Curso Online de História Cultural do Novo Testamento
4 estrelas 0 alunos avaliaram

Curso Online de História Cultural do Novo Testamento

O curso pretende explanar sobre a influência cultural dos povos do Novo Testamento, tais como judeus, romanos e gregos.

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 6 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Mais de 40 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

O curso pretende explanar sobre a influência cultural dos povos do Novo Testamento, tais como judeus, romanos e gregos.

Licenciado em História (UNISO, 1996), em Pedagogia (UNICOC, 2009) e Bacharel em Teologia (IBECC, 2010 e Fate-SP, 2009). Pós-graduado em Metodologia do Ensino de História (Faculdade São Luis, 2007) e em Gestão Ambiental (Centro Universitário Senac, 2005). Autor de diversos livros, entre os quais "Folclore em Sorocaba" (1999); "Scenas da Escravidão" (2006), "O Mistério Revelado - os 'anos perdidos' de Jesus, dos 13 aos 30" e "Vadios e Imorais" (2010).



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • HISTÓRIA CULTURAL DO NOVO TESTAMENTO

    história cultural do novo testamento

    prof. carlos carvalho cavalheiro

  • Panorama Geo-Político da região de Israel

    panorama geo-político da região de israel

    desde a antiguidade, a região da palestina (chamada também de canaã, terra santa e israel), por sua localização estratégica, foi cobiçada por muitos povos. os romanos precisavam dessa região para estabelecer o completo controle sobre o mar mediterrâneo. a palestina era, ainda, a porta de entrada para o oriente e, por isso, com as cruzadas na idade média, restabeleceu-se o comércio árabe-cristão, ou seja, entre o oriente e o ocidente.

  • fonte: http://alexandreolsson.blogspot.com/2011/06/palestina-mapa.html

  • pode-se dividir a palestina em cinco regiões físicas, a despeito de ser um país de proporções pequenas. a planície marítima (que se estende por toda a faixa mediterrânea); sefelá (regado pelas torrentes de besor e soreque, com solo apropriado para o cultivo de grãos, uvas e oliveiras); o vale do jordão (formando uma fenda geológica que vai desde a síria até eziom-geber) e planalto oriental (prolongamento do antilíbano). o jordão é o principal rio da região.

  • em 70 d.c., os judeus foram dispersos pelo mundo, fugindo da destruição de jerusalém pelos romanos. esse episódio ficou conhecido como diáspora. em 634, a região que pertencia aos bizantinos, foi conquistada pelos árabes muçulmanos. em fins do século xix, ocorre o movimento sionista (volta ao sião). colonos judeus se estabelecem na região que tradicionalmente fora de seus antepassados. em 1947, após o término da ii guerra mundial – em que milhões de judeus foram perseguidos e mortos – inicia-se o restabelecimento de um estado israelense na palestina.

  • em 29 de novembro de 1947, por pressão da inglaterra, a onu vota a partilha da palestina entre judeus e árabes. jerusalém é considerada uma entidade separada e de controle internacional. os protestos e ações contra a partilha iniciam-se já no dia seguinte ao pronunciamento da onu. inicia-se uma guerra em que israel sai vitorioso contra os estados árabes (líbano, síria, iraque, jordânia e egito) e em 1949 estabelece novas fronteiras, ficando o estado judaico com ¾ do território. jerusalém é dividida em duas partes e o controle internacional é esquecido.

  • em 1967 israel é novamente atacado pelos árabes na chamada guerra dos seis dias. sai vitorioso e domina 100% do território, anulando a autonomia dos árabes palestinos. a partir daí desenvolve-se um intenso conflito não resolvido até hoje.
    para os judeus, a manutenção do estado israelense refere-se ao cumprimento das promessas de deus ao ancestral abraão.

  • mas, muito mais do que isso, é a garantia da nacionalidade e da conquista territorial que faz com que cada judeu não seja mais um estrangeiro errante pelo mundo. para as potências mundiais, como eua e inglaterra, é a garantia de um importante aliado, em região estratégica, e de maior controle em caso de conflitos (como na guerra do golfo pérsico). políticos israelenses têm-se mostrado intolerantes em relação à autonomia dos árabes palestinos, ou seja, a criação de um estado autônomo palestino. para os árabes, a autonomia dos palestinos representa um maior controle sobre a região, uma mitigação das forças ocidentais sobre os povos árabes e a manutenção do sonho do panarabismo, como queria nasser e kadafi.

  • a região continua estratégica do ponto de vista econômico, pois está na esquina entre a europa, o norte da áfrica e o oriente médio. região rica em petróleo e em inimigos dos países ocidentais (até por culturas e religiões – visões de mundo – distintas). nesses conflitos, países vizinhos são envolvidos e sofrem com as conseqüências, como o líbano, a jordânia e a síria (massoulié, 1994; money, 1998).

  • As principais forças políticas e religiosas da época do Novo Testamento

    as principais forças políticas e religiosas da época do novo testamento

    na época do novo testamento, a região de israel (palestina) era efetivamente dominada pelos romanos, os quais, por sua vez, respeitavam a autonomia interna das colônias. assim, judéia e samaria são regiões dirigidas por procuradores romanos, sendo que, no entanto, o sumo sacerdote judeu tinha poder de gerir as questões de cunho interno (o que fica claro no julgamento de jesus), através da lei judaica. o centro do poder político interno dessas duas regiões era representado pelo templo de jerusalém (já que era a capital e principal cidade da região).

  • o sumo sacerdote governa do templo, auxiliado pelo sinédrio, um conselho formado por 71 membros, todos sacerdotes, anciãos, escribas e doutores da lei. o sinédrio atuava nas esferas criminal, política e religiosa como um tribunal superior.
    os grupos político-religiosos dessa época eram vários e diversos. havia os saduceus, grandes proprietários de terras (anciãos) e membros da elite sacerdotal. controlavam a administração da justiça no sinédrio.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • HISTÓRIA CULTURAL DO NOVO TESTAMENTO
  • Panorama Geo-Político da região de Israel
  • As principais forças políticas e religiosas da época do Novo Testamento
  • O legado deixado pela Arqueologia do Antigo Testamento
  • A influência Romana
  • A Influência Grega
  • Aspectos Históricos deixados por Jesus Cristo
  • A Influencia cultural de Israel irradiada pelo Mundo após o séc. I
  • Imperadores Romanos
  • Bibliografia