Curso Online de Decifrando Mentiras

Curso Online de Decifrando Mentiras

Aprenda a descobrir as mentiras alheias usando técnicas da polícia norte americana. Neste curso você vai aprender sobre o comportamento, ...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 5 horas

De: R$ 80,00 Por: R$ 50,00
(Pagamento único)

Mais de 5 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Aprenda a descobrir as mentiras alheias usando técnicas da polícia norte americana.
Neste curso você vai aprender sobre o comportamento, perfil e as causas da mentira além se aprender em 15 passos como identificá-las.
Conhecimento garantido.

Graduando em pedagogia Extensão em Estudo comportamental Inteligência Basica(Espionagem)



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • Decifrando Mentiras

    Decifrando Mentiras

    Aprenda a detectar mentiras como a polícia americana.

  • O Que é a Mentira?

    A mentira não deve ser entendida apenas como uma espécie de contrário da verdade. Moralmente a mentira está muito mais relacionada à intenção de enganar do que à deturpação da verdade e, eticamente, a mentira está relacionada ao dolo ou prejuízo que causa a outra pessoa.

    A mentira não é apenas invenção deliberada, uma ficção, pois nem toda ficção ou fábula é sinônimo de mentira. Não pode ser mentira a literatura, a arte ou mesmo os estados confusionais, as demências (sintoma da confabulação). Como foi dito, a intencionalidade, assim como o dano ou prejuízo é que define a mentira.

    O Que é a Mentira?

  • Também não mente quem acredita naquilo que diz, mesmo que o que diz seja falso. Santo Agostinho declara que ?Quem enuncia um fato que lhe parece digno de crença ou acerca do qual forma opinião de que é verdadeiro, não mente, mesmo que o fato seja falso? Não é correto considerar todas as mentiras da mesma forma e com a mesma culpa. Erra (e está mentindo) quem diz que não interessa o? tamanho? da mentira, interessa saber que é mentira. Existe a mentira convencional, como por exemplo, dizer Bom Dia às pessoas, sem que se esteja desejando que essa pessoa tenha realmente um bom dia.

  • Existe também a mentira humanitária, a qual consola o moribundo, ou a mentira carinhosa que elogia aquele penteado novo, existe o Papai Noel, para alegria das crianças e muitas outras. Além das mentiras ativas existem as mentiras por omissão, seja ela médica, política ou policial, enfim, todas essas maneiras de dissimular a verdade com propósito de atender as regras sociais ou confortar o próximo fazem parte da atividade humana gregária.

  • É claro que não tem o mesmo peso social e ético a mentira que se diz para os anfitriões sobre o sabor da comida e aquela dita pelo ladrão ?não roubei?. Por isso, a intencionalidade e o propósito definirão a mentira. Mentir é dirigir a outro um enunciado falso, do qual o mentiroso sabe a falsidade, mas o faz com objetivo de enganar, de levar esse outro a crer naquilo que é dito, dando a entender que diz a verdade.

  • Os casos onde se exclui o aspecto intencional da mentira, pode ser muito difícil avaliar se uma verdade é mais ou menos verdadeira, nascendo daí a expressão ?a verdade de cada um?. Isso é bem comentado quando estudamos as maneiras pessoais de representar a realidade e o significado do termo procepção.

  • Por que mentimos

    Algumas pessoas são levadas, por insegurança de aceitação de serem como são, à tentação de enriquecer suas imagens e enaltecer suas habilidades de forma a causar uma impressão mais favorável em outras pessoas. Trata-se de uma espécie de mecanismo de defesa contra um sentimento de inferioridade. Nesses casos, é possível imaginar o grau do sentimento de inferioridade pela constância e tamanho das mentiras.

    Por que mentimos

  • As mentiras sobre si mesmo conseguem sucesso enquanto não são desmentidas, pois nem sempre se pode aceitar a verdade sem algum tipo de sanção quando o demérito prevalece. Em geral, quando o relato de alguém sobre o que fez ou como agiu diante de uma situação passa a ser criticado, julgado negativamente, é provável que relatos assim não ocorram mais ou que sejam devidamente maquiados por algo diferente do que ocorreu. Isso vale para qualquer relação interpessoal.

  • Um amigo continuará dizendo a verdade sobre o que pensa sobre você se ele for ouvido com isenção de ânimo. Pessoas falam na terapia coisas que nunca confidenciariam a ninguém por causa da atitude eticamente imparcial do terapeuta.

    O mesmo ladrão que negou ter roubado diante do juiz, atribui-se mais roubos do que realmente tenha cometido para melhorar sua imagem diante dos companheiros de cadeia. É assim que o jovem se vangloria de proezas sexuais muito além do que tenha feito, superando a insegurança de sentir-se pouco viril, ou que a mãe aumenta um pouco o desempenho escolar de seu filho, tentando compensar o sentimento de inferioridade diante de outras mães satisfeitas com o rendimento dos filhos delas...

  • Além da mentira atender direta e imediatamente aspirações próprias, ela satisfaz também interesses de forma indireta. É o caso, por exemplo, de nossos falsos julgamentos que diminuem, comprometem e execram pessoas as quais, de uma forma ou outra, ameaçam nosso bem estar emocional, nossos adversários competentes. Mentir é um recurso fácil de recorrer, sem necessidade de se passar por esforços ou penúrias, ainda que haja o permanente risco de ser descoberto.

  • A Mentira Branca

    O termo mentira branca faz referência às mentiras que a maioria das pessoas conta para melhorar o relacionamento social, para evitar conflitos e ofensas. Trata-se da mentira socialmente aceita, inocente e destinada a manter a harmonia dos relacionamentos. Seria aquela mentira boa e socialmente aceita.

    A mentira branca é fisiológica, demagógica e universal. É o elogio generoso do tipo ? ?ora, você está sempre igual, parece não envelhecer...?. Até certo ponto a mentira fisiológica serve também para a elaboração das mais esfarrapadas desculpas ?? não pude comparecer ao enterro porque uma tia minha teve que ser internada...? E o interessante é que o outro, igualmente mentiroso fisiológico, também mente, fingindo acreditar.

    A Mentira Branca


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 50,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Decifrando Mentiras
  • O Que é a Mentira
  • Por Que Mentimos
  • A Mentira Branca
  • O Mentiroso
  • Desprezando a Realidade
  • Síndrome de Münchhausen
  • Depressão Grave
  • Personalidade Psicopata
  • Mentira os 15 Passos Para Identificar A Mentira