Curso Online de Política Nacional de Medicamentos (PNM) para Concurso Público

Curso Online de Política Nacional de Medicamentos (PNM) para Concurso Público

Este curso possui a finalidade de explicar os principais assuntos sobre a Política Nacional de Medicamentos para concursos públicos de fo...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 4 horas

De: R$ 80,00 Por: R$ 50,00
(Pagamento único)

Mais de 0 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Este curso possui a finalidade de explicar os principais assuntos sobre a Política Nacional de Medicamentos para concursos públicos de forma simples e clara.

Graduação em Farmácia Generalista (UNIPAR), Mestre em Ciências Farmacêuticas (UEM), Doutorado em Biotecnologia Aplicada à Agricultura (UNIPAR), Especialista em Farmacologia e Interações Medicamentosas (UNINTER) e Especialista em Análises Clínicas (UNINGÁ) e Especialista em Farmácia Hospitalar (UNESA).



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • Política Nacional de Medicamentos (PNM) para Concursos públicos

    Política Nacional de Medicamentos (PNM) para Concursos públicos

    MSc. Giuliana Zardeto Sabec

  • Introdução

    Introdução

    O consumo de medicamentos, no Brasil, tem dimensões estruturais, políticas, sociais e histórico-culturais. Entender a relação da utilização dos medicamentos com estas dimensões é necessário para que se possa garantir à população uma terapêutica racional, segura, com custos acessíveis.

    Diversos são os setores da sociedade que têm responsabilidade direta ou indireta sobre a utilização de medicamentos: a esfera nacional, a esfera estadual e a esfera municipal de governo, a indústria farmacêutica, os distribuidores de medicamentos, as farmácias, os prescritores (médicos e dentistas), os dispensadores (farmacêuticos), os demais profissionais de saúde e o paciente ou usuário de medicamentos.

  • Introdução

    Introdução

    Na década de 70, a indústria farmacêutica instalada, no Brasil, cresceu mais de 300% e estes números continuam se expandindo, até os tempos atuais. O mercado farmacêutico brasileiro tornou-se um dos cinco maiores do mundo com vendas que atingem 9,6 bilhões de dólares/ano, segundo dados da Organização Mundial da Saúde.

    Medidas políticas que vão desde mudanças curriculares até alterações operacionais nos serviços de saúde são ferramentas imprescindíveis para melhorias. Na tentativa de obter tais melhorias, a Política Nacional de Medicamentos foi aprovada pela portaria nº3.916 de 30 de outubro de 1998, com o propósito de garantir a necessária segurança, eficácia e qualidade de medicamentos, a promoção do uso racional e o acesso da população àqueles considerados essenciais.

  • Introdução

    Introdução

    Esta política integra os esforços voltados à consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS) e contribui para o desenvolvimento social do país. Assim, este trabalho teve como objetivo avaliar as prioridades da Política Nacional de Medicamentos, enfatizando as atribuições do profissional farmacêutico na implantação e efetivação desta política.

  • Política Nacional de Medicamentos

    Política Nacional de Medicamentos

    Constitui um dos elementos fundamentais para a efetiva implementação de ações capazes de promover a melhoria das condições da assistência à saúde da população
    Tem como base os princípios e diretrizes do SUS e exigirá, para a sua implementação, a definição ou redefinição de planos, programas e atividades específicas nas esferas federal, estadual e municipal.

  • Política Nacional de Medicamentos

    Política Nacional de Medicamentos

    Aprovada em 1998 por meio da Portaria nº 3916/MS

    Principais objetivos:
    Garantir a necessária segurança, eficácia e qualidade dos medicamentos
    A promoção do uso racional dos medicamentos
    O acesso da população àqueles medicamentos considerados essenciais

  • Diretrizes

    Diretrizes

    1.Adoção da RENAME*
    2. Regulamentação Sanitária de Medicamentos*
    3. Reorientação da Assistência Farmacêutica*
    4. Promoção do Uso Racional de Medicamentos*
    5. Desenvolvimento Científico e Tecnológico
    6. Promoção da Produção de Medicamentos
    7. Garantia da segurança, eficácia e qualidade dos medicamentos
    8.Desenvolvimento e Capacitação de Recursos Humanos

  • 1. Adoção da RENAME

    1. Adoção da RENAME

    Medicamentos essenciais: Integram este elenco os produtos considerados básicos e indispensáveis para atender a maioria dos problemas de saúde da população

    Compõem uma relação nacional de referência que servirá de base para o direcionamento da produção farmacêutica e desenvolvimento científico e tecnológico

    Além disso, a definição de listas de medicamentos essenciais nos âmbitos estadual e municipal, deverão ser estabelecidas com o apoio do gestor federal e segundo a situação epidemiológica respectiva.

  • 1. Adoção da RENAME

    1. Adoção da RENAME

    Deve ser continuamente atualizada e divulgada pela Internet

    Meio fundamental para orientar a padronização, quer da prescrição, quer do abastecimento de medicamentos, principalmente no âmbito do SUS, sendo mecanismos para redução dos custos dos produtos

  • 2. Regulamentação Sanitária de Medicamentos

    2. Regulamentação Sanitária de Medicamentos

    Questões relativas ao registro de medicamentos e à autorização para o funcionamento de empresas e estabelecimentos, bem como eliminações de produtos que venham a revelar-se inadequados ao uso, na conformidade das informações decorrentes da farmacovigilância

    Deverão ser utilizadas comissões técnicas e grupos assessores para as atividades de regulamentação e as decisões que envolvam questões de natureza científica e técnica.

  • 2. Regulamentação Sanitária de Medicamentos

    2. Regulamentação Sanitária de Medicamentos

    Promoção do uso de medicamentos genéricos, com identificação dos mecanismos para tanto, por ex, a adequação do instrumento legal específico:

    a)adoção da denominação genérica nos editais, propostas, contratos e notas fiscais
    b)adoção da denominação genérica nas compras e licitações públicas de medicamentos realizadas pela Administração Pública;
    c)adoção de exigências específicas para o aviamento de receita médica ou odontológica, relativas à sua forma e à identificação do paciente e do profissional que a prescreve;
    d)a apresentação da denominação genérica nas embalagens, rótulos, bulas, prospectos, textos e demais materiais de divulgação e informação médica.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 50,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Política Nacional de Medicamentos (PNM) para Concursos públicos
  • Introdução
  • Política Nacional de Medicamentos
  • Diretrizes
  • 1. Adoção da RENAME
  • 2. Regulamentação Sanitária de Medicamentos
  • 3. Reorientação da Assistência Farmacêutica
  • 4. Promoção do Uso Racional de Medicamentos
  • 5. Desenvolvimento Científico e Tecnológico
  • 6. Promoção da Produção de Medicamentos
  • 7. Garantia da segurança, eficácia e qualidade dos medicamentos
  • 8.Desenvolvimento e Capacitação de Recursos Humanos
  • Prioridades
  • 1.Revisão permanente da RENAME
  • 2. Assistência Farmacêutica
  • 3.Promoção do Uso Racional de Medicamentos
  • 4.Organização das atividades da Vigilância Sanitária de Medicamentos
  • Resumo:
  • Responsabilidades das Esferas de Governo no âmbito do SUS
  • Acompanhamento e Avaliação
  • Referências Bibliográficas