Curso Online de Febre Aftosa
5 estrelas 1 aluno avaliou

Curso Online de Febre Aftosa

Aprenda um pouco mais sobre essa doença de grande importância para a pecuária brasileira

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 8 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Aprenda um pouco mais sobre essa doença de grande importância para a pecuária brasileira

Técnico agrícola, agrônomos e médicos veterinários.


- Dante Dalla Pria Pires

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Febre Aftosa

    Febre Aftosa

  • Definição

    Definição

    A Febre Aftosa (FA) é uma enfermidade altamente contagiosa que ataca a todos os animais ungulados (casco fendido), principalmente os animais da ordens Artiodactyla (ungulados de cascos pares, têm dois ou quatro dedos de apoio), a saber bovinos, suínos, ovinos e caprinos, e muito menos os carnívoros, mamíferos; os animais solípedes são resistentes.
    Pode ocorrer em qualquer idade, independente de sexo, raça, clima, mas existem diferenças de susceptibilidade de espécie.
    Devido a sua importância econômica para muitos países, a FA é a primeira enfermidade da Lista da OIE, e também possui uma lista oficial de países e zonas livres da enfermidade.

  • Importância Econômica

    Importância Econômica

  • Importância Econômica

    Importância Econômica

    A Febre Aftosa é um problema mundial.
    Reduz o lucro dos criadores e a disponibilidade de carne para o consumo:
    Os prejuízos são causados pelas perdas diretas devido aos sinais clínicos, com conseqüente queda na produção, e pelas perdas indiretas através dos embargos econômicos impostos pelos países importadores;
    Pode levar os animais jovens à morte;
    As propriedades que têm animais doentes são interditadas;
    Os animais doentes podem adquirir com maior facilidade outras doenças, devido à sua fraqueza
    Sua ocorrência pode comprometer todos os planos de negócios internacionais e causar enormes perdas econômicas, além dos custos para abate, desinfecção e controle do surto.
    A exportação da carne e dos produtos derivados torna-se difícil.

  • Histórico

    Histórico

    A febre aftosa foi descoberta na Itália no século XVI.
    No século XIX, a doença foi observada em vários países da Europa, Ásia, África e América.
    Com a evolução da agropecuária, houve também uma grande preocupação em controlar esta enfermidade e no início do século passado, vários países decidiram combatê-la.

  • Histórico

    Histórico

    1897: Descoberta do vírus da Febre Aftosa (FA)
    1924: Criação da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE)
    1929: Erradicação nos EUA
    1936: Desenvolvimento da 1ª vacina
    1951: Produção da 1ª vacina comercial e Criação do Centro Pan-Americano de FA
    1959: Início dos embargos pelos EUA
    1960: 1ª versão do Código Zoosanitário Internacional
    1965: Início da luta organizada no RS
    1970: Aprovadas normas para fabricação de vacinas e soros contra a FA
    1979: Desenvolvimento da vacina oleosa
    1983: Obrigatoriedade da vacinação contra a FA para o trânsito de animais
    1990: Obrigatoriedade da vacina oleosa
    1992: Reformulação do Programa Nacional de Controle e Erradicação da FA

  • Histórico

    Histórico

    1993: Aprovação das normas para combate à FA no Brasil e adoção do Rifle Sanitário para erradicação (pela 1ª vez no PR)
    1994: Organização dos circuitos pecuários
    1996: Aprovação dos critérios técnicos para a classificação das UF segundo os níveis de risco para a FA e aprovação do calendário nacional de vacinação
    1997: Argentina declarada livre com vacinação
    1998: RS e SC declarados livres com vacinação
    2000: Paraná e resto do circuito centro-oeste, declarados livres com vacinação
    2001: Circuito leste declarado livre com vacinação
    2000 e 2001: Reaparecem focos no RS, Uruguai, Argentina e Paraguai.
    2004: Registrados 2 focos no Brasil (Amazonas e Pará)
    2005: Acre livre com vacinação e reaparecem focos no Mato Grosso do Sul e Paraná
    2007: Santa Catarina é considerada área livre sem vacinação
    2008: Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Tocantins e o Distrito Federal e Mato Grosso do Sul voltam a ser considerados área livre com vacinação

  • Histórico

    Histórico

    2011: Reaparecem focos no Paraguai.

    Paraguai informa 1º foco de aftosa desde julho de 2003
    19/09/2011
    O Paraguai informou hoje à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) ter registrado um foco de febre aftosa na província de San Pedro. É o primeiro caso da doença a ser identificado no país desde julho de 2003. A região não faz fronteira com o Brasil.
    De acordo com informações da OIE, o foco, que envolve 13 bovinos, foi confirmado ontem pelo Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal (Senacsa) do Paraguai e informado à organização hoje. A aftosa foi confirmada por exames clínicos laboratoriais. A fonte do foco ainda é desconhecida. "Sinais clínicos consistentes com a febre aftosa foram observados em 13 bovinos de menos de 24 meses de idade", diz comunicado da OIE. A propriedade foi colocada sob quarentena.

    Fonte: G1

  • Mapa da Classificação de Risco - 2010

    Mapa da Classificação de Risco - 2010

    Fonte: MAPA

  • Mapa da Classificação de Risco - 2010

    Mapa da Classificação de Risco - 2010

    Classificação de risco no Brasil em 2010:
    Zona Livre com Vacina: AC, alguns municípios do AM, RO, Sul do PA, TO, GO, DF, BA, SE, MG, ES, RJ, MT, MS, SP, PR e RS.
    Zona Livre Sem Vacina: SC.
    Risco Médio: AM, RR e AP.
    Alto Risco: Norte do PA, MA, PI, CE, RN, PB, PE e AL.

  • Agente Etiológico

    Agente Etiológico


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Febre Aftosa
  • Definição
  • Importância Econômica
  • Histórico
  • Mapa da Classificação de Risco - 2010
  • Agente Etiológico
  • Etiologia - Características do Vírus
  • Epidemiologia
  • Epidemiologia - Suínos
  • Epidemiologia
  • Transmissão
  • Patogênia
  • Patogenia
  • Sinais Clínicos
  • Sinais Clínicos – Cavidade Oral
  • Sinais Clínicos
  • Sinais Clínicos – Cascos
  • Sinais Clínicos – Glândula Mamária
  • Sinais Clínicos e Evolução
  • Lesões
  • Lesões Post mortem
  • Diagnóstico
  • Diagnóstico Diferencial
  • Coletas de Amostras para Exames
  • Ações Recomendadas
  • Controle da Febre Aftosa
  • Controle - PNEFA
  • Controle - Vacinação
  • Vacinação
  • Profilaxia
  • Controle e Fiscalização do Trânsitoo
  • Circuitos Pecuários
  • Zoneamento
  • PNEFA - Legislação
  • MAPA
  • Potencial Zoonótico da Febre Aftosa
  • Considerações Finais
  • Muito Obrigado!!!