Curso Online de A PSICOLOGIA HOSPITALAR E O ALOJAMENTO CONJUNTO
5 estrelas 1 aluno avaliou

Curso Online de A PSICOLOGIA HOSPITALAR E O ALOJAMENTO CONJUNTO

Entendendo Alojamento Conjunto (AC) como um sistema hospitalar em que o recém-nascido sadio permanece com a mãe num mesmo ambiente, até a...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 8 horas

Por: R$ 45,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Entendendo Alojamento Conjunto (AC) como um sistema hospitalar em que o recém-nascido sadio permanece com a mãe num mesmo ambiente, até a alta hospitalar, este estudo tem como foco principal analisar o papel do psicólogo no AC de obstetrícia, abordando sobre a influência deste no relacionamento e na interação entre mãe e filho. Procurou ainda, identificar as atribuições do Psicólogo Hospitalar na obstetrícia com a puérpura, como deve ser sua atuação junto à equipe de trabalho e com os familiares de pacientes, conceituar o AC na obstetrícia e ainda, descrever as atribuições e o papel do psicólogo hospitalar em alojamento conjunto de obstetrícias. Entende-se que o estabelecimento de vínculos afetivos é absolutamente necessário para o desenvolvimento emocional e social, especialmente nos primeiros contatos do bebê com a mãe. O estudo de cunho bibliográfico, partiu do princípio que os inconvenientes originados pela grande concentração de recém nascidos nos berçários das maternidades causam efeitos negativos com relação à separação do binômio mãe e filho. A guisa de conclusão e como resultado alcançado, torna-se imperativo destacar que o Psicólogo Hospitalar no AC da obstetrícia é indispensável no fortalecimento do vínculo afetivo entre mãe e bebê nas primeiras horas de vida do recém nascido.

- Cintia Alves Antunes Leal

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • AUTOR: MARIA JOSE DA SILVA LEITE

  • A PSICOLOGIA HOSPITALAR E O ALOJAMENTO CONJUNTO

    A PSICOLOGIA HOSPITALAR E O ALOJAMENTO CONJUNTO

    AUTORA: MARIA JOSE DA SILVA LEITE

  • 1 INTRODUÇÃO

    1 INTRODUÇÃO

    É sabido que o Alojamento Conjunto possui inúmeros benefícios tanto para a mãe quanto para o bebê, tais como: o estímulo ao aleitamento materno, o fortalecimento do vínculo afetivo entre mãe e filho, a redução do risco de infecção hospitalar além também de permitir o aprendizado materno sobre como a mãe deve cuidar do recém nascido, entre outros benefícios não menos importantes.


  • Todavia, cabe acrescentar os inconvenientes causados pela grande concentração de recém nascidos nos berçários dos hospitais, uma vez que estes trouxeram alguns efeitos negativos com relação à separação do binômio mãe/filho.

  • Neste sentido verifica-se a importância que o alojamento conjunto possui na integração familiar especificamente entre a mãe e o bebê.
    O vínculo inicial entre mãe e bebê poderá refletir ao longo de toda a infância, na adolescência e até na vida adulta.

  • Entende-se que o estabelecimento de vínculos afetivos é indispensável para o desenvolvimento emocional e social, especialmente nos primeiros contatos do bebê com a mãe.
    Isto posto, o binômio mãe/filho no Alojamento Conjunto da obstetrícia, analisado através das referências bibliográficas, é o propósito deste estudo, por ser perceptível que a falta do psicólogo na obstetrícia inviabiliza o trabalho direcionado para atender o binômio mãe / bebê, com sucesso.


  • Outrossim, o objetivo geral da pesquisa é mostrar o papel do psicólogo no A. C. de obstetrícia, abordando a influência deste no relacionamento e na interação entre mãe e filho.

  • De maneira mais específica, procurou identificar as atribuições do Psicólogo Hospitalar na obstetrícia com a puérpura; como deve ser sua atuação junto à equipe de trabalho e com os familiares de pacientes; conceituar o Alojamento Conjunto na obstetrícia e ainda, descrever as atribuições, o papel do psicólogo hospitalar em alojamento conjuntos de obstetrícias voltados para o recém nascido, puérpura.

  • 2 REFERENCIAL TEÓRICO

    2 REFERENCIAL TEÓRICO

    Este estudo tem como ponto de partida refletir acerca da função do Psicólogo no meio hospitalar, partindo de uma abordagem fundamentada em renomados autores que discorrem sobre a temática por entenderem a psicologia como uma ciência que estuda a mente humana, buscando contribuir na resolutividade dos problemas de cunho emocional dos pacientes para que estes possam ter mais qualidade de vida.

  • A importância desta área de formação acadêmica deve-se também pelo fato de o ensino não ter um cunho político, sem aquela pretensão política ao se dedicar apenas nas concepções conservadoras das relações sociais, o que a torna neutra como é concebido na grade curricular.


  • Assim posto, tem-se como ponto de partida um estudo dos conceitos referenciais que discorrem sobre qual a significação da Psicologia na saúde, hospitalar, clínica, apresentando as razões que levaram universidades de psicologia a integralizar na grade curricular do curso a disciplina optativa de Psicologia Hospitalar.
    Procura-se ainda definir o papel do psicólogo na amamentação, no acolhimento no A.C. e na relação mãe/bebê.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 45,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • A PSICOLOGIA HOSPITALAR E O ALOJAMENTO CONJUNTO
  • 1 INTRODUÇÃO
  • 2 REFERENCIAL TEÓRICO
  • 2.1 PSICOLOGIA DA SAÚDE
  • 2.2 PSICOLOGIA HOSPITALAR
  • 2.3 ALOJAMENTO CONJUNTO
  • 2.3.1 Acolhimento no Alojamento Conjunto
  • 2.4 PAPEL DO PSICOLÓGO NO ALOJAMENTO CONJUNTO DE OBSTETRÍCIA
  • 2.4.1 O Psicólogo e a amamentação
  • 2.4.2 Psicologia e a participação do pai no alojamento conjunto
  • 2.4.3 O papel do Psicólogo na relação mãe / bebê
  • CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • REFERENCIAS