Curso Online de CURSO DST SIFILIS

Curso Online de CURSO DST SIFILIS

A sífilis pode apresentar em um dos quatro diferentes estágios: primária, secundária, latente e terciária, e também pode ocorrer de forma...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 7 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

A sífilis pode apresentar em um dos quatro diferentes estágios: primária, secundária, latente e terciária, e também pode ocorrer de forma congênita. Foi referida como a "a grande imitadora" por Sir William Osler devido às suas variedade de apresentações.


MINI CURRÍCULO Sou Rosimeire Moreira Quintela, formada em Pedagogia com habilitação em Supervisão Educacional e Pós-Graduada em Educação Especial, Mídias integradas na Educação pelo CIPEAD, e pós em Psicopedagogia em Educação a Distância pela FACINTER, já participei de dois GTR Grupo de Trabalho em Rede pela SEED organizado pelo PDE como cursista e de várias jornadas pedagógicas oferecidas pala UNIOESTE e SEED, trabalho há 18 anos como professora na Escola de Educação Especial Cristian Eduardo Hack Cardozo (ACDD) em Foz do Iguaçu, com alunos Deficientes Físicos Neuromotores, sou concursada 40 horas pela Secretaria de Educação do Estado do Paraná-SEED. Atualmente estou trabalhando na Tutoria Presencial do curso de Pedagogia - UEM/UAB Polo de Foz do Iguaçu e na equipe Pedagógica do Colégio Carmelita e realizando Especialização no Ensino de Ciências.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • CURSO

    CURSO

    DST SIFILIS

  • APRESENTAÇÃO
     
    OLÁ SOU ROSIMEIRE MOREIRA QUINTELA
    POS GRADUADA EM MÍDIAS INTEGRADAS NA EDUCAÇÃO PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
    GRADUADA EM PEDAGOGIA PELA UNOESTE DE PRESIDENTE PRUDENTE SÃO PAULO
    CONHEÇAM OUTROS DA AUTORA
    NA ÁREA DA EDUCAÇÃO, SAÚDE E OUTROS.
    ACESSE www.buzzero.com/autores/rosimeire-quintela?a=rosimeire-quintela
     

  • Índice

    Índice

     1 Etimologia
    1.1 Nomes populares
    2 História
    3 Sinais e sintomas
    3.1 Sífilis primária
    3.2 Sífilis secundária
    3.3 Sífilis latente
    3.4 Sífilis terciária
    3.5 Sífilis congênita
    3.6 Sífilis decapitada

  • 4 Diagnóstico
    4.1 Exames de sangue
    4.2 Interpretação de resultados de VDRL e FTA-ABS
    4.3 Microscopia
    5 Tratamento
    6 Prevenção
    7 Referências

  • A sífilis ou lues é uma doença sexualmente transmissível causada pela bactéria Treponema pallidum. A principal via de transmissão é através do contacto sexual, mas também pode ser transmitida da mãe para o feto durante a gravidez ou no momento do nascimento, resultando em sífilis congênita. Outras doenças humanas provocadas pelo Treponema pallidum. incluem abouba ( subespécie pertenue ), a Pinta (subespécie carateum) e a bejel ou sífilis endêmica (subespécie endemicum).

  • Os sinais e sintomas da sífilis variam dependendo da fase atual em que se apresente (primária, secundária, latente e terciária.
     Apesar de seus sintomas, a sífilis foi conhecida como "a grande imitadora", devido às suas apresentações atípicas freqüentes.
    O diagnóstico é feito geralmente através de testes de sangue, no entanto, a bactéria também pode ser detectada utilizando microscopia de campo escuro.

  • A sífilis pode ser tratada efetivamente comantibióticos, especialmente a penicilina G, de preferência por via intramuscular ou via intravenosa se for um caso de neurosífilis, ou ainda ceftriaxona para aqueles que têm alergia à penicilina e doxiciclina ou azitromicina por via oral.
    A sífilis supostamente infectou 12 milhões de pessoas em todo o mundo em 1999, com mais de 90% dos casos em países em desenvolvimento.

  • Depois de diminuir drasticamente desde a ampla disponibilidade de penicilina na década de 1940, as taxas de infecção têm aumentado desde a virada do milênio, em muitos países, muitas vezes em combinação com o vírus da imunodeficiência humana o HIV. Isto tem sido atribuído em parte às práticas sexuais inseguras como a prostituição e a diminuição do uso de preservativos.

  • Etimologia

    Etimologia

    A palavra "Sífilis" é derivada do antropônimo Syphilus, protagonista do poema Syphilis Sive Morbus Gallicus, de Girolamo Fracastoro. O protagonista é castigado pelos deuses com uma doença repugnante, que o autor descreve como hoje chamamos de sífilis . "Lues" vem de lues, palavra latina que significa "praga". "Avariose" vem do francês avariose. "Mal-de-coito" é uma referência a sua transmissão via ato sexual. "Venéreo" vem do latim venereu.

  • Nomes populares
    A sífilis possui vários sinônimos. Ela também é chamada de avariose, lues, mal-americano, mal-canadense, mal-céltico, mal-da-baía-de-são-paulo, mal-de-coito, mal-de-fiúme, mal-de-franga, mal-de-frenga, mal-de-nápoles, mal-de-santa-eufêmia, mal-de-são-jó, mal-de-são-névio, mal-de-são-semento, mal-dos-cristãos, males, mal-escocês, mal-francês, mal-gálico, mal-germânico,mal-ilírico, mal-napolitano, mal-polaco, mal-turco, gálico, venéreo , cancro duro, doença-do-mundo e pudendraga, entre outros termos

  • História

    História

    Há duas teorias sobre a origem da sífilis. Uma defende que se trataria de uma doença americana trazida por Colombo ou seus sucessores da América para a Europa.
     A outra teoria é que a Sífilis seria uma doença antiga do Velho Mundo a qual sofreu mutações que a tornaram mais contagiosa no século XVI.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • CURSO
  • Índice
  • Etimologia
  • História
  • Sinais e sintomas
  • Sífilis primária
  • Sífilis secundária  
  • Sífilis latente
  • Sífilis terciária
  • Sífilis congênita
  • Sífilis decapitada
  • Diagnóstico
  • Exames de sangue
  • Interpretação de resultados de VDRL e FTA-ABS
  • Microscopia
  • Prevenção
  • Referências
  • CONSIDERAÇÕES FINAIS