Curso Online de MUSCULAÇÃO INTENSIVO

Curso Online de MUSCULAÇÃO INTENSIVO

Este curso apresenta tudo o que você precisa saber sobre musculação.Exercicios e formas de fazer exercicios. Os tipos de exercicios,as ca...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 76 horas

Por: R$ 39,90
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Este curso apresenta tudo o que você precisa saber sobre musculação.Exercicios e formas de fazer exercicios. Os tipos de exercicios,as cargas a utilizar.
Alimentação, nutrição, utilização de suplementos alimemtares, dos anabolizantes, esteroides,etc

EUROPA LEARNING é um programa especializado em ensino à distância. Apresentamos cursos em todas as areas, criados a pensar em voce. Investimos não só na qualidade de nosso material didático, como também em novos meios para difundir conceitos e técnicas de forma eficiente para todos alunos. Por isso hoje este projeto orgulhosamente traz ao Brasil cursos de primeira linha criando novas tendências de mercado quando o assunto é e-learning



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • O que é musculação

    O que é musculação

    Representa a capacidade do indivíduo para vencer ou suportar uma resistência. MANSO (1996)

    É a capacidade de superar resistências e contra-resistências por meio da ação muscular. GROSSER (1989)
    É a força que um músculo ou grupo muscular pode exercer contra uma resistência em um esforço máximo. BAECHLE (1994)
    É a força máxima ou nível de tensão que pode ser produzido por um grupo muscular. SAFRIT (1995)

  • Para quem se deve orientar a pratica de musculação?

    Para quem se deve orientar a pratica de musculação?

    Obesos
    Diabéticos
    Cardiopatas
    Hipertensos
    Adolescentes
    Idosos
    Gestantes...

  • O que devo fazer para o iniciante de musculação?

    O que devo fazer para o iniciante de musculação?

    Ananminese

    Avaliação física

    Teste

    Prescrição

  • Ananminese

    Ananminese

    Dados Pessoais
    Medicamentos
    Contra indicações
    Disponibilidade de Tempo
    Atividade física

  • Avaliação Física

    Avaliação Física

    Composição Corporal

    Capacidade Cardiorrespiratória

    Teste de Força ou Resistência

    Peso, Altura, Circunferências, % gordura, RCQ.

    VO2 max., RQ.

    Força (1 RM)
    Resistência (RM)
    Percepção subjetiva de esforço

  • Testes

    Testes

    Repetição Máxima (RM)

    Carga máxima (1 RM)

    Teste adaptado

    Percepção

  • Como Prescrever

    Como Prescrever

    Horário e tempo para treinamento
    Idade
    Sexo
    Condicionamento físico
    Objetivo
    Material

  • EXERCÍCIO 1 -ELABORAÇÃO DA SESSÃO DE TREINO

    EXERCÍCIO 1 -ELABORAÇÃO DA SESSÃO DE TREINO

    Característica do cliente personalizado
    Idade, sexo, nível de aptidão, etc.
    Objetivos gerais e específicos
    Disponibilidade para Treinamento
    Local de treinamento – recursos materiais

  • TREINAMENTO DE FORÇA

    Melhora o aperfeiçoamento das capacidades técnicas;
    Aumenta a tolerância à carga;
    Melhora no desenvolvimento dos músculos sinergistas;
    Melhora no desenvolvimento dos músculos antagonistas;
    Profilaxia (lesão)
    Profilaxia (postura)
    Estética

  • FORÇA

    A massa muscular decresce não só por hipotrofia, mas também por hipoplasia. Esses mecanismos parecem ocorrer de forma seletiva, preferencialmente, nas fibras do tipo II.

    (Shephard,1998, Hurley,1995)
    (Thompson,1994)

    FORÇA

  • TREINAMENTO DE FORÇA RESISTIDO

    Importante para esportes de endurance.
    Aumenta a capacidade de resistir a fadiga
    Dependente da intensidade e do volume


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 39,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • O que é musculação
  • Para quem se deve orientar a pratica de musculação?
  • O que devo fazer para o iniciante de musculação?
  • Ananminese
  • Avaliação Física
  • Testes
  • Como Prescrever
  • EXERCÍCIO 1 -ELABORAÇÃO DA SESSÃO DE TREINO
  • FORÇA
  • Tipos de Contração Muscular
  • Tipos de Força
  • SEIOS - EXERCÍCIOS
  • OSTEOPOROSE
  • MUSCULAÇÃO
  • 3 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO TREINAMENTO DE FORÇA
  • Razões mais frequentes:
  • Novas velhas soluções...
  • Os tipo de exercício físico
  • Existem dois tipos de exercício físico
  • Exercício físico anaeróbio
  • Exemplos de exercícios anaeróbios são:
  • Quando se realizam:
  • Exercício físico aeróbio
  • Exemplos de exercício físico aeróbios são:
  • Metodologia do treinamento de musculação
  • Introdução
  • Adaptação
  • Aquecimento
  • Número de séries
  • Número de repetições x carga
  • Velocidade de execução
  • Intervalos
  • Abordagens tensional x metabólica
  • 3. Como alcançar os objetivos ?
  • Célula Muscular
  • 2.Bases Histológicas
  • Tipos de Fibras Musculares
  • Trabalho (contração muscular)
  • Bases Bioenergéticas
  • As fontes energéticas sempre estarão atuando...
  • 4. Respostas ao Treinamento
  • Musculação para Mulheres
  • Gordura Localizada
  • Definição Muscular
  • Tônus Muscular
  • Eletro-estimulação
  • Tônus Muscular
  • Celulite
  • Varizes
  • Tabela de Controle da Intensidade e Volume na Musculação
  • Melhoras na Força Muscular
  • MHC e 3x / 2x-6sem. / 3x-9sem.
  • Fundamentos da Prescrição do Treinamento de Musculação
  • 4. Perda de peso O Treinamento Com Pesos promove: ? MCM ? Metabolismo Basal
  • Treinamento Concorrente
  • Fundamentos da Prescrição do Treinamento de Musculação
  • PA e ML em mulheres
  • ML e Terceira Idade
  • Os tipo de exercício físico
  • Existem dois tipos de exercício físico
  • Exercício físico anaeróbio
  • Exemplos de exercícios anaeróbios são:
  • Quando se realizam:
  • Exercício físico aeróbio
  • Exemplos de exercício físico aeróbios são:
  • Metodologia do treinamento de musculação
  • Introdução
  • Adaptação
  • Aquecimento
  • Número de séries
  • Número de repetições x carga
  • Velocidade de execução
  • Intervalos
  • Abordagens tensional x metabólica
  • TREINAMENTO DE FORÇA
  • FORÇA
  • MUSCULAÇÃO
  • PRINCÍPIO DA UNIDADE
  • FORÇA MÁXIMA
  • FORÇA EXPLOSIVA
  • FORÇA DE RESISTêNCIA
  • FORÇA DE RESISTÊNCIA
  • INDIVIDUALIDE BIOLÓGICA
  • 3 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO TREINAMENTO DE FORÇA
  • MODELO DE FATORES NEURAIS E HIPERTRÓFICOS
  • DIVISAO ANATOMICA
  • A UNIDADE MOTORA
  • UNIDADES MOTORAS
  • RECRUTAMENTO DE FIBRAS MUSCULARES
  • CONTROLE NEURAL
  • RECRUTAMENTO DE FIBRAS MUSCULARES
  • UNIDADES MOTORAS
  • Estrutura do Músculo Esquelético
  • FIBRA MUSCULAR
  • TIPOS DE FIBRA MUSCULAR
  • CLASSIFICAÇÃO DO TIPO DE FIBRA – MIOSINA DE CADEIA PESADA
  • Fibras de Contração Lenta (Tipo I)
  • O QUE DETERMINA O TIPO DE FIBRA MUSCULAR?
  • COMPOSIÇÃO DOS TIPOS DE FIBRA MUSCULAR
  • COMPOSIÇÃO DAS FIBRAS MUSCULARES
  • MIOFIBRILAS
  • Eventos da Contração Muscular
  • LESÃO NO SARCÔMERO
  • HIPERTROFIA
  • OCLUSÃO VASCULAR
  • CONTROLE DA HIPERTROFIA MUSCULAR
  • M-TOR
  • FATORES HIPERTRÓFICOS
  • CÉLULAS SATÉLITE
  • Respostas Hormonais e Processo de Reparo ao Dano Muscular
  • TIPOS DE SOBRECARGA
  • SUPERCOMPENSAÇÃO
  • HIPERTROFIA IMEDIATA
  • HIPERTROFIA
  • RESPOSTAS HORMONAIS
  • COMPONENTES DA CARGA DE TREINAMENTO DE FORÇA
  • CONTROVÉRSIAS
  • RESPOSTAS HORMONAIS
  • Tipos de Força
  • INTENSIDADE DA CARGA
  • VELOCIDADE DE REPETIÇÃO
  • SÉRIE ÚNICA X SÉRIES MÚLTIPLAS
  • NUMERO DE SÉRIES
  • ESCOLHENDO EXERCÍCIOS
  • ESCOLHA DO EXERCÍCIO
  • EXERCÍCIOS
  • Ordem dos exercícios
  • SÉRIE X EXERCÍCIO
  • HETEROCRONISMO: Estímulo X Recuperação
  • FREQUÊNCIA
  • HIPERPLASIA Aumento do número de células musculares
  • FATOR PSICOLÓGICO
  • INICIANTES
  • PROGRAMA PARA INICIANTES
  • TREINAMENTO FUNCIONAL
  • DESENVOLVIMENTO CORPORAL GLOBAL
  • “OS ESQUECIDOS”
  • Sistemas Avançados
  • APTIDÃO FÍSICA X CARGA DE TREINO
  • PERIODIZAÇÃO-DEFINIÇÃO
  • Periodização linear
  • PERIODIZAÇÃO ONDULADA
  • Periodização ondulada
  • Exemplos de Periodização
  • Periodização Ondulada
  • COMPARAÇÃO DOS RESULTADOS
  • FORÇA X PATOLOGIAS
  • LESÕES POR SOBRECARGA, NOS MEMBROS INFERIORES
  • O QUE SÃO?
  • OSTEÍTE DO PÚBIS
  • FRATURAS POR STRESS
  • CAUSAS
  • JOELHO DE CORREDOR
  • PERIOSTITE TIBIAL
  • ENTORSES DO TORNOZELO
  • TRATAMENTO
  • CÃIBRA
  • TENDINITE DO AQUILES
  • FASCIÍTE PLANTAR
  • LENDAS DO EXERCÍCIO
  • Metabolismo dos nutrientes
  • Proteínas
  • Hidratos de Carbono
  • TREINAMENTO DE FORÇA
  • FORÇA
  • MUSCULAÇÃO
  • PRINCÍPIO DA UNIDADE
  • FORÇA MÁXIMA
  • FORÇA EXPLOSIVA
  • FORÇA DE RESISTêNCIA
  • FORÇA DE RESISTÊNCIA
  • INDIVIDUALIDE BIOLÓGICA
  • 3 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO TREINAMENTO DE FORÇA
  • MODELO DE FATORES NEURAIS E HIPERTRÓFICOS
  • DIVISAO ANATOMICA
  • A UNIDADE MOTORA
  • UNIDADES MOTORAS
  • RECRUTAMENTO DE FIBRAS MUSCULARES
  • CONTROLE NEURAL
  • RECRUTAMENTO DE FIBRAS MUSCULARES
  • UNIDADES MOTORAS
  • Estrutura do Músculo Esquelético
  • FIBRA MUSCULAR
  • TIPOS DE FIBRA MUSCULAR
  • CLASSIFICAÇÃO DO TIPO DE FIBRA – MIOSINA DE CADEIA PESADA
  • Fibras de Contração Lenta (Tipo I)
  • O QUE DETERMINA O TIPO DE FIBRA MUSCULAR?
  • COMPOSIÇÃO DOS TIPOS DE FIBRA MUSCULAR
  • COMPOSIÇÃO DAS FIBRAS MUSCULARES
  • MIOFIBRILAS
  • Eventos da Contração Muscular
  • LESÃO NO SARCÔMERO
  • HIPERTROFIA
  • OCLUSÃO VASCULAR
  • CONTROLE DA HIPERTROFIA MUSCULAR
  • M-TOR
  • FATORES HIPERTRÓFICOS
  • CÉLULAS SATÉLITE
  • Respostas Hormonais e Processo de Reparo ao Dano Muscular
  • TIPOS DE SOBRECARGA
  • SUPERCOMPENSAÇÃO
  • HIPERTROFIA IMEDIATA
  • HIPERTROFIA
  • RESPOSTAS HORMONAIS
  • COMPONENTES DA CARGA DE TREINAMENTO DE FORÇA
  • CONTROVÉRSIAS
  • RESPOSTAS HORMONAIS
  • Tipos de Força
  • INTENSIDADE DA CARGA
  • VELOCIDADE DE REPETIÇÃO
  • SÉRIE ÚNICA X SÉRIES MÚLTIPLAS
  • NUMERO DE SÉRIES
  • ESCOLHENDO EXERCÍCIOS
  • ESCOLHA DO EXERCÍCIO
  • EXERCÍCIOS
  • Ordem dos exercícios
  • SÉRIE X EXERCÍCIO
  • HETEROCRONISMO: Estímulo X Recuperação
  • FREQUÊNCIA
  • HIPERPLASIA Aumento do número de células musculares
  • FATOR PSICOLÓGICO
  • INICIANTES
  • PROGRAMA PARA INICIANTES
  • TREINAMENTO FUNCIONAL
  • DESENVOLVIMENTO CORPORAL GLOBAL
  • “OS ESQUECIDOS”
  • Sistemas Avançados
  • APTIDÃO FÍSICA X CARGA DE TREINO
  • PERIODIZAÇÃO-DEFINIÇÃO
  • Periodização linear
  • PERIODIZAÇÃO ONDULADA
  • Periodização ondulada
  • Exemplos de Periodização
  • Periodização Ondulada
  • COMPARAÇÃO DOS RESULTADOS
  • FORÇA X PATOLOGIAS
  • PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIOS : POR ONDE COMEÇAR ?
  • Conceito de carga de treino
  • CLASSIFICAÇÃO DOS EXERCÍCIOS DE EFEITO GERAL
  • EXERCÍCIOS DO GRUPO I
  • EXERCÍCIOS DO GRUPO II
  • EXERCÍCIOS DO GRUPO III
  • DADOS DA LITERATURA
  • QUANTO É SUFICIENTE ???
  • Gasto calórico e movimento
  • VARIÁVEIS A SEREM CONSIDERADAS
  • VOLUME
  • FÓRMULAS DA INTENSIDADE
  • Omni scale
  • FREQÜÊNCIA
  • O EXERCÍCIO AERÓBIO PODE AJUDAR NA MANUTENÇÃO DA MASSA MAGRA ?
  • Evans et al. (1999)
  • RESULTADOS
  • PARÂMETROS PARA TREINAMENTO DA RESISTÊNCIA AERÓBIA
  • EXERCÍCIOS DE EFEITO LOCAL
  • A ORDEM DOS EXERCÍCIOS É REALMENTE IMPORTANTE ?
  • RELAÇÃO VOLUME X INTENSIDADE
  • ESTUDO DE CASO I
  • ESTUDO DE CASO II
  • Comparação metodológica
  • MÉTODOS DE TREINO
  • CIRCUITO COM PESOS
  • CIRCUITO MISTO
  • PIRAMIDAL
  • Múltiplas séries
  • Bi-set, tri-set e super-série
  • Drop set
  • Blitz
  • Método excêntrico
  • Roubada
  • Queima
  • SUGESTÃO DE INTERVALO ENTRE A SESSÕES DE TREINO
  • INTERVALOS DE RECUPERAÇÃO ENTRE A SESSÕES
  • FLEXIBILIDADE
  • PARA QUE SERVE A FLEXIBILIDADE ???
  • QUALIDADE DE VIDA
  • DEFINIÇÃO DE CONCEITOS
  • FUSO MUSCULAR
  • OTG
  • FLEXIBILIDADE X FORÇA
  • PRESCRIÇÃO E ELABORAÇÃO DO TREINAMENTO DA FLEXIBILIDADE
  • O AQUECIMENTO EVE VIR ANTES OU DEPOIS DA FLEXIBILIDADE? UM TEMA POLÊMICO
  • O AQUECIMENTO É IMPORTANTE ???
  • RESULTADOS
  • TESTE DE 1RM
  • FLEXIBILIDADE ATIVA
  • FLEXIBILIDADE PASSIVA
  • Periodização do treinamento
  • CARACTERIZAÇÃO DOS PERÍODOS DO TREINAMENTO
  • COMPONENTES DO MACRO
  • MACROCICLO
  • PRIMEIRO PASSO
  • SEGUNDO PASSO
  • TERCEIRO PASSO
  • QUARTO PASSO
  • QUINTO PASSO
  • SEXTO PASSO
  • SÉTIMO PASSO
  • OITAVO PASSO
  • NONO PASSO
  • DÉCIMO PASSO
  • DÉCIMO SEGUNDO PASSO – ELABORAR A SEMANA DE TREINO
  • Vias de geração de energia durante a atividade física
  • I. D. R. DE PROTEINAS
  • CALCULO DA PROTEINA
  • EXEMPLO
  • DISTRIBUIÇÃO
  • MINHA DISTRIBUIÇÃO
  • DISTRIBUIÇÃO
  • OUTRA DISTRIBUIÇÃO
  • Whey Protein ou Lactoalbumina
  • PROTEINA DE AVB
  • FATORES QUE INFLUENCIAM A HIPERTROFIA
  • DICAS
  • REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS
  • Esteróides Anabolizantes
  • CONCEITO:
  • Estrutura básica dos hormônios sexuais:
  • Estrutura básica dos EAA:
  • Local de síntese dos EAA (testosterona e derivados):
  • Controle da produção:
  • Síntese dos EAA (testosterona e derivados):
  • Aromatização:
  • Ativação da testosterona:
  • Síntese dos EAA (testosterona e derivados):
  • Outras enzimas:
  • Transporte dos EAA e da testosterona:
  • Testosterona:
  • Mecanismo de ação:
  • Proteínas do choque térmico:
  • Mecanismo de ação:
  • Excreção:
  • Efeito androgênico da testosterona:
  • Efeito anabólico da testosterona
  • Cortisol:
  • Outros efeitos anabólicos da testosterona:
  • Efeito andrógeno x anabólico dos EAA:
  • Total efeito anabolizante dos EAA:
  • Outros efeitos dos EAA:
  • Relação do EAA com a idade e o sexo:
  • Tipos de EAA mais consumidos:
  • ORAIS:
  • INJETÁVEIS:
  • EAA mais consumidos:
  • ORAIS:
  • EAA mais consumidos:
  • INJETÁVEIS:
  • Aplicação Clínica dos EAA:
  • Aplicação clínica:
  • Aplicação Clínica dos EAA:
  • Aplicação no Esporte:
  • Doping segundo o COI:
  • Esportes mais suscetíveis ao doping:
  • Caso mais conhecido:
  • Efeitos colaterais e o abuso dos EAA:
  • Efeitos colaterais nos homens:
  • Efeitos colaterais e o abuso dos EAA:
  • Efeitos colaterais nas mulheres:
  • Epidemia silenciosa:
  • Conceição et al., 1999:
  • Da Silva e Czepielewski, em 2001:
  • Referências: