Curso Online de LESÕES TRAUMATICAS E IMOBILIZAÇÕES EM ORTOPEDIA
5 estrelas 2 alunos avaliaram

Curso Online de LESÕES TRAUMATICAS E IMOBILIZAÇÕES EM ORTOPEDIA

PATOLOGIA GERAL ATENDIMENTO IMEDIATO NAS FRATURAS ABERTAS E FECHADAS EXAME PRIMÁRIO EXAME SECUNDÁRIO IMOBILIZAÇÃO EM ORTOPEDIA E TRAUMA...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 15 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

PATOLOGIA GERAL
ATENDIMENTO IMEDIATO NAS
FRATURAS ABERTAS E
FECHADAS

EXAME PRIMÁRIO

EXAME SECUNDÁRIO
IMOBILIZAÇÃO EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

Professor das Técnicas Radiológicas, Graduado em Radiodiagnóstico - Técnico e Tecnólogo em Radiologia, primeiros socorros,gestão e organização.


- Erivan Nascimento De Oliveira

- Angela Machado Fernandes

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • LESÕES TRAUMATICAS E IMOBILIZAÇÕES EM ORTOPEDIA

    LESÕES TRAUMATICAS E IMOBILIZAÇÕES EM ORTOPEDIA

  • Aplicação prática das classificações das lesões traumáticas da coluna vertebral toracolombar

    Aplicação prática das classificações das lesões traumáticas da coluna vertebral toracolombar

    PATOLOGIA GERAL
    ATENDIMENTO IMEDIATO NAS
    FRATURAS ABERTAS E
    FECHADAS

    EXAME PRIMÁRIO

    EXAME SECUNDÁRIO
    IMOBILIZAÇÃO EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

  • LESÕES FUNDAMENTAIS

    LESÕES FUNDAMENTAIS

    Os processos patológicos básicos aparecem clinicamente, por variadas alterações
    morfológicas, na pele ou mucosa bucal, e são denominadas lesões fundamentais ou
    elementares. Nesta apostila, trataremos apenas das que ocorrem na mucosa da boca, uma vez
    que suas características principais diferem das que ocorrem na pele. Seu conhecimento acurado
    assume considerável importância diagnóstica, uma vez que hipóteses diagnósticas formuladas,
    em decorrência de um quadro clínico obtido, fundamentam-se na história clínica da doença e
    características clínicas da lesão produzida, isto é, da lesão fundamental. Elas podem ser
    classificadas como segue :

  • 1- Mancha ou mácula. São modificações da coloração normal da mucosa bucal sem
    que ocorra elevação ou depressão tecidual. Podem surgir sobre outro tipo de lesão fundamental,
    como pápulas, nódulos, placas e outras, quando então teremos alterações de forma.
    As manchas apresentam cor, tamanho e forma bastante variados, podendo sua origem
    ser devida à presença de melanina ou outras causas. Exs.: pigmentação gengival racial (maior
    quantidade de melanina), vitiligo (cor clara devido à perda da pigmentação natural), tatuagens
    por amálgama (negro-azuladas sob a gengiva), etc.
    2- Placa - Constituem lesões bem características, fundamentalmente elevadas em
    relação ao tecido normal, sua altura é pequena em relação à extensão, consistentes à palpação e
    a sua superfície pode ser rugosa, verrucosa, ondulada, lisa ou apresentar diversas combinações
    desses aspectos. Exs.: leucoplasia, certas formas de líquen plano e carcinomas epidermóides.
    Associados às placas, podem aparecer manchas, erosões, ulcerações, fissuras, nódulos, etc.

  • 3- Erosão - A erosão representa perda parcial do epitélio sem exposição do tecido
    conjuntivo subjacente. Surgem em decorrência de variados processos patológicos,
    predominantemente de origem sistêmica, que produzem atrofia da mucosa bucal, que se torna
    fina, plana e de aparência frágil. Exs.: lesões erosivas do líquen plano, glossite migratória ou
    língua geográfica, etc.

  • 4- Úlcera e ulceração. São lesões em que ocorre solução de continuidade do epitélio
    com exposição do tecido conjuntivo subjacente. Alguns autores fazem a distinção entre úlcera e
    ulceração. Reservam a denominação de úlcera para lesões de caráter crônico (persistem por
    semanas ou meses), como decorrentes de tumores malignos, pênfigo vulgar, sífilis secundária,
    etc. Ulcerações correspondem a lesões de curta duração, geralmente conseqüência de doenças
    autolimitantes, como a afta, herpes recorrente, lesões traumáticas e outras.
    Também vamos encontrar na literatura autores que classificam as úlceras e ulcerações
    como lesões secundárias, decorrentes da evolução de lesões primitivas como bolhas, vesículas,
    nódulos, etc.
    As úlceras e ulcerações apresentam uma série de aspectos semiológicos que devem ser
    minuciosamente considerados com vista à formulação de hipóteses diagnósticas. Assim, a
    localização, forma, tamanho, cor, conformação das bordas, aspecto do fundo da lesão (presença
    de exsudato, sangramento, pseudomembrana, etc.), profundidade, consistência à palpação,
    sensibilidade dolorosa, aderência a planos profundos, número de lesões, fenômenos associados
    (lesões concomitantes e linfadenopatia), duração, ocorrência de fenômenos prévios à sua
    instalação e história de episódios anteriores semelhantes poderão ser de grande importância na
    elaboração do diagnóstico.

  • 5- Vesícula e bolha. Seu estudo em conjunto justifica-se por diferirem, praticamente,
    no tamanho da lesão. São elevações do epitélio, contendo líquido no seu interior e,
    consideradas vesículas as lesões que não ultrapassem 3 mm no seu maior diâmetro, sendo as
    demais bolhas. Por outro lado, as bolhas são formadas por uma única cavidade, enquanto a
    vesícula por várias. Exs.: Herpes simples, pênfigo vulgar, etc.
    6- Pápulas - São pequenas lesões sólidas, circunscritas, elevadas, cujo diâmetro não
    ultrapassa 5 mm. Podem ser únicas ou múltiplas; de superfície lisa, rugosa ou verrucosa;
    arredondadas ou ovais; pontiagudas ou achatadas. Quando aglomeradas, constituem a chamada
    placa papulosa.
    7- Nódulos - São lesões sólidas, circunscritas, de localização superficial ou profunda e
    formados por tecido epitelial, conjuntivo ou misto. Podem ser pediculadas, quando seu maior
    diâmetro é superior ao da base de implantação, ou séssil, quando o da base é maior. Exs.: lesões
    de tumores glandulares (glândulas salivares maiores ou menores), papilomas, lipomas,
    granulomas piogênicos, fibromas, etc.

  • O que fazer e o que não fazer

    O que fazer e o que não fazer

  • FRATURAS

    Definição

    • Quebra da continuidade de um osso.
    • Podem ser fechadas ou abertas (expostas).

  • CLASSIFICAÇÃO

    .Traumática
    Traumatismo em um osso normal, que exerce sobre
    ele uma força suficientemente poderosa para
    fraturá-lo.
    .Patológica
    O osso é quebrado em uma área enfraquecida por
    doença preexistente, por uma força que teria
    deixado intacto um osso normal.
    .Estresse
    Causada por forças repetitivas, que desenvolvem
    uma fissura no osso, a qual pode evoluir para uma
    fratura completa.

  • TRAUMÁTICA: Fechada


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • LESÕES TRAUMATICAS E IMOBILIZAÇÕES EM ORTOPEDIA
  • Aplicação prática das classificações das lesões traumáticas da coluna vertebral toracolombar
  • LESÕES FUNDAMENTAIS
  • O que fazer e o que não fazer
  • CLASSIFICAÇÃO DAS LESÕES TRAUMÁTICAS
  • TCE
  • TIPOS DE LESÕES MÚSCULO-ESQUELÉTICAS
  • PROPÓSITO DA IMOBILIZAÇÃO TEMPORÁRIA