Curso Online de O Cuidado de Enfermagem no Pós-Operatório

Curso Online de O Cuidado de Enfermagem no Pós-Operatório

O período cirúrgico é dividido em três fases: a primeira é a pré-operatória; a segunda, a intra-operatória e, a terceira, pós-operatória....

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 5 horas

De: R$ 50,00 Por: R$ 30,00
(Pagamento único)

Mais de 5 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

O período cirúrgico é dividido em três fases: a primeira é a pré-operatória; a segunda, a intra-operatória e, a terceira, pós-operatória. Nesta última, a enfermagem desempenha o importante papel de proporcionar ao paciente o retorno às atividades rotineiras. O pós-operatório inicia-se com os períodos pós-anestésico e pós-operatório imediato, nos quais o paciente está se recuperando dos efeitos anestésicos. O pós-operatório tardio é o tempo de cicatrização e prevenção das complicações, este período pode durar semanas ou meses após cirurgia.

A assistência de enfermagem durante o período pós-operatório imediato concentra-se em intervenções destinadas a prevenir ou tratar complicações. Por menor que seja a cirurgia, o risco de complicações sempre estará presente. A prevenção destas, no pós-operatório promove rápida convalescençia, poupa tempo, reduz gastos, preocupações, ameniza a dor e aumenta a sobrevida.

Após a avaliação, pelo enfermeiro, dos controles gerais, dos antecedentes clínicos, da fisiopatologia da doença, das intercorrências intra-operatórias e anestésicos, e de um exame físico completo, é possível elaborar um plano de cuidados individualizado. A transferência do paciente para sua unidade de origem é um momento de grande ansiedade para ele. A fim de evitar este sentimento, o paciente deve ser preparado num estágio precoce à hospitalização.

Enfermeira especialista em Saúde Pública. Funcionária da Fundação Hemopa (Banco de Sangue). Preceptora de Estágio Supervisionado (Saúde Pública) do Curso de Graduação de Enfermagem da Escola Superior da Amazônia (ESAMAZ). Possui vasto conhecimento em Análises Clínicas e Hemostasia.É membro associado da Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia. Possui o TÍTULO de Proficiência Técnica de Enfermagem em Hematologia e Hemoterapia pela Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • O Cuidado de Enfermagem no Pós-operatório

    o cuidado de enfermagem no pós-operatório

    enfª esp. thaís figueiredo

  • algumas informações:

    público alvo: enfermeiros, acadêmicos de enfermagem, estudantes e técnicos de enfermagem;
    nossos cursos não possuem avaliação;
    oferecemos tais cursos como forma de atualização e, também para ajudar os acadêmicos (carga horária) em suas atividades complementares que são exigidas pelo mec;
    esperamos contribuir no aumento de seus conhecimentos;
    este curso possui 44 slides.

  • Pós-operatório:

    pós-operatório:

    inicia-se a partir da saída do cliente da so e perdura até sua total recuperação.
    pós-operatório imediato (poi): até às 24 horas posteriores à cirurgia;
    mediato: após as 24 horas e até 7 dias depois;
    tardio: após 7 dias do recebimento da alta.

  • Objetivos do atendimento...

    objetivos do atendimento...

    identificar, prevenir e tratar os problemas comuns aos procedimentos anestésicos e cirúrgicos, tais como:
    dor,
    laringite pós-entubação traqueal,
    náuseas,
    vômitos,
    retenção urinária,
    flebite pós-venóclise dentre outros

  • Atenção...

    atenção...

    idealmente, todos os clientes em situação de poi devem ser encaminhados da so para a rpa e sua transferência para a enfermaria ou para a uti só deve ocorrer quando o anestesista considerar sua condição clínica satisfatória.

  • Sala de Recuperação Pós-anestésica:

    sala de recuperação pós-anestésica:

    a assistência prestada ao paciente na srpa requer cuidados constantes, porque é uma fase delicada do pós-operatório, necessitando de uma monitorização constante e controle de sua evolução.

    local destinado a receber o paciente em pós-operatório imediato até que recupere a consciência e tenha seus sinais vitais estáveis.

  • Sala de Recuperação Pós-Anestésica (SRPA):

    sala de recuperação pós-anestésica (srpa):

    permanência de 1 a 6 horas do paciente
    alívio da dor, recuperação dos reflexos
    recuperação da consciência
    normalização dos ssvv

    composição do crpa
    equipamentos básicos:
    camas, suportes de soro, foco de luz, oxímetro de pulso, máscaras...

  • riscos cirúrgicos: extensão do trauma e suas alterações neuroendócrinas, sangramento, dor, alteração de ssvv;
    riscos anestésicos: drogas pré-anestésicas e anestésicas utilizadas, potencial de depressão respiratória, interação medicamentosa;
    riscos individuais: idade, estado nutricional, doenças associadas, estado emocional.

    para a prestação do cuidado em tais condições críticas é necessário que a equipe de enfermagem esteja em constante estado de alerta para atuar de maneira rápida e eficiente.

  • Cuidados no pós-operatório imediato (POI):

    cuidados no pós-operatório imediato (poi):

    transporte do paciente
    leitura do prontuário
    posicionamento na cama
    controlar sinais vitais
    alivio da dor e desconforto
    estimular a respiração profunda e tosse
    conectar sondas e drenos se houver
    administrar os medicamentos prescritos
    observar e controlar eliminações

  • cuidados com o curativo
    fazer higiene oral constante
    estimular a movimentação e mudança de decúbito
    observar coloração e temperatura das extremidades
    diminuição dos anseios,tranquilizando-os...
    promover conforto e segurança

  • anestesia geral decúbito dorsal horizontal sem travesseiro, com a cabeça lateralizada.
    sonda nasogástrica (sng), indica-se a posição semifowler, para prevenir a ocorrência de esofagite de refluxo.
    visando evitar a queda dos clientes sonolentos, confusos e/ou agitados devido à ação dos anestésicos, as grades da cama devem ser mantidas elevadas.

    para os clientes...


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 30,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • O Cuidado de Enfermagem no Pós-operatório
  • Pós-operatório:
  • Objetivos do atendimento...
  • Atenção...
  • Sala de Recuperação Pós-anestésica:
  • Sala de Recuperação Pós-Anestésica (SRPA):
  • Cuidados no pós-operatório imediato (POI):
  • Controle dos SSVV:
  • Registros na SRPA:
  • Anormalidades e complicações no pós-operatório:
  • Alterações dos SSVV:
  • Alterações neurológicas:
  • Estratégias para alívio da dor...
  • Soluço:
  • Complicações pulmonares:
  • Estratégias ...
  • Complicações renais:
  • Complicações gastrintestinais:
  • Sede:
  • Complicações cardiovasculares:
  • Hemorragia:
  • Infecção da ferida cirúrgica:
  • Deiscência:
  • Choque:
  • Os familiares, o cliente e a alta hospitalar: