Curso Online de Estratégia de Saúde
5 estrelas 1 aluno avaliou

Curso Online de Estratégia de Saúde

Estratégia de Saúde da Família (ESF)

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 6 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Estratégia de Saúde
da Família (ESF)

ESPECIALISTAS EM ENFERMAGEM; BACHAREIS EM ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA; Experiência em: -Urgência e Emergência, -Clinica Médica, -Clinica Círurgica, -UTI, -Oncologia, -Nefrologia e -SAÚDE PUBLICA E ETC; PROFESSORES DE CURSOS TECNICO DE ENFERMAGEM EM DIVERSAS ÁREAS.


- Weverton Passos Da Silva

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • ENF.:MARCELO NEVES

    enf.:marcelo neves

    estratégia de saúde
    da família (esf)

  • Conteúdo

    conteúdo

    contextualização
    medicina de família e comunidade
    princípios
    residência médica
    estratégia de saúde da família (esf)
    organização
    áreas estratégicas
    atribuições dos membros
    sistema de informação da atenção básica (siab)
    panorama atual

  • Contextualização

    contextualização

    paradoxo: através do modelo hegemônico observa-se um extremo avanço tecnológico na luta contra as doenças associado a um elevadíssimo custo, grandes barreiras de acesso e resultados sanitários inadequados.
    desvio dos médicos do seu foco principal, que é a pessoa, inserido no seu contexto social, cultural e econômico.
    insatisfação das pessoas com esse modelo: crescimento das medicinas alternativas.

  • Contextualização

    contextualização

    a doença se dá sempre em alguém, reveste-se da personalidade da pessoa doente. cabe aos médicos saber que as patologias estão presentes em alguém que tem uma personalidade concreta e de quem tem de cuidar. o médico cuidará bem do seu paciente se conhecer bem a doença e ao mesmo tempo não perder de vista que ali existe um ser humano, alguém com dignidade, livre e inserido em um contexto de valores e conceitos próprios.

  • Contextualização

    contextualização

    para recolocar a pessoa no centro da prática médica é necessário considerar tanto os aspectos individuais como o contexto no qual ele se insere.
    o comportamento “inadequado” de um paciente relacionado à recusa em seguir determinada prescrição pode estar relacionado a vários fatores, tais como dificuldades econômicas em conseguir os medicamentos, concepções culturais sobre a doença e sobre os medicamentos.
    por tais fatores serem determinados por condições sócio-econômicas e pela cultura desse paciente, um comportamento aparentemente individual tende a se reproduzir em outros indivíduos pertencentes ao mesmo grupo social.
    vídeo: psf

  • Contextualização

    contextualização

    os estudos da antropologia médica tem contribuído para a relativização de valores.
    relativizar é buscar entender a diferença e o outro a partir da cultura própria dele.
    a relativização ocupa posição contrária ao etnocentrismo, que é a visão de mundo em que o próprio grupo é tomado como centro de tudo e todos os outros são pensados e sentidos através dos próprios valores, modelos e definições do que é a existência.
    muitas vezes os pacientes são analisados e julgados* a partir da perspectiva exclusivamente médica, sem considerar as crenças e os valores daqueles pacientes.

    *perspectiva culpabilizatória do paciente pelo profissional de saúde

  • Contextualização

    contextualização

    a depender da cultura à qual se está referindo – do médico ou do paciente (leigo) – existirão perspectivas diferentes em relação à saúde e à doença.
    para dar conta dessas perspectivas distintas, a antropologia médica se utiliza de modelos explanatórios ou explicativos baseados nas diferenças entre as noções de disease e illness.

  • Contextualização

    contextualização

    disease corresponde ao termo patologia e consiste na visão médica da doença, ou seja, a doença vista como um problema físico-biológico, interpretada pelos profissionais de saúde à luz de seus modelos teóricos que os orientam em seu trabalho clínico.
    trata-se de uma definição de disfunção, assentada em um referencial essencialmente biomédico (flexneriano).

  • Contextualização

    contextualização

    illness pode ser traduzida como problema ou perturbação e refere-se ao modo como as pessoas percebem a sua doença, ou seja, é a resposta subjetiva do indivíduo e/ou de sua rede de relações (familiares, amigos, vizinhos) frente à situação de doença.
    consiste em um fenômeno que engloba aspectos individuais, sociais e culturais da experiência de doença.

  • Contextualização

    contextualização

    a noção de illness contempla, também, o significado atribuído à doença, ou seja, as respostas que o indivíduo e seu meio social dão a um conjunto de perguntas.
    o que eu deveria fazer sobre isso ou a quem eu deveria recorrer em busca de ajuda?
    deveria ir ao médico para tratar as doenças oportunistas [devidas à aids], mas também ao centro espírita para acalmar o espírito da minha amiga que se encostou em mim.

  • Contextualização

    contextualização

    em determinadas situações as noções de disease e illness apresentam-se isoladas.
    no caso da hipertensão arterial sistêmica é comum observar a pressão arterial muito alta repetidas vezes durante o acompanhamento do paciente, mas, pelo fato dele não apresentar nenhum sintoma, este indivíduo não se considera doente e, muitas vezes, terá dificuldades em aceitar o uso de medicação.
    presença de disease e ausência de illness.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • ENF.:MARCELO NEVES
  • Conteúdo
  • Contextualização
  • Medicina de Família e Comunidade
  • ESF