Curso Online de Seminário teológico biblico

Curso Online de Seminário teológico biblico

este curso é essencial para pregadores que estão iniciando carreira de pregador, e esta meio confuso na elaboração de sermões,nervosismo,...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 5 horas

Por: R$ 39,90
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

este curso é essencial para pregadores que estão iniciando carreira de pregador, e esta meio confuso na elaboração de sermões,nervosismo,e esse material é completíssimo. etc...

Sou pastor da igreja casa de oração p/ todas as nações, no bairro industrial americano,professor de seminário bíblico teológico, sou casado com a mss Daniele Alexandra, tenho 2 filhas abençoadas, formações; teologia historia da igreja hermeneutica homiletica doutrinas biblicas etica pastoral. e entre outras.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Seminário bíblico formando sermões

    Seminário bíblico formando sermões

  • 1. PREGAÇÃO BÍBLICA - O QUE É ISTO?

    1. PREGAÇÃO BÍBLICA - O QUE É ISTO?

    O que é pregação bíblica? Não basta ler um texto e falar sobre ele para se dizer que houve pregação bíblica. Há muito blábláblá, muito personalismo e desperdício de tempo, em nome da pregação bíblica. Para definir o que é pregação bíblica leio Neemias 8:8 que diz: “Leram o Livro da Lei de Deus, interpretando-o e explicando-o, a fim de que o povo entendesse o que estava sendo lido”. Pregar é ler a Palavra, interpretar e dar o sentido para que o povo entenda o que está escrito. A Palavra é a fonte, a Palavra é a matéria, e o conhecimento da Palavra é a finalidade. Isto traz grande proveito para o povo, como lemos em Neemias 8:12 que diz: “Então todo o povo saiu para comer, beber, repartir com os que nada tinham preparado e para celebrar com grande alegria, pois agora compreendiam as palavras que lhes foram explicadas”. A pregação bíblica muda a vida dos ouvintes. Como conseguir isto? Com uma questão de postura. O pregador deve amar, respeitar e valorizar a Palavra de Deus. Isto parece ser chuva no molhado, mas quero me fixar aqui. É mais que usar a Bíblia. Usar todo mundo usa. Testemunhas de Jeová, mórmons, adeptos da teologia da libertação, todos usam. O pregador da Bíblia deve se envolver com a Bíblia. Deve ser o livro mais lido, mais amado e mais respeitado por ele. Não é onde ele vai buscar sermão.

  • É onde ele busca alimento para si. O pastor deve fugir da leitura profissional da Bíblia, aquela leitura feita para arranjar mensagem para o povo. Pobre da igreja cujo pastor só lê a Bíblia em busca de sermão. Os sermões que ela ouvirá serão medíocres. A única maneira proveitosa de lê-la é com fome. Quando o pastor tem fome da Bíblia e mostra isso, o povo passa a ter fome da Bíblia. O rebanho nunca será melhor que o pastor. Nunca amará mais a Jesus que o pastor. Nunca terá mais interesse pela Bíblia que o pastor. Eis a postura: amar, respeitar e valorizar a Bíblia. O pregador deve fugir da insidiosa idéia de usar a Bíblia para subsidiar seus conceitos pessoais ou dar suporte ao seu ministério. Lembro-me de um colega de seminário dizendo: “Isaltino, preparei um sermão para arrebentar! Expus todos os problemas da igreja! Só preciso de um texto bíblico agora!”. Ele não tinha um sermão. Tinha uma lista de desaforos que queria dizer ao povo. Sobre a atitude deste colega, eu diria: “Pregue com amor!”. Mesmo a repreensão, faça-a com amor. Mesmo machucado, faça com amor. Lembre-se de 1 Coríntios 16.14:

  • “Façam tudo com amor”. Não se pode ter uma pregação bíblica com um coração iracundo ou ressentido. Pregar a Bíblia é mais que técnica. É alma. Lembro uma citação de James Stewart: “A pregação não existe para a propagação de idéias, opiniões e”. ideais, mas para a proclamação dos poderosos atos de Deus”. O pregador, que se aproximou da Bíblia com seriedade, e a estudou com seriedade, prega a mensagem. com seriedade. Boa parte dos pregadores tem o hábito de começar com uma piada para, segundo eles, “quebrar o gelo”. Parece que alguns moram na Sibéria porque há muito gelo e muita piada. Humor é uma coisa. Pândega é outra. A pregação não pode ser um item a mais na ordem do culto. O pessoal de música fica zangado quando se diz que a pregação é o momento mais importante do culto. “Isto quer dizer que o resto não valeu”. nada?”, é a pergunta feita. Não se deve por na boca dos outros palavras que eles não disseram. É o momento mais importante do culto, mas não o único importante. Nos cânticos, falamos a Deus. Nas orações, falamos a Deus. Na pregação, Deus nos fala. Ouvir Deus é mais importante que falar a Deus. Ele nos conhece sem que haja uma palavra em nossa boca (Salmos 139:4). Mas nós não o conhecemos tanto assim. E foi pela loucura da pregação que ele escolheu salvar o mundo (1 Coríntios 1:21), não pela loucura do louvor.

  • 2. VIABILIZANDO A PREGAÇÃO BÍBLICA

    2. VIABILIZANDO A PREGAÇÃO BÍBLICA

    Respeito os três tipos de pregação quanto à estrutura. Prefiro, no entanto, a pregação textual e a expositiva à temática. A pregação temática ou topical enfatiza mais as idéias do pregador. A textual e a expositiva colocam mais o foco no texto bíblico. Mas atrevo-me a alistar algumas sugestões, o que faço respeitosamente, não presumindo que meus ouvintes e leitores me sejam inferiores.
    1ª) Escolha um livro da Bíblia para estudar pessoalmente. Faça sua leitura para estudo pessoal, e não como se lesse um romance. Não se preocupe em ler a Bíblia toda em um ano. Respeito as pessoas que têm este hábito, mas não é o meu. Não creio que Marcos e Romanos precisem do mesmo tempo que dispenso a Levítico. Na realidade, seria mais tempo com Levítico, que é maior que os outros dois. Não leia por obrigação nem porque é dever do pastor ler a Bíblia toda em um ano. Opte por um livro e se aprofunde nele. Isto não quer dizer que não deve ler ou estudar os demais. É específico: escolha um para estudar. Pessoalmente, agora estou em João. Leio com atenção, detenho-me, vou a comentários e a notas de rodapé. Como conseqüência estou com vários esboços já formulados em João. Importante: Leia em mais de uma versão. No ano passado, usei a VR como meu livro texto. Neste ano de 2005 estou usando a NVI. Quando terminar meu estudo em João na NVI, quero fazê-lo na Versão Almeida. Século 21, da qual já ganhei o Novo Testamento. A vantagem deste método é que por algum tempo o estudante se aprofundará num livro. Adquirirá comentários sobre ele, pensará sobre ele, arranjará idéias para pregar nele.

  • 2ª) Adquira uns dois ou três comentários de valor nobre o livro bíblico. Sei que dinheiro não dá em árvore, mas livros são indispensáveis, principalmente os comentários bíblicos. Uma vez comprei alguns comentários sobre Marcos e estudei o evangelho. Preguei 67 sermões no livro. Como fui edificado e fortalecido! Por quase um ano preguei apenas sobre Jesus. E como a igreja foi edificada!
    Por quase um ano ouviu falar apenas sobre Jesus. E, quando pensei que nunca mais pregaria em Marcos, de lá para cá ainda preguei uns dez sermões neste evangelho. Não sou genial. É a Bíblia que é fantástica. É inesgotável. Mas a questão fundamental é esta: o pregador passa a ter conhecimento bíblico unificado, não fragmentário, passa a ter método de estudo, disciplina na metodologia, e tudo isso se reflete na vida da igreja

  • 3ª) Veja os “assuntos pregáveis “Quando estudamos a Bíblia para nós, com fome, acontece algo”“. Fantástico. Deus vai nos mostrando ensinos em sua Palavra. De repente, parece que um texto salta aos olhos gritando “Me pregue! Me pregue!”. Leia para si, acima de tudo. Mas haverá verdades que
    Aparecerão aos seus olhos como verdades que devem ser repassadas ao povo. Separe os assuntos, as. Sugestões de temas, e até mesmo o esboço. Por vezes tenho sermões para três meses à frente. Cada vez que vou estudando, as idéias vão surgindo. Isso é o diferente de ler buscando idéias. Nem Sempre elas vêm Mas quando lemos para nós, elas vêm. Os “assuntos pregáveis” devem fazer parte de uma lista de “sugestões de sermões”. Vez por outra passe por lá, reflita sobre as idéias, vá. Maturando-as. Assim preguei a série sobre Marcos, sobre Hebreus e estou preparando uma sobre João.

  • 4ª) Desafie o povo a ler o mesmo livro com você. Povo verá idéias novas, acompanhará sua Jornada, e sempre é interessante desafiar as pessoas a lerem. E você descobrirá, para tristeza sua, que boa parte dos crentes lê pouco ou quase nada a Bíblia. Descobri isto. E assim, descobri que certas. Passagens e episódios que me são tão conhecidos, não o são do povo, e que por vezes preciso explicar-lhes.
    5ª) Evite ser livresco. Um bom programa de estudo é excelente. Um programa de leitura da Bíblia Ajuda muito. Mas, respeitosamente, isto não basta. Não apenas pregamos a Bíblia., nós pregamos a Bíblia para pessoas reais, de carne e osso. Leia livros, mas leia gente. Leia sua cidade, leia seu bairro. Muita gente tem um estilo de pregação e de ministério que serve para qualquer lugar. Não importa Onde chega, tem um programa imutável. A igreja tem que se encaixar na sua visão. Desdenha da Cultura da região zomba do sotaque que é diferente do seu, do vocabulário regional (como o seu sotaque e seu vocabulário fossem a norma culta) e nunca se a cultura. Há pregadores que são bons
    Oradores, bons exegetas, mas que nunca dão certo porque são sempre um quisto onde estão. Parte do Bom sucesso de um pregador está no fato de que ele conhece seu auditório. Sua pregação, desta. Maneira, não é teórica, mas vivencial. Porque ele põe a questão nestes termos: “Como estas verdades”. se aplicam à realidade vivencial deste povo?”.

  • 3. SUGESTÕES QUANTO À COMUNICAÇÃO.

    3. SUGESTÕES QUANTO À COMUNICAÇÃO.

  • 

    1ª) Domine seu assunto estude bem o sermão até saber cada parte e o todo. Saiba exatamente o que deve dizer. Assim, você não se perderá e evitara digressões ociosas, desnecessárias, e muitas vezes. prejudiciais
    .
    2ª) Aprenda a reconhecer os pontos fracos, e as deficiências das comunicações dos.
    Outros. Pode parecer deselegante, mas não é para sair criticando, e sim para desenvolver o senso. Crítico, a capacidade de analisar o que está errado. É que somos instruídos a sempre aceitar o que os Outros dizem, pois estão falando de Deus.

    3ª) Faça o mesmo consigo Analise sua pregação. Você não é melhor do que eles. E, se eventualmente for, poderá melhorar. Talvez cometa os mesmos equívocos e se os viu como prejudiciais, poderá eliminá-los de sua prática.

  • 4º) Desenvolva habilidades no sentido de aperfeiçoa sua capacidade de comunicação Seja crítico consigo mesmo. Grave seus sermões e os analise. Peça a uma pessoa de confiança que aponte falhas, etc. Geralmente esta tarefa alguns pastores confiam às esposas. Mas cuidado para não criar uma crise conjugal. Ela pode dizer a verdade e você não gostar...
    5º) Procure aperfeiçoar sua capacidade de se comunicar. Corrija seus erros, estude seu idioma, elimine os maneirismos verbais, e se for o caso, procure ajuda profissional.
    Pregar bem é uma tarefa que exige a vida toda e mais seis meses. Além dos anseios espirituais, que são a base de tudo, deve haver também anseios humanos, não pervertidos a insatisfação consigo mesmo e a busca de uma melhora constante são compatíveis com a dignidade da pregação. Um pregador sério nunca se presumirá completo, mas estará sempre buscando crescer. Tanto espiritualmente quanto na parte prática. Sim, é isso: ser um bom pregador leva a vida toda e mais seis meses. Então, não percamos tempo.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 39,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • ?Seminário teológico biblistico
  • 1. PREGAÇÃO BÍBLICA - O QUE É ISTO?
  • 2. VIABILIZANDO A PREGAÇÃO BÍBLICA
  • 3. SUGESTÕES QUANTO À COMUNICAÇÃO.
  • 4. TREZE SUGESTÕES PARA FALAR BEM EM PÚBLICO
  • 1- Tema da mensagem 2- Texto base 3- Introdução 4- Tópico 1 5- Tópico 2 6- Tópico 3 7- Ilustração 8- Conclusão
  • APÊNDICE