Curso Online de CURSO DE CORTE E COSTURA

Curso Online de CURSO DE CORTE E COSTURA

Com o seguinte conteúdo programático: Introdução Preparação do Tecido Estrutura dos Tecidos Dicas para compra de Tecidos Como reconhece...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 5 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Com o seguinte conteúdo programático:

Introdução
Preparação do Tecido
Estrutura dos Tecidos
Dicas para compra de Tecidos
Como reconhecer o Avesso e o Direito do Tecido
Como Trabalhar com: Tecidos Delicados, Pêlos, Lisos, etc
Relação de Tecido, Agulha, Linha e Ponto
Sobre o Risco e o Corte
Sobre o Passar do Ferro
Acabamentos Finos Manuais
Acabamentos Finos a Máquina
Princípios de Composição do Vestuário
Etiqueta no Vestir
Como reconhecer e adequar tipo de Silhueta
Apêndice ? Dicas Básicas
Apêndice - Tipos de Pontos
Bibliografia/Links Recomendados


  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • CURSO DE CORTE E COSTURA

    CURSO DE CORTE E COSTURA

  • Introdução
    Roupa, também chamada de vestuário ou indumentária é qualquer objeto usado para cobrir certas partes do corpo. As roupas além de movimentar um grande setor industrial e gerar inúmeros empregos, também são um dos maiores indicativos sociais e etnicos. A indústria têxtil vai desde o produtor de matéria-prima até o lojista, havendo centenas de fatores determinantes para que chegue até o consumidor um produto de qualidade.O setor de vestuário possui ramificações em muitos outros setores, estando intimamente ligado à mídia e moda. A moda, como um maestro, é que dita o que será produzido pela indústria têxtil e de vestuário, que como um habilidoso solista executa as novas tendências de vestuário. Tais tendências são influênciadas pela mídia, que por sua vez dita as mudanças sociais e ideológicas dos consumidores, formando uma enorme rede que se faz presente em todo o mundo.

  • Preparação do Tecido
    O conhecimento do tecido é importante quando se vai montar uma peça.
    Urdume: fio vertical, paralelo á ourela, possui menos elasticidade. A roupa cortada no sentido do urdume é dita “cortada no fio”. Este sentido dá à roupa um aspecto menos volumoso.
    Trama: sentido horizontal, perpendicular à ourela, possui mais elasticidade. Raramente se corta uma roupa na trama, com exceção dos tecidos que possuem barra neste sentido.
    Viés: sentido diagonal em relação à ourela possui mais elasticidade que a trama. Uma peça cortada no sentido do viés tem o caimento mais suave.

  • PREPARAÇÃO DO TECIDO
    Quando compramos um tecido geralmente os vendedores rasgam o mesmo puxando por uma das pontas e isso faz com que as beiradas fiquem desiguais, sendo preciso acertá-las.
    1 corte a ourela com a tesoura
    2. Puxe um fio do tecido;
    3. Corte cuidadosamente ao longo do fio puxado até atingir a outra ourela.
    O tecido também pode ter sofrido alguma distorção na fábrica, de modo que a trama e o urdume não estejam perfeitamente perpendiculares. Neste caso, é preciso fazer o alinhamento dos fios.
    1. Coloque o tecido sobre uma superfície plana e dobre, juntando as ourelas. Se o tecido ficar enrugado, precisa ser acertado seguindo os passos seguintes. 2. Puxe o tecido no viés em todo o seu comprimento, até que fique alinhado;
    3. Passe a ferro o tecido antes de cortar.
    É muito importante tomar todos estes cuidados para corrigir as distorções do tecido antes de cortá-lo, porém, devemos ter conhecimento de que nem sempre é possível fazer tais correções. Alguns tecidos como os que possuem acabamento à prova d’água, vinco permanente ou forro colado, não permitem que seja feito este realinhamento da trama.
    No caso de tecidos que têm a tendência para encolher ou quando se tem a intenção de fazer uma peça com dois ou mais tecidos diferentes, é aconselhável molhar estes tecidos e deixá-los secar à sombra antes de cortar. Quando o tecido estiver muito enrugado é importante passar a ferro, para que não ocorra qualquer alteração do molde.
     

  • Estrutura dos Tecidos
    Todos os tecidos de tear são produzidos pelo entrelaçamento de dois tipos de fios: os da teia (dispostos no sentido do comprimento) e os da trama (no sentido da largura). Os fios da teia são dispostos perpendicularmente aos da trama. A estrutura do tecido pode ser modificada alterando o padrão de entrecruzamento da teia e da trama. Existem três tipos fundamentais de estruturas – tafetá, sarja e cetim -, sendo o restante, em sua maioria, variantes destes três tipos, com exceção da estrutura Jacquard.
    Devido à sua estrutura ou ao seu acabamento, os tecidos mais finos e delicados exigem cuidados especiais. O conhecimento das características destes tecidos é importante para determinar o modelo, o tipo de acabamento e os equipamentos e utensílios adequados.
    Conhecer as principais estruturas dos tecidos é de grande utilidade para que você saiba identificar um tecido, mesmo que não haja nenhuma informação mais específica na etiqueta de fábrica, pois nomes dados aos tecidos variam muito de fabricante para fabricante. Saber qual a estrutura do tecido pode ser de grande utilidade para decidir a sua utilização, o seu manuseio e que tipos de acabamentos poderão ser feitos na peça a ser confeccionada.

  • Dicas para compra de Tecidos
    Ao comprar um tecido verifique os critérios abaixo:
    • Estrutura: deve ser firme, sem fios soltos ou rompidos, de uma espessura uniforme.
    • Fios: os fios da trama devem ser perpendiculares às ourelas. Caso contrário, o tecido está desalinhado.
    • Cor: deve ser uniforme e firme. No caso de tecido estampado, verifique se há falhas na estampa.
    • Sempre ao comprar um tecido, verifique a sua composição para saber como manuseá-lo durante a confecção da peça e como passar e lavar a peça já pronta.
    De preferência, anote a composição do mesmo na hora da compra.
     

  • Como reconhecer o Avesso e o Direito do Tecido
    Sempre devemos identificar o direito do tecido antes de cortar uma peça, pois o risco deve ser feito sempre pelo avesso. Nos tecidos que são enrolados em peça ou tubos, o direito está sempre para dentro e você deve observar isso quando estiver comprando.
    Outras formas de identificação são:
    • Os tecidos macios são mais brilhantes do lado direito;
    • Nos tecidos com textura, esta apresenta mais definição do lado direito e no lado avesso pode-se observar irregularidades como bolinhas ou linhas soltas;
    • Tecidos com textura no estilo brocado são mais macios do lado direito e tem fios levantados do lado avesso;
    • Nos tecidos estampados as cores são mais vivas do lado direito;
    • Geralmente a ourela dos tecidos é mais macia do lado direito;
    • Muitas malhas quando esticadas, enrolam as suas bordas para o lado direito;
    • Existem tecidos que o lado direito e o avesso são muito semelhantes, neste caso, escolha um dos lados para ser o direito e marque o avesso com giz, para não confundir.

  • Como Trabalhar com: Tecidos Delicados, Pêlos, Lisos, etc
    TECIDOS COM PÊLO
    Estes tecidos pertencem ao grupo de estrutura com pêlos. Há uma rica variedade deste tipo de tecido, podendo ser de fibras naturais ou artificiais. Podem ser veludos, pelúcia, peles ou imitação de peles. Podem ter pêlo curto, com a superfície aveludada, com pêlos com menos de 3mm; ou pêlo longo com superfície com pêlos com mais de 3mm. Cada tipo deste tecido precisa de cuidados específicos. Os veludos podem ser feitos de seda, de acetato e ou de raiom.
    Risco e corte
    • Nos tecidos de pêlo curto, você pode cortar com sentido do pêlo para cima, para obter um efeito de cor mais viva, e com sentido do pêlo para baixo, para obter um tom mais opaco; • Nos tecidos de pêlo longo, corte sempre com o sentido do pêlo para baixo. • Coloque as partes do molde sempre sobre o lado avesso do tecido; • Risque cuidadosamente as partes do molde com giz e corte rigorosamente em cima da linha riscada. Separe as partes e identifique todas do lado avesso para não confundi-las.

  • Montagem
    • Antes de costurar, prenda as partes com alfinetes ou alinhave; • Mantenha as margens de costura regulares; • Costure apenas uma vez, pois se a costura for desfeita, deixará marcas no tecido; • Deve-se utilizar uma agulha fina de ponta arredondada (ponta bola); • As costuras devem ser feitas de preferência seguindo o sentido do pêlo; • Para os tecidos de pêlo alto, deve-se tomar também o cuidado de regular a tensão da máquina e aumentar o comprimento do ponto; • Nos tecidos de pêlo alto, elimina-se o excesso de volume nas margens de costura aparando o pêlo neste local; • Para os veludos, recomenda-se o acabamento da bainha com debrum, podendo este ser uma tira de tule. Em seguida vira-se a bainha e costura-se com um ponto invisível.
    Passar a ferro
    • Para passar o veludo de algodão a ferro, coloca-se uma pano tipo flanela ou sarja e por cima deste outro tecido de algodão cru, e sobre este é que o ferro será passado; • Para passar o veludo de seda ou sintético, coloca-se o ferro com a base para cima e desliza-se suavemente sobre este o avesso do veludo. Quando se tratar de abrir costuras, dá-se com o ferro em temperatura baixa, ligeiras pancadinhas sobre a costura, pelo lado avesso da peça; • Tome cuidado para que a temperatura do ferro esteja sempre baixa, pois temperaturas elevadas podem derreter o veludo. Durante a montagem, passe a peça a ferro o menos possível, e quando o fizer faça sempre pelo avesso;
    • Da mesma forma, passe os tecidos de pêlo alto pelo avesso, fazendo o mínimo de pressão para evitar amassar o pêlo. • Para abrir costuras, utilize o bico do ferro ou apenas os dedos.
     

  • TECIDOS LISOS E TRANSPARENTES
    Risco e corte
    • Estenda o tecido sobre uma superfície plana e lisa; • Prenda as partes do molde ao tecido com alfinetes finos ou corte as partes do molde em papel de seda e una-as ao tecido por alinhavos, costurando papel e tecido juntos, para que o tecido não deslize; • Se for riscar o tecido, faça-o sempre pelo lado avesso; • Quando o molde tiver partes de contorno bem definido, corta-se em papel de seda, já com as margens, alinhavando em seguida estas peças ao tecido e recortando tudo junto; • Ao costurar as partes, deve-se manter o papel de seda, só retirando este após ter terminado de unir as partes.

  • Montagem
    • Costure apenas uma vez, pois os pontos depois de retirados deixam marcas no tecido. Para isso é necessário alfinetar ou alinhavar sempre as partes antes de unir; • Deve ser manuseado com cuidado, pois amarrota, suja e desfia com facilidade. • Para evitar que o tecido escorregue ao costurar, coloque tiras de papel de seda entre o tecido e o impelente; • Ajuste o comprimento e a tensão do ponto para evitar que o tecido franza com a costura. A tensão deve ser reduzida e o ponto deve ser pequeno; • Para evitar que o tecido estique, prenda sempre as partes com alinhavos; • Use agulha de máquina fina de ponta arredondada; • Os detalhes de montagem nos tecidos transparentes devem ter acabamento perfeito, por serem visíveis do lado direito. Nestes casos, pode-se recorrer a costuras francesas ou debruadas; • Os tecidos transparentes podem ser arrematados com uma simples bainha virada. Nos tecidos mais maleáveis, pode-se aplicar uma bainha em rolinho. Estas bainhas podem ser feitas à mão ou à máquina, com o auxílio de um pé calcador embainhador.
    Passar a ferro
    • Passe a seco, pois a água pode manchar o tecido; • A tábua de passar deve ser coberta com um tecido macio e a temperatura do ferro deve ser sempre baixa; • O ferro só deve entrar em contato direto com o tecido quando for necessário. Utilize um tecido de algodão para proteger enquanto passa. Para abrir as costuras deve-se usar apenas a bico do ferro, sem pressionar;
    • Antes de passar, faça um teste num pequeno retalho, para saber se o tecido tem a tendência a encolher ou franzir ao ser passado;
     


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • CURSO DE CORTE E COSTURA
  • TIPO FÍSICO