Curso Online de Brigada de incêndio (Brigadista)

Curso Online de Brigada de incêndio (Brigadista)

No Brasil, o termo reforma é o mais utilizado quando se trata de fazer alguma ampliação, inovação, ou restauração, ou apenas uma pintura,...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 50 horas

De: R$ 60,00 Por: R$ 39,90
(Pagamento único)

Mais de 5 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

No Brasil, o termo reforma é o mais utilizado quando se trata de fazer alguma ampliação, inovação, ou restauração, ou apenas uma pintura, ou a troca de um piso cerâmico de um imóvel, seja comercial, industrial ou residencial.

Cursos e instruções online presencial Compromisso com o aluno



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • Brigada de incêndio (Brigadistas)online 50horas

  • Sumário 
    01 Brigada
    02 Emergência
    03 Transporte de Produtos perigosos
    04 Procedimentos em constatação de óbitos
    05 NR 20
    06 Bio segurança
    07 Primeiros socorros
    08 Males súbitos
    09 Produtos perigosos
    10 Procedimentos primários
    11 Procedimento em casos de emergência
    12 EPI
    13 Cordas
    14 Plano de emergência
    15 Prevenção e combate a incêndios
    18 Autor

  • A vida
    Acidentes acontecem, assassinatos acontecem que catástrofes acontecem, doenças aparecem, ou seja, tudo acontece quando menos esperamos.
    Pois é se tudo isso acontece, salvar vidas de pessoas envolvidas em acidentes também acontece.
    Poderíamos também evitar possíveis acidentes, tentativas de assassinatos, poderíamos fazer com que os efeitos das catástrofes fossem minimizados, não sendo de grandes proporções, quanto as doenças, há as doenças, estaríamos bem melhor sem elas, diante de tudo isso e que passamos a refletir a importância grandiosa das pessoas que estão diretamente ligadas a estes infortúnios casuais que nos acontece.
    São as primeiras a ter contatos com nossa vida ou até mesmo tentando nos salvar.
    A importância da vida muitas das vezes está na mão do bombeiro, de um brigadista, um socorrista ou de outros profissionais que tem como linha de vida a vida dos outros.

  • BRIGADISTA

    O que é entendido por brigadistas?
    São pessoas que participam ativamente na prestação de socorro e no combate a focos de incêndio.

  • Wikipédia:

    Brigada de Incêndio 
    São grupos de pessoas previamente treinadas, organizadas e capacitadas dentro de uma organização, empresa ou estabelecimento para realizar atendimento em situações de emergência.
    Em geral estão treinadas para atuar na prevenção e combate de incêndios, prestação de primeiros socorros e evacuação de ambientes.

  • EMERGÊNCIA 
    Texto retirado da Portaria Ministerial Nº 2.048, de 05 de novembro de 2002 estabelece:   
    O Ministério da Saúde, no uso de suas atribuições legais,  considerando que a área de Urgência e Emergência constitui-se em um importante componente assistencial; Tendo a necessidade de ordenar a necessidade de Urgências e Emergências, garantindo acolhimento, em primeira atenção qualificada e resolutiva para as pequenas e médias urgências, estabilização e referência adequada dos pacientes graves dentro do Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do acionamento das centrais de regulação Médicas de Urgências;

  • Considerando a expansão dos serviços públicos e privados de atendimento pré-hospitalar móvel e de transporte inter-hospitalar para a necessidade de integrar estes serviços à lógica dos sistemas de urgência, com regulação médica e presença de equipe de saúde qualificada para as especialidades de atendimento e a obrigatoriedade da presença do médico nos casos que necessitem suporte avançado à vida, e considerando a necessidade de estimular a criação das estruturas capazes de problematizar a realidade dos serviços e estabelecer o nexo entre trabalho e educação, de forma a resgatar o processo de capacitação e educação continuada para o desenvolvimento dos serviços e geração de impacto em saúde dentro de cada nível de atenção e ainda de propor currículos mínimos de capacitação e habilitação para o atendimento às urgências, em face dos inúmeros conteúdos programáticos e cargas horárias existentes no país e que não garantem a qualidade do aprendizado, resolve:

  • As normas e critérios de funcionamento, classificação e cadastramento de serviços e envolve temas como a elaboração dos Planos Estaduais de atendimento às Emergências e Urgências, regulação Médica das Urgências e Emergências, atendimento pré-hospitalar, atendimento pré- hospitalar móvel, atendimento hospitalar, transporte inter-hospitalar e ainda a criação de Núcleos de Educação em Urgências a proposição de grades curriculares para a capacitação de recursos humanos da área;

  • O regulamento é de caráter nacional devendo ser utilizado pelas Secretarias de Saúde dos estados, do Distrito Federal e dos municípios na implantação dos Sistemas Estaduais de Urgência e Emergência, na avaliação, habilitação e cadastramento de serviços em todas as modalidades assistenciais, sendo extensivo ao setor privado que atue na área da urgência e emergência, com ou sem vínculo com a prestação de serviços aos usuários do Sistema único de Saúde;

  • Considerando como nível pré-hospitalar móvel na área da urgência, o atendimento que procura chegar à vítima, após ter ocorrido um agravo à saúde (de natureza clínica, cirúrgica, traumática, inclusive as psiquiátricas), que possa levar ao sofrimento, sequelas ou mesmo à morte, sendo necessário, portanto, prestar-lhe atendimento e/ou transporte adequado a um serviço de saúde devidamente hierarquizado e integrado ao Sistema Único de Saúde (SUS).

  • Podemos chamá-lo de atendimento pré-hospitalar móvel primário quando o pedido de socorro for oriundo de um cidadão ou atendimento pré-hospitalar móvel secundário quando a solicitação partir de um serviço de saúde, na qual o paciente já tenha recebido o primeiro atendimento necessário à estabilização do quadro de urgência apresentado, mas necessite ser conduzido a outro serviço de maior complexidade para a comunidade do tratamento.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 39,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Brigada de incêndio (Brigadistas) online 50horas
  • Ações de emergências
  • A movimentação da cabeça ou do tronco de uma vítima que sofreu um acidente com impacto que deforma ou amassa veículos, ou num atropelamento, pode agravar muito uma lesão de coluna.
  • Alerta de saúde
  • Preste atenção à tabela abaixo!
  • Mordidas e picadas
  • Exemplos
  • Distância do acidente para início da sinalização
  • Auto blocante
  • Nó de forca
  • Em procedimentos complementares é bom ressaltar que há um grupo de apoio formado por encanadores, telefonistas e técnicos especializados ao setor.
  • Autor