Curso Online de EDUCAÇÃO ESPECIAL DISTRIBUIÇÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO BRASIL

Curso Online de EDUCAÇÃO ESPECIAL DISTRIBUIÇÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO BRASIL

? No Brasil ? Quase 46 milhões de brasileiros têm algum tipo de deficiência: mental, motora, visual ou auditiva. Esse número corresponde ...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 36 horas

Por: R$ 50,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

? No Brasil ? Quase 46 milhões de brasileiros têm algum tipo de deficiência: mental, motora, visual ou auditiva. Esse número corresponde a 24% da população total do país. Embora 95% das crianças com deficiência com idades entre 6 e 14 anos estejam na escola, patamar bem próximo ao verificado entre as pessoas sem nenhuma das deficiências investigadas (97%), outros indicadores, como grau de instrução e posição no mercado de trabalho, revelam uma situação menos favorável dos brasileiros que têm algum tipo de deficiência.

MINI CURRÍCULO Sou Rosimeire Moreira Quintela, formada em Pedagogia com habilitação em Supervisão Educacional e Pós-Graduada em Educação Especial, Mídias integradas na Educação pelo CIPEAD, e pós em Psicopedagogia em Educação a Distância pela FACINTER, já participei de dois GTR Grupo de Trabalho em Rede pela SEED organizado pelo PDE como cursista e de várias jornadas pedagógicas oferecidas pala UNIOESTE e SEED, trabalho há 18 anos como professora na Escola de Educação Especial Cristian Eduardo Hack Cardozo (ACDD) em Foz do Iguaçu, com alunos Deficientes Físicos Neuromotores, sou concursada 40 horas pela Secretaria de Educação do Estado do Paraná-SEED. Atualmente estou trabalhando na Tutoria Presencial do curso de Pedagogia - UEM/UAB Polo de Foz do Iguaçu e na equipe Pedagógica do Colégio Carmelita e realizando Especialização no Ensino de Ciências.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • MS: ROSI

  • APRESENTAÇÂO
    OLÁ SOU ROSIMEIRE MOREIRA QUINTELA
    POS GRADUADA EM MÍDIAS INTEGRADAS NA EDUCAÇÃO PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
    GRADUADA EM PEDAGOGIA PELA UNOESTE DE PRESIDENTE PRUDENTE SÃO PAULO
    CONHEÇAM OUTROS DA AUTORA
    NA ÁREA DA EDUCAÇÃO, SAÚDE E OUTROS
    ACESSE www.buzzero.com/autores/rosimeire-quintela?a=rosimeire-quintela

  • Pessoas com deficiência representam 24% da população

    Pessoas com deficiência representam 24% da população

    No Brasil — Quase 46 milhões de brasileiros têm algum tipo de deficiência: mental, motora, visual ou auditiva. Esse número corresponde a 24% da população total do país.

  • Embora 95% das crianças com deficiência com idades entre 6 e 14 anos estejam na escola, patamar bem próximo ao verificado entre as pessoas sem nenhuma das deficiências investigadas (97%), outros indicadores, como grau de instrução e posição no mercado de trabalho, revelam uma situação menos favorável dos brasileiros que têm algum tipo de deficiência.

  • A constatação faz parte do Censo Demográfico 2010 – Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência, divulgado hoje (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

  • De acordo com o levantamento, enquanto 61,1% da população de 15 anos ou mais com deficiência não tinham instrução ou cursaram apenas o fundamental incompleto, esse percentual era de 38,2% para as pessoas dessa faixa etária que declararam não ter nenhuma das deficiências investigadas, representando uma diferença de 22,9 pontos percentuais.

  • No que se refere ao rendimento, o estudo aponta que 46,4% das pessoas ocupadas, com 10 anos ou mais de idade, entre os que têm deficiência, ganhavam até um salário mínimo ou não tinham rendimento. Já entre a população sem qualquer deficiência, essa era a realidade de 37,1%, o que indica uma diferença de mais de 9 pontos percentuais entre os dois grupos.

  • Segundo a coordenadora do Comitê do Censo Demográfico do IBGE, Andréa Borges, o levantamento aponta que para corrigir essas distorções são necessárias políticas públicas mais fortes que incentivem essa parcela da população a aumentar seu grau de instrução, o que interfere diretamente nos níveis de rendimento.

  • "Os dados revelam que a maioria das pessoas que têm deficiência está concentrada em níveis de instrução e de rendimento muito baixos. Já existem políticas públicas nesse sentido, mas elas podem ser melhoradas para que haja maior incentivo para que essa parcela de brasileiros não pare de estudar ao concluir o ensino fundamental, mas que vá adiante. Enquanto 10,4% dos que não têm deficiência tem [ensino] superior completo, apenas 6,7% das pessoas com deficiência estão nesse patamar", ressaltou.

  • O levantamento aponta ainda que, em 2010, a população ocupada com pelo menos uma das deficiências investigadas representava 23,6% (20,3 milhões) do total ocupado (86,3 milhões) no país. Além disso, mais da metade (53,8%) dos 44 milhões de pessoas com deficiência em idade ativa (10 anos ou mais) estava desocupada ou não era economicamente ativa.

  • Em relação ao total da população desocupada ou não economicamente ativa, que somava 75,6 milhões em 2010, as pessoas com deficiência representavam 31,3%.

    O documento constatou também que a maioria das pessoas com deficiência ocupadas era empregada com carteira assinada (40,2%), uma diferença de 9 pontos percentuais em relação à população sem nenhuma das deficiências investigadas (49,2%).


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 50,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Pessoas com deficiência representam 24% da população
  • CAUSAS DA ENCEFALOPATIA CRÔNICA
  • PÓS-NATAL
  • O CÉREBRO
  • O SISTEMA NERVOSO
  • LESÃO
  • CONHECER AS CAUSAS DA ENCEFALOPATIA CRÔNICA
  • A PREVENÇÃO
  • ECNPI
  • CLASSIFICAÇÃO DE ENCEFALOPATIA
  • TOPOGRAFIA
  • OS PACIENTES
  • TOPOGRAFIA DAS LESÕES
  • Distônico
  • ATÁXICO
  • MISTOS
  • ESPÁSTICO
  • SOUZA & FERRARETTO
  • TETRAPLEGIA
  • DIPLEGIA
  • TIPOS
  • CASOS
  • HEMIPLEGIA
  • SINTOMAS CITADOS
  • DEFICIÊNCIA INTELECTUAL
  • EPILEPSIA
  • DISTURBIOS
  • Distúrbios visuais
  • DISTÚRBIOS DO COMPORTAMENTO
  • DISTÚRBIOS ORTOPÉDICOS
  • TRABALHO PEDAGÓGICO
  • DEFICÊNCIAS APRESENTADAS
  • É PRECISO LEMBRAR
  • OBSERVA-SE TAMBÉM QUE ESTES ALUNOS
  • OS CONHECIMENTOS QUE O PROFESSOR
  • TECNOLOGIA ASSISTIVA  
  • A TECNOLOGIA ASSISTIVA
  • TEÓRICOS CITADOS
  • AS TECNOLOGIAS
  • EQUIPAMENTO
  • A DÉCADA DE 60
  • SASSAKI
  • ASSISTIVA
  • DISPOSITIVOS
  • OBJETO
  • ÁREAS DE APLICAÇÃO
  • computadorizados
  • RECURSOS PARA RECEPÇÃO
  • TECNOLOGIA ASSISTIVA COMPUTACIONAL
  • FORMA GENÉRICA
  • SERIA PRECISO
  • SOFTWARES
  • PESSOA NECESSITA
  • EDUCADORES E EDUCADORAS
  • O USO DA TECNOLOGIA
  • O PROFESSOR CONHECEDOR
  • ENFIM
  • É ATRAVÉS DA ESCOLA
  • CONSTATAÇÃO
  • CONSIDERADOS RECURSOS
  • NECESSIDADES ESPECIAIS
  • A INCLUSÃO DE PESSOAS
  • VYGOSTSKY
  • PODEMOS DIZER
  • AS LIMITAÇÕES
  • LIMITAÇÕES DE INTERAÇÃO
  • INCLUSÃO SOCIAL
  • DESENVOLVER RECURSOS
  • NA MEDIDA
  • EU EM RELAÇÃO AO OUTRO
  • PESSOA
  • A TECNOLOGIA ASSISTIVA EM AMBIENTE COMPUTACIONAL
  • AS TIC’s
  • SISTEMAS AUXILIARES OU PRÓTESE
  • AS TECNOLOGIAS TEM POSSIBILITADO
  • TAMBÉM SÃO UTILIZADAS
  • DIFICULDADES DE MUITAS PESSOAS
  • PESQUISAS
  • GRAVE COMPROMETIMENTO
  • UTILIZANDO AS TIC’s
  • EXEMPLO
  • T A
  • O USO DE TECNOLOGIAS ASSISTIVAS
  • ATIVIDADES COM O USO DA TECNOLOGIA ASSISTIVA
  • O COMPUTADOR EM SALA
  • OBJETO DE PESQUISA
  • A IMPORTÂNCIA
  • A INTERAÇÃO NO COMPUTADOR
  • PRESSUPOSTOS TEÓRICOS
  • A PROPOSTA BASEOU-SE
  • ESSAS METODOLOGIAS
  • DEFINIÇÃO
  • DESENVOLVIMENTO DA COMUNICAÇÃO
  • EXPRESSÕES VIA ELETRÔNICA
  • O PROFESSOR MEDIADOR
  • BARREIRA
  • SEQÜELAS DE ENCEFALOPATIA
  • UTILIZANDO AS TICs NA EDUCAÇÃO ESPECIAL  
  • DESENVOLVIMENTO DE SEU USO
  • AS TECNOLOGIAS ESTÃO
  • DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO
  • SALA DE AULA
  • AS TECNOLOGIAS ESTÃO
  • MÍDIAS UTILIZADAS
  • NA EDUCAÇÃO ESPECIAL
  • PROFESSORES DA EDUCAÇÃO ESPECIAL
  • TECNOLOGIAS APLICADAS
  • TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
  • APRESENTAR RECURSOS TECNOLÓGICOS
  • BUSCAR O DESENVOLVIMENTO
  • ESSAS FERRAMENTAS
  • CONCEITO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA
  • DEFINIÇÃO
  • TERMO DEFICIENTE
  • EDUCAÇÃO ESPECIAL
  • DECLARAÇÃO DE SALAMANCA
  • Campo pedagógico
  • Essas nessidades
  • 2.2 TIPOS DE DEFICIÊNCIAS
  • CONSCIENTE
  • As deficiências
  • É evidente
  • As pesquisas
  • 2.2.2 Deficiência física  
  • A deficiência física
  • As deficiências físicas
  • Por outro lado
  • O trabalho pedagógico
  • A Deficiência mental  
  • MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA
  • NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS
  • PREOCUPAÇÃO DOS PROFESSORES
  • ESCOLA É UMA TAREFA
  • MOMENTO DA APRENDIZAGEM
  • CONSIDERAÇÕES
  • CONTEÚDOS
  • EIXO CONHECIMENTO
  • JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS
  • JUSTIFICATIVA
  • ESTRATÉGIAS E RECURSOS
  • AVALIAÇÃO
  • CAPÍTULO I DO DIREITO À VIDA
  • Art. 11.
  • CAPÍTULO II DO DIREITO À SAÚDE
  • Art. 12.
  • Art. 13
  • Art. 14
  • § 1º Entende-se
  • III
  • IV
  • Art. 16
  • Art. 17
  • Art. 18
  • SUS
  • V
  • DIREITOS HUMANOS BÁSICOS
  • PROGRESSO CIENTÍFICO E SOCIAL
  • PARTICIPAÇÃO EFETIVA
  • ACIDENTES NA INFÂNCIA
  • IMAGEM
  • ACIDENTES DE TRÂNSITO
  • IMAGEM
  • ACIDENTES DE TRABALHO
  • Assistência Social
  • EDUCAÇÃO INCLUSIVA
  • PARTICIPAÇÃO DE PAIS
  • ESTRUTURA DE AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL
  • REFERENCIAS BIBIOGRAFICAS: