Curso Online de A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE FRENTE ÀS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

Curso Online de A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE FRENTE ÀS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

Foi somente ao fim do século XIX - quando, diante das radicais mudanças sociais rumo à modernidade instaurou-se a escolaridade obrigatóri...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 5 horas

De: R$ 60,00 Por: R$ 39,90
(Pagamento único)

Mais de 5 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Foi somente ao fim do século XIX - quando, diante das radicais mudanças sociais rumo à modernidade instaurou-se a escolaridade obrigatória - que o fracasso escolar começou a ser considerado uma patologia.

Currículo da autora: PRISCILLA AMARAL Pedagoga com habilitação em séries iniciais, Administração Escolar e com Pós-Graduação em Deficiência Intelectual. Experiência de 12 anos entre Instituições e Escolas. Vários artigos publicados. Participação em programa de televisão on-line, sendo entrevistada por Célia Coev sobre o tema: Deficiência intelectual e programa de rádio AM chamado Espaço Alternativo, sendo entrevistada por Edson Natale sobre o tema: Autismo e deficiência Intelectual. Palestrante convidada pela Câmara Municipal do Estado de São Paulo para versar sobre o tema: Transtornos diversos. Autora do livro Transtornos de conduta - Síndromes diversas e Autismo no Tempo da Delicadeza. Professora convidada de Pós-Graduação no Centro-Sul de pesquisa, extensão e graduação (Censupeg), lecionando temas relacionados à saúde mental e à inclusão social e educacional. Professora de Sala de Recursos em Escola Estadual e professora itinerante de Educação Especial. Cursos de especialização realizados: Processo de Inclusão; Introdução ao Autismo e Psicose Infantil; Estimulação Precoce; Prontidão para alfabetização; Estimulação para pessoas com Necessidades Especiais; Curso de Dislexia; Atitudes que favorecem o sucesso Escolar; Síndromes diversas; Educação Especial: Condutas típicas; Introdução ao Estudo das Neurociências; Curso básico de libras e alfabetização para pessoas com deficiência visual. Neuropsicopedagoga e psicomotricista clínica e relacional em formação pela UCM. Autora de mais de 70 cursos on-line da área de Educação Especial pelo Buzzero.com e uma das fundadoras da plataforma de cursos NeuroPsicopedagogiar. Contato: E-mail: priscamaral@uol.com.br wathsapp: (11)95239-5049 Site: professora-priscilla.webnode.com



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE FRENTE ÀS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

    A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE FRENTE ÀS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

  • A escolaridade obrigatória

    A escolaridade obrigatória

    Foi somente ao fim do século XIX - quando, diante das radicais mudanças sociais rumo à modernidade instaurou-se a escolaridade obrigatória - que o fracasso escolar começou a ser considerado uma patologia. De fato, devido a essas mudanças, o desenvolvimento humano passou a ser avaliado a partir de parâmetros inéditos, e novos comportamentos começaram a ser exigidos, o êxito social passando a envolver o desempenho escolar. Consequentemente, os sujeitos que não cumprem estes novos paradigmas da modernidade viram-se excluídos ou desvalorizados, o que inevitavelmente compromete sua própria inserção social.

  • A Psicanálise, quando de seu surgimento

    A Psicanálise, quando de seu surgimento

    A Psicanálise, quando de seu surgimento, tentava resgatar o sujeito histérico da exclusão social, na medida em que possibilitava que os sintomas fossem escutados de maneira que o sentido fosse entendido para além de seu encobrimento pelo mal estar físico. Da mesma forma, ela busca entender e trabalhar a mensagem do sujeito que, pelo fracasso de seu percurso escolar, não alcança os novos ideais sociais.

  • Cristalização sob as pressões sociais

    Cristalização sob as pressões sociais

    Nessa escuta, considera-se que suas dificuldades podem sofrer uma cristalização sob as pressões sociais, ou mesmo que essas dificuldades de aprendizagem podem ter sido construídas como sintomas de sua discordância frente a essas exigências.

  • Constituição psíquica

    Constituição psíquica

    Portanto, fiel à sua vocação de contribuir para uma constituição psíquica mais coerente com a singularidade do sujeito, a Psicanálise deve cuidadosamente considerar a dimensão social de sua conduta, investigando se ao fracassar na escola, o sujeito não estaria expressando seu mal-estar por não se inserir nos padrões estabelecidos por esses novos valores.

  • Instituições sociais

    Instituições sociais

    Se as instituições sociais quiserem se constituir como espaços que acolham as diferenças e não apenas impliquem em padronizações, será necessário rever os habituais enfoques terapêuticos e posturas psicopedagógicas: a meta não deve ser necessariamente enquadrar, mas sim ajudar o “diferente”a encontrar um lugar social produtivo da maneira que lhe for possível, ou ainda auxiliá-lo a encontrar respostas por diversas vias, através de outras formas de conhecer. Lembremos que o desafio psicanalítico foi, desde o início, propiciar a escuta das diferenças e contribuir para que o sujeito possa encontrar seu bem-estar dentro delas.

  • Uma inserção social produtiva

    Uma inserção social produtiva

    É a partir dessa perspectiva, ou seja a escuta das diferenças e a concepção de espaços que possibilitem aos sujeitos ‘diferentes’ uma inserção social produtiva, que gostaríamos de refletir de modo mais específico sobre o fracasso escolar. Iremos excluir deste trabalho a análise de quadros com implicações neurológicas, aos quais seria necessário aplicar um outro enfoque. Nossa atenção vai se deter sobre dificuldades que incluem desde uma inibição neurótica até uma desorganização psicótica, não esquecendo os casos limítrofes, que colocam os maiores desafios, por requerem abordagens psicopedagógicas que questionam os padrões instituídos.

  • Defesas organizadas

    Defesas organizadas

    Há escola para os portadores de inibições neuróticas, pois nesse quadro a criança possui defesas organizadas que, bem ou mal, permitem-lhe ir fluindo, mesmo através de seus desencontros, pela aprendizagem formal; da mesma forma, há lugar para os psicóticos nas escolas terapêuticas, e a sociedade não lhes exige o mesmo desempenho que no caso de um neurótico; mas inexistem lugares para o sujeito limítrofe, cuja constituição psíquica não permitiu que noções de tempo e espaço se efetivassem de forma organizada, noções essas que sustentam todo o planejamento da aquisição do conhecimento no sistema pedagógico tradicional.

  • Espaço intermediário

    Espaço intermediário

    Nesse espaço intermediário não atendido pelo sistema educacional, encontram-se também os sujeitos cujas habilidades sustentam-se numa lógica não convencional, aqueles que possuem outros tipos de inteligência

  • A dificuldade com as crianças

    A dificuldade com as crianças

    A dificuldade com essas crianças torna-se tanto mais grave devido às pressões e expectativas sociais no sentido de enquadrá-los no sistema habitual de aprendizagem. Mas para elas é impossível trilhar essas trilhas batidas, mesmo que sejam capazes de uma produção por vezes superior à dos adaptados

  • Patologia social

    Patologia social

    Devemos perguntar se quando se passa a considerar como patológicas certas manifestações, simplesmente por não se enquadrarem em nosso sistema conhecido, não seria mais coerente falar da existência de uma patologia social (da família ou da escola, cujos limites de funcionamento são excessivamente estreitos para conseguir lidar com as diferenças de seus próprios elementos), do que em uma patologia individual. É no entanto mais cômodo atribuir tais diferenças a uma patologia da aprendizagem do que enfrentar os limites de nosso conhecimento a seu respeito, seja num plano emocional, seja numa perspectiva pedagógica.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 39,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE FRENTE ÀS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM
  • A escolaridade obrigatória
  • A Psicanálise, quando de seu surgimento
  • Cristalização sob as pressões sociais
  • Constituição psíquica
  • Instituições sociais
  • Uma inserção social produtiva
  • Defesas organizadas
  • Espaço intermediário
  • A dificuldade com as crianças
  • Patologia social
  • Pertinência teórica
  • Tratamento de qualquer distúrbio de inteligência
  • Signos de percepção
  • Repressão originária
  • O trajeto psíquico
  • Ressignificações
  • A escrita
  • Dificuldades de aprendizagem de outro nível
  • Conteúdos conflitantes
  • Estruturas neuróticas e o sucesso na aprendizagem
  • Gradativo desenvolvimento
  • Sistema escolar em geral
  • Ponto intermediário no processo de constituição psíquica
  • Via de intersecção entre a Psicanálise e a Psicomotricidade
  • Teoria da libido
  • Conjunto de relações identificatórias
  • Essa projeção é primeiramente sensorial
  • Casos limítrofes
  • Signos de percepção
  • Sintoma e Transtorno
  • “des-repressão” ou “desconstrução”
  • A ligação das representações psíquicas primitivas
  • O diagnóstico diferencial é vital
  • Responsabilidade ética
  • A técnica psicanalítica
  • Escola normal
  • Intervenções terapêuticas e pedagógicas
  • Os resultados pedagógicos
  • A contribuição da Psicanálise
  • Referências