Curso Online de Consulta de enfermagem ao adolescenteCONSULTA DE ENFERMAGEM

Curso Online de Consulta de enfermagem ao adolescenteCONSULTA DE ENFERMAGEM

Esse curso ensina métodos de abordagem ao adolescente sem deixa-lo constrangido.

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 4 horas

De: R$ 50,00 Por: R$ 29,00
(Pagamento único)

Mais de 5 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Esse curso ensina métodos de abordagem ao adolescente sem deixa-lo constrangido.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • CONSULTA DE ENFERMAGEM

    CONSULTA DE ENFERMAGEM

  • Desafios no atendimento ao adolescente

    Desafios no atendimento ao adolescente

    Profissionais que atendem aos adolescentes nas instituições de saúde se limitam a responder apenas as suas queixas. Não abordam temas de prevenção à saúde (sexualidade, drogas, higiene);

    O profissional de saúde ao atender o adolescente, não estão preparados com as mudanças que aconteceram no processo de "adolescer" . Fazem comparações com o processo vivido por eles a décadas atrás, o atendimento é carregado de preconceitos, consideram as ações dos adolescentes como desvios de conduta e marginalidade.

  • Desafios no atendimento ao adolescente

    Desafios no atendimento ao adolescente

    Profissionais tem falta de preparo: orientar a separação progressiva dos adolescentes dos pais, iniciação sexual precoce, homossexualidade, etc;

    Escolas formadores de profissionais não preparam os alunos para os aspectos ligados ao ser humano apenas fisiopatologias e novidades tecnológicas (doenças, diagnóstico e tratamentos);

    Além disso: discutir com o adolescentes sobre sexualidade nos remete a pensar na nossa própria sexualidade, que muitas vezes negamos (em decorrências de nossas vivências, sociedade cheia de tabus e preconceitos);

  • Consulta de enfermagem na saúde do adolescente

    Consulta de enfermagem na saúde do adolescente

    Acolhimento: garantir o melhor acesso e a melhor resposta às necessidades de saúde do adolescente;
    Independentemente da razão da consulta, cada visita oferece a oportunidade de detectar, refletir e auxiliar na resolução de outras questões distintas do motivo principal da consulta.
    Escuta ampliada: a entrevista é um exercício de comunicação interpessoal, que engloba a comunicação verbal e a não verbal. Deve-se estar atento as emoções, gestos, tom de voz e expressão facial do adolescente;
    A acolhida nos serviços deve ser cordial e compreensiva, para que se sintam valorizados. Atendimento hostil afasta o adolescente, perdendo-se a oportunidade de adesão ao serviço.

  • Consulta de enfermagem na saúde do adolescente

    Consulta de enfermagem na saúde do adolescente

    Continuidade: estabelecer vínculo, o acompanhamento deve ser ao longo do tempo. Trabalhar prevenção de agravos, promoção e a recuperação da saúde;

    Adequação do espaço físico: locais amplos, ventilados, limpos e adequados aos trabalhos em grupos; A porta do consultório deve permanecer fechada durante a consulta, para impedir interrupções, e a sala deve ter espaço suficiente para conter mobiliário que permita a entrevista do adolescente e de sua família. A sala de exame deve assegurar a privacidade ao exame físico.

  • Consulta de enfermagem na saúde do adolescente

    Consulta de enfermagem na saúde do adolescente

    Privacidade: proporcionar ao adolescente a oportunidade de ser atendido sem a presença de outras pessoas;

    Confidencialidade: o adolescente deve ter a garantia de que o que for discutido e obtido no atendimento não será revelado a ninguém, incluindo seus pais e ou responsáveis sem sua autorização.
    Em situações em que haja risco de morte ou situações de abuso sexual, idéia de suicídio a quebra de confidencialidade deve ser claramente discutida e informada ao adolescente.

  • As ações preventivas como componentes da consulta

    As ações preventivas como componentes da consulta

    As visitas de rotina de adolescentes e jovens e suas famílias aos serviços de saúde configuram-se como oportunidades para:
    1. reforçar mensagens de promoção de saúde;
    2. identificar adolescentes e jovens que estejam sujeitos a comportamentos de risco ou que se encontrem em estágios iniciais de distúrbios físicos e/ou emocionais;
    3. promover imunização adequada
    4. desenvolver vínculos que favoreçam um dialogo aberto sobre questões de saúde.

  • Vacinação do adolescente (11 aos 19 anos)

    Vacinação do adolescente (11 aos 19 anos)

    Hepatite B
    Administrar em adolescentes não vacinados ou sem comprovante de vacinação anterior, seguindo o esquema de três doses (0, 1 e 6) com intervalo de um mês entre a primeira e a segunda dose e de seis meses entre a primeira e a terceira dose;
    Aqueles com esquema incompleto, completar o esquema;
    A vacina é indicada para gestantes não vacinadas e que apresentem sorologia negativa para o vírus da hepatite B a após o primeiro trimestre de gestação.

  • Vacinação do adolescente

    Vacinação do adolescente

    Difteria e Tétano (dT- dupla adulto);
    Adolescente sem vacinação anterior ou sem comprovação de três doses da vacina, seguir o esquema de três doses;
    O intervalo entre as doses é de 60 dias e no mínimo de 30 dias;
    Os vacinados anteriormente com 3 doses de DTP, DT ou dT, administrar reforço, a cada dez anos após a data da última dose;
    Em caso de gravidez e ferimentos graves antecipar a dose de reforço sendo a última dose administrada há mais de 5 anos;
    A mesma deve ser administrada pelo menos 20 dias antes da data provável do parto.

  • Vacinação do adolescente

    Vacinação do adolescente

    Febre Amarela;
    Indicada 1 (uma) dose aos residentes ou viajantes para as seguintes áreas com recomendação da vacina: estados do Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal e Minas Gerais e alguns municípios dos estados do Piauí, Bahia, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Para informações sobre os municípios destes estados, buscar as Unidades de Saúde dos mesmos.
    Administrar a vacina 10 (dez) dias antes da data da viagem
    Administrar dose de reforço, a cada dez anos após a data da última dose. Precaução: A vacina é contra indicada para gestante e mulheres que estejam amamentando. Nestes casos buscar orientação médica do risco epidemiológico e da indicação da vacina.

  • Vacinação do adolescente

    Vacinação do adolescente

    Sarampo, caxumba e rubéola: tríplice viral
    considerar vacinado o adolescente que comprovar o esquema de uma dose.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 29,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • CONSULTA DE ENFERMAGEM
  • Desafios no atendimento ao adolescente
  • Consulta de enfermagem na saúde do adolescente
  • As ações preventivas como componentes da consulta
  • Vacinação do adolescente (11 aos 19 anos)
  • Vacinação do adolescente
  • Entrevista do adolescente
  • Crescimento do adolescente
  • IMC - Adolescente
  • Medida da Pressão arterial (PA) em Criança e Adolescentes
  • Posicionamento e Tamanho dos Manguitos
  • Exame dos ouvidos
  • EXAME DO NARIZ E SEIOS PARANASAIS
  • OROFARINGE
  • Exame físico - ginecológico
  • Patologias Mamárias
  • Afecções urológicas mais frequentes na adolescência
  • Escroto Agudo
  • Afecções urológicas mais frequentes na adolescência
  • Fimose
  • Parafimose
  • Hipospádia