Curso Online de Assédio Moral e Estresse

Curso Online de Assédio Moral e Estresse

Toda e qualquer conduta abusiva manifestando-se, sobretudo por comportamentos, palavras, atos, gestos, escritos que possam trazer dano à ...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 3 horas

De: R$ 50,00 Por: R$ 30,00
(Pagamento único)

Mais de 0 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Toda e qualquer conduta abusiva manifestando-se, sobretudo por comportamentos, palavras, atos, gestos, escritos que possam trazer dano à personalidade, à dignidade ou à integridade física ou psíquica de uma pessoa, pôr em perigo seu emprego ou degradar o ambiente de trabalho

Especialista em Enfermagem do Trabalho-UERJ 2009 Bacharel em Enfermagem Unigranrio-2007 Enfermeiro do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes. Enfermeiro do Trabalho Transpetro



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • assédio
    moral

    e

    estresse

    prof. alan feitoza

  • “uma palavra contundente é algo que pode matar ou humilhar, sem que se sujem as mãos. uma das grandes alegrias da vida é humilhar seus semelhantes.” – pierre desproges

    “é uma processo real de destruição moral, que pode levar à doença mental ou ao suicídio.” (hirigoyen: 2002, p.16)

    problemas na
    identificação

    banalização da violência

    personalidade do perverso

    o fim justifica o meio

    diagnóstico de casos extremos

  • assédio moral

    perversidade – não provém de uma perturbação psiquiátrica e sim de uma fria racionalidade, combinada a uma incapacidade de considerar outros como seres humanos. trata-se de um mecanismo de defesa!

    na sua construção adoecida não o reconhecimento do outro enquanto sujeito, já que este reconhecimento o levaria a refletir sobre o sofrimento que este sendo causado.

    “um indivíduo perverso é permanentemente perverso; ele está fixado neste modo de relação com o outro e não se questiona em momento algum.” (hirigoyen: 2002)

    perversidade x psicopatia

  • assédio moral

    comportamento irresponsável, explorador e insensível.
    freqüentemente têm problemas legais e criminais.
    insensibilidade aos sentimentos alheios.
    desrespeito por normas, regras e obrigações sociais de forma persistente.
    manipulador.
    baixa tolerância à frustração.
    incapacidade de assumir a culpa.
    tendência a culpar os outros ou defender-se com raciocínios lógicos, porém improváveis.

    psicopatia

  • assédio moral

    “toda e qualquer conduta abusiva manifestando-se, sobretudo por comportamentos, palavras, atos, gestos, escritos que possam trazer dano à personalidade, à dignidade ou à integridade física ou psíquica de uma pessoa, pôr em perigo seu emprego ou degradar o ambiente de trabalho.” (hirigoyen: 2002, p. 65)

    perfil do
    agressor

    perfil do
    trabalhador
    vitimado

    ?

    ?

  • quando a violência se inicia o indivíduo acaba se tornando o que o agressor deseja – desatenta, menos eficiente, frágil – o que faz deste perfil uma excelente justificativa para a demissão.

    vítima que reage ao autoritarismo do chefe

    eficiente, prestativo, organizado, agredido pelo colega que não ocupa a mesma posição

    empregado eficiente que é ameaçado por não atingir mais o perfil da empresa.

    perfil
    da
    vítima

  • perfil
    do
    agressor

    “toda pessoas em crise é levada a adotar mecanismos perversos para defender-se.” (hirigoyen: 2002, p.139) são eles:
    narcisismo, megalomania, vampirização, irresposabilidade e paranóia.

    colega que agride outro colega

    superior agredido por subordinados

    subordinado agredido por superior

  • colega que agride outro colega

    colega que agride outro colega

    narcisismo
    “sua vida consiste em procurar seu reflexo no olhar dos outros. o outro não existe enquanto indivíduo apenas enquanto espelho.”

    megalomania
    “mostrar as dos outros é não ver as próprias falhas, de defender-se contra uma angústia de cunho psicótico.”

    vampirização – “o parceiro não existe como pessoa, mas apenas como portado de uma qualidade de que os perversos tentam apropriar-se.”

    paranóia – “a tomada de poder dos paranóides dá-se pela força, ao passo que a dos perversos pela sedução.”

    traços
    da
    personalidade

  • um colega que agride outro colega

    o diferente dentro do grupo tendem a assumir o papel de vítimas. (mulher, homossexuais, diferenças raciais ou religiosas,...)

    caso clínico 1 – mulher inspetora de polícia

    caso clínico 2 – mulher bela, educada, elegante

    caso clínico 3 - competitividade

  • um superior agredido por subordinados

    perfil: superior vindo de fora, novo na empresa, com estilo e métodos que divergem do contexto do grupo e que não deseja adaptar-se.

    um subordinado agredido por um superior

    trabalhador tem que aceitar tudo que lhe é imposto, sua capacidade decisória fica comprometida.
    caso de abuso de poder, supervisor que se prevalece de sua posição hierárquica, ou tentativa de engrandecer-se, a escolha do bode expiatório.

  • problemática:
    responsável (coordenador ou diretor) é o mais competente profissionalmente (tem mais diplomas ou habilidade profissional) e não aquele que é mais capaz em termos de direção de equipe, em termos de relacionamento interpessoal, em termos sensibilidade ou empatia.

    conseqüências visíveis:
    absenteísmo, licenças, diminuição da produtividade.
    conseqüências invisíveis:
    sofrimento, dor, culpabilização, desespero, crise de identidade, ruptura da personalidade, doença mental (suicídio ou neurose)


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 30,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.