Curso Online de MÉTODOS PARA REALIZAÇÃO DA ANÁLISE SENSORIAL EM LEITE E SEUS DERIVADOS

Curso Online de MÉTODOS PARA REALIZAÇÃO DA ANÁLISE SENSORIAL EM LEITE E SEUS DERIVADOS

Este curso destina-se aos profissionais das mais diversas areas ligadas as industrias produtoras de produtos alimenticios, principalmente...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 16 horas

Por: R$ 80,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Este curso destina-se aos profissionais das mais diversas areas ligadas as industrias produtoras de produtos alimenticios, principalmente aos profissionais das industrias de produtoras de laticínios. Este curso tem como objetivo fornecer as principais informacoes necessarias para a implantacao das análises sensoriais em leite e seus derivados lácteos, relativo ao controle de qualidade, ou processo de elaboracao de novos produtos por uma empresa. Neste curso voce aprendera sobre: análise sensorial em leite e seus derivados, importância e aplicação da análise sensorial em leite e seus derivados, aplicações para a análise sensorial na indústria de alimentos, propriedades sensoriais dos alimentos, aplicações de análise sensorial em laboratórios de controle de qualidade em laticínios, fatores que influenciam a avaliação sensorial, seleção e treinamento dos degustadores, preparo e manuseio das amostras, provas utilizadas para a avaliação sensorial, provas utilizadas para a avaliação sensorial. Para isso foi elaborado o curso a fim de fornecer subsidios para a implantacao da análise sensorial em leite e seus derivados de maneira corretada e eficiente como uma ferramenta auxiliando o processo de controle de qualidade das indústrias alimentícias, com a finalidade de evitar possiveis erros analíticos durante o processo de análise sensorial (degustação). Este curso possui 232 slides.

Sou Biológo Licenciado pela Universidade do Estado de Mato Grosso - Unemat, com Especialização em Processamento e Controle de Qualidade em Carnes, Leite e Ovos, pela Universidade Federal de Lavras - UFLA, com 17 (doze) anos de experiência em laticinios, nas mais diverdas aréas, como laboratório Fisico-quimico e Microbiológico,atuando no Controle e na garantia da Qualidade. De 2013 a 2015 trabalhei na area de processamento e no controle de qualidade em um Frigorifico (abatedouro) de Aves, e em uma fabrica de industrializados embutidos de derivados de aves, atuando como Supervisor nas areas de Processamento Industrial na produção de Linguiças, Salsichas, Mortadelas, Presunto e Apresuntado de frango, e no Controle e Garantia da Qualidade. Em outubro de 2015 voltei a para no setor lacteo trabalhando novamente em laticínio, com produção de queijos: Mussarela, Prato, Provolone, Parmessão, Ricota, Minas Frescal, manteiga, doce de leite em pasta e barra, requeijão cremosso, creme de leite, nata, bebida láctea fermentada e não fermentada,iogurte,coalhada, etc. email para contato: jpdanibio@hotmail.com



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • MÉTODOS PARA REALIZAÇÃO DA ANÁLISE SENSORIAL EM LEITE E SEUS DERIVADOS

    MÉTODOS PARA REALIZAÇÃO DA ANÁLISE SENSORIAL EM LEITE E SEUS DERIVADOS

    JOÃO PAULO DANI
    Biólogo CRB: 43.140/01
    Especialista em
    Controle de Qualidade

  • 2

    2

    Olá!

    Sejam bem vindos.
    Neste cursos vamos estudar sobre:
    Métodos para realização das análises sensoriais em leite e seus derivados lácteos.
    Principais características sensoriais do leite e de seus derivados lácteos

    2

    2

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

  • O mercado consumidor brasileiro busca, cada vez mais, a diversificação, a praticidade e, acima de tudo, qualidade nos alimentos que escolhem para consumir e, nenhuma ferramenta pode superar, ou ainda substituir os sentidos humanos no tocante à capacidade de atribuir características e valores, ou rejeição, através das quais avaliem a um determinado tipo de alimento.

    INTRODUÇÃO

  • Nesse sentido, a análise sensorial tem sido largamente utilizada pela indústria alimentícia do Brasil, para a caracterização, e a avaliação da qualidade sensorial de seus produtos.
    Desde os primórdios da civilização, a análise sensorial sempre foi utilizada, mesmo que empiricamente, pare classificar os alimentos como sendo "bons" ou "ruins".

    INTRODUÇÃO

  • Segundo Pangborn (1964, apud Biedrzycki, 2008) os primeiros documentos registrados, referindo-se a um tratado sobre aromas foi escrito na Grécia Antiga no ano de 300 A.C..
    Já na civilização moderna, sabe-se que a degustação em cervejas e destilarias da Europa foi sempre utilizada como ferramenta de análise sensorial.

    INTRODUÇÃO

  • A partir da Segunda Guerra Mundial, a análise sensorial passou a ser considerada como uma ciência, pois foi largamente utilizada para avaliar a qualidade dos produtos que eram elaborados para alimentar as tropas americanas.
    Nessa época, cientistas perceberam que a análise sensorial, quando estudada paralelamente à psicologia e à estatística, poderia trazer ainda mais benefícios como ciência.

    INTRODUÇÃO

  • OBJETIVO

    OBJETIVO

  • O objetivo deste curso, é preparar aos alunos a utilização da análise sensorial como uma ferramenta analítica sensorial utilizada para a avaliação da qualidade dos produtos elaborados, conhecendo suas características e propriedades, e direcionando assim os dados obtidos para a avaliação, e conclusões válidas.

    OBJETIVO

  • A vida-de-prateleira dos alimentos bem como os seus sinônimos, de estabilidade, de vida útil ou ainda de shelf life, tem sido definido de várias maneiras, e em todas as definições vemos que a vida-de-prateleira de um alimento está diretamente relacionada com a sua aceitação pelo consumidor e, portanto, torna-se imprescindível incluir a avaliação sensorial nos testes de determinação de sua qualidade final.

    OBJETIVO

  • DEFINIÇÃO DE ANÁLISE SENSORIAL

    DEFINIÇÃO DE ANÁLISE SENSORIAL


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 80,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • MÉTODOS PARA REALIZAÇÃO DA ANÁLISE SENSORIAL EM ALIMENTOS
  • INTRODUÇÃO
  • OBJETIVO
  • DEFINIÇÃO DE ANÁLISE SENSORIAL
  • ANÁLISE SENSORIAL NO BRASIL
  • OS SENTIDOS HUMANOS FERRAMENTAS DE ANÁLISE SENSORIAL
  • IMPORTÂNCIA E APLICAÇÃO DA ANÁLISE SENSORIAL EM ALIMENTOS
  • Descrição
  • Discriminação
  • Preferência
  • FATORES QUE INFLUENCIAM NA AVALIAÇÃO SENSORIAL
  • FATORES RELATIVOS À PERSONALIDADE DO JULGADOR
  • FATORES FISIOLÓGICOS
  • FATORES PSICOLÓGICOS
  • FATORES FÍSICOS
  • FATORES DE SAUDE
  • FINALIDADE DOS DEGUSTADORES
  • SELEÇÃO E TREINAMENTO DOS DEGUSTADORES
  • AMBIENTE E INSTRUÇÃO DO PAINEL
  • PREPARO E MANUSEIO DAS AMOSTRAS
  • MÉTODOS DE ANÁLISE SENSORIAL
  • MÉTODOS ANALÍTICOS
  • MÉTODOS AFETIVOS
  • PROVAS UTILIZADAS PARA A AVALIAÇÃO SENSORIAL
  • PROVAS DISCRIMINATIVAS
  • Teste triangular
  • Teste duo-trio
  • Teste de comparação pareada
  • Teste de comparação múltipla -
  • Teste de ordenação
  • PROVAS DESCRITIVAS
  • Teste de perfil
  • Teste de escala
  • PROVAS HEDÔNICAS
  • Testes de preferência
  • Teste de aceitação
  • APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS PARA CADA CASO
  • Teste de atributos
  • Teste do Tipo Variável
  • ANÁLISE ESTATÍSTICA
  • CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS
  • ANEXOS
  • CARACTERÍSTICAS SENSORIAIS DO LEITE E DE SEUS DERIVADOS LÁCTEOS
  • CASEÍNA INDUSTRIAL
  • CREME DE LEITE
  • LEITE CONDENSADO
  • LEITE FERMENTADO
  • LEITE FLUÍDO BENEFICIADO
  • LEITE “IN NATURA”
  • LEITE EM PÓ
  • MANTEIGA
  • MANTEIGA DA TERRA, OU DE GARRAFA, OU DO SERTÃO
  • MARGARINA
  • QUEIJO TIPO BATAVO
  • QUEIJO TIPO CHEDDAR
  • QUEIJO DE COALHO
  • QUEIJO DANBO
  • QUEIJO TIPO EDAM OU REINO
  • QUEIJO TIPO EMENTAL
  • QUEIJO TIPO ESTEPE
  • QUEIJO GOUDA
  • QUEIJO TIPO GRUYÉRE
  • QUEIJO TIPO LIMBURGO
  • QUEIJO DE MANTEIGA OU DO SERTÃO
  • QUEIJO MINAS PADRÃO
  • QUEIJO DE MANTEIGA OU DO SERTÃO
  • QUEIJO MINAS PADRÃO
  • QUEIJO MINAS FRESCAL
  • QUEIJO MUSSARELA
  • QUEIJO EM PÓ
  • QUEIJO PATEGRÁS SANDWICH
  • QUEIJOS TIPO PARMESÃO
  • QUEIJO PRATO
  • QUEIJO PROCESSADO OU FUNDIDO, PROCESSADO PASTEURIZADO E
  • PROCESSADO FUNDIDO UHT
  • QUEIJO TIPO PROVOLONE FRESCO
  • QUEIJO TIPO PROVOLONE CURADO
  • QUEIJO RALADO
  • QUEIJO TIPO GORGONZOLA
  • QUEIJO TIPO ROQUEFORT
  • QUEIJO SICILIANO E FONTINA
  • QUEIJO TANDIL
  • QUEIJO TILSIT
  • QUEIJO TYBO
  • REQUEIJÃO
  • REQUEIJÃO CREMOSO
  • REQUEIJÃO DE MANTEIGA
  • RICOTA DEFUMADA
  • RICOTA FRESCA
  • SORO DE LEITE EM PÓ