Curso Online de Mito, Filosofia e Ciência

Curso Online de Mito, Filosofia e Ciência

Falaremos neste curso sobre ciência, mito e filosofia; mostrando as suas diferenças e características próprias e como cada uma das funçõe...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 9 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Falaremos neste curso sobre ciência, mito e filosofia; mostrando as suas diferenças e características próprias e como cada uma das funções trabalham juntas proporcionado o mesmo objetivo. sendo mencionado uma diferença entre o pensamento de filósofos e cientistas: Sartre escreveu que a essência vem após a existência sendo está condenada por Heidegger. A ideia de totalidade onde a filosofia abandonou a investigação de um dos elementos que constituíam até então a sua essência, o que foi o momento de Hegel em que a ideia de estabilidade foi substituída pela ideia de movimento universal.

Cabeleireiro de 31 anos, proprietário de Salão de Beleza, com experiência de 15 anos na área da Beleza. Especialidades: Cortes masculino, feminino e infantil. Colorimetria. Design de Sobrancelhas. Mechas. Alisamentos em Geral. Tratamentos de reconstrução capilar.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Mito, filosofia e ciência

    mito, filosofia e ciência

    filosofia da ciência

  • Introdução

    introdução

    falaremos a seguir sobre ciência, mito e filosofia; mostrando as suas diferenças e características próprias e como cada uma das funções trabalham juntas proporcionado o mesmo objetivo. sendo mencionado uma diferença entre o pensamento de filósofos e cientistas: sartre escreveu que a essência vem após a existência sendo está condenada por heidegger. a ideia de totalidade onde a filosofia abandonou a investigação de um dos elementos que constituíam até então a sua essência, o que foi o momento de hegel em que a ideia de estabilidade foi substituída pela ideia de movimento universal.

  • O hegelianismo

    o hegelianismo

    o hegelianismo comete o erro de querer explicar todas as coisas. as coisas não devem ser explicadas mais vividas. não pode existir sistema da existência. a verdade objetiva tal como hegel é a morte da existência. nas especializações do saber cientifico serão descritos: a especialização que visa incrementar a produtividade científica, as vantagens da especialização e suas conseqüências nefastas.

  • faremos um comentário geral sobre a ciência e mito e as características da ciência, onde para a ciência o universo é ordenado com leis acessíveis à razão; a ciência é menos ambiciosa que o pensamento mítico, onde mito e ciência obedecem ao mesmo princípio. relacionados também os textos que tratam do papel da teoria, da imaginação na atividade cientifica; a experiência determina a validade dos mundos possíveis; a ciência pretende que as suas explicações sejam objetivas.

  • Ciências ou ciência?

    ciências ou ciência?

    vamos pois tentar, em primeiro lugar, compreender o que é o conhecimento científico, tendo em conta que a ciência é hoje uma realidade complexa e multifacetada onde dificilmente se descobre uma unidade. citadas serão conseqüências as características da ciência suas unidades e diversidade.

  • a ciência pode ser descrita como um jogo a dois parceiros: trata-se de adivinhações sobre o comportamento de uma unidade distinta de nós. no texto ‘ciência e reflexão filosófica’ serão destacados os texto sobre: ciência e sociedade, ciência e cultura, os limites de uma cultura científico-tecnológica, a ciência e política, ética e ciência o para encerar será descritos valor do espírito científico.

  • Na origem da filosofia Os primeiros filósofos

    na origem da filosofia os primeiros filósofos

    os gregos são os primeiros a colocar a questão da realidade numa perspectiva não mítica. embora revelando influências do pensamento mítico anterior e contemporâneo, as explicações produzidas pelos primeiros filósofos, por volta do século vi a. c., na colônia grega de mileto, na ásia menor, são consideradas por muitos o embrião da ciência e da filosofia, ou seja, do pensamento racional (cf. texto de f. m. cornford, a cosmogonia jônica).

  • Tales, Anaximandro, Pitágoras

    tales, anaximandro, pitágoras

    mais antigo filósofo de que se tem conhecimento que terá encontrado uma resposta para esta questão foi tales. pensou ele que o princípio único de todas as coisas era a água. pela mesma época outros filósofos tomaram posições mais ou menos parecidas com a de tales. foi o caso de anaximandro e de pitágoras que fizeram do indefinido e do número respectivamente o princípio originário a partir do qual tudo proveio (cf. fragmentos dos pré-socráticos).

  • Heráclito e Parménides

    heráclito e parménides

    as respostas irão progressivamente tornando-se mais elaboradas, embora sempre centradas no problema da unidade ou da multiplicidade, da mudança ou da permanência das coisas. nesse sentido, heráclito (cf. texto de j. brun, uma filosofia do devir?) e parménides (cf. texto do próprio, a unidade e imutabilidade do ser) representam, historicamente, um radicalizar de posições: o primeiro, aparece como o defensor da mudança: não se pode penetrar duas vezes no mesmo rio; o segundo, como partidário radical da unidade fundamental de todas as coisas.

  • esta oposição não resiste, todavia, a um estudo aprofundado das posições dos dois pensadores.
    ficaram célebres os argumentos ou paradoxos inventados por zenão de eleia, discípulo de parmênides, com o objetivo de mostrar o caráter contraditório do movimento, e assim defender as teses do mestre sobre a imutabilidade do real (cf. texto de kirk & raven, paradoxos de zenão).

  • para além de uma reflexão sobre a natureza do espaço, do tempo, do conhecimento e da realidade, os paradoxos de zenão desencadearam uma crise na matemática da antiguidade, que só viria a ser resolvida nos séculos xvii e xviii d. c., com a criação da teoria das séries infinitas.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Mito, filosofia e ciência
  • Introdução
  • O hegelianismo
  • Ciências ou ciência?
  • Na origem da filosofia Os primeiros filósofos
  • Tales, Anaximandro, Pitágoras
  • Heráclito e Parménides
  • Sócrates
  • As filosofias da existência
  • A essência do homem está na sua existência
  • A ideia de totalidade
  • As coisas não devem ser explicadas, mas vividas
  • Sócrates
  • Kierkegaard e Hegel
  • Contra a ideia de sistema
  • A especialização do saber científico
  • Vantagens da especialização
  • Consequências nefastas da especialização
  • Ciência e mito: características da ciência
  • A ciência é menos ambiciosa que o pensamento mítico
  • Mito e ciência obedecem ao mesmo princípio
  • Papel da teoria, da imaginação na atividade científica
  • A experiência determina a validade dos mundos possíveis
  • A ciência pretende que as suas explicações sejam objetivas
  • Ciência ou ciências?
  • Características da ciência
  • Unidade e diversidade das ciências
  • Ciências "humanas" e ciências "exatas"
  • Ciência e reflexão filosófica
  • Ciência e sociedade
  • Ciência e cultura
  • Os limites de uma cultura científico-tecnológica
  • Ciência e política
  • Ética e Ciência
  • Valor do espírito científico
  • Conclusão
  • Referências bibliográficas