Curso Online de A música na educação Infantil- contribuições para o desenvolvimento.

Curso Online de A música na educação Infantil- contribuições para o desenvolvimento.

O curso oferece conhecimento sobre o que é a música, sua contribuição na Educação Infantil,bem como revela estratégias para que trabalhar...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 5 horas

Por: R$ 24,90
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

O curso oferece conhecimento sobre o que é a música, sua contribuição na Educação Infantil,bem como revela estratégias para que trabalhar com a música.

Pedagoga, Psicopedagoga, Pós Graduada em Projetos e Implementação de Educação à Distância, Pós Graduanda em Coordenação Pedagógica, Pós Graduada em Espaços Educadores Sustentáveis e Graduada em Engenharia Ambiental.Atua como Coordenadora Pedagógica na Educação Infantil.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • A CONTRIBUIÇÃO DA MÚSICA PARA O DESENVOLVIMENTO INFANTIL Fabiana Ramos de Souza

    a contribuição da música para o desenvolvimento infantil fabiana ramos de souza

  • A CONTRIBUIÇÃO DA MÚSICA PARA O DESENVOLVIMENTO INFANTIL

    a contribuição da música para o desenvolvimento infantil

  • A linguagem da música parece ter estado sempre presente na vida dos seres humanos e dede há muito faz parte da educação de crianças e adultos. Para uma visão cognitivista, o conhecimento musical se inicia por meio da interação com o ambiente, através de experiências concretas, que aos poucos levam à abstração. A criança se envolve integralmente com a música e a modifica constantemente, transformando-a, pouco a pouco numa resposta estruturada

    a linguagem da música parece ter estado sempre presente na vida dos seres humanos e dede há muito faz parte da educação de crianças e adultos. para uma visão cognitivista, o conhecimento musical se inicia por meio da interação com o ambiente, através de experiências concretas, que aos poucos levam à abstração. a criança se envolve integralmente com a música e a modifica constantemente, transformando-a, pouco a pouco numa resposta estruturada

  • A música é um meio de expressão de idéias e sentimentos mas também uma forma de linguagem muito apreciada pelas pessoas. Desde muito cedo, a música adquire grande importância na vida de uma criança. Além de muitas sensações, através da experiência musical são desenvolvidas também capacidades que serão importantes durante o crescimento infantil.(BRITO, 2003)

    a música é um meio de expressão de idéias e sentimentos mas também uma forma de linguagem muito apreciada pelas pessoas. desde muito cedo, a música adquire grande importância na vida de uma criança. além de muitas sensações, através da experiência musical são desenvolvidas também capacidades que serão importantes durante o crescimento infantil.(brito, 2003)

  • Ao nascer a criança é cercada de sons e esta linguagem musical é favorável ao desenvolvimento das percepções sensório-motoras. Dessa forma a sua aprendizagem se dá inicialmente através dos seus próprios sons (choro, grito, risada), sons de objetos e da natureza (chuva, vento), o que possibilita a criança descobrir que ela faz parte de um mundo chio de vibrações sonoras, pois como afirma Brito (2003, p.35)

    ao nascer a criança é cercada de sons e esta linguagem musical é favorável ao desenvolvimento das percepções sensório-motoras. dessa forma a sua aprendizagem se dá inicialmente através dos seus próprios sons (choro, grito, risada), sons de objetos e da natureza (chuva, vento), o que possibilita a criança descobrir que ela faz parte de um mundo chio de vibrações sonoras, pois como afirma brito (2003, p.35)

  • Em condições normais, os órgãos responsáveis pela audição começam a se desenvolver no período de gestação e somente por volta dos onze anos de idade é que o sistema funcional auditivo fica completamente maduro, por isso a estimulação auditiva na infância tem papel fundamental. Sabe-se que os bebês reagem a sons dentro do útero materno e que a música, desde que apropriadamente escolhida, pode acalmar os recém-nascidos.

    em condições normais, os órgãos responsáveis pela audição começam a se desenvolver no período de gestação e somente por volta dos onze anos de idade é que o sistema funcional auditivo fica completamente maduro, por isso a estimulação auditiva na infância tem papel fundamental. sabe-se que os bebês reagem a sons dentro do útero materno e que a música, desde que apropriadamente escolhida, pode acalmar os recém-nascidos.

  • Segundo Brito (2003), as cantigas de ninar, as canções de roda, as parlendas e todo tipo de jogo musical têm grande importância, pois é por meio das interações que se estabelecem os repertórios que permitirá às crianças comunicar-se pelos sons.

    segundo brito (2003), as cantigas de ninar, as canções de roda, as parlendas e todo tipo de jogo musical têm grande importância, pois é por meio das interações que se estabelecem os repertórios que permitirá às crianças comunicar-se pelos sons.

  • O RCNEI (Referencial Curricular Nacional para educação infantil) afirma que a música é: uma das formas importantes de expressão humana, o que por si só justifica sua presença no contexto da educação, de um modo geral, e na educação infantil, particularmente (BRASIL, 1998, v 3, p. 45).

    o rcnei (referencial curricular nacional para educação infantil) afirma que a música é: uma das formas importantes de expressão humana, o que por si só justifica sua presença no contexto da educação, de um modo geral, e na educação infantil, particularmente (brasil, 1998, v 3, p. 45).

  • Quando estão cantando, as crianças trabalham sua concentração, memorização, consciência corporal e coordenação motora, principalmente porque, juntamente com o cantar, ocorre com freqüência o desejo ou a sugestão para mexer o corpo acompanhando o ritmo e criando novas formas de dança e expressão corporal. (BELLO, 2001)

    quando estão cantando, as crianças trabalham sua concentração, memorização, consciência corporal e coordenação motora, principalmente porque, juntamente com o cantar, ocorre com freqüência o desejo ou a sugestão para mexer o corpo acompanhando o ritmo e criando novas formas de dança e expressão corporal. (bello, 2001)

  • Vale ressaltar a importância não apenas da música tocada através de um aparelho, mas também o contato estabelecido entre a mãe e o bebê. Assim, cantar, murmurar ou assobiar fornecem elementos sonoros e também afetivos, através da intensidade do som, inflexão da voz, entonação, contato de olho e contato corporal, que serão importantes para a evolução do bebê no sentido auditivo, lingüístico, emocional e cognitivo.

    vale ressaltar a importância não apenas da música tocada através de um aparelho, mas também o contato estabelecido entre a mãe e o bebê. assim, cantar, murmurar ou assobiar fornecem elementos sonoros e também afetivos, através da intensidade do som, inflexão da voz, entonação, contato de olho e contato corporal, que serão importantes para a evolução do bebê no sentido auditivo, lingüístico, emocional e cognitivo.

  • Isso ocorre também durante todo o desenvolvimento infantil, pois através da música e de suas características peculiares, tais como ritmos variados e estrutura de texto diferenciada, muitas vezes com utilização de rimas, a criança vai desenvolvendo aspectos de sua percepção auditiva, que serão importantes para a evolução geral de sua comunicação, favorecendo também a sua integração social. (BELLO, 2001)

    isso ocorre também durante todo o desenvolvimento infantil, pois através da música e de suas características peculiares, tais como ritmos variados e estrutura de texto diferenciada, muitas vezes com utilização de rimas, a criança vai desenvolvendo aspectos de sua percepção auditiva, que serão importantes para a evolução geral de sua comunicação, favorecendo também a sua integração social. (bello, 2001)


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 24,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • A CONTRIBUIÇÃO DA MÚSICA PARA O DESENVOLVIMENTO INFANTIL Fabiana Ramos de Souza
  • A CONTRIBUIÇÃO DA MÚSICA PARA O DESENVOLVIMENTO INFANTIL
  • A linguagem da música parece ter estado sempre presente na vida dos seres humanos e dede há muito faz parte da educação de crianças e adultos. Para uma visão cognitivista, o conhecimento musical se inicia por meio da interação com o ambiente, através de experiências concretas, que aos poucos levam à abstração. A criança se envolve integralmente com a música e a modifica constantemente, transformando-a, pouco a pouco numa resposta estruturada
  • A música é um meio de expressão de idéias e sentimentos mas também uma forma de linguagem muito apreciada pelas pessoas. Desde muito cedo, a música adquire grande importância na vida de uma criança. Além de muitas sensações, através da experiência musical são desenvolvidas também capacidades que serão importantes durante o crescimento infantil.(BRITO, 2003)
  • Ao nascer a criança é cercada de sons e esta linguagem musical é favorável ao desenvolvimento das percepções sensório-motoras. Dessa forma a sua aprendizagem se dá inicialmente através dos seus próprios sons (choro, grito, risada), sons de objetos e da natureza (chuva, vento), o que possibilita a criança descobrir que ela faz parte de um mundo chio de vibrações sonoras, pois como afirma Brito (2003, p.35)
  • Em condições normais, os órgãos responsáveis pela audição começam a se desenvolver no período de gestação e somente por volta dos onze anos de idade é que o sistema funcional auditivo fica completamente maduro, por isso a estimulação auditiva na infância tem papel fundamental. Sabe-se que os bebês reagem a sons dentro do útero materno e que a música, desde que apropriadamente escolhida, pode acalmar os recém-nascidos.
  • Segundo Brito (2003), as cantigas de ninar, as canções de roda, as parlendas e todo tipo de jogo musical têm grande importância, pois é por meio das interações que se estabelecem os repertórios que permitirá às crianças comunicar-se pelos sons.
  • O RCNEI (Referencial Curricular Nacional para educação infantil) afirma que a música é: uma das formas importantes de expressão humana, o que por si só justifica sua presença no contexto da educação, de um modo geral, e na educação infantil, particularmente (BRASIL, 1998, v 3, p. 45).
  • Quando estão cantando, as crianças trabalham sua concentração, memorização, consciência corporal e coordenação motora, principalmente porque, juntamente com o cantar, ocorre com freqüência o desejo ou a sugestão para mexer o corpo acompanhando o ritmo e criando novas formas de dança e expressão corporal. (BELLO, 2001)
  • Vale ressaltar a importância não apenas da música tocada através de um aparelho, mas também o contato estabelecido entre a mãe e o bebê. Assim, cantar, murmurar ou assobiar fornecem elementos sonoros e também afetivos, através da intensidade do som, inflexão da voz, entonação, contato de olho e contato corporal, que serão importantes para a evolução do bebê no sentido auditivo, lingüístico, emocional e cognitivo.
  • Isso ocorre também durante todo o desenvolvimento infantil, pois através da música e de suas características peculiares, tais como ritmos variados e estrutura de texto diferenciada, muitas vezes com utilização de rimas, a criança vai desenvolvendo aspectos de sua percepção auditiva, que serão importantes para a evolução geral de sua comunicação, favorecendo também a sua integração social. (BELLO, 2001)
  • Contudo, não se deve esperar que apenas a escola estimule a criança. É necessário que a família ofereça a criança um leque variado de experiências musicais para que perceba diferenças entre estilos, letras, velocidades e ritmos (trabalhando assim a atenção e a discriminação auditiva) e permitir que faça escolhas e sugira repetições, o que geralmente a criança pequena faz com frequência, como forma de aprendizagem e recurso de memorização (desta forma ela estará trabalhando a memória auditiva). (BELLO, 2001)
  • No setor linguístico percebe-se a possibilidade de estimular a criança a ampliar seu vocabulário, uma vez que, através da música, ela se sente motivada a descobrir o significado de novas palavras que depois incorpora a seu repertório.
  • Todos esses benefícios são estendidos não só à linguagem falada, mas também à escrita, na medida em que boa percepção, bom vocabulário e conhecimento de estruturas de texto são elementos importantes para ser bom leitor e bom escritor.
  • É importante respeitar interesses individuais e também específicos de cada fase do desenvolvimento; assim, crianças pequenas podem mostrar maior interesse por temas relacionados a super-heróis, seres mágicos, animais, ou assuntos como amizade, medo etc. (BELLO, 2001)
  • Ouvir música não deve ser uma atividade imposta e sim realizada com prazer, pois somente assim os benefícios serão obtidos de forma natural, como sempre deve ocorrer na relação entre pais e filhos e entre alunos e professores.
  • Mais que oferecer às crianças novas formas e oportunidades para lidar com o mundo, a música favorece inúmeros aspectos do desenvolvimento infantil, como a comunicação, o relacionamento, o aprendizado, a expressão e a organização. Mergulhar a criança em música é um dos princípios de um trabalho de educação do movimento na relação com os elementos da linguagem musical.
  • A MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL NO BRASIL
  • A música no Brasil sofreu e ainda sofre com certos conceitos errôneos, como por exemplo, a prática de utilizar a canção de forma condicionadora, adestradora, para a hora do lanche ou a hora de ir embora, tornam a experiência musical vazia e sem significado para a criança, já que ela somente reproduz o que lhe foi ensinado sem nenhuma reflexão ou possibilidade de experimentação.
  • A concepção de música como algo pronto prejudicou por muito tempo o aprendizado de todos, já que o aluno não era estimulado a criar e até mesmo refletir sobre o trabalho não era habitual. Promover o ser humano é a principal função da música. Portanto devemos acolher a todos mesmo que sejam (estejam) desafinados, pois é através da prática que podemos desenvolver o aprendiz.
  • A música favorece inúmeros aspectos do desenvolvimento infantil, como a comunicação, o relacionamento, o aprendizado, a expressão e a organização.
  • Atividades que devem estar presentes em creches e pré-escolas: Trabalho vocal; Interpretação e criação de canções; Brinquedos cantados e rítmicos;
  • Jogos que reúnem som, movimento e dança; Jogos de improvisação; Sonorização de histórias; Elaboração e execução de arranjos (vocal e instrumental);
  • Invenções musicais (vocal e instrumental); Construção de instrumentos e objetos sonoros; Registro e notação; Escuta sonora e musical: escuta atenta, apreciação musical; Reflexões sobre a produção e a escuta.  
  • A MÚSICA DA CULTURA INFANTIL A criança por natureza gosta de música, brinquedo, poesia, por isso é importante levar até ela o que lhe interessa e o que já conhece, e está presente nas suas brincadeiras, no canto de ninar (acalanto), e em diversas atividades realizadas pelas crianças.
  • É importante levar a té a crainça músicas das quais ela goste. E entre essa músicas estão: aclantos brincos e parlendas
  • ACALANTOS Os acalantos são as cantigas de ninar que são cantadas para tranqüilizar e relaxar o bebê. Brito, (2003), relaciona uma série de acalantos que se apresentam de formas diferentes pelo Brasil: Dorme nenê; / Nana nenê; / Boi da cara preta; / Tutu-marambá; / Senhora Santana.  
  • BRINCOS E PARLENDAS Juntamente com os acalantos, são das primeiras músicas que normalmente chegam à percepção das crianças. Os Brincos são geralmente cantados, enquanto as parlendas têm somente ritmo em conjunto com as palavras.
  • Parlendas: Amanhã é domingo; / Um, dois, feijão com arroz; / Uma, duna, tena, catena; / Rei, capitão; / Lá em cima do piano; / Barra-manteiga / A-do-le-tá.
  • Brincos : A casinha da vovó; / Serra, serra, serrador; / Palminhas de guiné; / Bambalalão; / Dem, dem; / Toque pra São Roque / Peneirinha; / Dedo mindinho.
  • BRINQUEDOS DE RODA O brinquedo de roda difere dos “estilos” apresentados anteriormente pela forma característica que se brinca, e também por uma melodia normalmente mais elaborada que as anteriores. Aqui, ela mostra além da música, a forma de se brincar.
  • Brinquedos : Lagarta pintada; / Passa, passa, gavião; / Sur lê pont d’Avignon; / Sambe-lelê; / O trem de ferro; / Bambu; / Sai, sai, piaba; / A linda rosa juvenil; A pombinha voou; / Escravos de Jô; / Canção de Ghana. As músicas devem ser aproveitadas para desenvolver outros assuntos, integrando a música as necessidades de outras disciplinas.
  •   A ESCOLHA DO REPERTÓRIO De acordo com Brito, (2003), o repertório deve conter músicas de diversas influências, trabalhando para ampliar as experiências das crianças. A utilização do repertório trazido por elas deve existir, assim como a experimentação e criação de músicas pelas crianças deve ser estimulada.
  • De acordo com Brito, (2003), o repertório deve conter músicas de diversas influências, trabalhando para ampliar as experiências das crianças. A utilização do repertório trazido por elas deve existir, assim como a experimentação e criação de músicas pelas crianças deve ser estimulada.
  • As músicas devem ser aproveitadas para desenvolver outros assuntos, integrando a música as necessidades de outras disciplinas.  
  • É necessário que os professores se reconheçam como sujeitos mediadores de cultura dentro do processo educativo e que leve em conta a importância do aprendizado das artes no desenvolvimento e formação das crianças como indivíduos produtores e reprodutores de cultura
  • A música é um instrumento facilitador do processo de ensino aprendizagem, portanto deve ser possibilitado e incentivado o seu uso em sala de aula.
  • CONCLUSÃO Conclui-se que a música está ligada ao ser humano desde muito cedo e que sem ela o mundo se tornaria vazio e sem espírito.
  • Musica é uma arte que vem sendo esquecida, mas que deve ser retomada nas escolas, pois ela propicia ao aluno um aprendizado global, emotivo com o mundo. Na sala de aula, ela poderá auxiliar de forma significativa na aprendizagem e na educação infantil ela propicia o desenvolvimento das crianças de forma prazerosa.
  • É necessário que os professores se reconheçam como sujeitos mediadores de cultura dentro do processo educativo e que leve em conta a importância do aprendizado das artes no desenvolvimento e formação das crianças como indivíduos produtores e reprodutores de cultura.
  • Só assim poderão procurar e reconhecer todos os meios que têm em mãos para criar, à sua maneira, situações de aprendizagem que dêem condições às crianças de construir conhecimento sobre música.
  • Enfim, a música é um instrumento facilitador do processo de ensino aprendizagem, portanto deve ser possibilitado e incentivado o seu uso em sala de aula e nas atividades com as crianças da educação infantil especificamente.
  • REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS   BELLO, Tânia Regina. A contribuição da música para o desenvolvimento infantil 9 ed. 2001. Disponível em: http://www.alobebe.com.br acessado em 19 de setembro de 2010.   BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental.Referencial curricular nacional para a educação infantil /Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, 1998   BRITO, Teca Alencar , Música na Educação Infantil: Propostas para a formação Integral da Criança São Paulo: Peirópolis, 2003.