Curso Online de Parasitologia Humana- Parte I- Protozoários

Curso Online de Parasitologia Humana- Parte I- Protozoários

Curso destinado a profissionais da saúde com interesse em aprofundar e/ou atualizar seus conhecimentos sobre parasitologia humana.

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 18 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Curso destinado a profissionais da saúde com interesse em aprofundar e/ou atualizar seus conhecimentos sobre parasitologia humana.

Graduado em Enfermagem pela UNOESTE-SP turma de 2014. Experiência como enfermeiro assistencial em UTI adulto



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • PARASITOLOGIA HUMANA
    PROTOZOÁRIOS

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Antes de iniciarmos o conteúdo em si, vejamos o glossário com definições de alguns termos, para uma melhor compreensão do conteúdo abordado durante o curso.

    Agente Etiológico. É o agente causador ou responsável
    pela origem da doença. Pode ser um vírus, bactéria, fungo, protozoário, helminto.

    Agente Infeccioso. Parasito, sobretudo, microparasitos (bactérias, fungos, protozoários, vírus etc.), inclusive helmintos, capazes de produzir infecção ou doença infecciosa.

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Antroponose. Doença exclusivamente humana. Por exemplo, a filariose bancrofiiana, a necatorose, a gripe etc.

    Antropozoonose. Doença primária de animais, que pode ser transmitida aos humanos. Exemplo: brucelose, na qual o homem é um hospedeiro acidental.

    Contaminação. É a presença de um agente infeccioso na superfície do corpo, roupas, brinquedos, água, leite, alimentos etc.

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Doença Metaxênica. Quando parte do ciclo vital de um parasito se realiza no vetor; isto é, o vetor não só transporta o agente, mas é um elemento obrigatório para maturação e/ ou multiplicação do agente. Ex.: malária, esquistossomose.

    Enzoose. Doença exclusivamente de animais. Por exemplo, a peste suína, o Dioctophim renale, parasitando rim de cão e lobo etc.

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Endemia. É a prevalência usual de determinada doença com relação a área. Normalmente, considera-se como endêmica a doença cuja incidência permanece constante por vários anos, dando uma ideia de equilíbrio entre a doença e a população, ou seja, é o número esperado de casos de um evento em determinada época.

    Exemplo: no início do inverno espera-se que, de cada 100 habitantes, 25 estejam gripados.

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Epidemia ou Surto Epidêmico. É a ocorrência, numa coletividade ou região, de casos que ultrapassam nitidamente a incidência normalmente esperada de uma doença e derivada de uma fonte comum de infecção ou propagação.

    Quando do aparecimento de um único caso em área indene de uma doença transmissível (p. ex.: esquistossomose em Curitiba), podemos considerar como uma epidemia em potencial, da mesma forma que o aparecimento de um único caso onde havia muito tempo determinada doença não se registrava (p. ex.: varíola, em Belo Horizonte).

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Epidemiologia. É o estudo da distribuição e dos fatores determinantes da frequência de uma doença (ou outro evento).

    Isto é, a epidemiologia trata de dois aspectos fundamentais: a distribuição (idade, sexo, raça, geografia etc.) e os fatores determinantes da frequência (tipo de patógeno, meios de transmissão etc.) de uma doença.

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Estágio. É a forma de transição (imaturos) de um artrópode ou helminto para completar o ciclo biológico. Ex.: estágio de ovo, larva ou pupa (portanto, o estágio larva pode passar por dois ou três estádios).

    Fase Aguda. É aquele período após a infecção em que os sintomas clínicos são mais marcantes (febre alta etc.). É um período de definição: o indivíduo se cura, entra na fase crônica ou morre.

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Fase Crônica. É a que se segue a fase aguda; caracteriza- se pela diminuição da sintomatologia clínica e existe um equilíbrio relativo entre o hospedeiro e o agente infeccioso. O número do parasitos mantém uma certa constância. E importante dizer que este equilíbrio pode ser rompido em favor de ambos os lados.

    Fômite. É representado por utensílios que podem veicular o parasito entre hospedeiros. Por exemplo: roupas, seringas, espéculos etc.

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Fonte de Infecção. É a pessoa, coisa ou substância da qual um agente infeccioso passa diretamente a um hospedeiro. Essa fonte de infecção pode estar situada em qualquer ponto da cadeia de transmissão. Exemplos: água contaminada (febre tifóide), mosquito infectante (malária), carne com cisticercos (teníase).

    Hábitat. É o ecossistema, local ou órgão onde determinada espécie ou população vive. Ex.: o Ascaris lumbricoides tem por hábitat o intestino delgado humano.

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Hospedeiro. É um organismo que alberga o parasito. Exemplo: o hospedeiro do Ascaris lumbricoides é o ser humano.

    Hospedeiro Definitivo. É o que apresenta o parasito em fase de maturidade ou em fase de atividade sexual.

    Hospedeiro Intermediário. É aquele que apresenta o parasito em fase larvária ou assexuada.

    Hospedeiro Paratênico ou de Transporte. É o hospedeiro intermediário no qual o parasito não sofre desenvolvimento, mas permanece encistado até que o hospedeiro definitivo o ingira.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • INTRODUÇÃO
  • Introdução e Conceitos
  • CONCEITO E OBJETIVOS
  • CLASSIFICAÇÃO DOS PARASITOS SEGUNDO OS MODOS DE TRANSMISSÃO
  • PROTOZOÁRIOS
  • LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA
  • LEISHMANIOSE VISCERAL AMERICANA
  • DOENÇA DE CHAGAS
  • MALÁRIA
  • Toxoplasmose
  • TOXOPLASMOSE
  • REFERÊNCIAS