Curso Online de TÉCNICAS DE FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM TERAPIA INTENSIVA

Curso Online de TÉCNICAS DE FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM TERAPIA INTENSIVA

CURSO voltado para estudantes e profissionais de fisioterapia, descrevendo sobre as técnicas de fisioterapia respiratória em terapia inte...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 13 horas

Por: R$ 120,90
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

CURSO voltado para estudantes e profissionais de fisioterapia, descrevendo sobre as técnicas de fisioterapia respiratória em terapia intensiva.
introdução
objetivos da fisioterapia na terapia intensiva
depuração das vias áreas
recursos para remoção de secreção
técnicas de higiene brônquica em pacientes em ventilação mecânica
técnicas de higiene brônquica em pacientes em ventilação espontânea
principais técnicas para remoção de secreção na unidade de terapia intensiva
drenagem torácica
percussão torácica
vibração torácica
tosse e outras técnicas relacionadas
hiperinsuflação manual e com o ventilador mecânico
técnicas de posição postura
ventilação intrapulmonar
flutter e shaker
acapella
aspiração endotraqueal
mobilização e exercicios
e muito mais...

Formada no curso de fisioterapia. Crítica, admiradora e sempre em busca de conhecimentos CURSOS: urgências e emergências; Raios x; DRY NEEDLING; Semiologia pediátrica; Reabilitação do complexo de ombro; Abordagem fisiotetapêutica em órteses e prótese; VENTILAÇÃO MECÂNICA EM PEDIATRIA; URGÊNCIAS EM PEDIATRIA.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • TÉCNICAS DE FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM TERAPIA INTENSIVA

    TÉCNICAS DE FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM TERAPIA INTENSIVA

    Milian Oliveira

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Os Fisioterapeutas fazem parte integrante da equipe multidisciplinar que assiste os pacientes internados em unidades de terapia intensiva (UTI) na maioria dos hospitais em países desenvolvidos.
    O paciente crítico, crônico ou agudo apresenta complicações consequentes da permanência prolongada na UTI, que incluem:

    descondicionamento;
    fraqueza muscular;
    dispneia;
    ansiedade e depressão;
    redução da qualidade de vida em relação à saúde.

    A prescrição e a aplicação correta da fisioterapia podem melhorar os resultados e reduzir os riscos associados aos cuidados intensivos, bem como reduzir custos.

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Os principais objetivos da fisioterapia na terapia intensiva:

    aprimorar a funcionalidade e reduzir as incapacidades respiratórias e motoras relacionadas à estada na UTI, por meio da utilização dos recursos para remoção de secreção, da expansão pulmonar, do treinamento da musculatura respiratória e da mobilização e do posicionamento dos pacientes criticamente enfermos.

  • DEPURAÇÃO DAS VIAS AÉREAS

    DEPURAÇÃO DAS VIAS AÉREAS

    Para se aplicar adequadamente a terapia de remoção da secreção, é necessário compreender o funcionamento dos mecanismos normais de depuração das vias aéreas e o que pode comprometer seu funcionamento.

    A depuração normal requer vias aéreas patentes, aparelho mucociliar funcional e tosse eficaz. As vias aéreas normalmente são mantidas abertas, pelos mecanismos de suporte estrutural, e limpas pelo funcionamento adequado de sua mucosa ciliada.

    Qualquer anormalidade que altere a patência das vias aéreas, a função mucociliar ou a eficácia da tosse pode causar retenção de secreções.

  • DEPURAÇÃO DAS VIAS AÉREAS

    DEPURAÇÃO DAS VIAS AÉREAS

    A ventilação mecânica (VM), tanto invasiva quanto não invasiva, se associa com a disfunção do sistema mucociliar, com a modificação reológica do muco e com a piora da efetividade da tosse, com consequente prejuízo no transporte do muco.
    Os principais determinantes das alterações da função mucociliar em pacientes ventilados mecanicamente são:

    Imobilidade
    utilização de gases medicinais sem umidificação e aquecimento adequados;
    restrição hídrica;
    presença de via aérea artificial;
    doenças pulmonares;
    efeito de sedativos e/ou anestésicos;
    ventilação com altas frações de oxigênio;
    lesões da mucosa traqueobrônquica induzidas pela aspiração traqueal.

  • DEPURAÇÃO DAS VIAS AÉREAS

    DEPURAÇÃO DAS VIAS AÉREAS

    A retenção de secreção pode resultar em obstrução completa das vias aéreas com consequente atelectasia e comprometimento da oxigenação ou obstrução parcial, gerando aprisionamento aéreo, hiperdistensão e desequilíbrio da relação ventilação/perfusão (V/Q), ambos aumentando o trabalho respiratório e predispondo ao desenvolvimento de infecção.

    A terapia de remoção de secreção, neste momento, consiste em um conjunto de intervenções manuais ou com a utilização de equipamentos capazes de promover ou auxiliar o paciente na remoção de secreções das vias aéreas por meio da manipulação do fluxo aéreo e da tosse, com o propósito de melhorar o intercâmbio gasoso e reduzir o trabalho respiratório.

  • RECURSOS PARA REMOÇÃO DE SECREÇÃO

    RECURSOS PARA REMOÇÃO DE SECREÇÃO

    Os objetivos básicos das técnicas para remoção de secreção brônquica consistem em descolar, deslocar e eliminar a secreção acumulada nas vias aéreas.

    Algumas técnicas de fisioterapia para remoção de secreção utilizam-se da aplicação de forças provenientes da contração dos músculos respiratórios ou da pressão manual do fisioterapeuta, que provocam variações na pressão transpulmonar com consequentes variações e fluxo e de volume.
    Ptp = PA Ppl, onde:
    Ptp = pressão transpulmonar; PA = pressão alveolar; Ppl = pressão pleural

  • RECURSOS PARA REMOÇÃO DE SECREÇÃO

    RECURSOS PARA REMOÇÃO DE SECREÇÃO

    O aumento da Ppl (pressão motora de ação primária) produzido pelas técnicas mucocinéticas ocasiona aumento da PA (PA = Ppl + Pel), que se torna superior à pressão atmosférica, criando, assim, um gradiente pressórico para promover uma variação intencional na taxa de fluxo (lenta, alta ou oscilatória), com consequente alteração de volume.

    O principal objetivo das técnicas manuais de Fisioterapia respiratória para a remoção de secreção é, produzir energia mecânica transferida por meio da parede torácica para o interior das vias aéreas, com a possibilidade de gerar ondas de fluxo aéreo.

  • RECURSOS PARA REMOÇÃO DE SECREÇÃO

    RECURSOS PARA REMOÇÃO DE SECREÇÃO

    A aplicação da força é realizada, na maioria das vezes, durante a fase expiratória e, além de poder ser associada ao posicionamento ou às técnicas que utilizam pressão positiva, pode ser executada por meio de compressão:
    torácica ou abdominal;
    manual ou mecânica;
    autônoma ou assistida;
    brusca ou lenta;
    intermitente ou constante.

  • RECURSOS PARA REMOÇÃO DE SECREÇÃO

    RECURSOS PARA REMOÇÃO DE SECREÇÃO

  • RECURSOS PARA REMOÇÃO DE SECREÇÃO

    RECURSOS PARA REMOÇÃO DE SECREÇÃO

    A tosse, a compressão torácica manual, a pressão positiva expiratória (PEP) e o Flutter são exemplos de técnicas que usam o mecanismo de interação gás-liquido.

    Algumas técnicas desobstrutivas, como a vibração torácica, geram oscilações na taxa de Fluxo aéreo que agem no cisalhamento do muco brônquico, ocasionando agitação da secreção, com ruptura parcial das fibrilas de mucina e fluidificação progressiva do muco (ação tixotrópica).


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 120,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • TÉCNICAS DE FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM TERAPIA INTENSIVA
  • INTRODUÇÃO
  • DEPURAÇÃO DAS VIAS AÉREAS
  • RECURSOS PARA REMOÇÃO DE SECREÇÃO
  • PRINCIPAIS TÉCNICAS PARA REMOÇÃO DE SECREÇÃO NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
  • DRENAGEM POSTURAL
  • PERCUSSÃO TORÁCICA
  • VIBRAÇÃO TORÁCICA
  • TOSSE E OUTRAS TÉCNICAS RELACIONADAS
  • Tosse dirigida
  • Tosse manualmente assistida ou compressão torácica manual
  • Tosse mecanicamente assistida ou técnica de insuflação e desinsuflação mecânica
  • Técnica de expiração forçada ou huffing
  • HIPERINSUFLAÇÃO MANUAL E COM VENTILADOR MECÂNICO
  • TÉCNICAS DE PRESSÃO POSITIVA NAS VIAS AÉREAS COMO RECURSOS ACESSÓRIOS À REMOÇÃO DE SECREÇÕES BRÔNQUICAS
  • TÉCNICAS DE OSCILAÇÃO DE ALTA FREQUÊNCIA
  • COMPRESSÃO DA PAREDE TORÁCICA DE ALTA FREQUÊNCIA
  • VENTILAÇÃO INTRAPULMONAR PERCUSSIVA
  • VÁLVULA DE FLUTTER VRP1 E SHAKER
  • FLUTTER
  • ACAPELLA
  • ASPIRAÇÃO ENDOTRAQUEAL
  • MOBILIZAÇÃO E EXERCÍCIOS
  • A IMOBILIDADE
  • POSICIONAMENTO DOS PACIENTES
  • A POSTURA ORTOSTÁTICA
  • TERAPIA CINÉTICA
  • RECURSOS DE EXPANSÃO PULMONAR
  • TÉCNICAS NÃO INSTRUMENTAIS DE EXPANSÃO PULMONAR
  • FRENOLABIAL
  • EXERCÍCIO DIAFRAGMÁTICO
  • Manobra de descompressão torácica abrupta
  • TÉCNICAS INSTRUMENTAIS DE EXPANSÃO PULMONAR INSPIRAÇÃO MÁXIMA SUSTENTADA
  • BREATH-STACKING
  • TÉCNICAS DE PRESSÃO POSITIVA NAS VIAS AÉREAS
  • RESPIRAÇÃO POR PRESSÃO POSITIVA INTERMITENTE
  • DISPOSITIVOS QUE OFERTAM PRESSÃO POSITIVA NA EXPIRAÇÃO
  • CONCLUSÃO