Curso Online de Steelmaking

Curso Online de Steelmaking

Lingotamento contínuo de aços, Processos de desgaseificação a vácuo, Refino secundário, Refino primário do aço: aciaria elétrica , Refi...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 23 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Mais de 0 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Lingotamento contínuo de aços, Processos de desgaseificação a vácuo, Refino secundário, Refino primário do aço: aciaria elétrica , Refino primário e Steelmaking



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • Steelmaking

    Steelmaking

  • Steelmaking

    Steelmaking

    A tecnologia de produção de aço (steelmaking) compreende:
    Refino primário
    Refino secundário
    Lingotamento contínuo
    Laminação

  • Refino primário

  • Aço

    Aço

    Aço é uma liga metálica que contém geralmente de 0,002% a 2,0% (wt%) de carbono, além de outros elementos de liga em quantidades variadas.
    Considerando a produção brasileira de aço líquido por tipo de processo, nos últimos anos 70-80% tem sido produzidos em conversor a oxigênio, e 20-30% via aciaria elétrica.
    Os principais tipos de aços são os planos (placas) e os longos (perfis, arames, etc.).

  • Aço

    Aço

    Os aços planos são geralmente produzidos em processos LD e lingotados continuamente:
    chapas grossas (estruturas em geral; estrutura soldável; indústria naval tubos; etc.)
    tiras a quente (uso geral; estrutura soldável; indústria naval; etc.)
    tiras a frio (estampagem profunda; indústria automobilística; estrutura soldável; etc.)

  • O processo LD

    O processo LD

    O processo LD serve para converter ferro-gusa em aço por meio da injeção de oxigênio.
    Este processo se tornou possível a partir do momento que que foi desenvolvida tecnologia para a separação de oxigênio do ar.
    Este processo até 2005 foi responsável por 77% da produção brasileira de aço.

  • O processo LD

    O processo LD

    Os conversores modernos suportam até 400 toneladas.

    É possível fabricar via processo LD praticamente qualquer tipo de aço, considerando as modernas técnicas
    de refino na panela, com a utilização
    de desgaseificação a vácuo, aliada
    à injeção de gases inertes, e
    adição de ferroligas.

  • O processo LD

    O processo LD

    PROCESSO LD = CONVERSOR A OXIGÊNIO = CONVERTEDOR A OXIGÊNIO = BOS (BASIC OXYGEN STEELMAKING) = BOF (BASIC OXYGEN FURNACE)

    LD = Linz e Donawitz, uma homenagem às duas cidades austríacas onde o processo entrou em operação pela primeira vez (1952).

  • Matérias-primas do processo LD

    Matérias-primas do processo LD

    As principais matérias-primas no processo LD são:
    (i) gusa (líquido e sólido)
    (ii) sucata (de aço e ferro fundido)
    (iii) fundentes (cal, fluorita, etc.)
    (iv) oxigênio (de alta pureza, >99%), para evitar nitrogênio no aço

  • Matérias-primas do processo LD

    Matérias-primas do processo LD

    Gusa líquido –
    É a principal matéria-prima da carga metálica, responsável pela quase totalidade de fornecimento de calor ao processo, e pela sua temperatura e composição química.
    O “conteúdo térmico” depende dos teores de C e Si do gusa.
    A proporção na carga varia de 70 a 85%.

    Si – produz calor (ganga do minério de ferro e cinzas de redutor)
    Mn – reduz viscosidade da escória (ganga do minério de ferro)
    S – impureza (origem: carvão ou coque)
    P – impureza (origem: minério de ferro)

  • Matérias-primas do processo LD

    Matérias-primas do processo LD

    Sucata –
    A carga sólida é composta principalmente de sucata de aço.
    É usada sucata de retorno da própria usina (principalmente), e também sucata comprada fora da usina.
    É usada como agente refrigerante, para controlar a temperatura.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Steelmaking
  • Aço
  • O processo LD
  • Matérias-primas do processo LD
  • Operação de um conversor LD
  • O refino do ferro-gusa
  • Descrição das reações!
  • O refino do ferro-gusa
  • Emulsão metal-escória-gás
  • Outros processos para fabricação de aço através do refino do gusa pelo oxigênio
  • Refino primário do aço: aciaria elétrica
  • Vantagens do FEA
  • Componentes do FEA
  • Custos relativos na operação do FEA
  • Matérias-primas
  • Matérias-primas - sucata
  • Matérias-primas - cal
  • Processamento no FEA
  • Escória espumante
  • Custos relativos na operação do FEA
  • Energia química no FEA
  • Escória espumante em FEA
  • Escória espumante no FEA
  • Diagramas isotérmicos de solubilidade
  • Refino secundário
  • Ferro-ligas
  • Inclusões não-metálicas
  • Processo RH
  • Processo VD (Vacuum Degassing)
  • Processo VAD (Vacuum Arc Degassing)
  • Processo VOD (Vacuum Oxygen Decarburization)
  • Lingotamento contínuo de aços
  • Introdução
  • Distribuidor (Tundish)
  • Fluxo do distribuidor para o molde
  • Processos Near-Net-Shape
  • LC de placas finas