Curso Online de REGRAS PARA O TRANSPORTE E  ESTOCAGEM  DE AMOSTRAS DE ALIMENTOS PARA ANÁLISES MICROBIOLÓGICAS

Curso Online de REGRAS PARA O TRANSPORTE E ESTOCAGEM DE AMOSTRAS DE ALIMENTOS PARA ANÁLISES MICROBIOLÓGICAS

Este curso destina-se as profissionais de laboratórios nas mais diversas, tais como áreas de ensino, de saúde e de laboratórios alimentos...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 5 horas

De: R$ 100,00 Por: R$ 70,00
(Pagamento único)

Mais de 10 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Este curso destina-se as profissionais de laboratórios nas mais diversas, tais como áreas de ensino, de saúde e de laboratórios alimentos de empresas. Em ambos os casos, é de suma importância haver uma padronização das técnicas de transporte e estocagem apropriadas para cada tipo de amostras de alimentos. Para que os analistas possam exercer suas atividades com alto índice de confiabilidade em seus ensaios laboratoriais. Para isso foi elaborado o curso a fim de fornecer subsídios para a utilização correta de técnicas de transporte e estocagem das amostras de alimentos destinadas à realização de análises microbiológicas.

Sou Biológo Licenciado pela Universidade do Estado de Mato Grosso - Unemat, com Especialização em Processamento e Controle de Qualidade em Carnes, Leite e Ovos, pela Universidade Federal de Lavras - UFLA, com 17 (doze) anos de experiência em laticinios, nas mais diverdas aréas, como laboratório Fisico-quimico e Microbiológico,atuando no Controle e na garantia da Qualidade. De 2013 a 2015 trabalhei na area de processamento e no controle de qualidade em um Frigorifico (abatedouro) de Aves, e em uma fabrica de industrializados embutidos de derivados de aves, atuando como Supervisor nas áreas de Processamento Industrial na produção de Linguiças, Salsichas, Mortadelas, Presunto e Apresuntado de frango, e no Controle e Garantia da Qualidade. Em outubro de 2015 a abril de 2019, voltei novamente em laticínio, com produção de queijos: Mussarela, Prato, Provolone, Parmessão, Ricota, Minas Frescal, manteiga, doce de leite em pasta e barra, requeijão cremoso, creme de leite, nata, bebida láctea fermentada e não fermentada,iogurte,coalhada, etc. Atualmente estou trabalhando como supervisor do controle e qualidade em uma rede de supermercado. email para contato: jpdanibio@hotmail.com



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • 1

    1

    1

    1

    1

    1

    1

    1

    joão paulo dani
    biólogo crb: 43.140/01
    especialista em
    controle de qualidade

    transporte e estocagem

    de amostras para

    análises microbiológicas

    1

  • 2

    2

    2

    olá!

    sejam bem vindos.
    neste cursos vamos estudar sobre:
    técnicas de transporte e estocagem de amostras para análises microbiológicas.

    2

  • 3

    3

    3

    3

    3

    3

    3

    3

    introdução

    a análise microbiológica de um produto tem inicio com a escolha do plano de amostragem, seguida da coleta, transporte, e estocagem da amostra constituindo assim, etapas importantíssimas para a seqüência do processo analítico.

    para uma análise representativa do lote é recomendável a aplicação de um plano de amostragem.

    para tanto algumas técnicas, regras e procedimentos de transporte e estocagem devem ser obedecidos.

    3

  • 4

    deve haver sincronismo, entre a quantidade de coleta de amostra de um lote, e a real capacidade do laboratório microbiológico de executar as análises.

    observação

  • 5

    5

    5

    5

    5

    5

    transporte e estocagem
    de amostras para
    análises microbiológicas

    5

  • 6

    6

    6

    6

    6

    6

    como regra geral, deve-se transportar e estocar as amostras coletadas de um alimentos, da mesma forma como o produto é normalmente transportado, estocado, e armazenado, durante a sua comercialização.

    as orientações abaixo devem ser observadas para garantir a maior integridade do produto até o momento da realização das análises microbiológicas:

    algumas considerações

    6

  • 7

    7

    7

    7

    7

    7

    transporte e estocagem de amostras de alimentos com baixa atividade de água

    nos produtos que não exigem estocagem sob refrigeração, o envio poderá ser a temperatura ambiente em suas embalagens originais, ou em frascos ou sacos estéreis resistentes.

    alimentos desidratados, são estáveis microbiologicamente, podendo ser transportados e estocados à temperatura ambiente.

    devem, entretanto, ser transportados e estocados de forma protegida, contra a umidade, calor, e da exposição excessiva da luz solar.

    7

  • 8

    8

    8

    8

    8

    8

    transporte e estocagem de amostras de alimentos com baixa atividade de água

    nos produtos que não exigem estocagem sob refrigeração, o envio poderá ser a temperatura ambiente em suas embalagens originais, ou em frascos ou sacos estéreis resistentes.

    alimentos concentrados, são estáveis microbiologicamente, podendo ser transportados e estocados à temperatura ambiente.

    devem, entretanto, ser transportados e estocados de forma protegida, contra a umidade, calor, e da exposição excessiva da luz solar.

    8

  • 9

    9

    9

    9

    9

    9

    transporte e estocagem de amostras de alimentos com baixa atividade de água

    nos produtos que não exigem estocagem sob refrigeração, o envio poderá ser a temperatura ambiente em suas embalagens originais, ou em frascos ou sacos estéreis resistentes.

    alimentos secos, são estáveis microbiologicamente, podendo ser transportados e estocados à temperatura ambiente.

    devem, entretanto, ser transportados e estocados de forma protegida, contra a umidade, calor, e da exposição excessiva da luz solar.

    9

  • 10

    10

    10

    10

    10

    amostras de alimentos comercializados na forma congelada devem ser transportadas e mantidas congeladas, até o momento da realização das análises, não podendo sofrer descongelamento total ou parcial durante o seu transporte ou durante a sua estocagem.

    o transporte deverá ser feito em caixas de isopor, ou isotérmicas, com gelo seco, porém, certos cuidados devem ser observados.

    o compendium (midura & bryant, 2001) recomenda que a temperatura de transporte e de estocagem das amostras de alimentos congeladas, não deverá ser superior a 20ºc negativos.

    transporte e estocagem de amostras
    de alimentos congelados

    10

  • 11

    transporte e estocagem de amostras
    de alimentos congelados

    a iso 7218 (1996), recomenda que a temperatura de transporte e de estocagem das amostras de alimentos congeladas, deverá ser realizado abaixo dos 18ºc negativos, de preferência a 24+/-2ºc negativos.

    a amostragem também deverá ser feita com a amostra congelada, nas mesmas condições de temperatura, da estocagem.

    o produto coletado não deverá entrar em contato com o gelo seco, ou com a água, porque a absorção do co2 pode alterar o ph da amostra.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 70,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • TÉCNICAS DE COLETA DE AMOSTRAS PARA ANÁLISE MICROBIOLÓGICAS
  • INTRODUÇÃO
  • ALGUMAS CONSIDERAÇÕES
  • SELEÇÃO E PREPARAÇÃO DE FRASCOS PARA COLETA DE ALIMENTOS EM EMBALAGENS NÃO INDIVIDUAIS
  • PROCEDIMENTOS PARA COLETA DE AMOSTAS DE ALIMENTOS PARA ANÁLISES MICROBIOLÓGICAS
  • COLETA DE AMOSTRAS ACONDICIONADAS EM EMBALAGENS INDIVIDUAIS
  • COLETA DE AMOSTRAS ACONDICIONADAS EM EMBALAGENS NÃO-INDIVIDUAIS
  • COLETA DE AMOSTRAS DE EMBALAGENS NÃO-INDIVIDUAIS DE ALIMENTOS EM PÓ
  • COLETA DE AMOSTRAS DE EMBALAGENS NÃO-INDIVIDUAIS DE ALIMENTOS LIQUIDOS
  • COLETA DE AMOSTRAS DE EMBALAGENS NÃO-INDIVIDUAIS DE ALIMENTOS EM GRANDES PEÇAS SÓLIDAS
  • COLETA DE AMOSTRAS DE EMBALAGENS NÃO-INDIVIDUAIS DE ALIMENTOS DE GRANDES BLOCOS CONGELADOS
  • COLETA DE AMOSTRAS DE EMBALAGENS NÃO-INDIVIDUAIS DE ALIMENTOS PASTOSOS
  • COLETA DE AMOSTRAS DE AGUA INDUSTRIAL
  • COLETA DE AMOSTRAS DE ALIMENTOS ENVOLVIDOS EM CASOS DE DOENÇAS DE ORIGEM ALIMENTAR (DTAs)
  • PROCEDIMENTO DE COLETA DE AMOSTRAS PELA TÉCNICA DE ESFREGAÇO EM SUPERFICIE
  • PREPARO DAS AMOSTRAGEM COM "SWABS"
  • PREPARO DAS AMOSTRAGEM COM "ESPONJAS"
  • PROCEDIMENTO DE COLETA DE AMOSTRAGEM COM "SWABS"
  • PROCEDIMENTO DE COLETA DE AMOSTRAGEM COM "ESPONJAS"
  • CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • BIBLIOGRAFIA CONSULTADA