Curso Online de Prevenção das principais Infecções Hospitalares

Curso Online de Prevenção das principais Infecções Hospitalares

Conceitos fundamentais. Infecção comunitária x hospitalar Portaria MS 2.616/98 Critérios diagnósticos gerais para infecção hospitalar Ca...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 5 horas

De: R$ 50,00 Por: R$ 30,00
(Pagamento único)

Mais de 0 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Conceitos fundamentais.
Infecção comunitária x hospitalar
Portaria MS 2.616/98
Critérios diagnósticos gerais para infecção hospitalar
Cadeia epidemiológica da IH
Modificadores de defesa
A microbiota e infecção
Fatores de virulência das bactérias
Classificação de artigos
Microbiota da pele - Recém-nascidos
Acesso vascular
Qualidade das evidências
Corrente sanguínea
Microbiota do trato intestinal
Critérios diagnósticos de infecção do sítio cirúrgico
Feridas cirúrgicas
Classificação das cirurgias por potencial de contaminação
Preparo do paciente cirúrgico
Guia CDC para prevenção de infecção do sítio cirúrgico
Critérios diagnósticos de pneumonia hospitalar
Critérios diagnósticos para outras infecções hospitalares do trato urinário

Graduado em Farmácia pela Universidade Federal do Maranhão (1981), Mestrado em Microbiologia e Imunologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1985) e Doutorado em Ciências (Microbiologia) pela Universidade de São Paulo (1996). Pós-doutorado em nanotecnologia pela Universidade de Brasilia (2012). Atualmente é professor titular da disciplina de microbiologia da Universidade Federal do Maranhão e Professor Adjunto do Curso de Medicina da Universidade Estadual do Maranhão.Tem experiência na área de ensino superior desde 1985, estando apto para ministrar as seguintes disciplinas: microbiologia, imunologia, patologia, farmacologia, biofisica, saúde ambiente, epidemiologia, genética e embriologia. Endereço para acessar o CV: http://lattes.cnpq.br/9584161299199568



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • PREVENÇÃO DAS PRINCIPAIS INFECÇÕES HOSPITALARES

    PREVENÇÃO DAS PRINCIPAIS INFECÇÕES HOSPITALARES

  • Portaria MS 2.616/98 Critérios diagnósticos (1)

    Portaria MS 2.616/98 Critérios diagnósticos (1)

    Infecção comunitária
    Constatada ou em incubação à admissão
    Complicação ou extensão de infecção prévia
    Exceto: novo agente ou nova infecção
    Via transplacentária (congênitas)
    Bolsa rota acima de 24 horas

  • Portaria MS 2.616/98 Critérios diagnósticos (2)

    Portaria MS 2.616/98 Critérios diagnósticos (2)

    Infecção hospitalar
    Piora de infecção comunitária (novo agente)
    Associada a procedimentos invasivos
    Diagnosticada após 72 horas
    Período de incubação desconhecido
    Ausência de procedimento invasivo associado
    Infecção em recém nascidos
    Exceto:
    Transplacentária
    Associada a bolsa rota acima de 24 horas

  • Critérios diagnósticos gerais para infecção hospitalar

    Critérios diagnósticos gerais para infecção hospitalar

    Comentários:
    Os critérios gerais, classificatórios da origem das infecções foram baseados na Portaria MS 2616/98 e os critérios específicos por topografia foram desenvolvidos a partir dos comentários sobre o guia do CDC encontrados no apêndice A do livro: Mayhall CG: Hospital Epidemiology and Infection Control. Baltimore, Williams & Wilkins, 1996.
    Os sinais e sintomas apresentados nos critérios diagnósticos específicos por topografia, devem ser considerados apenas se o paciente não apresentar outras causas que justifiquem a sua ocorrência.
    Os seguintes valores são considerados: febre é a temperatura axilar acima de 37,8oC; hipotermia é a temperatura axilar abaixo de 35,5oC; hipotensão é a pressão sistólica abaixo de 90 mmHg em duas tomadas com intervalo de uma hora; sorologia positiva é a identificação de IgM ou um aumento de quatro vezes no título de IgG.

  • CADEIA EPIDEMIOLÓGICA INFECÇÃO HOSPITALAR

    CADEIA EPIDEMIOLÓGICA INFECÇÃO HOSPITALAR

  • MODIFICADORES DEFESA

    MODIFICADORES DEFESA

    CONTROLE GENÉTICO
    STATUS NUTRICIONAL
    EXTREMOS DE IDADE
    TEMPERATURA CORPÓREA
    STRESS
    PATOLOGIAS
    LEUCEMIA E LINFOMA
    ESPLENECTOMIA
    ANEMIA FALCIFORME
    DIABETES MELLITUS
    INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA
    ALCOOLISMO E CIRROSE HEPÁTICA
    COLAGENOSES
    INFECÇÕES
    DROGAS
    GLICOCORTICÓIDES
    DROGAS CITOTÓXICAS
    RADIOTERAPIA

  • MICROBIOTA E A INFECÇÃO

    MICROBIOTA E A INFECÇÃO

    DEFESA ANTI-INFECCIOSA
    AÇÃO DIRETA
    BACTERIOCINA
    METABÓLICOS TÓXICOS
    REDUÇÃO DO POTENCIAL DE ÓXIDO REDUÇÃO
    DEPLEÇÃO DE NUTRIENTES ESSENCIAIS
    SUPRESSÃO DA ADERÊNCIA
    INIBIÇÃO DA TRANSLOCAÇÃO
    DEGRADAÇÃO DE TOXINAS
    AÇÃO INDIRETA
    ESTÍMULO Ã PRODUÇÃO DE ANTICORPOS
    ESTÍMULO Ã PRODUÇÃO DE FAGÓCITOS
    ESTÍMULO AOS MECANISMOS DE LIMPEZA
    AUMENTO DA PRODUÇÃO DE INTÉRFERONS
    DECONJUGAÇÃO DE ÁCIDOS BILIARES
    PRINCIPAL RESERVATÓRIO DE I.H.

  • MICROBIOTA HUMANA NORMAL

    MICROBIOTA HUMANA NORMAL

    COMPOSIÇÃO
    DIETA
    HIGIENE PESSOAL E AMBIENTAL (POLUIÇÃO E SANEAMENTO)
    CONTATO COM DISSEMINADORES
    SAÚDE E IMUNIDADE DO HOSPEDEIRO
    ANTIMICROBIANOS
    ESTUDO
    PREVER ETIOLOGIA POR LESÕES EM SÍTIO
    PESQUISAR FOCO PRIMÁRIO
    SIGNIFICÂNCIA CLÍNICA DO ISOLADO
    ESPECIFICIDADE DA INTERAÇÃO

  • MICROORGANISMOS FATORES DE VIRULÊNCIA

    MICROORGANISMOS FATORES DE VIRULÊNCIA

    CAPACIDADE DE SOBREVIVÊNCIA
    ADERÊNCIA X ADSORÇÃO
    ADESINAS + RECEPTORES CELULARES
    TOXINAS
    EXOTOXINAS
    ENDOTOXINAS
    INVASIVIDADE
    ENZIMAS
    FATORES ANTIFAGOCITÁRIOS
    VARIAÇÃO ANTIGÊNICA
    CONSEQUÊNCIAS DA INVASÃO
    ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS
    LESÃO TECIDUAL
    MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
    ÓBITO (DELETÉRIO PARA AMBOS)

  • CLASSIFICAÇÃO DE ARTIGOS

    CLASSIFICAÇÃO DE ARTIGOS

  • GERMICIDAS CLASSIFICAÇÃO

    GERMICIDAS CLASSIFICAÇÃO

    BRASILEIRA
    ESTERILIZANTE - ESPORICIDA
    DESINFETANTE ARTIGOS - FORMAS VEGETATIVAS
    DESINFETANTE ÁREAS - GRAM POSITIVOS E NEGATIVOS
    SANEANTES - PATÓGENOS / BAIXA TOXICIDADE ORAL
    ANTISSÉPTICOS - PATÓGENOS / BAIXA TOXICIDADE TÓPICA
    AMERICANA
    DESINFETANTE ALTO NÍVEL - ESPORICIDA
    DESINFETANTE NÍVEL INTERMEDIÁRIO - F.VEGETATIVAS
    DESINFETANTE BAIXO NÍVEL - BACTÉRIAS, ALGUNS FUNGOS E VÍRUS


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 30,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • PREVENÇÃO DAS PRINCIPAIS INFECÇÕES HOSPITALARES
  • Portaria MS 2.616/98 Critérios diagnósticos (1)
  • Portaria MS 2.616/98 Critérios diagnósticos (2)
  • Critérios diagnósticos gerais para infecção hospitalar
  • CADEIA EPIDEMIOLÓGICA INFECÇÃO HOSPITALAR
  • MODIFICADORES DEFESA
  • MICROBIOTA E A INFECÇÃO
  • MICROBIOTA HUMANA NORMAL
  • MICROORGANISMOS FATORES DE VIRULÊNCIA
  • CLASSIFICAÇÃO DE ARTIGOS
  • GERMICIDAS CLASSIFICAÇÃO
  • MICROBIOTA PELE RECÉM NASCIDO
  • MICROBIOTA PELE
  • DEFESA PELE
  • Critérios diagnósticos de infecção hospitalar do acesso vascular
  • ACESSO VASCULAR PATOGENIA
  • ACESSO VASCULAR AGENTES
  • Qualidade das evidências
  • ACESSO VASCULAR PROFILAXIA (1)
  • ACESSO VASCULAR PROFILAXIA (2)
  • ACESSO VASCULAR PROFILAXIA (3)
  • ACESSO VASCULAR PROFILAXIA (4)
  • ACESSO VASCULAR PROFILAXIA (5)
  • ACESSO VASCULAR PROFILAXIA (6)
  • Critérios diagnósticos de infecção hospitalar primária da corrente sangüínea
  • CORRENTE SANGÜÍNEA PATOGENIA
  • CORRENTE SANGÜÍNEA AGENTES
  • CORRENTE SANGÜÍNEA CONTROLE
  • MICROBIOTA TRATO DIGESTIVO
  • MICROBIOTA INTESTINO GROSSO
  • DEFESA TRATO DIGESTIVO
  • Critérios diagnósticos de infecção do sítio cirúrgico
  • FERIDA CIRÚRGICA PATOGENIA
  • Classificação das cirurgias por potencial de contaminação
  • FERIDA CIRÚRGICA AGENTES
  • PREPARO DO PACIENTE CIRÚRGICO
  • ANTISSÉPTICOS
  • Guia CDC para prevenção de infecção do sítio cirúrgico (1)
  • Guia CDC para prevenção de infecção do sítio cirúrgico (2)
  • Guia CDC para prevenção de infecção do sítio cirúrgico (3)
  • Guia CDC para prevenção de infecção do sítio cirúrgico (4)
  • Guia CDC para prevenção de infecção do sítio cirúrgico (5)
  • Guia CDC para prevenção de infecção do sítio cirúrgico (6)
  • MICROBIOTA VIAS AÉREAS
  • DEFESA VIAS AÉREAS
  • Critérios diagnósticos de pneumonia hospitalar
  • PNEUMONIA PATOGENIA
  • PNEUMONIA AGENTES
  • PNEUMONIA PROFILAXIA (1)
  • PNEUMONIA PROFILAXIA (2)
  • PNEUMONIA PROFILAXIA (3)
  • PNEUMONIA PROFILAXIA (4)
  • PNEUMONIA PROFILAXIA (5)
  • PNEUMONIA PROFILAXIA (6)
  • PNEUMONIA PROFILAXIA (7)
  • MICROBIOTA TRATO GÊNITO - URINÁRIO
  • DEFESA TRATO GÊNITO - URINÁRIO
  • Critérios diagnósticos para infecção hospitalar do trato urinário
  • Critérios diagnósticos para outras infecções hospitalares do trato urinário
  • URINÁRIA PATOGENIA
  • URINÁRIA AGENTES
  • URINÁRIA PROFILAXIA (1)
  • URINÁRIA PROFILAXIA (2)