Curso Online de Tudo sobre Colorimetria

Curso Online de Tudo sobre Colorimetria

Colorir os cabelos parece simples, mas essa arte exige muito mais do que misturar ingredientes e aplicar na cabeça. Aprenda as regras da ...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 5 horas

Por: R$ 69,20
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Colorir os cabelos parece simples, mas essa arte exige muito mais do que misturar ingredientes e aplicar na cabeça. Aprenda as regras da boa coloração. Colorimetria é uma ciência que vai fundo no estudo das cores, analisa a composição e suas combinações, levando em conta a forma como são vistas.

Graduação/Bacharel em Psicologia.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • TUDO SOBRE COLORIMETRIA

    TUDO SOBRE COLORIMETRIA

  • Teoria de Colorimetria

    Conhecendo tons e nuances

    Oxidantes

    Colorindo o cabelo na prática

    Formas de Coloração

    Mechas e conexões

  • Teoria de Colorimetria
     
    Colorir o cabelo parece simples, mas essa arte exige muito mais do que misturar ingredientes e aplicar na cabeça. A Cromatologia rege as regras da boa coloração: é uma ciência que vai fundo no estudo das cores, analisa sua composição e suas combinações, levando em conta a forma como são vistas. Um bom colorista sabe identificar a cor que está nos fios, o que precisa ser melhorado para que ela ganhe brilho e luz ou quais os recursos necessários, como a decapagem, por exemplo, para se conseguir uma nova tonalidade.
    O efeito da coloração depende, intimamente, do tom em que o cabelo está. É como uma parede que será pintada. Se for branca, o resultado da cor que virá em cima é um. Se for azul, o efeito muda. A operação de identificar a cor que se apresenta é mais difícil do que parece, pois varia conforme a luz ambiente. Também porque, em geral, os fios não se encontram com uma cor uniforme uns em relação aos outros ou a raiz em relação às pontas.

  • Os cabelos naturais normalmente são compostos por uma cor dominante e outras excessivas, que formam reflexos imperceptíveis sob qualquer luz. Um olhar atento é o diferencial na hora de mudar a cor do cabelo. É essa cor que já existe no fio que serve como base para a coloração. Define os tons e matizes que darão um resultado harmonioso, sem a presença de nuances alaranjadas, esverdeadas ou azuladas.
    Seis tipos de cores determinam o círculo cromático e viabilizam as alterações nas fibras capilares de forma harmônica. Funciona como um gráfico ou uma tabela. Nele, elas estão dispostas de forma que uma determinada nuance tem a sua oposta. Logo: o vermelho é contrário ao verde, enquanto o laranja contrapõe-se ao azul e o amarelo, ao violeta. Vale lembrar que essas posições são estratégicas. Foram reunidas dessa forma porque um tom ameniza ou potencializa o efeito do outro. O círculo cromático também define as nuances e os matizes das colorações. A partir do que já existe no cabelo, escolhe-se o novo tom. A classificação das cores é o que determina sua aplicação.

  • Questões sobre a Luz
    A luz e suas características constituem um fenômeno universal de caráter eletromagnético, conhecido como espectro cromático, cujas ondas se propagam pelo espaço à velocidade constante de 300.000 km (no vácuo) por segundo.
    Há certo tipo de qualidade ideal de luz para a visão correta das cores dos corpos e substâncias. Conhecida como “luz branca”, com temperatura de cor entre 5.500 a 6.500K (graus Kelvins) que corresponde à luz solar indireta.
    A luz visível está situada numa faixa de comprimentos de onda entre 400 e 700 nm (nanometros) para todas as cores, em comprimentos de onda específicos que impressionam nossos olhos e permitem a visão cromática diferenciada.
    A existência de faixas com comprimentos de ondas curtas, médias e longas, cores chamadas primárias da síntese aditiva (cores RGB).

  • ESTUDO DE CORES
     
    Cores primárias
     
    As cores primárias, também conhecidas como "cores puras", são pigmentos naturais: vegetal (colorau) e mineral (cromo, cobalto etc.). Não se formam pela mistura de outras cores. São elas: Azul, Vermelho e Amarelo.

  • Cores secundárias
     
    São cores resultantes da mistura de duas cores primárias na mesma proporção. São elas: Violeta, Laranja e Verde.

  • Cores terciárias
     
    Resultam da mistura de uma cor primária com uma cor secundária. São elas:

    Primária + Secundária = Terciária
    Amarelo + Laranja = Amarelo-alaranjado
    Amarelo + Verde = Amarelo-esverdeado
    Azul + Verde = Azul-esverdeado
    Azul + Roxo = Azul-arroxeado
    Vermelho + Laranja = Vermelho-alaranjado
    Vermelho + Roxo = Vermelho-arroxeado

  • Estrela de Oswald
     
    Para facilitar ainda mais a visualização e a compreensão da colorimetria, faz-se necessário o estudo e conhecimento acerca da estrela de OSWALD.

  • Conhecendo tons e nuances
     
    RECONHECENDO TONS BÁSICOS E NUANCES
     
    As colorações se dividem em tons naturais ou “básicos” e tons de reflexos ou “nuances”.
    Tons Naturais (tons básicos)
    São todos os tons terminados em zero, sendo que o zero pode vir após virgula ( , ), ponto ( . ) ou barra ( / ). São eles:
    1.0 – Preto 2.0 – Castanho Escuríssimo
    3.0 – Castanho Escuro 4.0 – Castanho Médio
    5.0 – Castanho Claro 6.0 – Louro Escuro
    7.0 – Louro Médio 8.0 – Louro Claro
    9.0 – Louro Ultraclaro 10.0 – Louro Pastel ou Claríssimo
    11.0 – Super Clareadores 12.0 – Super Clareadores
    13.0 – Super Clareadores

  • Tons de Reflexos (Nuances)
     
    São todos os números que vêm após a vírgula ( , ); o ponto ( . ) ou a barra ( / ) e que proporcionam o reflexo da cor.
    .0 – Natural (sem reflexo)
    .1 – Cinza
    .2 – Mate ou irisado*
    .3 – Dourado
    .4 – Acobreado
    .5 – Acaju
    .6 – Vermelho
    .7 – Marrom

    Classificação dos reflexos
     Reflexos frios - Originados das cores frias: Azul, roxo e verde, que são, respectivamente, acinzentados (1), irisados (2), e esverdeado. Absorvem a luz e apresentam uma nuance mais escura;

    Reflexos quentes – Originados das cores quentes: Amarelo, laranja e vermelho, que dão respectivamente, dourado (3), acobreado ( 4), acaju (5) e vermelho (6). Refletem a luz e apresentam uma nuance mais clara;


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 69,20
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • TUDO SOBRE COLORIMETRIA