Curso Online de Nutrigenômica e Obesidade

Curso Online de Nutrigenômica e Obesidade

O fígado é o órgão central do metabolismo energético e, portanto, determinante para a homeostase do organismo. O metabolismo lipídico ...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 12 horas


Por: R$ 24,90
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

O fígado é o órgão central do metabolismo energético e, portanto, determinante para a homeostase do organismo. O metabolismo lipídico hepático envolve, principalmente, os processos de lipogênese e oxidação de ácidos graxos. A regulação desses processos ocorre pela ação de fatores de transcrição, como o receptor ativado por proliferadores de peroxissoma alfa (PPARa), que está vinculado ao processo de oxidação de ácidos graxos pelo fígado.

Mestre em alimentos e nutrição. Especialista em nutrição clínica e esportiva, gerontologia e qualidade de vida e metodologia de ensino de biologia e química. Professor de ciências e biologia. Bacharel em bioquímica com ênfase no entendimento de ciências dos alimentos, fitoterapia, nutrição e ensino após cursar disciplinas eletivas referentes a estas áreas e fazer estágios no decorrer da graduação.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • NUTRIGENÔMICA E OBESIDADE

    A nutrigenômica estuda a importância dos nutrientes na expressão gênica e o tipo de gordura consumido através da dieta pode influenciar a expressão de alguns genes envolvidos na adipogênese.

  • A sociedade moderna trouxe consigo profundas mudanças no estilo de vida das pessoas. Os padrões das dietas estão cada vez menos saudáveis e os indivíduos se apresentam cada vez mais sedentários, o que resulta em desordens metabólicas que aumentam o risco para o surgimento de doenças.

  • O crescente avanço nos índices de obesidade, síndrome metabólica e complicações associadas, tem aumentado o interesse em pesquisas sobre expressão gênica e receptores nucleares, que estão relacionados à composição corporal, perfil lipídico e sensibilidade à insulina.

  • A obesidade, considerada pela OMS como uma epidemia mundial, é uma desordem multifatorial que envolve fatores hereditários, ambientais e de estilo de vida, e suas consequências não são apenas sociais ou psicológicas, mas estão também relacionadas à presença de co-morbidades como hipertensão arterial, diabetes, doenças cardiovasculares e vários tipos de câncer.

  • Apesar do aumento das taxas de sobrepeso e obesidade entre crianças e adolescentes no Brasil, as deficiências nutricionais ainda são uma preocupação. Embora pareça paradoxal, as deficiências de micronutrientes estão ligadas a risco de sobrepeso e obesidade.

  • A obesidade tornou-se um desafio para a manutenção da saúde humana, especialmente com os recentes avanços no campo da nutrigenômica que mostram como constituintes da dieta podem interagir com o genoma levando ao desenvolvimento de doenças crônicas e a outras alterações fenotípicas.

  • A deposição de gordura no tecido adiposo é acompanhada pelo aumento de biomarcadores para a inflamação e estresse oxidativo.


    Biomarcadores associados à obesidade podem ser úteis para a identificação precoce de indivíduos suscetíveis a essa doença, bem como predizer o risco do desenvolvimento de doenças cardiovasculares e diabetes

  • O consumo excessivo de energia aliado ou não ao comportamento sedentário contribui para o aparecimento de desordens metabólicas associadas ao aumento de peso corporal e à resistência sistêmica a insulina determinada pelo estado inflamatório crônico e subclínico que gera um aumento da adiposidade.

  • Além das funções de armazenamento energético, isolamento térmico e barreira física, o tecido adiposo desempenha o papel de um órgão multifuncional, produtor e secretor de inúmeros peptídeos e proteínas bioativas, denominadas adipocinas, que atuam não somente no tecido adiposo, mas de forma sistêmica.

  • As adipocinas desempenham um papel importante no equilíbrio energético, controle da ingestão alimentar, sensibilidade à insulina, resposta imunológica, regulação da coagulação e pressão sanguínea e doenças vasculares. Portanto, alterações no mecanismo de ação das adipocinas, podem estar relacionadas ao surgimento da obesidade e suas complicações.

  • Os ácidos eicosapentaenoico e docosahexaenoico (EPA e DHA, respectivamente), que constituem o ômega-3, reduzem a transcrição de genes relacionados ao metabolismo lipídico e adipogênese, diminuindo o processo inflamatório, aumentando a lipólise e a apoptose de adipócitos.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 24,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • RESTRIÇÃO CALÓRICA
  • GENÔMICA NUTRICIONAL
  • NUTRIGENÔMICA
  • LIPÍDIOS E SAÚDE
  • OBESIDADE E HIPERTENSÃO ARTERIAL
  • ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E EMAGRECIMENTO
  • FIBRAS ALIMENTARES E SAÚDE
  • FIBRAS ALIMENTARES
  • FIBRAS SOLÚVEIS
  • FIBRAS INSOLÚVEIS
  • FIBRAS E SACIEDA