Curso Online de Imobilização Ortopédica

Curso Online de Imobilização Ortopédica

imobilização gesso circular , tala gessada, imobilizadores

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 5 horas

De: R$ 80,00 Por: R$ 49,90
(Pagamento único)

Mais de 0 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

imobilização gesso circular , tala gessada, imobilizadores

técnico de Radiologia médica ,tomografia computadorizada e técnico de Imobilização Ortopédica



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • Introdução

  • Imobilizações em Ortopedia e Traumatologiamódulo I História

    3.000 A.C. Imhotep. Autor egípcio de um papiro . Descreveu a redução e fixação de fraturas por meio de talas de madeira e bandagens.
    1852- Antonius Mathijsen. Cirurgião militar holandês , relatou o uso de bandagens gessadas para fixar fraturas.
    1852 Pirogov. Cirurgião Militar russo , enfatizou a imobilização de fraturas antes do transporte de feridos.
    1967 Sarmiento. Cirurgião ortopédico de Miami , aplicou princípios protéticos e ortóticos ao desenvolvimento de sistemas de fixação de fraturas de extremidades superiores e inferiores.

  • Imobilização em Ortopedia e Traumatologia

    Bandagens de gesso : rolo de gaze , endurecida por um tipo de amido e impregnada por sulfato de cálcio semihidratado.

  • Imobilizações em Ortopedia e Traumatologia

    Definição
    “Manter um membro , ou apenas um segmento de um membro , imóvel , em repouso , e em posição correta.”

  • Imobilizações em Ortopedia e Traumatologia

    Atualmente, os acidentes se multiplicam de forma assustadora. Os episódios traumáticos,
    as intervenções cirúrgicas e o tratamento de patologias complexas são inerentes ao
    dinamismo sempre crescente da civilização moderna. Embora seja uma invenção antiga, a
    imobilização representa um meio de permitir que a população continue realizando suas
    atividades sem muitos inconvenientes. A chave para a eficiência no tratamento com imobilização
    é cuidar bem dela.
    ilustrada simples e atualizada dos princípios fundamentais e dos diversos tipos de imobilizações
    utilizadas nas patologias do corpo humano.

  • Imobilizações em Ortopedia e Traumatologia

    O mundo de hoje vem exigindo profissionais mais preparados e capacitados em resolver problemas,
    de tomar decisões em quaisquer situações, que respeitem e valorizem o trabalho em equipe e a
    conduta ética. Este manual destina-se a dar elementos e subsídios, bem como suporte básico aos
    alunos de CURSO DE IMOBILIZAÇÃO ORTOPÉDICA. Procurei desenvolver este estudo através
    de uma linguagem simples, clara e de qualidade técnica aprimorada, visando tão somente uma
    melhor assimilação por parte do discente, proporcionando conteúdo tanto para a formação quanto
    para a preparação para concursos para o cargo. No serviço de saúde, tanto em hospitais quanto
    em clínicas, ou em outros locais, o Técnico em Imobilização Ortopédica ou Gesseiro Hospitalar,
    devidamente habilitado é reconhecido como parte integrante, atuante e indispensável nos setores
    de ortopedia e traumatologia.

  • Imobilizações e Orientações sobre o Gesso

    Depois de uma trauma ou uma torção, podemos ter de usar uma imobilização. Em especial nos casos em que o trauma resulta em fratura. É muito importante contar com a sua colaboração na manutenção da imobilização até o final do tratamento.

  • TIPOS DE FRATURAS

    1 - Fratura simples (fechada) = Uma fratura na qual o osso não atrevessa a pele

    2 - Fratura composta (aberta) = Uma fratura na qual o osso projeta-se através da pele

    3 - Fratura incompleta (parcial) = O osso não é quebrado em duas partes. E mais comum em crianças. Os dois tipos principais de fraturas incompletas são as seguintes:

    3.1 - Fratura em tara: Essa envergadura do córtex é caracterizada pela expanção localizada ou fratura do córtex, possivelmente pequena ou nenhuma luxação e ausência de quebra completa do córtex.

    3.2 - Fratura em galho verde: A fratura ocorre em apenas um lado. O córtex de um lado do osso está quebrado, e o outro lado está envergado. Quando o osso se endireita, uma linha de fratura tênue no córtex pode ser vista em um lado do osso, e uma discreta saliência ou defeito em forma de prega é vista do lado oposto.

  • 4 - Fratura completa = Nessa fratura, a quebra é completa e inclui o corte transversal do osso. O osso é quebrado em duas partes. Três tipos principais de fraturas completas são as seguintes:

    4.1 - Fratura transversal: A fratura é transversal em um ângulo quase reto em relação ao eixo longitudinal do osso.

    4.2 - Fratura oblíqua: A fratura atravessa o osso em um ângulo oblíquo.

    4.3 - Fratura espiral: Nessa fratura, o osso é separado e a fratura forma espirais ao redor do eixo longitudinal.

  • 5 - Fratura Cominutiva: Nessa fratura, o osso é estilhaçado ou esmagado no local do impacto, resultando em dois ou mais fragmentos. A seguir estão os três tipos de fraturas cominutivas que possuem implicações específicas para o tratamento e o prognóstico.

    5.1 - Fratura segmentar: um tipo de fratura dupla com duas linhas de fratura isolando um segmento distinto de osso.

    5.2 - Fratura em borboleta: Uma fratura cominutiva com dois fragmentos de cada lado de um fragmento principal separado em forma de cunha; possui alguma semelhança com as asas de uma borboleta.

    5.3 - Fratura estilhaçada: Uma fratura cominutiva na qual o osso é esmigalhado em fragmentos finos e pontiagudos.

  • GESSO, TALA GESSADA OU ÓRTESE?

    O gesso é composto de uma bandagem que, quando molhada, pode ser moldada e, ao secar, fica resistente. Serve para manter a posição do local machucado até que tudo esteja bem novamente.
    A posição mantida pelo gesso é a de repouso ou de redução, no caso das fraturas, para que o osso fraturado não se mova.

    O gesso imobiliza uma articulação acima e outra abaixo da área a ser tratada. Por exemplo: no caso de fratura dos ossos da perna, o gesso deve ser desde a raiz da coxa até o pé.

    O gesso é feito de uma bandagem branca e não deve ficar em contato direto com a pele, para evitar irritações. Por isso, é colocada uma malha tubular de algodão, seguida de algodão ortopédico e só então o gesso é molhado e aplicado. No início, o gesso fica pesado mas, à medida que vai secando, torna-se um pouco mais leve. Para secar totalmente, o gesso leva, em geral, dependendo da estação do ano, de 2 a 3 dias. Nesse período, o cuidado com ele deve ser redobrado, para evitar rachaduras e quebras.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 49,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Imobilizações em Ortopedia e Traumatologia módulo I História
  • Imobilização em Ortopedia e Traumatologia
  • Imobilizações em Ortopedia e Traumatologia
  • Imobilizações e Orientações sobre o Gesso
  • GESSO, TALA GESSADA OU ÓRTESE?
  • CUIDADOS NECESSÁRIOS:
  • Situações em que a criança deve ser levada de volta ao pronto-socorro:
  • NÃO MOLHAR O GESSO :
  • Não bater o gesso ou com o gesso:
  • Não colocar nada dentro do gesso:
  • Tipos de gessos e principais usos:
  • Imobilizações em Ortopedia e Traumatologia
  • Noções de curativos
  • GESSO SINTÉTICO