se esforçam! Devido à falta de interesse unânime no aprendizado da “Língua Libras”.
    O ideal é que boa parte da população soubesse falar essa linguagem para valorizar a vida dessas pessoas. Mas infelizmente há uma divisa de separação entremeio irmãos duma mesma nacionalidade. O espaço de comunicação para eles são restritos, com disponibilidade apenas a uma pequena parte da população.
    Graças ao esforço dos que se preocupam! Já está aberta uma grande porta para os surdos e mudos - As redes de televisão estão pondo os intérpretes para transmitir-lhes, programações.

  • E isso faz com que eles sintam-se mais humanos, numa participação mais ativa para com a sociedade. Esses avanços satisfazem a todos os que querem o bem do próximo e principalmente aos beneficiados.
    A qualidade de melhorias! Estende-se á todos os que querem participar dessa evolução de comunicação, para com os mudos e surdos; esse avanço enche de alegria e satisfação os olhos de todos aqueles que desejam o bem estar desses deficientes.
    “O povo e sua linguagem” tem construído um mundo melhor na valorização do comportamento humano: ao buscar facilidade de comunicação em todos os meios e principalmente aos desfavorecidos (deficientes).

  • II. Como Fazer
    Uma Boa Redação

    Domar a arte da escrita é um tarefa que exige prática e dedicação. No entanto, conhecer seu lado teórico é muito importante. Aqui você encontra um resumo desta teoria com dicas de como fazer uma redação de qualidade. Aplique-a em seu trabalho, mas não se esqueça: você precisará fazer a sua parte, isto é, escrever.
    SIMPLICIDADE
    Use palavras conhecidas e adequadas. Escreva com simplicidade. Para que se tenha bom domínio, prefira frases curtas. Amarre as frases, organizando as ideias. Cuidado para não mudar de assunto de repente. Conduza o leitor de maneira leve pela linha de argumentação.
    CLAREZA
    O segredo está em não deixar nada subentendido, nem imaginar que o leitor sabe o que você quer dizer. Evidencie todo o conteúdo da sua escrita. Lembre-se: você está comunicando a sua opinião, falando de suas ideias, narrando um fato. O mais importante é fazer-se entender.

  • OBJETIVIDADE
    Você tem que expressar o máximo de conteúdo com o menor número de palavras possíveis. Por isso não repita ideias, não use palavras demais ou outras coisas que só para aumentem as linhas. Concentre-se no que é realmente necessário para o texto. A pesquisa prévia ajuda a selecionar melhor o que se deve usar.
    UNIDADE
    Não esqueça, o texto deve ter unidade, por mais longo que seja. Você deve traçar uma linha coerente do começo ao final do texto. Não pode perder de vista essa trajetória. Por isso, muita atenção no que escreve para não se perder e fugir do assunto. Eliminar o desnecessário é um dos caminhos para não se perder. Para não errar, use a seguinte ordem: introdução, argumentação e conclusão da idéia.
    COERÊNCIA
    A coerência (coesão) entre todas as partes de seu texto é fator primordial para se escrever bem. É necessário que elas formem um todo. Para isso, é necessário estabelecer uma ordem para as ideias se completem e formem o corpo da narrativa. Explique, mostre as causas e as conseqüências.
    A sua redação, seja ela dissertativa descritiva ou narrativa, deve primar, como se sabe, pela clareza, objetividade, coerência e coesão. E a coesão, como o próprio nome diz (coeso significa ligado), é a propriedade que os elementos textuais têm de estar interligados. De um fazer referência ao outro.

  • Exemplos: Obedecer a uma ordem cronológica é uma maneira de se acertar sempre, apesar de não ser criativa. Nesta linha, parta do geral para o particular, do objetivo para o subjetivo, do concreto para o abstrato. Use figuras de linguagem para que o texto fique interessante. As metáforas também enriquecem a redação.
    ÊNFASE
    Procure chamar a atenção para o assunto com palavras fortes, cheias de significado, principalmente no início da narrativa. Use o mesmo recurso para destacar trechos importantes. Uma boa conclusão é essencial para mostrar a importância do assunto escolhido. Remeter o leitor à idéia inicial é uma boa maneira de fechar o texto.
    LEIA E RELEIA
    Lembre-se, é fundamental pensar, planejar, escrever e reler seu texto. Mesmo com todos os cuidados, pode ser que você não consiga se expressar de forma clara e concisa. A pressa pode atrapalhar. Com calma, verifique se os períodos não ficaram longos, obscuros. Veja se você não repetiu palavras e ideias. À medida que você relê o texto, essas falhas aparecem, inclusive, erros de ortografia e acentuação. Não se apegue ao escrito. Refaça se for preciso. Não tenha preguiça, passe tudo a limpo quantas vezes forem necessárias. No computador, esta tarefa se torna mais fácil. Faça sempre uma cópia do texto original. Assim você se sentirá à vontade para corrigir quanto quiser, pois sabe que sempre poderá voltar atrás.

  • III. Interpretação de textos

    Para ler e entender um texto é preciso atingir dois níveis de leitura:
    Nível de Informativa e Nível de reconhecimento:

    Interpretativa.

    A primeira deve ser feita cuidadosamente por ser o primeiro contato com o texto, extraindo-se informações e se preparando para a leitura interpretativa. Durante a interpretação grife palavras-chave, passagens importantes; tente ligar uma palavra à ideia-central de cada parágrafo.

    A última fase de interpretação concentra-se nas perguntas e opções de respostas. Marque palavras com não, exceto, respectivamente, etc., pois fazem diferença na escolha adequada.

    Retorne ao texto mesmo que pareça ser perda de tempo. Leia a frase anterior e posterior para ter ideia do sentido global proposto pelo autor.

  • Organização do texto e ideia central

    Um texto para ser compreendido deve apresentar ideias seletas e organizadas, através dos parágrafos que é composto pela ideia central, argumentação e/ou desenvolvimento e a conclusão do texto.

    Podemos desenvolver um parágrafo de várias formas:

    Declaração inicial – Definição - Divisão - Alusão histórica.

    Serve para dividir o texto em pontos menores, tendo em vista os diversos enfoques. Convencionalmente, o parágrafo é indicado através da mudança de linha e um espaçamento da margem esquerda.

    Uma das partes bem distintas do parágrafo é o tópico frasal, ou seja, a ideia central extraída de maneira clara e resumida.

    Atentando-se para a ideia principal de cada parágrafo, asseguramos um caminho que nos levará à compreensão do texto.

  • Os tipos de texto

    Basicamente existem três tipos de texto:
    Texto narrativo;
    Texto descritivo;
    Texto dissertativo.
    Cada um desses textos possui características próprias de construção.

    Descrição

    Descrever é explicar com palavras o que se viu e se observou. A descrição é estática, sem movimento, desprovida de ação. Na descrição o ser, o objeto ou ambiente são importantes, ocupando lugar de destaque na frase o substantivo e o adjetivo.

    O emissor capta e transmite a realidade através de seus sentidos, fazendo uso de recursos linguísticos, tal que o receptor a identifique. A caracterização é indispensável, por isso existe uma grande quantidade de adjetivos no texto.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 35,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • I. A comunicação verbal
  • II. Como fazer uma boa redação
  • III. Interpretação de Textos,
  • IV. Criação de Textos
  • V. A Literatura falada
  • VI. Coletivos