Curso Online de Plaquetas Como Alvos Terapêuticos

Curso Online de Plaquetas Como Alvos Terapêuticos

Curso baseado no artigo: Plaquetas: ainda um alvo terapêutico - CASTRO, H. C. et al., 2006.

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 2 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Curso baseado no artigo: Plaquetas: ainda um alvo terapêutico - CASTRO, H. C. et al., 2006.

Farmacêutica, especialista em Química. Curso de Extensão em Farmácia Hospitalar.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Plaquetas COMO ALVOS TERAPÊUTICOS

    Plaquetas COMO ALVOS TERAPÊUTICOS

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Plaquetas são fragmentos citoplasmáticos anucleados presentes no sangue e produzidos a partir de megacariócitos na medula óssea.

    Distribuição
    70 % presentes na circulação;
    30 % no baço.

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    A hemostasia é responsável pela manutenção do fluxo sangüíneo e da integridade vascular.

    minimiza a perda sangüínea e
    promove a restauração da
    arquitetura vascular normal.

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

  • SÍNDROMES E PATOLOGIAS

    SÍNDROMES E PATOLOGIAS

    Anormalidades no número ou na composição das plaquetas

    desequilíbrio nas fases iniciais do
    sistema hemostático

    tendência a sangramento e
    comprometimento da função
    plaquetária.

  • DEFEITOS NOS RECEPTORES PLAQUETÁRIOS

    DEFEITOS NOS RECEPTORES PLAQUETÁRIOS

    Trombastenia de Glanzmann
    - ausência ou diminuição nos receptores GpIIb-IIIa;
    - sem alteração de número, tamanho, forma e tempo de vida de plaquetas.

    Apresenta caráter autossômico recessivo, com histórico familiar de sangramento geralmente negativo.

    O tempo de sangramento é invariavelmente prolongado, com retração do coágulo.

    Tratamento:
    - transfusão de plaquetas, sendo a aloimunização plaquetária uma séria conseqüência desse procedimento

  • DEFEITOS NOS RECEPTORES PLAQUETÁRIOS

    DEFEITOS NOS RECEPTORES PLAQUETÁRIOS

    Síndrome de Bernard-Soulier
    - decréscimo ou ausência de receptores para o FvW (GpIb-IX); - plaquetas maiores, mas em menor número.

    Tempo de sangramento prolongado e agregação diante da ristocetina anormal.

    É autossômica recessiva e os sintomas são variáveis.

    Tratamento:
    - transfusão plaquetária é utilizado terapeuticamente, podendo também resultar em aloimunização.

  • DESORDENS GRANULARES

    DESORDENS GRANULARES

    Síndrome de Hermansky-Pudlak
    - os grânulos densos apresentam anormalidades com ausência de ADP de origem metabólica nas plaquetas.

    Desordem autossômica recessiva, associada ao albinismo oculocutâneo e caracterizada pelo sangramento desordenado por tempo prolongado.

    Estudos das funções plaquetárias mostram agregação deficiente diante do colágeno.

  • DESORDENS GRANULARES

    DESORDENS GRANULARES

    Síndrome de Chediak-Higashi
    - grânulos grandes e anormais, mas similares aos encontrados em melanócitos, leucócitos e fibroblastos.

    Rara desordem autossômica recessiva.

    Está associada ao albinismo oculocutâneo parcial, com freqüente recorrência de infecções piogênicas e tempo de sangramento prolongado.

    Ocorre um decréscimo do número de grânulos densos e agregação anormal associada a uma tendência ao sangramento, mas com manutenção do número normal de plaquetas

  • DESORDENS GRANULARES

    DESORDENS GRANULARES

    Síndrome de Wiskott-Aldrich
    - relacionada ao cromossomo X;
    - trombocitopenia com presença de plaquetas menores.

    Rara desordem recessiva.

    Há sangramento em associação ao funcionamento anormal e queda do número das plaquetas.

    Tratamento do sangramento agudo:
    - transfusão de plaquetas;
    - o transplante de medula óssea considerado possível tratamento definitivo para esses paciente.

  • DEFICIÊNCIAS DE SECREÇÃO

    DEFICIÊNCIAS DE SECREÇÃO

    Maior grupo de deficiências do funcionamento das plaquetas.

    Composto de desordens heterogêneas causadas por anormalidades na transdução de sinal:
    - de membrana;
    - vias metabólicas;
    - nos mecanismos de secreção;
    - nas estruturas envolvidas diretamente na secreção do conteúdo granular após a ativação plaquetária.

    Há um significativo comprometimento na liberação do ADP, apesar de os conteúdos granulares serem normais.

    Tratamento:
    - DDAVP/Stimate® (análogo sintético da vasopressina).


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Plaquetas COMO ALVOS TERAPÊUTICOS
  • INTRODUÇÃO
  • SÍNDROMES E PATOLOGIAS
  • DEFEITOS NOS RECEPTORES PLAQUETÁRIOS
  • DESORDENS GRANULARES
  • DEFICIÊNCIAS DE SECREÇÃO
  • ANORMALIDADES EM FATORES PLASMÁTICOS QUE AFETAM O FUNCIONAMENTO PLAQUETÁRIO
  • ANORMALIDADES NA INTERAÇÃO PLAQUETÁRIA COM FATORES DE COAGULAÇÃO
  • TROMBOSE ARTERIAL x TRATAMENTO
  • CONCLUSÃO
  • REFERÊNCIAS