Curso Online de AVALIAÇÃO E MONITORAÇÃO RESPIRATÓRIA NEONATAL E PEDIÁTRICA

Curso Online de AVALIAÇÃO E MONITORAÇÃO RESPIRATÓRIA NEONATAL E PEDIÁTRICA

curso voltado para profissionais da área da saúde e estudantes. Mostra como realizar uma avaliação inicial no RN. Classificação do RN seg...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 8 horas

Por: R$ 80,90
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

curso voltado para profissionais da área da saúde e estudantes. Mostra como realizar uma avaliação inicial no RN. Classificação do RN segundo peso do nascimento, idade gestacional,adequação peso/idade gestacional. Anamnese, apgar, avaliação dos sinais vitais, repercussões da hipertermia e da hiportermia, PAS, FC, FR, exame físico, inspeção, ritmo respiratorio, palpação, percussão toracica, ausculta respiratoria, avaliação não invasiva, oximetria de pulso, capnografia, avaliação invasiva, gasomtria arterial, avaliação cinesiofuncional respiratoria, manovacumetria, ventilometria, pico de fluxo expiratorio, avaliação da mecânica respiratória, auto- peep, monitorização gráfica durante a VM (ventilação mecânica).

Formada no curso de fisioterapia. Crítica, admiradora e sempre em busca de conhecimentos CURSOS: urgências e emergências; Raios x; DRY NEEDLING; Semiologia pediátrica; Reabilitação do complexo de ombro; Abordagem fisiotetapêutica em órteses e prótese; VENTILAÇÃO MECÂNICA EM PEDIATRIA; URGÊNCIAS EM PEDIATRIA.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • AVALIAÇÃO E MONITORAÇÃO RESPIRATÓRIA NEONATAL E PEDIÁTRICA

    AVALIAÇÃO E MONITORAÇÃO RESPIRATÓRIA NEONATAL E PEDIÁTRICA

    Milian Oliveira

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    O profissional fisioterapeuta tem-se firmado nas unidades de terapia intensiva (UTI) neonatais e pediátricas como parte de uma equipe altamente qualificada e preparada para garantir os melhores resultados ao recém-nascido (RN) e à criança de alto risco.

    Tornam-se imprescindíveis a avaliação e a monitoração precisas em ambiente de cuidados intensivos, levando-se em consideração as características anatomofisiológicas peculiares a esta população e a sua variação de acordo com o crescimento e o desenvolvimento adequados para a idade.

  • Em respiração, a avaliação e a monitoração são um conjunto de técnicas com os seguintes objetivos:

    demonstrar as alterações funcionais pulmonares, de preferência de maneira contínua e precoce, assegurando os objetivos das terapêuticas empregadas, o que pode determinar o melhor prognóstico;
    alertar sobre as mudanças significativas na condição clínica do paciente;
    compreender a fisiopatologia da mecânica respiratória, ajudando no diagnóstico e guiando a conduta.

  • A utilização de técnicas precisas e cuidadosas, por meio de uma habil anamnese e exame físico, interpretação das trocas gasosas e dos distúrbios acidobásicos, avaliação cinesiofuncional e monitoração respiratória é particularmente importante em RNs pré-termo (RNPTs) e crianças com estado geral grave, momento em que se deve minimizar ao máximo o gasto energético em virtude da sua alta instabilidade e da sua labilidade sistêmicas.

  • TERMINOLOGIA

    TERMINOLOGIA

    Na avaliação inicial do RN, é importante que o fisioterapeuta esteja familiarizado com algumas terminologias que refletem a sua condição de prematuridade e as suas possíveis repercussões. São elas:

    classificação antropométrica, incluindo peso ao nascimento (PN);
    idade gestacional (IG), bem como sua adequação para o PN;
    idade gestacional corrigida (IGC).

    Essas características podem influenciar as suas perspectivas de crescimento e desenvolvimento.

    No Quadro a seguir, tem-se um resumo dessas classificações.

  • O baixo peso ao nascer (inferior a 2.500g) é um forte fator preditivo da mortalidade e morbidade nas primeiras semanas de vida, podendo ser decorrente da prematuridade, do retardo de crescimento intrauterino ou da combinação de ambos, os quais apresentam etiologias e consequências diferentes.
    Para determinar a idade corrigida da criança, deve-se subtrair o número de semanas que ele nasceu prematuramente (considerando-se que deveria nascer com 40 semanas de IG) de sua idade cronológica (o seu tempo de vida em semanas).

    Esse dado fornece informação ao fisioterapeuta do que se deve esperar em relação ao desenvolvimento do sistemas respiratório, neuropsicomotor e demais sistemas.

  • ANAMNESE

    ANAMNESE

    A anamnese representa o registro ordenado dos fenômenos ocorridos na evolução da doença e é o passo inicial de toda avaliação do sistema respiratório, sendo base fundamental para o diagnóstico.
    Na maioria das vezes, as informações importantes para a anamnese são obtidas a partir de dados de prontuários e complementadas com relatos dos pais e de profissionais que prestaram atendimento ao paciente desde a sua internação (pediatra da sala de parto em casos de RN , profissionais do setor de emergência ou unidades de internamento do hospital)

  • FAZEM PARTE DA ANAMNESE:

    identificação : nome completo, sexo, idade, data de nascimento, raça e procedência;
    história da doença atual (HDA) : detalhes relativos à internação atual, tais como a causa que motivou à internação hospitalar e admissão na UTI, os antecedentes gestacionais, a gravidade da doença, os sinais e sintomas, a utilização de ventilação pulmonar mecânica (VPM) por prematuridade extrema ou outros fatores e as complicações;
    história patológica pregressa (HPP) : doenças anteriores e concomitantes, tanto clínicas como cirúrgicas;
    antecedentes familiares: histórico familiar de asma (maior risco de desenvolvê-la por volta dos2 anos) e pesquisa de antecedentes genéticos (como constituição familiar, consanguinidade e doenças hereditárias);
    condições ambientais: alguns fatores, como tabagismo passivo (aumenta a incidência de doença respiratória obstrutiva nos primeiros anos de vida) e condições socioeconômicas; exposição a fatores de risco que podem contribuir para o desenvolvimento intraútero anormal;
    antecedentes nutricionais: obesidade e desnutrição;
    exames complementares: hemograma, leucograma, bioquímica, sumário de urina, gasometria arterial, exames de imagem (raio X e tomografia computadorizada), ecocardiograma e ultrassom transfontanela.

  • Especialmente em RNPT, é fundamental buscar uma história obstétrica detalhada, com dados que podem estar relacionados aos achados do RN:
    antecedentes maternos e gestacionais: idade, paridade, abortos, parto prematuro anterior, gemelaridade, vícios, doenças durante a gestação (por exemplo, infecções, diabetes, eclampsia) e pré-natal (número de consultas);

    trabalho de parto e sala de parto: tipo de parto (cesáreo, normal, fórceps), tempo de bolsa rota (TBR), apresentação do RN (cefálica ou pélvica), intercorrências (parada cardiorrespiratória [PCR], aspiração de mecônio), índice de Apgar, perímetro cefálico, PN, IG e IGC.

  • O escore ou índice de Apgar é utilizado para a avaliação rápida da vitalidade do RN nos primeiros minutos de vida com base em cinco sinais, permitindo avaliar a necessidade de reanimação, bem como sua eficácia.

    O total de 10 pontos indica ótimo estado. Se o escore é inferior a 7 no 5º minuto, recomenda-se a sua aplicação a cada 5 minutos, até 20 minutos de vida.

    Alguns estudos têm demonstrado que os baixos escores de Apgar, em particular quando prolongados, podem estar associados a um maior risco de morte, transtornos neurológicos a longo prazo e transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH).

  • AVALIAÇÃO DOS SINAIS VITAIS

    AVALIAÇÃO DOS SINAIS VITAIS

    Os valores de temperatura corpórea, FC, pressão arterial (PA) e frequência respiratória (FR) são sinais que precisam ser constantemente monitorados, principalmente em terapia intensiva, pois fornecem informações úteis sobre a condição clínica da criança.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 80,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • AVALIAÇÃO E MONITORAÇÃO RESPIRATÓRIA NEONATAL E PEDIÁTRICA
  • INTRODUÇÃO
  • TERMINOLOGIA
  • ANAMNESE
  • AVALIAÇÃO DOS SINAIS VITAIS
  • TEMPERATURA
  • PRESSÃO ARTERIAL SISTÊMICA
  • FREQUÊNCIA CARDÍACA
  • FREQUÊNCIA RESPIRATÓRIA
  • EXAME FÍSICO
  • INSPEÇÃO
  • INSPEÇÃO ESTÁTICA
  • INSPEÇÃO DINÂMICA
  • PADRÃO RESPIRATÓRIO
  • OBSERVAÇÃO
  • ESFORÇO RESPIRATÓRIO
  • RITMO RESPIRATÓRIO
  • EXPANSIBILIDADE TORÁCICA E AMPLITUDE DA RESPIRAÇÃO
  • TOSSE E EXPECTORAÇÃO
  • PALPAÇÃO TORÁCICA
  • PERCUSSÃO TORÁCICA
  • AUSCULTA RESPIRATÓRIA
  • MONITORAÇÃO DAS TROCAS GASOSAS E DO EQUILÍBRIO ACIDOBÁSICO
  • AVALIAÇÃO NÃO INVASIVA
  • OXIMETRIA DE PULSO
  • AVALIAÇÃO INVASIVA GASOMETRIA ARTERIAL
  • AVALIAÇÃO CINESIOFUNCIONAL RESPIRATÓRIA
  • MANOVACUOMETRIA
  • VENTILOMETRIA
  • PICO DE FLUXO EXPIRATÓRIO
  • AVALIAÇÃO DA MECÂNICA RESPIRATÓRIA
  • AUTO-PEEP
  • MONITORAÇÃO GRÁFICA DURANTE A VENTILAÇÃO MECÂNICA
  • CURVA PRESSÃO-VOLUME
  • CURVA FLUXO-VOLUME
  • CONCLUSÃO