Curso Online de Medicina Tradicional Chinesa - Síndromes e Meridianos Ordinários

Curso Online de Medicina Tradicional Chinesa - Síndromes e Meridianos Ordinários

Medicina tradicional chinesa Medicina Tradicional Chinesa (MTC) também conhecida como medicina chinesa (em chinês: Zhõngyí xué, ou Zhõn...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 6 horas

Por: R$ 63,08
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído



Medicina tradicional chinesa Medicina Tradicional Chinesa (MTC) também conhecida como medicina chinesa (em chinês: Zhõngyí xué, ou Zhõngao xué), é a denominação usualmente dada ao conjunto de práticas de Medicina Tradicional em uso na China, desenvolvidas ao longo dos milhares de anos da sua história.

A Medicina Chinesa originou-se ao longo do Rio Amarelo, tendo formado a sua estrutura acadêmica há muito tempo. Ao longo dos séculos, passou por muitas inovações em diferentes dinastias, tendo formado muitos médicos famosos e diferentes escolas. É considerada uma das mais antigas formas de Medicina Oriental, termo que engloba também as outras medicinas da Ásia, tais como os sistemas médicos tradicionais do Japão, Coreia, do Tibete, da Mongólia e da Índia.

Medicina Chinesa (MTC) fundamenta-se numa estrutura teórica sistemática e abrangente, de natureza filosófica. Tendo como base o reconhecimento das leis fundamentais que governam o funcionamento do organismo humano, e sua interação com o ambiente segundo os ciclos da natureza, procura aplicar esta abordagem tanto ao tratamento das doenças quanto á manutenção da saúde através de diversos métodos.

Inscrições em ossos e carapaças de tartarugas das dinastias Yin e Shang, há 3.000 anos evidenciam registros medicinais, sanitários e uma dezena de doenças. Segundo registros da dinastia Zhou existiam métodos de diagnósticos tais como: a observação facial, a audição da voz, questionamento sobre eventuais sintomas, tomada dos pulsos para observação dos Zang-fu (órgãos e vísceras), assim como indicações para tratamentos terapêuticos como a acupuntura ou cirurgias. Já por essas épocas incluía nos seus princípios o estudo do Yin-Yang, a teoria dos cinco elementos e do sistema de circulação da energia pelos Meridianos do corpo humano, princípios esses que foram refinados através dos séculos seguintes. Nas dinastias Qin e Han haviam sido publicadas obras como “Cânone da Medicina Interna do Imperador Amarelo” (Huangdineijing) considerada atualmente como a obra de referência da medicina chinesa.

*TERAPEUTA NATURALISTA E MASSAGISTA. *TÉCNICO EM MEDICINA CHINESA, *TÉCNICO EM MEDICINA AYURVEDA *TÉCNICO EM MEDICINA E TIBETANA *CONSULTOR PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA. *CONSULTOR INTELIGÊNCIA EMOCIONAL APLICADA EM SALA DE AULA. *TÉCNICO EM LEITURA DINÂMICA ,MAPAS MENTAIS E APRENDIZAGEM ACELERADA. *FORMADO EM QUÍMICA / BIOLOGIA



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Medicina Tradicional Chinesa
    Síndromes
    E
    Meridianos Ordinários

  • O meridiano do baço-pâncreas, Tai-Yin da perna

    O meridiano do baço-pâncreas, Tai-Yin da perna

    O meridiano do baço-pâncreas, Tai-Yin da perna
    Este meridiano é de natureza Yin e apresenta-se acoplado ao meridiano do estômago, que é de natureza Yang. Recebe a energia do meridiano do estômago, e transmite-a ao meridiano do coração.
    Pertence ao elemento Terra de Yin, enquanto sua Mãe é de Fogo, de Yin (o meridiano do coração) e seu filho é de Metal, de Yin (o meridiano do pulmão).
    Tem 21 pontos de cada lado.
    I. Trajetória
    Este meridiano começa no dedão do pé; sobe ao longo do lado medial do dedão, primeiro metatarso ao maléolo medial. Continua ao longo da borda póstero-medial da tíbia; passa pelo lado medial do joelho, e sobe pelo lado medial da coxa, atingindo a região da virilha; daí, segue pela região ântero- lateral do abdômen e pelo lado lateral do peito até a axila.
    O ramal profundo parte da região ingüinal; introduz-se na cavidade do abdômen; liga-se ao meridiano do baço-pâncreas e ao do estômago; passando pelo diafragma; contorna então o esôfago e atinge a raiz e o lado inferior da língua.
    Este meridiano possui um outro ramal que sai do estômago, passa pelo diafragma e liga-se ao coração (Fig. 21).

  • II. Sintomatologia
    1. Sintomas principais
    A. Gerais: desnutrição; palidez.
    B. Gastrointestinais: epistralgia; distensão abdominal; eructação; náuseas e vômitos depois de comer; dispepsia; opressão no peito; diarréia; icterícia; dor na raiz da língua; corpo desvitalizado e indolente; depressão; insônia; sonolên- cia e tendência a sonhar.
    C. Musculares: distrofia e fraqueza muscular.
    D. Hematológicos: anemia; menorragia.
    E. Psicológicos: dificuldade de concentração; preocupação; depressão.
    Sintomas e sinais de excesso energético: distensão abdominal; epigastral- gia; icterícia e febre; dor nas articulações; eructação; constipação.
    Sintomas e sinais de depleção energética: distensão do intestino; borborig- mo; diarréia; indigestão; inapetência; náuseas e vômito; insônia (acorda facilmente); fraqueza e distrofia dos membros; indolência; ascite.

  • Os pontos do meridiano do baço-pâncreas

    Os pontos do meridiano do baço-pâncreas

    III. Os pontos do meridiano do baço-pâncreas
    1. Yinbai (BP1): ponto Jin, pertence ao elemento Madeira Localização: no lado medial do dedão do pé; 0,1 tsun póstero-medial do leito ungueal (Fig. 22).
    Aplicação: agulhar, obliquamente, para cima, 0,1-0,2 tsun; para sangrar uma a duas gotas.
    Indicações: distensão abdominal; diarréia; menstruação irregular; menorra- gia; insônia; distúrbio mental; sonolência; tendência ao sonho.

  • 2. Dadu (BP2): ponto Ying, pertence ao elemento Fogo; ponto de Mãe
    Localização: no lado medial do dedão do pé, ântero-inferior da articulação do primeiro metatarso-falangeal, entre as peles escura e clara (Fig. 22). Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,3-0,5 tsun; moxa, 10 minutos. Indicações: distensão abdominal; eólica abdominal; lombalgia; gastroenterite; indigestão; constipação; cansaço do corpo.
    3. Taipai (BP3): ponto Shu, pertence ao elemento Terra
    Localização: no lado medial do pé, póstero-inferior do joanete (na articulação do primeiro metatarso-falangeal), na linha da junção da pele escura e clara (Fig. 22)
    Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,3-0,5 tsun; moxa, 10 minutos. Indicações: gastralgia; distensão abdominal; eólica do intestino; indigestão; gastroenterite; disenteria; hemorróidas; artrite no pé; gota; lombalgia.
    4. Gungsun (BP4): ponto Lo
    Localização: no lado medial do pé; l tsun atrás da articulação metatarso- falangeal, na junção da pele escura e clara (Fig. 22).
    Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,3-0,5 tsun; moxa, 10 minutos. Indicações: gastralgia; dispepsia; inapetência; náuseas e vômito; diarréia; distensão do estômago e intestino; eólica abdominal; colite crônica; inchaço do rosto; gota; metatarsalgia; epilepsia.

  • 5. Shangqiu (BP5): ponto Jing, pertence ao elemento Metal; ponto de Filho
    Localização: na fossa ântero-inferior do maléolo medial do tornozelo, do ponto de encontro das linhas das bordas anterior e inferior do maléolo medial (Fig. 22).
    Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,3-0,5 tsun; moxa, 10 minutos. Indicações: distensão abdominal; borborigmo; dispepsia; vômito; diarréia; constipação; icterícia; hemorróidas; dor no tornozelo.
    6. Sanyinjiao (BP6)
    Localização: 3 tsun acima do maléolo medial, na borda póstero-medial da tíbia (Fig. 22).
    Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,3-1 tsun; moxa, 15-20 mi- nutos.
    Indicações: distúrbios de estômago e pâncreas; distensão epigástrica; indiges- tão; falta de apetite; borborigmo e diarréia; distúrbios dos órgãos genitais; menorragia; dismenorréia; menstruação irregular; impotência; orquite; dor no pênis; aspermia; infecção urogenital; dor ou artrite na perna; inchaço na perna.
    7. Lougu (BP7): ponto Lo
    Localização: 6 tsun acima do maléolo medial, na borda posterior da tíbia (Fig. 23).
    Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,3-1 tsun; moxa, 10 minutos. Indicações: borborigmo; distensão abdominal; magreza; enurese; hérnia ingüi- nal; dor ou adormecimento da perna; frio na perna ou no pé.

  • 8. Diji (BP8): ponto Xi
    Localização: no lado medial da perna, 5 tsun abaixo do joelho, 3 tsun abaixo do ponto Yinlingquan (BP9), na borda posterior da tíbia (Fig. 23).
    Aplicações: agulhar, perpendicularmente, 0,3-1 tsun; moxa, 10 minutos. Indicações: distensão abdominal; falta de apetite; indigestão; diarréia; disme- norréia; leucorréia; hérnia ingüinal; aspermia; lombalgia.
    9. Yinlingquan (BP9): ponto Ho, pertence ao elemento Água
    Localização: no lado medial da cabeça da tíbia; na depressão da borda póstero-inferior da tíbia; na linha inferior da tuberosidade da tíbia (Fig. 23). Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,5-1 tsun. Indicações: distensão abdominal; indigestão; eólica abdominal; diarréia; disen- teria; edema; oligúria; ascite; dor gênito-urinária; micção noturna; menstrua- ção irregular; dor na perna e joelho; furunculose na coxa medial; dor no cotovelo.

  • 10. Xuehai (BP10)
    Localização: 2 tsun acima da borda superior da patela, no lado do músculo vastus medial (Fig. 23).
    Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,5-1 tsun; moxa, 10-20 mi- nutos.
    Indicações: menstruação irregular; menorragia; oligúria ou menorréia; infec- ção genital; urticária; furunculose na coxa medial.
    11. Jimen (BP11)
    Localização: 6 tsun acima do Xuehai (BP10), no lado medial do músculo
    sartório (Fig. 23).
    Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,5-1 tsun; evitar a artéria;
    moxa, 10 minutos.
    Indicações: dor no lado medial da coxa e ingüinal; dor na pélvis; hemorróidas;
    infecção genital; disúria; enurese; impotência; orquite.
    12. Chongmen (BP12)
    Localização: 6 tsun do ponto medial da borda superior da sínfise púbica, no lado lateral da artéria (Fig. 24).
    Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,3-0,7 tsun; evitar a artéria. Indicações: dor ou inflamação nos órgãos genitais; leucorréia; orquite; endo- metriose; hérnia.

  • 13. Fushe (BP13): ponto Xi de Tai Ying
    Localização: 0,7 tsun acima do Chongmen (BP12) e 4 tsun no lado
    lateral da linha média vertical do abdômen (Fig. 24).
    Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,7-1 tsun; moxa, 15 minutos.
    Indicações: eólica abdominal; diarréia; hérnia ingüinal; apendicite; distensão
    abdominal.
    14. Fujie (BP14)
    Localização: 1,3 tsun abaixo do ponto Daheng (BP15), 4 tsun na borda lateral da linha medial do abdômen (Fig. 24).
    Aplicação: agulhar, perpendicularmente, 0,7-1 tsun; moxa, 15 minutos. Indicações: dor de barriga periumbilical; hérnia; diarréia; apendicite.
    15. Daheng (BP15)
    Localização: na linha horizontal do umbigo, 4 tsun na borda lateral do
    umbigo (Fig. 24).
    Aplicação: agulhar 0,7-1 tsun; moxa, 10 minutos.
    Indicações: diarréia; eólica crônica; prisão de ventre; dor abdominal; paralisia
    intestinal; hiper-hidrose noturna.

  • 16. Fuai (BP16)
    Localização: 3 tsun acima do ponto Daheng (BP15), 4 tsun no lado
    da linha medial (Fig. 24).
    Aplicação: agulhar 0,7-1 tsun; moxa, 15 minutos.
    Indicações: dor de barriga periumbilical; indigestão; constipação.
    17. Shiduo (BP17)
    Localização: no quinto espaço intercostal, 6 tsun no lado da linha medial (Fig. 24).
    Aplicação: agulhar, obliquamente, 0,3-0,8 tsun; moxa, 15 minutos. Indicações: pneumonia; pleurite; nevralgia intercostal; hepatite; cirrose e ascite; disenteria; indigestão.
    18. Tianxi (BP18)
    Localização: no quarto espaço intercostal, 6 tsun no lado da linha medial ou 2 tsun no lado da linha do mamilo (Fig. 24). Aplicação: agulhar, obliquamente, 0,3-0,8 tsun; moxa, 15 minutos. Indicações: nevralgia intercostal; dor no lado do peito; mastite; tosse; soluço.

  • 19. Xiongxiang (BP19)
    Localização: no terceiro espaço intercostal, 6 tsun no lado da linha medial (Fig. 24).
    Aplicação: agulhar, obliquamente, 0,3-0,8 tsun; moxa, 15 minutos. Indicações: igual ao ponto Tianxi (BP18).
    20. Zourong (BP20)
    Localização: no segundo espaço intercostal, 6 tsun no lado da linha medial (Fig. 24).
    Aplicação: agulhar, obliquamente, 0,3-0,8 tsun; moxa 15 minutos. Indicações: dor e distensão no peito; nevralgia intercostal; tosse.
    21. Dabao (BP21)
    Localização: 3 tsun abaixo da fossa axilar, na linha midaxilar no sexto
    espaço intercostal (Fig. 24).
    Aplicação: agulhar, obliquamente, 0,3-0,8 tsun; moxa, 10 minutos.
    Indicações: asma; pneumonia; pleurite; dor intercostal; dor no lado do peito;
    fraqueza e dor no corpo inteiro.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 63,08
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • O meridiano do baço-pâncreas, Tai-Yin da perna
  • Os pontos do meridiano do baço-pâncreas
  • O meridiano do coração, Shao-Yin da mão
  • Os pontos do meridiano do coração
  • O meridiano do intestino delgado, o Tai-Yang da mão
  • Os pontos do meridiano do intestino delgado
  • O meridiano da bexiga, Tai-Yang da perna
  • Os pontos do meridiano da bexiga
  • O meridiano dos rins, o Chao-Yin da perna
  • os pontos do meridiano dos rins
  • O meridiano do pericárdio, Jue-Yin do braço
  • Os pontos do meridiano do pericárdio
  • O meridiano do triplo-aquecedor, Shao-Yang do braço
  • Os pontos do meridiano triplo-aquecedor
  • O meridiano da vesícula biliar, o Chao-Yang das pernas
  • . Os pontos do meridiano da vesícula biliar
  • O meridiano do fígado, Jue-Yin da perna
  • Os pontos do meridiano do fígado