Curso Online de PRÉ-MODERNISMO

Curso Online de PRÉ-MODERNISMO

No início do século XX, a literatura brasileira atravessava um período de transição. De um lado, ainda era forte a influência das tendênc...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 12 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

No início do século XX, a literatura brasileira atravessava um período de transição.
De um lado, ainda era forte a influência das tendências artísticas da segunda metade do século XIX; de outro, já começava a ser preparada a grande renovação modernista, cujo marco no Brasil é a Semana de Arte Moderna (1922).
A esse período de transição, que não chega a constituir um movimento literário, chamamos Pré-Modernismo.

Produziu cursos na área de Instrumentação Cirúrgica, onde é formado desde 2003. Autor de mais de 100 cursos na área da saúde onde atuou por mais de 10 anos na enfermagem onde é formado desde 2004. Também produziu aproximadamente 200 cursos na área da educação (Geografia e História principalmente) onde cursou Licenciatura em História de 2009 a 2013. Autor também de alguns cursos de Administração onde cursa atualmente o 3º semestre em Administração e Gestão pela IERGS em Porto Alegre - RS. Pós-Graduado em História do Brasil pela PROMINAS.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • PRÉ-MODERNISMO

    PRÉ-MODERNISMO

  • No início do século XX, a literatura brasileira atravessava um período de transição.
    De um lado, ainda era forte a influência das tendências artísticas da segunda metade do século XIX; de outro, já começava a ser preparada a grande renovação modernista, cujo marco no Brasil é a Semana de Arte Moderna (1922).

  • A esse período de transição, que não chega a constituir um movimento literário, chamamos Pré-Modernismo.
    As estéticas literárias não são entre si e, muitas vezes, se tocam, se influenciam e se fundem.

  • No início do século XX, por exemplo, vários de nossos escritores do Realismo, Naturalismo, Parnasianismo e Simbolismo ainda estavam vivos, escrevendo e publicando.
    Ao mesmo tempo, começava a surgir em nosso país um grupo de novos escritores que, embora ainda presos aos movimentos literários do século anterior, apresentavam algumas inovações quanto aos temas e à linguagem.

  • Concomitantemente, já começavam a chegar ao nosso país as primeiras influências dos movimentos artísticos europeus, as chamadas vanguardas européias, que iriam impulsionar o Modernismo brasileiro.
    A esse período, marcado pelo sincretismo de tendências artísticas, costuma-se chamar Pré-Modernismo.

  • Sem constituir um movimento literário propriamente dito, o Pré-Modernismo consiste na fase de transição entre a produção literária do final do século XIX e o movimento modernista.

  • AS NOVIDADES

    AS NOVIDADES

    Embora os autores pré-modernistas ainda estivessem presos aos modelos do romance realista-naturalista e da poesia simbolista, duas novidades essenciais podem ser observadas em suas obras:
    o interesse pela realidade brasileira.
    A busca de uma linguagem mais simples e coloquial.

  • O INTERESSE PELA REALIDADE

    O INTERESSE PELA REALIDADE

  • Os modelos literários realistas-naturalistas eram essencialmente universalizantes.
    Tanto a prosa de Machado de Assis e Aluísio Azevedo quanto a poesia dos parnasianos e simbolistas não revelavam interesse em tratar da realidade brasileira.

  • A preocupação central desses autores era abordar o homem universal, sua condição e seus anseios.
    Aos escritores pré-modernistas, ao contrário, interessavam assuntos do dia a dia dos brasileiros, originando-se, assim, obras de nítido caráter social.

  • Graça Aranha, por exemplo, retrata em seu romance Canaã a imigração alemã no Espírito Santo; Euclides da Cunha, em Os sertões, aborda o tema da guerra e do messianismo em Canudos, no sertão da Bahia; Lima Barreto detém-se na análise das populações suburbanas do Rio de Janeiro; Monteiro Lobato descreve a miséria do caboclo na região decadente do Vale do Paraíba, no Estado de São Paulo. A excessão está na poesia de Augusto dos Anjos, que foge a esse interesse social.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • PRÉ-MODERNISMO
  • AS NOVIDADES
  • O INTERESSE PELA REALIDADE
  • A BUSCA DE UMA LINGUAGEM MAIS SIMPLES E COLOQUIAL
  • A EXPANSÃO DO REGIONALISMO
  • EUCLIDES DA CUNHA: EM BUSCA DA VERDADE HISTÓRICA
  • CANUDOS: MISÉRIA E VIOLÊNCIA
  • OS SERTÕES: LITERATURA OU CIÊNCIA
  • O INÍCIO DA GUERRA
  • DIÁLOGOS COM CANUDOS E OS SERTÕES
  • OS SERTÕES: O BRASIL ESQUECIDO
  • EUCLIDES DO PRECONCEITO RACIAL A UMA VISÃO CRÍTICA
  • LEITURA
  • TEXTO I
  • VOCABULÁRIO
  • TEXTO II
  • VOCABULÁRIO
  • TEXTO III
  • TEXTO IV
  • VOCABULÁRIO
  • O SEBASTIANISMO NO BRASIL
  • OS SERTÕES: DA BAHIA PARA O MUNDO!
  • LIMA BARRETO: A HISTÓRIA DOS VENCIDOS
  • TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA: ENTRE O IDEAL E O REAL
  • POLICARPO QUARESMA ENTRE HACKERS
  • MONTEIRO LOBATO: UM DÍNAMO EM MOVIMENTO
  • A OBRA
  • UM LOBATO DESCONHECIDO
  • A LITERATURA INFANTIL
  • JECA TATU: UM SOCO NO ESTÔMAGO
  • AUGUSTO DOS ANJOS: O ÁTOMO E O COSMOS
  • BIBLIOGRAFIA