Curso Online de Assistência de Enfermagem no Cateterismo Umbilical Venoso
4 estrelas 1 aluno avaliou

Curso Online de Assistência de Enfermagem no Cateterismo Umbilical Venoso

Este curso trás toda técnica necessária para o sucesso de um cateterismo umbilical.

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 3 horas

Por: R$ 40,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Este curso trás toda técnica necessária para o sucesso de um cateterismo umbilical.

Enfermeira especialista em Enfermagem do Trabalho e docência do Ensino Médio;Cursando Especialização em Gestão em Saúde.


- Renata Cáceres

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Assistência de Enfermagem no Cateterismo Umbilical Venoso

    assistência de enfermagem no cateterismo umbilical venoso

    enf.ªadriane duarte amorim costa

  • Anatomia

    anatomia

    o coto umbilical tem duas artérias(a luz estrelada e a parede mais espessa) geralmente localizadas às 05 e 07 horas e uma veia(forma ovalada e parede fina) situada às 12 horas(ava);
    após o anel umbilical a veia dirige-se cranialmente juntando-se ao sistema porta que se comunica com a veia cava inferior através do ducto.venoso

  • quando o cateter permanecer por um período prolongado na veia é necessário que a sua extremidade esteja adequadamente localizada na veia cava inferior,um pouco acima do diafragma.
    para atingir a localização correta e determinar o comprimento do cateter a ser introduzido,deve-se medir a distância entre o ombro e o umbigo,e utilizar o valor encontrado no quadro relativo à cateterização venosa.

  • Indicações

    indicações

    exosanguineotransfusão.

    acesso venoso de urgência.

    monitorização de pvc (pressão venosa central).

    acesso venoso para rn < 1.000 g.

  • Contraindicações

    contraindicações

    defeitos de fechamento da parede abdominal.
    presença de onfalite.
    presença de peritonite.
    enterocolite necrosante.
    civd ( coagulação intravascular disseminada).

  • Materiais Necessários

    materiais necessários

    gorro
    máscara
    luvas estéreis
    campos estéreis
    gazes estéreis
    clorhexidine a 0,5%
    bandeja com material de cateterismo propriamente dito:
    tesoura reta;pinça;fórceps de íris;porta-agulha;bisturi com lâmina reta,pinça tipo hartman reta;cadarço;fio de sutura 4-0.

  • seringa de 10 ml;água destilada ou soro fisiológico a 0,9%; 2 torneiras 3 vias(et – exosanguineotransfusão).
    cateteres – polivinil argyler para os neonatos menores(nº05) e maiores(nº 08) que 3 kg.
    o cateter para a realização de et deve ter,obrigatoriamente,pelo menos um orifício lateral,além do terminal,para evitar a lesão endotelial durante o “puxa – empurra”.
    o cateter deve apresentar uma linha radiopaca para sua localização radiológica.
    sonda traqueal com orifício terminal 06 ou 08,respectivamente,para crianças com peso inferior ou superior a 3 kg.

  • Procedimentos

    procedimentos

    realizar assepsia de mãos e antebraços;
    assepsia do coto com clorhexidine a 0,5%,com gaze e luva estéreis;
    usar a técnica apropriada e rigorosa,fazendo movimentos centrífugos a partir do coto.
    aplicar campos estéreis;
    fazer sutura em bolsa ao redor do coto umbilical,apertando-o suficiente para evitar o sangramento,porém não em excesso;

  • cortar o coto paralelo e horizontal em relação à superfície abdominal,cerca de 1 cm distante da pele;pode-se visualizar,então,os vasos,as duas artérias e a veia;
    com o fórceps de íris,retirar delicadamente o coágulo sanguíneo existente na luz do vaso;antes de introduzir o cateter,preenchê-lo com soro fisiológico;caso esse passo não tenha sido realizado,deve-se logo após a cateterização,aspirar o sangue venoso ate que preencha completamnente o cateter para evitar embolia gasosa.

    fórceps de íris

  • introduzir o cateter perpendicularmente até encontrar uma resistência distante 1 a 2 cm da entrada,correspondendo ao anel umbilical.nesse momento,retificar o coto em direção caudal e orientar o cateter cranialmente para evitar falsos trajetos até a distância predeterminada,aspirar delicadamente.
    quando o cateterismo não for bem-sucedido(sem retorno de sangue ou o cateter não progrediu até a distância predeterminada)duas são as hipóteses mais prováveis:ou o cateter fez um falso trajeto ou não passou o ducto venoso.em caso de falso trajeto,retirar imediatamente o cateter.

  • quando o cateter atingir o sistema porta,retirá-lo cerca de 2 a 3 cm e,após uma rotação delicada,reintroduzi-lo.
    para a veia permanecer cateterizada por um período prolongado é obrigatória a sua confirmação radiológica com raios x em perfil,pois nessa posição visualiza-se melhor se houve ou não passagem do cateter pelo ducto venoso.
    após a localização deve-se fazer uma sutura em bolsa no cordão tomando-se o cuidado de não transfixar as artérias ou o cateter.
    fixar o cateter através do fio de sutura e depois fazer o curativo em ponte.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 40,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Assistência de Enfermagem no Cateterismo Umbilical Venoso
  • Anatomia
  • Indicações
  • Contraindicações
  • Materiais Necessários
  • Procedimentos
  • Complicações
  • Assistência de Enfermagem
  • Drogas que não devem ser infundidas pelo cateter umbilical arterial
  • Referências Bibliográficas