Curso Online de PARALISIA DO PLEXO BRAQUIAL E O TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

Curso Online de PARALISIA DO PLEXO BRAQUIAL E O TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

O curso mostra sobre o plexo braquial é o lugar onde as raízes nervosas da medula espinhal se reúnem e reorganizam antes de serem redistr...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 4 horas

Por: R$ 30,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

O curso mostra sobre o plexo braquial é o lugar onde as raízes nervosas da medula espinhal se reúnem e reorganizam antes de serem redistribuídas para inervar os músculos e a pele do braço. Há cinco raízes envolvidas no plexo, as quais saem da cavidade torácica inferiormente a clavícula, através da axila.
CLASSIFICAÇÃO
TRATAMENTO

Formada no curso de fisioterapia. Crítica, admiradora e sempre em busca de conhecimentos CURSOS: urgências e emergências; Raios x; DRY NEEDLING; Semiologia pediátrica; Reabilitação do complexo de ombro; Abordagem fisiotetapêutica em órteses e prótese; VENTILAÇÃO MECÂNICA EM PEDIATRIA; URGÊNCIAS EM PEDIATRIA.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • PARALISIA DO PLEXO BRAQUIAL E O TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

    PARALISIA DO PLEXO BRAQUIAL E O TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO

    Milian OLiveira

  • ANATOMIA

    ANATOMIA

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    O plexo braquial é o lugar onde as raízes nervosas da medula espinhal se reúnem e reorganizam antes de serem redistribuídas para inervar os músculos e a pele do braço. Há cinco raízes envolvidas no plexo, as quais saem da cavidade torácica inferiormente a clavícula, através da axila. 

    Fonte: google imagens

  • DEFINIÇÃO

    DEFINIÇÃO

    A lesão do plexo braquial pode ocorrer com qualquer força exercida sobre o plexo capaz de provocar lesão das raízes superiores, inferiores ou ambas. Essa força pode traumatizar, estirar ou avulsionar as raízes nervosas causando lesão dos nervos.
    Quando ocorre durante o parto, a lesão do plexo leva o nome de paralisia braquial obstétrica (PBO)

  • INCIDÊNCIA

    INCIDÊNCIA

    As lesões do plexo braquial ocorrem em 0,4 a 2,5 em cada 1.000 partos. A incidência da paralisia do plexo braquial diminuiu muito após os obstetras começarem a reconhecer a importância da desproporção da cabeça do feto com a pelve materna, adotando métodos para abreviar essa complicação.

  • INCIDÊNCIA

    INCIDÊNCIA

    A paralisia de Erb é o tipo mais comum de lesão do plexo braquial, ocorrendo em aproximadamente 80 % das lesões que acontecem durante os partos de nádega. A paralisia de Klumpke é relativamente rara e ocorre em apenas de 1 % das lesões do plexo braquial.

  • ETIOLOGIA E FISIOPATOLOGIA

    ETIOLOGIA E FISIOPATOLOGIA

    Os fatores que levam à lesão do plexo braquial incluem lactente com alto peso ao nascimento, trabalho de parto prolongado, desproporção entre o ombro do bebê e o canal do parto, apresentação pélvica com cabeça derradeira e parto com fórceps.  A lesão do plexo braquial ocorre mais comumente devido ao estiramento exagerado, resultante de tração intensa do ombro do recém-nascido, durante a extração da cabeça em parto de apresentação pélvica ou mesmo em uma apresentação cefálica, quando se utiliza excesso de força nas manobras rotineiras para retirar o feto. Com relativa freqüência, ocorre em bebês grandes nos quais pode existir dificuldade na liberação dos ombros.

  • ETIOLOGIA E FISIOPATOLOGIA

    ETIOLOGIA E FISIOPATOLOGIA

    A lesão do plexo braquial ocorre por compressão ou tração, tipicamente unilateral. Pode ocorrer ainda secundariamente a trauma do ombro por eventos pré ou pós-natais ou por anomalias tais como costela cervical ou vértebra torácica anormal.
    A tração exercida sobre o plexo é capaz de provocar lesão das raízes superiores ou inferiores. A primeira dá origem à paralisia do tipo Erb, envolvendo as raízes C5 e C6 e a segunda dá origem à paralisia do tipo Klumpke, envolvendo as raízes C7, C8 e T1. Algumas vezes, a lesão afeta todas as raízes nervosas do plexo, sendo chamada paralisia de Erb-Klumpke.

  • ETIOLOGIA E FISIOPATOLOGIA

    ETIOLOGIA E FISIOPATOLOGIA

    A lesão varia desde um edema que afeta uma ou duas raízes nervosas, até ao arrancamento do plexo inteiro. O nervo facial também pode ser afetado pelo traumatismo, exibindo discreta paralisia facial. Outras possíveis complicações são fratura da clavícula ou do úmero, subluxação do ombro e torcicolo.

  • FATORES DE RISCO

    FATORES DE RISCO

    Parto pélvico
    No parto pélvico é aplicada tração no plexo braquial quando a cabeça é extraída por forte flexão lateral do tronco e pescoço

    FONTE: GOOGLE IMAGENS

  • FATORES DE RISCO

    FATORES DE RISCO

    Fratura de úmero e clavícula
    São comuns lesões associadas como fraturas da clavícula e da parte proximal do úmero, isso leva a lesões do plexo braquial.
    Uso do Fórceps
    Recém nascido GIG
    Parto prolongado e difícil
    Estreitamento da pelve
    Sedativos e anestesia


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 30,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • PARALISIA DO PLEXO BRAQUIAL E O TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO
  • ANATOMIA
  • INTRODUÇÃO
  • DEFINIÇÃO
  • INCIDÊNCIA
  • ETIOLOGIA E FISIOPATOLOGIA
  • FATORES DE RISCO
  • CLASSIFICAÇÃO
  • NEUROTMESE
  • AXONIOTMESE
  • NEUROPRAXIA
  • CLASSIFICAÇÃO
  • PARALISIA DE ERB-DUCHENNE
  • CARACTERÍSTICAS:
  • CLASSIFICAÇÃO
  • PARALISIA DE KLUMPKE
  • CARACTERÍSTICAS
  • CLASSIFICAÇÃO
  • QUADRO CLÍNICO
  • DIAGNÓSTICO
  • TRATAMENTO CLÍNICO
  • ANAMNESE
  • EXAME FÍSICO
  • TESTE DA TOALHA
  • TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO
  • TRATMENTO FISIOTERAPÊUTICO
  • REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS