Curso Online de A noção mais detalhada da estrutura atômica

Curso Online de A noção mais detalhada da estrutura atômica

Modelos são concepções humanas. Portanto, modelos tendem a ser aprimorados ao longo da história da Ciência, à medida que esta progride, m...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 6 horas

Por: R$ 29,90
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Modelos são concepções humanas. Portanto, modelos tendem a ser aprimorados ao longo da história da Ciência, à medida que esta progride, modelos, e as teorias em que se inserem, fazem parte da tentativa humana de melhor compreender a natureza.
O curso prossegue, com a apresentação do modelo de Bohr e do modelo de subníveis. E, também, as aplicações do modelo de Bohr na explicação do teste da chama, da cor dos fogos de artifício e do funcionamento de luminosos baseados no tubo de raios catódicos, a distribuição eletrônica nos subníveis e distribuição eletrônica nas camadas.
Portanto, o curso não é uma graduação nem um curso completo básico, equivale à uma pequena parte do currículo de Química geral e Inorgânica I com 6 horas/aulas.

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Química - UFSCar - Mestre em Ciência e Tecnologia para Recursos Amazônicos - PPGCTRA/UFAM.Possui Graduação em Licenciatura Plena em Quimica Pela Universidade do Estado do Amazonas - UEA.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Química básica 1º ano A noção mais detalhada da estrutura atômica

    Química básica 1º ano A noção mais detalhada da estrutura atômica

    Disciplina: Química Geral e Inorgânica I
    Profº. Oziel ribeiro Marinho

  • Apresentação

    Apresentação

    Modelos são concepções humanas. Portanto, modelos tendem a ser aprimorados ao longo da história da Ciência, à medida que esta progride, modelos, e as teorias em que se inserem, fazem parte da tentativa humana de melhor compreender a natureza.
    O curso prossegue, com a apresentação do modelo de Bohr e do modelo de subníveis. E, também, as aplicações do modelo de Bohr na explicação do teste da chama, da cor dos fogos de artifício e do funcionamento de luminosos baseados no tubo de raios catódicos, a distribuição eletrônica nos subníveis e distribuição eletrônica nas camadas.
    Portanto, o curso não é uma graduação nem um curso completo básico, equivale à uma pequena parte do currículo de Química geral e Inorgânica I com 6 horas/aulas.

    2

    Profº. Marinho - 2011

  • Descrição do professor

    Descrição do professor

    Possui Licenciatura Plena em Química pela Universidade do Estado do Amazonas – 2010
    Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia para Recursos Amazônicos – PPGCTRA/UFAM
    Parintins – Amazonas.

    3

    Profº. Marinho - 2011

  • Sumário

    Sumário

    Objetivos
    Introdução
    Espectros atômicos.
    Modelo atômico de Bohr.
    Algumas aplicações do modelo de Bohr.
    Modelo de subníveis de energia.
    Exercícios
    Conclusão
    Referência

    4

    Profº. Marinho - 2011

  • Objetivos

    Objetivos

    Montar um modelo de átomo que respeite as proporções entre raio do núcleo e raio da eletrosfera, escolhendo o objeto mais adequado para representar o núcleo, a fim de que o átomo representado caiba no seu ambiente de estudo, pelo menos, no terreno de sua escola.
    Consultar a tabela periódica dos elementos de modo a obter informações sobre nome, símbolo e número atômico dos elementos.
    De posse da tabela periódica e da carga de um íon, estabelecer comparação entre ele e o respectivo átomo neutro, no tocante ao número de prótons e ao de elétrons.
    Interessar-se pelas ideias científicas e pela Ciência como maneira de entender melhor o mundo que nos cerca.
    Perceber que, na história da Ciência, teorias e modelos são aprimorados ou substituídos por outros melhores.
    Compreender que a Ciência é um constructo humano.

    5

    Profº. Marinho - 2011

  • Introdução

    Introdução

    O tema proposto neste curso começa apresentando o modelo de Bohr e do modelo de subníveis, que surgiu do trabalho de cientistas na área da Mecânica Quântica. O modelo atômico de Bohr e sua aplicação qualitativa na explicação de certos fenômenos são um dos temas deste curso.
    Esse modelo atômico, no entanto, apresenta limitações. Entre elas, está o fato de que não permite deduzir a frequência exata das luzes presentes nos espectros de átomos com dois ou mais elétrons. Também não oferece qualquer explicação satisfatória para a camada estrutura fina dos aspectos atômicos (comentaremos o que é isso neste curso).
    Lembre-se de que o modelo de trabalho da Ciência é dinâmico e, sempre que um modelo não é satisfatório, é aprimorado ou substituído por outro mais adequado. A partir do modelo de Bohr, o trabalho de vários cientistas no ramo científico que ficou conhecido como mecânica quântica propiciou avanços na área dos modelos atômicos.

    6

    Profº. Marinho - 2011

  • Espectros atômicos

    Espectros atômicos

    Parte - I

  • 1. Espectros atômicos

    1. Espectros atômicos

    O espectro eletromagnético

    As ondas eletromagnéticas são aquelas que não necessitam de um meio material para se propagar. Podem propagar-se no vácuo. Exemplos de ondas eletromagnéticas são a luz, as ondas de rádio e de TV, as micro-ondas, raios X, gama, infravermelhos e ultravioleta. Todas as ondas eletromagnéticas possuem a mesma velocidade de propagação no vácuo: 3,0108 m/s. No ar, essa velocidade é praticamente a mesma.
    A seguir é apresentado um esquema do espectro eletromagnético, mostrando os diferentes nomes dados às ondas eletromagnéticas de acordo com a frequência (expressa em hertz, Hz, números de oscilações por segundo da onda). Para compreender o esquema, lembre-se de que 104 significa 10.000,106 significa 1.000.000, e assim por diante.

    8

    Profº. Marinho - 2011

  • 1. Espectros atômicos

    1. Espectros atômicos

    9

    Profº. Marinho - 2011

  • 1. Espectros atômicos

    1. Espectros atômicos

    Se fizermos a luz de uma lâmpada comum (de filamento incandescente) passar através de um prisma, ela será decomposta em várias cores, que são popularmente conhecidos como arco-íris. Cientificamente, o que se obtém é chamado de espectro da luz visível.

    10

    Profº. Marinho - 2011

  • 1. Espectros atômicos

    1. Espectros atômicos

    Contudo, se repetirmos essa experiência utilizando a luz proveniente de uma lâmpada de gás (tubo de raios catódicos), não obteremos o espectro completo. Apenas algumas linhas estarão presentes, correspondendo somente a algumas frequências das ondas de luz visível. Essas linhas formam o espectro de linhas ou espectro atômico.

    11

    Profº. Marinho - 2011


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 29,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Química básica 1º ano A noção mais detalhada da estrutura atômica
  • Apresentação
  • Descrição do professor
  • Sumário
  • Objetivos
  • Introdução
  • Espectros atômicos
  • 1. Espectros atômicos
  • Modelo atômico de Bohr
  • 2. Modelo atômico de Bohr
  • Algumas aplicações do modelo de Bohr
  • 3.1 Interpretação da cor no teste da chama
  • 3.2 Fogos de artifício
  • 3.3 Luminosos e lâmpadas
  • FLUORESCÊNCIA E FOSFORESCÊNCIA
  • 3.4 Luz laser
  • 3.5 Bioluminescência: a luz dos vaga-lumes
  • Exercício - 1
  • Exercício – 1 continuação
  • Exercício – 2 continuação
  • Exercício – 3 continuação
  • Exercício – 4
  • Exercício – 5
  • Exercício – 5 continuação
  • Modelo de subníveis de energia
  • 4.1 Subníveis de energia
  • 4.2 Distribuição eletrônica em átomos neutros
  • Exercício – 6
  • Exercício – 7
  • Exercício – 9
  • Exercício – 10
  • Exercício – 12
  • 4.3 Distribuição eletrônica em íons
  • Exercício – 13
  • Exercício – 14
  • Exercício – 15
  • Exercício – 16
  • Exercício – 16 continuação
  • Conclusão
  • Referência