Curso Online de Fotografia Digital
2 estrelas 1 aluno avaliou

Curso Online de Fotografia Digital

O objetivo do curso básico de fotografia será transmitir aos participantes os primeiros conhecimentos da técnica e da linguagem fotográfi...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 17 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

O objetivo do curso básico de fotografia será transmitir aos participantes os primeiros conhecimentos da técnica e da linguagem fotográfica.
O curso é recomendado para quem está iniciando na arte da fotografia e para os que buscam ampliar seus primeiros conhecimentos.
O Curso de Fotografia Digital tem por objetivo capacitar o aluno, por meio de uma visão abrangente e integrada à utilização de métodos e técnicas modernas na obtenção e processamento de imagem, no âmbito da Comunicação, a atuar nos departamentos de comunicação, publicidade, propaganda e marketing de empresas industriais e de serviços, setor público, organizações não-governamentais, autônomas e empresas especializadas.
Bons estudos.

Licenciatura Plena em Pedagogia Coordenadora Pedagógica Especialista em Pedagogia. Cursos em diversas áreas..


- Marcio Lima

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Curso básico de Fotografia digital

    Curso básico de Fotografia digital

  • Fotografia digital

    Fotografia digital

    Curso 1
    Teoria e prática de fotojornalismo digital

  • Fotos digitais

    Fotos digitais

    Os princípios da fotografia permaneceram imutáveis durantes os últimos 125 anos, desde Daguerre e Talbot.
    A revolução eletrônica deixou marcas na fotografia mas o sistema de captação de imagens continuou imutável na sua essência. Até hoje...

  • Um novo fotojornalismo

    Um novo fotojornalismo

  • 1990 – Luz digitalizada

    1990 – Luz digitalizada

    A fotografia digital se diferencia da fotografia convencional pela forma de captação da luz
    Uma foto PxB é uma ordenação de tons que variam do branco puro, passando por uma série de tons cinza cada vez mais denso (escala de cinza), produzida pela ação direta da luz

  • Filme x eletrônica digital

    Filme x eletrônica digital

    Filme – a escala de cinza é criada pelas variações de exposição dos sais de prata fotossensíveis.
    Digital – as variações na intensidade de luz são transformadas em sinais eletrônicos digitalizados e armazenados em formato numérico

  • Estrutura do filme PxB

    Estrutura do filme PxB

    O filme PxB é um sanduíche de quatro camadas primárias
    Emulsão – camada fotograficamente ativa que contém sais de prata sensíveis a luz, suspenso em uma gelatina transparente.
    Camada resistente a riscos – protege a emulsão no manuseio

  • Estrutura do filme

    Estrutura do filme

    Base do filme – a emulsão fica fixada em uma base de filme plástico transparente, geralmente celulose-acetato
    Camada anti-halo – parte de trás da base do filme revestida com uma substância que evita que os raios de luz sejam refletidos de volta a emulsão

  • Estrutura do filme – corte transversal

    Estrutura do filme – corte transversal

    A camada mais importante de um filme é a de emulsão de sais de prata (representados como triângulos) fotossensíveis suspenso em gelatina transparente

  • Reação do filme à luz

    Reação do filme à luz

    Sais de prata ou haletos de prata (formado por cloreto de prata, iodeto de prata e brometo de prata), durante a exposição do filme à luz, tem íons transformados em átomos de prata metálica
    A luz que chega à emulsão determina o número de sais de prata convertidos em prata metálica

  • Exposição a luz – comportamento do sal de prata na emulsão


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Curso básico de Fotografia digital
  • Fotografia digital
  • Fotos digitais
  • Um novo fotojornalismo
  • 1990 – Luz digitalizada
  • Filme x eletrônica digital
  • Estrutura do filme PxB
  • Estrutura do filme
  • Estrutura do filme – corte transversal
  • Reação do filme à luz
  • Formação da imagem
  • Foto convencional
  • Foto digital
  • Filme x eletrônica digital
  • Filme x digital
  • Como converter luz em pixels?
  • O CCD
  • Como converter luz em pixels?
  • O CCD
  • Estrutura do CCD
  • Efeito fotoelétrico
  • Captura de luz no CCD
  • O CCD na câmera digital
  • O CCD no escanner de negativo
  • Estrutura da imagem digital
  • O tamanho do pixel
  • Pixels por polegada
  • Tamanho da imagem
  • Quantidades de níveis de cinza
  • Quantidade de níveis de cinza
  • Fotografia Digital
  • Conceito Técnico de Fotografia
  • Modelos de câmeras:
  • Qual a melhor, já que existe uma grande variedade de modelos?
  • Definindo suas prioridades:
  • Foto Macro
  • Definindo suas prioridades:
  • Foto Noturna
  • Escolhendo o equipamento corretamente:
  • Modelos Compactos
  • As vantagens dos modelos Reflex
  • Especificações de uma câmera
  • Obturador
  • Exposição
  • Exemplo
  • Com a fotografia é a mesma coisa. Imagine a água sendo a luz, e o cano sendo o diafragma de sua máquina. Se a câmera receber luz demais, a imagem vai ficar muito clara: superexposta. Se a câmera receber luz de menos, a imagem vai ficar muito escura: subexposta.
  • Tempo de exposição
  • Vamos agora analisar as duas imagens: Qual a diferença visual?  Na 1ª fotografia a água parece estar a correr, tem um efeito de movimento. Na 2ª fotografia a água parece estar parada parece ficar estática e com mais detalhe. Qual foi o tempo de exposição? Na 1ª foto o sensor ou rolo ficou exposto por 1/50 segundos na segunda ficou exposto por 1/500 segundos. Ou seja a 1ª fotografia teve um tempo de exposição maior do que a segunda foto. Qual foi a abertura? Na 1ª foto foi usada uma abertura pequena, a mais pequena possível nesta circunstancia, na 2ª foi usada a maior abertura possível nestas circunstancias. Que conclusões podemos tirar? Descobrimos que além da abertura também é necessário ter em conta o tempo de exposição. Descobrimos que com o tempo de exposição podemos criar efeitos. Se usarmos um tempo de exposição grande numa imagem com algo em movimento cria o efeito de "rasto/arrastamento" do objeto, tal como podemos confirmar na primeira fotografia. Isto serve para qualquer tipo de objeto em movimento. Se usarmos um tempo de exposição pequeno numa imagem com objeto ou objetos em movimento esses objetos ficam estáticos. Esta característica é usada no modo automático de desporto.
  • Câmera fotográfica
  • Objetivas ou lentes
  • Visores
  • Diafragma
  • Diafragma e a profundidade de campo
  • Classificação de lentes
  • Objetiva normal
  • Objetivas grande angulares
  • Grande angular
  • Teleobjetivas
  • Teleobjetiva
  • Objetiva zoom
  • Zoom
  • Objetiva olho de peixe
  • Objetivas macro
  • Objetiva macro
  • Filtro fotográfico
  • Filtros
  • Aspectos técnicos
  • Cronograma
  • Propriedades
  • Obturador
  • Diafragma
  • Sensibilidade
  • OBRIGADA