Curso Online de Manual do Dedetizador
4 estrelas 26 alunos avaliaram

Curso Online de Manual do Dedetizador

O curso abrange, as principais pragas urbanas e sua biologia, meio de combater as pragas e manual operacional para dedetizador.

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 26 horas

Por: R$ 36,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

O curso abrange, as principais pragas urbanas e sua biologia, meio de combater as pragas e manual operacional para dedetizador.

E-mail: blodrom_biologo@yahoo.com.br blodrom_biologo@hotmail.com Wilker Empresa: REYDROGAS Cargo: Aux. expedição Período: 05/05/2003 ate 31/11/2003 Empresa: Átra Unibanco. Cargo: Operador de Telemarketing (Ativo) Período: 05/03/2004 ate 15/11/2004 Empresa: C.T.C Cooperativa de Transporte Coletivo Cargo: Apontador Período: 05/01/2004 ate 20/12/2004 EXPERIÊNCIA Empresa: H.U.G.O Hospital De Urgência De Goiânia. Cargo: Condutor De Maca Período: 24/12/2004 ate 30/12/2007 Empresa: Sociedade Cidadão 2000 Cargo: Educador Social Período: 08/10/2007 ate 11/06/2008 Empresa: AMMA- Agência Municipal Do Meio Ambiente Cargo: Estagiário De Biólogo Período: 21/04/2008 ate 21/04/2009 Empresa: Colégio Estadual Santa Luzia Cargo: Professor de Biologia Período: 01/08/2009 ate 24/02/2011 Empresa: COEPS- Colégio Evangélico Principio da Sabedoria Cargo: Professor de Biologia e Ciências Período: 01/02/2011 FORMAÇÃO INFORMÁTICA CURSOS EXTRA CURRICULARES Graduado em Ciências Biológicas Licenciatura. Faculdade Araguaia. Av. T10 Nº 1047 Setor Bueno. Telefone: (62) 3274-3161 Site: www.faculdadearaguaia.edu.br Informática Básica, Word, Excel, Internet, Digitação, Crowe Drew, Apresentação Em Powerpoint. Identificação e Manejo De Serpentes-Faculdade Araguaia. Período: 28 A 29 De Abril De 2006, 12 Horas/Aula. Educação Ambiental ? IBAMA. Período: Março e Junho de 2006, 48 Horas/Aula Curso Básico em Libras-Faculdade Araguaia. Período: 23 a 31 De Julho De 2007, 36 Horas/Aula. Curso de Diagnóstico Molecular, Taxidermia e Oficina de Paleontologia ? Faculdade Araguaia. Período: 07 A 12 de Maio de 2007, 20 Horas/Aula. Monitor de Microbiologia-Faculdade Araguaia. Período: Segundo Semestre de 2007. 51 Horas/Aula Curso de Biologia e Evolução da Sociedade em Insetos ? Faculdade Araguaia. Período: 09 a 10 de Outubro de 2008. 4 Horas/Aula. Curso de Toxicologia ? Faculdade Araguaia. Período: 09 a 10 de Outubro de 2008. 6 Horas/Aula. Métodos e Técnicas de Pesquisa- CIEE. Período 09 de abril de 2009, 3 Horas/Aulas Produção de Texto e Redação Empresarial- CIEE. Período: 19 de abril de 2009, 12 Horas/Aulas Tecnologia da Informação e Comunicação- SENAI. Período: 10 de março de 2009, 14 Horas/ Aulas. Segurança no Trabalho- SENAI. Período: 17 de março de 2009, 14 Horas/Aulas. Introdução a Projeto- Ciee. 19 de abril de 2009, 3Horas/Aulas. Métodos de Amostragem da Mastofauna- Faculdade Araguaia. Período: 26 de maio de 2009, 4 Horas/aula. Ecologia de Riachos-Faculdade Araguaia. Período: 29 de Maio de 2009, 4 Horas/Aula. Técnicas de Vendas- SENAI. Período 15 a 30 de março de 2012, 25 Horas/ Aulas.


- Vanderley Estruzani

- Jaídson Gonçalves Da Rocha

"ecelente nota 10 parabens"

- Ronaldo De Araujo Oliveira

- Valter De Assis Almeida

"o curso e excelente,tem todos os conteudos que sao necessarios para se saber sobre a funçao,textos bem elaborados,e no final um certificado que compensa as horas de estudos!"

- Ivan Pereira Pinto

- Nilson Batista Dos Santos

- Maria Do Espirito Santo Nascimento Freitas

- Ulysses Altruda Crispim

"e"

- Anderson Carlos Guerra

"otimo"

- Antonio Marcos Rodrigues Ribeiro

"Encontro dificuldade em receber a apostila referente ao curso."

- Fabio Silveira

- JosÉ Carlos Zacarias Dos Santos

- Agenor De Souza

- Ricardo De Alcantara Pinto758

- Nelson Adão

- James Dos Santos

- Patricia Nunes Da Silveira

- Jair Cesario

- Pablo Henrique Rezende Oliveira

- Aldemir Silvano Da Silva

- Osmar Ferreira Borges

- Everaldo Batista Junior

- Edson Medardo De Souza

- Claudio Xavier De Araujo Feio

"Não sei se houve algum erro no dowload, mas o curso inteiro é somente slids, sem som? Se for o que vi, achei péssimo. Se tive problemas no baixar o curso, me avisem e me permitam revê-lo. Mas o que ví, repito, achei péssimo."

- Carlos Henrique Lopes Lima

- Marcos Antonio Teixeira Matos

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Manual Para Dedetizador

    Manual Para Dedetizador

    Biólogo: Wilker Blodrom Rodrigues Nunes

  • Módulo 1

    Módulo 1

    Conhecendo As Especies.

    Quais Os Venenos Indicados.

  • Módulo 2

    Módulo 2

    Como Ser Um Dedetizador.
    Procedimento Para Recebimento Dos Produtos.
    Procedimento Para Armazenamento Dos Produtos.
    Procedimento Para Manipulação De Produtos.
    Procedimento Para Transporte Dos Produtos.
    Procedimento Para Acondicionamento Das Embalagens Vazias.
    Procedimento Para Remoção Do Epi.
    Procedimento Para Lavagem Das Mãos.
    Procedimento Com A Roupa De Trabalho.
    Procedimento Para O Banho.

  • Módulo 1 Dedetização

    Módulo 1 Dedetização

    O termo dedetização surgiu da substância Dicloro-Difenil-Tricloroetano – DDT, muito utilizada na Segunda Guerra Mundial para proteger os soldados contra insetos, porém foi banida pelos órgãos de saúde devido ao elevado grau de toxidade e contaminação ambiental. Mesmo assim o nome passou a representar toda e qualquer substância para o controle de pragas e é por isso que hoje, embora seja vetado o uso do DDT no país, o termo dedetização é adotado. Porém, usualmente são utilizados os termos desinsetização para o controle químico de insetos como barata, cupins e formiga ou desratização para o controle químico de ratos. Entende-se por praga, nome popular, os insetos, ácaros, ratos, pombos, entre outros animais sinantrópicos, que são aqueles que vivem próximas às habitações humanas, ou seja, que em determinado local ou momento podem causar algum dano direto ou indireto à saúde humana.

  • Cupim ou Cupins

    Cupim ou Cupins

    Os cupins são animais da ordem Isoptera e, como indicam os registros fósseis, estes animais habitam o nosso planeta há pelo menos 250 milhões de anos. São representados por 3000 espécies de cupins no mundo, 290 registradas no Brasil, e somente 4 destas potencialmente sinantrópicas, ou seja, vivendo próximas de moradias humanas.
    São insetos de organização social com papel importante como decompositores, reciclando matéria orgânica e aerando o solo quando constroem galerias. Alguns cupins, no entanto, pelo hábito de comer madeira e se alimentarem das raízes das plantas de interesse do homem, podem causar problemas na produtividade das plantações e nas construções civis. São popularmente conhecidos por siriris ou aleluias.

  • Habitat dos Cupins

    Habitat dos Cupins

    Os ninhos construídos no interior de madeiras secas ocorrem causam transtornos à sociedade humana ao infestar móveis, casas e outras construções, trazendo prejuízos econômicos, além de danos históricos.
    As espécies de cupim que habitam mobílias e madeiras em geral instalam-se em cavidades interligadas que produzem. A estrutura da madeira se torna tão fina que se quebra com facilidade. Sempre há também orifícios circulares que ligam as cavidades com o exterior. Os principais materiais usados na construção desses ninhos são partículas de solo e/ou madeira, material fecal e saliva, em diferentes proporções.

  • Ciclo de vida dos Cupins

    Ciclo de vida dos Cupins

    Os cupins são insetos que apresentam metamorfose incompleta, ou seja, o estágio imaturo não difere muito do estágio adulto, no que diz respeito à forma e preferência alimentar. O ciclo de vida desses insetos compreende os ovos, formas jovens (ou ninfas) e adultos.
    Os cupins têm polimorfismo, isto é, cada casta tem forma distinta. A casta dos reprodutores são os reis e as rainhas, que na câmara nupcial que escavam juntos, copulam e dão início a uma população. Dos ovos eclodem formas jovens, que irão se transformar em operários, soldados ou novos reprodutores.
    Os operários são responsáveis pela construção dos ninhos, pela coleta de alimento, pelo cuidado de outras castas e, freqüentemente, também colaboram na defesa da colônia. São estéreis, ou seja, não são capazes de se reproduzir.
    Os soldados defendem a colônia contra inimigos e invasores. Possuem cabeça e mandíbulas grandes e apresentam uma grande variedade de formas e mecanismos de defesa, tanto mecânica como química. Muitos possuem glândulas especiais que produzem secreções de defesa.
    Alimentam-se, basicamente, de materiais celulósicos, que encontram em papéis, estruturas de madeira e raízes de plantas, e para digeri-las têm associações com protozoários ou mais comumente com bactérias.

  • Reprodução dos cupins

    Reprodução dos cupins

    Na primavera, quando o ar está mais úmido, geralmente após uma chuva, machos e fêmeas enxameiam, ou revoam e, chegando ao solo, perdem as asas e formam os casais reais. Então, num pequeno buraco ou depressão próximo à uma madeira ou escavando uma câmara no solo, copulam, a rainha põe ovos e iniciam um novo ninho. Logo a população de operárias e soldados que destes nascem iniciam suas funções.

  • Importância e Curiosidades dos Cupins

    Importância e Curiosidades dos Cupins

    No entanto, a importância ecológica, reside na decomposição de madeiras mortas, na aeração, drenagem e ciclagem de nutrientes do solo, além de no caso dos montículos servirem de abrigo para vários outros animais, e também, de alimento para pássaros, morcegos, primatas e até humanos.
    Na pesquisa cientifica, alguns estudos demonstram que os cupins ao digerir o principal constituinte das plantas, que é a celulose, geram um gás com grande eficiência que tem alto poder de combustão. A circulação de ar dentro do montículo através da convecção serve de modelo para a construção de casas ecológicas.

  • Curiosidades dos Cupins

    Curiosidades dos Cupins

    Em algumas espécies africanas de cupins, os montículos podem chegar a 8 metros de altura, com uma população de aproximadamente 2 milhões de indivíduos.
    Os cupins operários podem se deslocar 115 metros além da colônia, à procura de alimento.
    Para certas espécies australianas demonstrou-se que a arquitetura do cupinzeiro tem base de construção em orientações magnéticas da terra.
    Os cupins utilizam de correntes de convicção para regular a temperatura e umidade dentro do cupinzeiro.
    Alguns engenheiros na Inglaterra vêm estudando as correntes de convecção dos cupins de montículo para aplicar na construção de casas ecológicas.
    Gases produzidos na digestão bacteriana no intestino de cupins podem ser utilizados como combustível.
    Nem todos os cupins atacam madeiras, os de montículo, por exemplo, freqüentes nas pastagens alimentam-se de raízes mortas de gramíneas.

  • Métodos de controle para Cupins subterrâneos

    Métodos de controle para Cupins subterrâneos

    Barreiras químicas
    Consiste na injeção de inseticidas líquidos em perfurações ao longo da residência. Para utilizar este método preventivo deve ser feita uma análise prévia da existência de lençóis freáticos no local, uma vez que este procedimento pode contaminar águas subterrâneas. Esta técnica muito utilizada em áreas urbanas com alta infestação de Coptotermes havilandi, como é o caso da cidade de São Paulo e Rio de Janeiro.
    Barreiras Físicas
    É um método preventivo que consiste em aplicar materiais impermeáveis a uma profundidade adequada, para que os cupins não consigam cruzar esta barreira. É uma técnica muito utilizada nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo.
    Iscas
    Este método tem como função, atrair os cupins para as iscas de madeiras ou papelão, tratadas com pesticidas. Os cupins, após se alimentarem destas iscas, se contaminam e dissemina o pesticida pela colônia, exterminado a mesma.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 36,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Módulo 1
  • Dedetização
  • Cupim ou Cupins
  • Habitat dos Cupins
  • Ciclo de vida dos Cupins
  • Reprodução dos cupins
  • Importância e Curiosidades dos Cupins
  • Curiosidades dos Cupins
  • Métodos de controle para Cupins subterrâneos
  • Descupinização Descupinização - Cupins subterrâneos
  • Medidas preventivas
  • Descupinização - Cupins Arborícolas
  • Descupinização - Cupins de Madeira Seca
  • Inseticidas para os 3 tipos de cupins
  • BHC
  • Aldrin
  • Pentaclorofenol
  • Dursan
  • Lindane
  • Clordane ou Octaclorado
  • Biologia dos Ratos
  • Rato de Esgoto
  • Rato de Telhado
  • Habitat dos Ratos
  • Ciclo de Vida dos Ratos
  • Métodos de Controle A infestação de ratos pode ser verificada através de alguns sinais
  • Produtos de uso profissional para o controle de roedores
  • Outras Marcas
  • Biologia das Baratas
  • BARATAS
  • Desenvolvimento
  • Inimigos naturais
  • Morfologia externa
  • Respiração
  • Sistema nervoso
  • Sistema circulatório
  • Sistema excretor
  • Sistema digestivo
  • Sistema endócrino e hormônios
  • Habitat das Baratas
  • Alimentação das Baratas
  • Controle
  • Dedetização de Barata
  • Anidro Arsenioso
  • Fluoreto de Sódio
  • DDT
  • Lindane
  • Clordane ou Octaclorado
  • Clortiom
  • Dursan
  • Fenclorfos
  • Arprocarbe
  • Carbaril
  • Biologia das Formigas
  • Morfologia externa:
  • As formigas são divididas em três tipos:
  • Trabalho
  • Atribuição de Tarefas
  • Principais Espécies Urbanas Encontradas no Brasil
  • Hábitat das Formigas
  • Hábitos alimentares
  • Longevidade
  • Hábitos reprodutivos
  • Danos causados pelas formigas
  • Veneno para formigas
  • BLATTANEX GEL 10GR FORMIGA
  • FORMICEL 10 GR
  • PIKAPAU ISCA PARA FORMIGA
  • Biologia dos Pombos
  • BIOLOGIA DOS POMBOS
  • DOENÇAS TRANSMITIDAS
  • Principais espécies
  • Espécies
  • Reprodução
  • Alimentação
  • Tempo de vida
  • Habitat
  • Predadores
  • MÉTODOS DE CONTROLE
  • Combate e Controle
  • Veneno para pombos pardais urubus, avitrol made in USA
  • Moscas
  • Algumas Espécies
  • Alimentação das Moscas
  • Ciclo Biológico das Moscas
  • Espécies Consideradas Pragas
  • Musca domestica
  • Problemas na Sociedade
  • Problemas para a Saúde
  • Métodos de Controle - Dedetização
  • Biologia do Mosquito/Pernilongo
  • Mosquito/Pernilongo
  • Hábitos Alimentares
  • Comportamento
  • Atração dos mosquitos
  • Cópula
  • Ciclo de vida
  • Ovo
  • Larvas
  • Pupa
  • Adulto
  • Doenças Transmitidas pelo Mosquito/Pernilongo
  • Vírus Transmitidos pelos Mosquitos
  • COMBATE AO MOSQUITO
  • Controle Genético
  • Controle Químico
  • Inseticidas
  • Controle Comportamental (Atraentes)
  • Monitoramento
  • Pulgas
  • Biologia das Pulgas
  • Hábitos das Pulgas
  • Espécies mais Importantes e Onde Vivem
  • Ciclo de Vida das Pulgas
  • Controle
  • Escorpiões
  • Habitat dos Escorpiões
  • Reprodução dos Escorpiões
  • O que é um escorpião?
  • Morfologia e anatomia
  • Quais as espécies
  • Tityus serrulatus
  • Tityus bahiensis
  • Tityus stigmurus
  • Tityus paraensis
  • Outras espécies comuns, de menor relevância para saúde pública
  • Tityus silvestris
  • Tityus brazilae
  • Tityus confluens
  • Tityus costatus
  • Tityus fasciolatus
  • Tityus neglectus
  • Controle de escorpiões
  • Biologia das Aranhas
  • Reprodução das Aranhas
  • Ciclo de Vida das Aranhas
  • Principais Grupos de Aranhas
  • Gênero Phoneutria (Família Ctenidae)
  • Gênero Latrodectus (Família Theridiidae)
  • Métodos de Controle
  • Biologia dos Ácaros
  • Biologia das Brocas
  • Ciclo de Vida das Brocas
  • Outras Pragas
  • Módulo 2 Equipamentos de Controle de Pragas para Dedetizadoras
  • Seringas
  • EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
  • PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA TÉCNICAS EM DEDETIZADO