Curso Online de Curso de atualização em sala de vacinas 2013

Curso Online de Curso de atualização em sala de vacinas 2013

Este curso tem por objetivo atualizar os profissionais da área da saúde, em especial os profissionais técnicos de enfermagem e enfermeiro...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 7 horas

De: R$ 130,00 Por: R$ 90,00
(Pagamento único)

Mais de 5 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Este curso tem por objetivo atualizar os profissionais da área da saúde, em especial os profissionais técnicos de enfermagem e enfermeiros sobre as novas vacinas introduzidas no calendário de vacinação em 2013.

Graduada em enfermagem. Especializando em Enfermagem do trabalho e em Saúde da Família. Atua na atenção primária da II Geres do Estado de Pernambuco



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • CAPACITAÇÃO EM NOVAS VACINAS 2013

    CAPACITAÇÃO EM NOVAS VACINAS 2013

    DANIELLE CARVALHO
    danicmontt@hotmail.com
    ENFERMEIRA

  • Este curso disponibilizará de forma clara e direta, as novas orientações sobre as novas vacinas inseridas no calendário da criança.

    Vacina inativada
    contra a poliomielite;
    Pentavalente;
    Tetraviral

  • A poliomielite

    A poliomielite

    O que é a poliomielite?

    A poliomielite é uma doença viral, causada por um vírus membro
    do gênero Enterovirus da família Picornaviridae conhecido como
    poliovírus e subdivide-se em três sorotipos (1, 2 e 3).

    É altamente contagiosa, e afeta principalmente crianças abaixo
    dos 5 (cinco) anos de idade.

  • Transmissão do vírus da poliomielite

    Transmissão do vírus da poliomielite

    O vírus é transmitido através de alimentos e água contaminados e se multiplica no intestino, podendo invadir o sistema nervoso. Muitas pessoas infectadas não apresentam sintomas da doença (febre, fadiga, cefaleia, vômitos, rigidez no pescoço e dores nos membros), mas excretam o vírus em suas fezes, portanto, podem transmitir a infecção para outras pessoas.
    Uma em cada 200 infecções conduz a uma paralisia irreversível (geralmente nos membros inferiores), mas raramente é doença fatal.

  • O combate contra a poliomielite

    O combate contra a poliomielite

    No Brasil, as ações de combate à pólio iniciaram-se em 1961, com a imunização de forma não sistemática.
    Em 1971, criou-se o Plano Nacional de Controle da Poliomielite.
    No país a vacina que vem sendo utilizada com sucesso desde a década de 60 é a vacina oral poliomielite – VOP, vacina de vírus atenuados,trivalente, contendo os três tipos de poliovirus (1, 2 e 3).

  • Imunidade da VOP

    Imunidade da VOP

    Uma dose da vacina VOP produz imunidade para os três sorotipos em aproximadamente 50% dos receptores, enquanto 3 (três) doses produzem imunidade em mais de 95% dos receptores.
    A imunidade é de longa duração e, provavelmente, ao longo de toda a vida, pois induz imunidade humoral (sistêmica) e imunidade celular de mucosa (local), além de produzir imunidade em contatos de indivíduos vacinados.

    É epidemiológica e operacionalmente a melhor vacina para gerar proteção a cada um dos três tipos de vírus da poliomielite e tem sido amplamente utilizada, viabilizando a erradicação global da doença.

  • A poliomielite ainda existe no Brasil?

    A poliomielite ainda existe no Brasil?

    As ações de vacinação desenvolvidas contribuíram para a erradicação da doença no Brasil, sendo que o último caso ocorreu em 1989. Como citado no tópico novas histórias (new stories) da sala de imprensa (media room) da Iniciativa Global de Erradicação da Pólio (Global Polio Eradication Initiative - GPEI) de 28 de março de 2012, o Brasil é reconhecido como pioneiro na implementação de estratégias de erradicação da poliomielite e seu sucesso ajudou a tornar a Região das Américas livre da doença, e o país vem emergindo como um dos líderes em saúde e desenvolvimento.

  • Declaração da livre circulação da poliomielite

    Declaração da livre circulação da poliomielite

    Conforme definido no plano global de erradicação, uma região precisa estar sem circulação do vírus da poliomielite por três anos, em vigência de um sistema de vigilância para paralisias flácidas agudas funcionante, para ser declarada como livre da circulação do poliovírus.

  • Importância das campanhas de vacinação

    Importância das campanhas de vacinação


    A vigilância sensível de paralisias flácidas agudas, através da notificação, investigação e coleta oportuna de amostras de fezes de todos os casos de paralisias flácidas agudas é fundamental para a garantia de detecção rápida de um vírus importado e as altas e homogêneas coberturas vacinais evitam que esses vírus circulem
    É por isso que o Brasil e outros países da região ainda realizam campanhas de vacinação com a vacina oral poliomielite e priorizam a vigilância de paralisias flácidas agudas

    Se no Brasil não existe mais a poliomielite, para que se tem
    as campanhas de vacinação?

  • Por que introduzir a VIP?

    Sabemos que a VOP garante imunidade contra o vírus da poliomielite, então qual o porquê de introduzir outra vacina?

    Por que introduzir a VIP?

    Como países desenvolvidos e em desenvolvimento declararam a intenção de continuar com a imunização de suas populações, mesmo após a erradicação do poliovírus selvagem, a VIP deverá ser utilizada nesses países para prevenir a reintrodução do vírus selvagem e o ressurgimento da poliomielite

  • A VIP no Brasil

    O Brasil, visando cumprir esta determinação introduzirá, a partir de agosto de 2012, a
    vacina inativada poliomielite (VIP) em esquema sequencial com 2 doses de VIP e 2 doses de
    VOP.

    As doses da VIP visam minimizar o risco, que é raríssimo, de paralisia associada à vacina, e as da VOP, manter a imunidade populacional (de rebanho) contra o risco potencial de introdução de poliovírus selvagem através de viajantes oriundos de localidades que ainda apresentam casos autóctones da poliomielite.

    A VIP no Brasil


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 90,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • CAPACITAÇÃO EM NOVAS VACINAS 2013
  • A poliomielite
  • Transmissão do vírus da poliomielite
  • O combate contra a poliomielite
  • Imunidade da VOP
  • A poliomielite ainda existe no Brasil?
  • Declaração da livre circulação da poliomielite
  • Importância das campanhas de vacinação
  • Por que introduzir a VIP?
  • A VIP no Brasil
  • Vacina inativada poliomielite (VIP)
  • Forma farmacêutica, apresentação e composição
  • Indicação, dose e via de administração
  • Conservação e eficácia
  • Uso Simultâneo com Outras Vacinas
  • Esquema vacinal
  • Esquema
  • Contraindicações
  • Precauções
  • Revisão da VIP/VOP
  • Tetraviral
  • Indicação
  • Via de administração
  • Contraindicações
  • Uso em idosos, crianças e outros grupos de risco
  • Interações medicamentosas
  • Reações adversas a medicamentos
  • Pentavalente
  • Indicação
  • Esquema vacinal
  • Dose e via de administração
  • Uso Simultâneo com Outras Vacinas
  • Contraindicações
  • Conservação e Validade
  • Novas vacinas