Curso Online de Manual de Interrogatório

Curso Online de Manual de Interrogatório

Programa, o que você irá aprender: DEFINIÇÕES CONTROLE E TRATAMENTO DE PRISIONEIROS INTERROGATÓRIO DE CONTRA-INFORMAÇÃO (DE SUBVERSIVOS) ...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 5 horas

Por: R$ 24,90
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Programa, o que você irá aprender: DEFINIÇÕES CONTROLE E TRATAMENTO DE PRISIONEIROS INTERROGATÓRIO DE CONTRA-INFORMAÇÃO (DE SUBVERSIVOS) PSICODINÂMICA DO INTERROGATÓRIO INTERROGATÓRIO ATRAVÉS DE UM INTÉRPRETE CONCLUSÕES (Enxerto) O PROCESSO DE INTERROGATÓRIO MÉTODOS COMUNISTAS DE INTERROGATÓRIO E DOUTRINAÇÃO, ideal para quem quer ser da polica.


  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Manual De Interrogatório

    Manual De Interrogatório

  • Programa, o que você irá aprender:

    Programa, o que você irá aprender:

    DEFINIÇÕES

    CONTROLE E TRATAMENTO DE PRISIONEIROS

    INTERROGATÓRIO DE CONTRA-INFORMAÇÃO (DE SUBVERSIVOS)

  • PSICODINÂMICA DO INTERROGATÓRIO

    INTERROGATÓRIO ATRAVÉS DE UM INTÉRPRETE

    CONCLUSÕES (Enxerto)

    O PROCESSO DE INTERROGATÓRIO

    MÉTODOS COMUNISTAS DE INTERROGATÓRIO E DOUTRINAÇÃO

  • Introdução ao manual de interrogatório:

    Introdução ao manual de interrogatório:

    a. O prisioneiro representa uma fonte potencial de valiosas informações sobre um inimigo, a cujas hostes pertenceu até bem pouco tempo.

    Sob certas circunstâncias, pode ser a única fonte, ou pelo menos a principal delas.

    A exploração dessa fonte exige considerável habilidade e deve ser atribuída a interrogadores treinados e, apenas em limitadas circunstâncias, à equipe que aprisionou o indivíduo.

  • b. O valor e a extensão da informação obtida de um prisioneiro depende não só da habilidade do interrogador, como também da velocidade com que o prisioneiro lhe foi apresentado e da eficiência do órgão que controla e orienta o interrogador.

    DEFINIÇÕES

    a. Há muita confusão quanto ao significado dos termos LAVAGEM CEREBRAL e DOUTRINAÇÃO e seu relacionamento com o interrogatório.

    As seguintes definições devem ser, portanto, bem entendidas.

  • 1) Lavagem Cerebral – “É a limpeza da mente de todas as ideias anteriores, por uma persistente e intensiva pressão psicológica, que culmina pela substituição daquelas ideias por outras, normalmente, com a finalidade de tornar o indivíduo dócil e desejoso de confessar crimes imaginários em um julgamento público”.

    O mais conhecido exemplo desse processo, nos recentes anos, foi o caso do cardeal húngaro MINDSZENSKY.

  • 2) Doutrinação – “Inocular com uma doutrina, idéia ou opinião”.

    A doutrinação de prisioneiros de guerra tem sido levada a efeito, em vários níveis, pelos norte-coreanos e chineses, com o pessoal que aprisionaram durante a guerra coreana, numa tentativa de convertê-los ao comunismo.

    3) Interrogatório – “É a extração sistemática de informações de um indivíduo”.

  • b. Torna-se patente, dessas definições, que o interrogatório é o único desses processos que está realmente relacionado com as informações, enquanto que a lavagem cerebral e a doutrinação estão relacionados com ideias que são colocadas na mente do paciente.

    Torna-se evidente, pois, que o interrogatório é o único desses processos que tem valor para as Informações.

    c. O objetivo do interrogatório é obter informações corretas e oportunas.

  • 3. GENERALIDADES

    3. GENERALIDADES

    a. Tipos de Prisioneiros em Operações Militares

    Há três tipos de indivíduos que apresentam problemas para o interrogador:

    1) O Prisioneiro de Guerra. Normalmente, um soldado é treinado para informar, somente, seu número, posto (ou graduação), nome e data de nascimento.

    Mesmo se ele falar, isto não alterará sua situação de PG. O problema do interrogador é fazê-lo falar.

  • 2) O Suspeito. O suspeito está numa posição diferente de um prisioneiro de guerra.

    Ele foi selecionado para interrogatório em virtude de algo que se conhece a seu respeito ou de alguma coisa que haja praticado.

    Se ele puder convencer o interrogador de sua inocência, será libertado.

    O problema do interrogador é fazê-lo falar a verdade.

  • 3) O Desertor ou Refugiado. O desertor (ou refugiado), normalmente, contará um estória muito colorida porque quer causar boa impressão, ou porque queira melhorar suas chances de começar uma vida nova.

    O problema é separar informações verídicas dos exageros e das invencionices. (Obs.: Tipos de prisioneiros nas operações de Segurança Interna – ver n.° “5. d”).


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 24,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Manual De Interrogatório
  • Programa, o que você irá aprender:
  • Introdução ao manual de interrogatório:
  • 3. GENERALIDADES
  • CONTROLE E TRATAMENTO DE PRISIONEIROS
  • Seleção para Interrogatório
  • Preparação para Interrogatório
  • Métodos de interrogatório
  • Relatórios
  • INTERROGATÓRIO DE CONTRA-INFORMAÇÃO (DE SUBVERSIVOS)
  • Tipos de Prisioneiros
  • Tipos de personalidades
  • Planejamento e preparação
  • Técnicas
  • Método
  • Interrogatório detalhado
  • PSICODINÂMICA DO INTERROGATÓRIO
  • Tipos de caráter
  • INTERROGATÓRIO ATRAVÉS DE UM INTÉRPRETE
  • CONCLUSÕES (Enxerto)
  • O PROCESSO DE INTERROGATÓRIO