Curso Online de TEORIA CRIMINAIS

Curso Online de TEORIA CRIMINAIS

Autor(a):

Carga horária: 12 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

.

Willian Braga Magalhães Lima é Perito e Especialista em Inteligência Civil (Investigação Particular) Especialista em Inteligência Civil realiza coleta de dados para pessoas físicas é jurídica e capacitação profissional em formação de detetive particular. É autor de vários trabalhos disciplinares para a formação profissional de especialistas em inteligência civil, dentre elas Investigação de Sequestro de Pets, Localização de Veículos. Instrutor, palestrante e proprietário do Instituto Federal de Inteligência Civil empresa educacional e prestadora de serviços em investigação que desenvolve cursos de formação e capacitação nas áreas investigativas, treinamentos e desenvolvimento profissional, estudos, pesquisas, palestras educativas e preventivas, assessoria, investigativa.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • TEORIAS CRIMINAIS

  • CONTEXTO HISTÓRICO PARA SE REPENSAR AS TEORIAS CRIMINAIS NO BRASIL

    HEGEMONIA DA RACIONALIDADE PENAL CONSERVADORA
    FORTES ESTRANGULAMENTOS NO SJC/FRACA ELUCIDAÇÃO DE CRIMES
    DESCRENÇA NAS POLÍCIAS E NO SJC
    MODELOS E ESTRATÉGIAS DE INTERVENÇÃO DESINTEGRADAS: POLÍTICAS PÚBLICAS x REPRESSÃO
    COMPLEXIDADE DA POLÍTICA DE FRONTEIRAS E A DIVERSIDADE REGIONAL DAS FRONTEIRAS BRASILEIRAS

    CONTEXTO HISTÓRICO PARA SE REPENSAR AS TEORIAS CRIMINAIS NO BRASIL

    2

  • RACIONALIDADE PENAL MODERNA

    RACIONALIDADE PENAL MODERNA

    3

    FONTE: ÁLVARO PIRES

    PROFISSIONAIS
    DA JUSTIÇA

    PESQUISADORES
    EM CIÊNCIAS SOCIAIS

    MOVIMENTOS
    SOCIAIS PROGRESSISTAS

  • ESTRANGULAMENTOS NO SJC

    ESTRANGULAMENTOS NO SJC

    4

  • ÍNDICE DE ELUCIDAÇÃO DE CRIMES NO BRASIL

    ÍNDICE DE ELUCIDAÇÃO DE CRIMES NO BRASIL

    Associação Brasileira de Criminalística(2011) varia entre 5% e 8%.
    Este percentual é de 65% nos Estados Unidos, no Reino Unido é de 90% e na França é de 80%.

    Fonte: META 2 A IMPUNIDADE COMO ALVO - CNMP

    76,1% ACREDITA QUE A VIOLÊNCIA ESTÁ FORA DE CONTROLE

    Fonte: CNT-Sensus jul/2007

    DR.VLADIMIR LUÍS DE OLIVEIRA

  • DESCRENÇA NAS INSTITUIÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA E NO SJC

    DESCRENÇA NAS INSTITUIÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA E NO SJC

    6

    SENSAÇÃO DE INSEGURANÇA;
    AUMENTO DA CRIMINALIDADE;
    INOPERÂNCIA E FRÁGIL CAPACIDADE DE RESPOSTA;
    POLÍTICA DE ANÁLISE DE RISCOS INEXISTE

  • A MODERNIZAÇÃO CONSERVADORA: POLÍTICA DE GESTÃO EM SEGURANÇA PÚBLICA E REFORMA NAS POLÍCIAS

    A MODERNIZAÇÃO CONSERVADORA: POLÍTICA DE GESTÃO EM SEGURANÇA PÚBLICA E REFORMA NAS POLÍCIAS

    QUAL OU QUAIS CRIMINOLOGIAS AS POLÍCIAS UTILIZAM?

    MATRIZ CRIMINOLÓGICA

  • COMPLEXIDADE DAS FRONTEIRAS

    DOCUMENTÁRIO - ENAFRON – MJ (10MIN)

    COMPLEXIDADE DAS FRONTEIRAS

    8

  • REPENSANDO CONCEITOS

    CRIME, CRIMINALIDADE, CRIMINALIZAÇÃO

    REPENSANDO CONCEITOS

    9

  • SÃO AS FONTES EPISTEMOLÓGICAS PARA A ANÁLISE CRIMINAL

    SÃO AS FONTES EPISTEMOLÓGICAS PARA A ANÁLISE CRIMINAL

    PARA QUE SERVEM AS TEORIAS CRIMINAIS?

    10

  • OBJETOS DA CRIMINOLOGIA CARLOS ALBERTO ELBERT – MANUAL BÁSICO DE CRIMINOLOGIA

    OBJETOS DA CRIMINOLOGIA CARLOS ALBERTO ELBERT – MANUAL BÁSICO DE CRIMINOLOGIA

    A) O DELINQUENTE
    B) O DELITO
    C) AS CAUSAS DO DELITO
    D) AS CAUSAS E O TRATAMENTO DESTINADO A CURA E PREVENCAO DA CONDUTA DO DELINQUENTE,
    E) A REAÇÃO SOCIAL (BEM COMO A DEFINIÇÃO DE CONTROLE), OU A CONSTRUÇÃO DE UMA TEORIA CRITICA DO DESVIO).
    G) O PODER E O CONTROLE SOCIAL
    H) A REDEFINIÇÃO DE DELITO (INCLUINDO-SE A CRIMINALIDADE DO PODER E BENS JURÍDICOS SOCIAIS)
    I) O CONTROLE SOCIAL E AS CIÊNCIAS PENAIS
    J) E ALEI, A HISTÓRIA E A ECONOMIA POLÍTICA DO DELITO
    K) O DIREITO PENAL COMO SISTEMA
    L) OS PROCESSOS DE CRIMINALIZAÇÃO
    M) AS REALIDADES SOCIAIS CONCRETAS, A REFERÊNCIA CRIMINALIDADE-CRIMINALILZAÇÃO, MEDIANTE UM PROCESSO DE ANÁLISE TEÓRICA E EMPÍRICA, UMA ANÁLISE HISTÓRICO-FILOSÓFICA DIRIGIDA PARA INVESTIGAR A REALILDADE SÓCIO-POLÍTICA DO CRIME.

    11


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • CONTEXTO HISTÓRICO PARA SE REPENSAR AS TEORIAS CRIMINAIS NO BRASIL
  • RACIONALIDADE PENAL MODERNA
  • ESTRANGULAMENTOS NO SJC
  • ÍNDICE DE ELUCIDAÇÃO DE CRIMES NO BRASIL
  • DESCRENÇA NAS INSTITUIÇÕES DE SEGURANÇA PÚBLICA E NO SJC
  • A MODERNIZAÇÃO CONSERVADORA: POLÍTICA DE GESTÃO EM SEGURANÇA PÚBLICA E REFORMA NAS POLÍCIAS
  • COMPLEXIDADE DAS FRONTEIRAS
  • REPENSANDO CONCEITOS
  • SÃO AS FONTES EPISTEMOLÓGICAS PARA A ANÁLISE CRIMINAL
  • OBJETOS DA CRIMINOLOGIA CARLOS ALBERTO ELBERT – MANUAL BÁSICO DE CRIMINOLOGIA
  • HISTÓRICO DAS ESCOLAS DE CRIMINOLOGIA
  • CRIMINOLOGIAS OU TEORIAS CRIMINAIS - SÍNTESE
  • CRIME E CASTIGO: AS MATRIZES CRIMINOLÓGICAS DAS GRANDES HIPÓTESES EXPLICATIVAS SOBRE A ETIOLOGIA CRIMINAL
  • O QUE HÁ DE VERDADE OU MITO NAS HIPÓTESES MAIS COMUNS SOBRE A CRIMINALIDADE? QUAIS SÃO AS MATRIZES CRIMINAIS QUE PODEM DAR SUSTENTAÇÃO A ESTES PRINCÍPIOS?
  • CRIMINOLOGIA CLÁSSICA
  • CRIMINOLOGIA CLÁSSICA – SÉC. XVIII
  • A CRIMINOLOGIA CLÁSSICA FILOSOFIA ILUMINISTA PENAL DE BECCARIA – SÉC.XVIII (Milão, 15 de março de 1738 — Milão, 24 de novembro de 1794)
  • A CRIMINOLOGIA CLÁSSICA FILOSOFIA ILUMINISTA PENAL JEREMY BENTHAM– SÉC.XVIII   (15 de fevereiro de 1748 – 6 de junho de 1832) 
  • CRIMINOLOGIA POSITIVISTA
  • TEORIAS NEUROREDUCIONISTAS NORMALIDADE x PATOLOGIA
  • ANTECEDENTES DA CRIMINOLOGIA POSITIVISTA Franz Joseph Gall – (1758-1828)
  • A GÊNESE DA CRIMINOLOGIA POSITIVISTA TESES DE CESARE LOMBROSO (1835-1909)
  • REMANESCÊNCIAS DA CRIMINOLOGIA LOMBROSIANA NO SISTEMA DE JUSTIÇA CRIMINAL E NA CULTURA POLICIAL
  • AS CRIMINOLOGIAS CULTURAIS
  • A ESCOLA DE CHICAGO UM DIVISOR DE ÁGUAS
  • LABELLING APPROACH OU A CRIMINOLOGIA DO ETIQUETAMENTO
  • CRIMINOLOGIA DO LABELLING APROACH
  • CONTRIBUIÇÕES DA LABELLING APPROACH A CRÍTICA AO POSITIVISMO CRIMINOLOGICO
  • RESUMINDO - LABELLING APPROACH, ETIQUETAMENTO OU DO DESVIO SOCIAL
  • FILME – O PRONASCI ENQUANTO MODELO DE POLITICA DE SEGURANÇA
  • Teoria da organização desviante
  • CRIMINOLOGIA RADICAL OU CRIMINOLOGIA CRÍTICA
  • COMPONENTES DA CRIMINOLOGIA RADICAL:
  • CRIMINOLOGIA RADICAL – A DIALÉTICA EM MOVIMENTO
  • CRIMINOLOGIA PÓS-MODERNA
  • AS RAÍZES DA CRIMINOLOGIA PÓS-MODERNA: O DISCURSO PÓS-MODERNO E A FUNÇÃO DA CRIMINOLOGIA
  • CRÍTICA AO MODELO PENAL MODERNO
  • PARA QUE POLÍCIA?
  • CRIMINOLOGIA PÓS-MODERNA A CRIMINALIZAÇÃO COMO CONSEQUÊNCIA DO MODELO PENAL
  • RESUMINDO, A CRIMINOLOGIA PÓS-MODERNA TEM COMO PRINCÍPIOS
  • CRÍTICAS AS CRIMINOLOGIAS PÓS-MODERNAS
  • CRIMINOLOGIA AMBIENTAL OU TEORIAS ECOLÓGICAS DO CRIME
  • PRINCIPAIS REPRESENTAÇÕES DO ENVIROMENT CRIMINOLGY
  • CRIMINOLOGIA AMBIENTAL OU TEORIAS ECOLÓGICAS DO CRIME
  • CRIMINOLOGIA AMBIENTAL RONALD V CLARKE - Escola de Criminologia de Rutgers (INGLATERRA)
  • RESUMINDO – PRINCÍPIOS DA CRIMINOLOGIA AMBIENTAL
  • ARGUMENTOS SOBRE OS LIMITES DA CRIMINOLOGIA AMBIENTAL
  • CRÍTICAS A CRIMINOLOGIA AMBIENTAL
  • REPENSANDO: OS LIMITES DA ENVIROMENT CRIMINOLOGY OU CRIMINOLOGIA AMBIENTAL
  • AS INFLUÊNCIAS CRIMINOLÓGICAS NO MODELO DE POLICIAMENTO E NAS POLÍTICAS PÚBLICAS
  • ENTRE AS TEORIAS CRIMINAIS E OS MODELOS DE POLICIAMENTO
  • ANTINOMIAS DO MODELO DE INTERVENÇÃO SE SEGURANÇA SOCIAL HOJE
  • A APLICAÇÃO DA ANÁLISE CRIMINAL E A CRIMIOLOGIA
  • SARA – scanning, analysis, response e assessment MÉTODO DE PLANEJAMENTO - POP
  • ESTATÍSTICA APLICADA A ANÁLISE CRIMINAL
  • INDICADORES DE VIOLÊNCIA E SUA APLICABILIDADE
  • INDICADORES MAIS UTILIZADOS
  • O PAPEL DO ANALISTA NA ANÁLISE TEMPORAL
  • ANÁLISE CRIMINAL PARA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS – 2011
  • O PAPEL DO ANALISTA NO PERFIL DOS AUTORES E DAS VÍTIMAS
  • COMPARATIVO DE ESTATÍSTICAS DE ROUBOS PR – 2010 - BOU
  • COMPARATIVO DE ESTATÍSTICAS DE ROUBOS – PR 2010 - BOU
  • AS ANTINOMIAS DAS POLÍTICAS DE METAS
  • METAS DE REDUÇÃO DE HOMICÍDIOS/ PARANÁ - POR TAXAS
  • HOMICÍDIOS PARANÁ/ 2011-2012
  • SEGURANÇA PÚBLICA E POLÍTICAS SOCIAIS - UMA CONCILIAÇÃO COMPLEXA
  • PROGRAMA “FICA-VIVO” – GRANDE BELO HORIZONTE - MG
  • EXEMPLO DE INDICADORES DE DESEMPENHO
  • RESULTADOS – PROJETO “FICA VIVO” BELO HORIZONTE/MG
  • SEGUNDO CASO – DIAGNÓSTICO DE ÁREAS VULNERÁVEIS
  • INCLUSÃO DE NOVAS ÁREAS DOS “TERRITÓRIOS DA PAZ” – PRONASCI – SÃO JOSÉ DOS PINHAIS
  • ESTRATÉGIAS DE CURTA DURAÇÃO: A REPRESSÃO DAS CLASSES PERIGOSAS
  • HOMICÍDIOS EM CURITIBA -2011/2012
  • DIAGNÓSTICOS DAS UPP’S – CURITIBA/PR
  • COMPARATIVO de homicídios dolosos UPS - UBERABA
  • ENTRE A TÉCNICA E A CIÊNCIA – A PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO CRIMINAL ATRAVÉS DA CARTOGRAFIA
  • MAPEAMENTOS CRIMINAIS TRADICIONAIS -
  • SIG – SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA
  • SIG e outros SI
  • Espaço como um sistema Indexado (Camadas)
  • EXEMPLOS DE MAPAS ADMINSTRATIVOS
  • DIVISÃO ADMINISTRATIVA DAS POLÍCIAS CIVIL E MILITAR - PR SITUAÇÃO DE CONFLITO (2002)
  • DIVISÃO DAS AISP’S NO ESTADO DO PARANÁ (2005)
  • COMPOSIÇÃO DE COMANDOS REGIONAIS E CIAS INDEPENDENTES
  • EXEMPLOS DE MAPAS TEMÁTICOS
  • Estimação pela Densidade de Kernel
  • PONTOS QUENTES DE HOMICÍDIOS COMPARATIVO (JAN-AGO/2011-2012)
  • EXEMPLOS DE MAPAS TEMÁTICOS
  • Relações dos Atributos
  • MAPEAMENTO POR PONTO E POR SETOR CENSITÁRIO
  • ENTRE AS TÉCNICAS ESTATÍSTICAS/CARTOGRÁFICAS E AS TEORIAS ECOLÓGICAS CRIMINAIS
  • MODELOS DE ANÁLISE ESPACIAL APLICADA À INVESTIGAÇÃO CRIMINAL – A TEORIA DO PADRÃO CRIMINAL - BRANTINGHAN
  • CRIMES PRÓXIMOS A RESIDÊNCIA DOS OFENSORES
  • CRIME – IDENTIFICANDO PADRÕES DE DESLOCAMENTO
  • DA TEORIA AO MÉTODO DE APLICAÇÃO
  • TIPOS DE CRIMES PASSÍVEIS DE INVESTIGAÇÃO GEOGRAFIC PROFILING
  • MODELOS DE MAPEAMENTO INSPIRADOS NO GEOGRAFIC PROFILING ou NA TEORIA DO PADRÃO CRIMINAL
  • PRIMEIRO CASO: MAPA RESIDÊNCIA DE DELINQUENTES DE ROUBOS E TRÁFICO BUFFER DE ROUBOS (150m)
  • SEGUNDO CASO: ORIENTAÇÃO ÀS POLÍTICAS PÚBLICAS DE SEGURANÇA Territórios da Paz (2010-2012)
  • MODALIDADES DE POLICIAMENTO ORIENTADAS PELA CRIMINOLOGIA AMBIENTAL (JILL DANDO – UNIVERSIDADE DE LONDRES, 2009)