Curso Online de DISTÚRBIOS DE LINGUAGEM ORAL

Curso Online de DISTÚRBIOS DE LINGUAGEM ORAL

EMENTA: Estudar as mudanças sociais e linguísticas dos distúrbios de linguagem oral, principalmente aqueles que o fonoaudiólogo atua junt...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 17 horas

De: R$ 80,00 Por: R$ 49,90
(Pagamento único)

Mais de 20 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

EMENTA:
Estudar as mudanças sociais e linguísticas dos distúrbios de linguagem oral, principalmente aqueles que o fonoaudiólogo atua juntamente com uma equipe multidisciplinar.

OBJETIVO GERAL:
Estudar o modo de avaliar, caracterizar e tratar os distúrbios de linguagem oral, principalmente Síndrome de Down, Paralisia Cerebral, e déficit sensorial.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
* Abordar o desenvolvimento da linguagem normal e em condições excepcionais.
* Aprofundar patologias como Síndrome de Down, Autimso, Paralisia Cerebral e Surdez em seus aspectos causais, diagnóstico, definições, aspectos alterados da linguagem e tratamento multidisciplinar.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
Estudar os conteúdos :
1-PEA-Perturbações do espectro autístico
Entender o que é a perturbação do espectro autistico, suas alterações de linguagem e as comorbidades que podem estar asociadas, compreender como os aspectos de linguagem que estão alterados. Entender os tipos de autismo que estão presentes na PEA, as características que os diferenciam e outras possíveis alterações que podem estar presentes. Entender como estimular a linguagem dos portadores dessa patologia e a equipe multidisciplinar que está presente na etapa do diagnóstico e no processo terapêutico.

2- Síndrome de Down
Conpreender o que é síndrome. Compreender o que é a síndrome de Down, suas características clinicas, físicas, psíquicas e linguísicas e motoras. Saber as alterações de linguagem, alterações cognitivas, alterações musculares e as comorbidades que estão presentes nesta patologia. Compreender como é o desenvolvimento de linguagem na síndrome e alterações que podem estar alteradas nesta patologia. Compreender quem é a equipe que está envolvida no processo de diagnóstico e quem atuará juntamento com o fonoaudiólogo para melhorar sua comunicação,seus aspectos cognitivos, motores e psíquicos. Compreender quais aspectos de linguagem precisaremos trabalhar.

3- Paralisia Cerebral
Entender o que significa Paralisia Cerebral, suas causas, seus tipos e características. Compreender as alterações cognitivas e motoras assim como comorbidades que podem acompanhar o quadro. Compreender os aspectos de linguagem que estão alterados em cada tipo e conhecer a equipe multidisciplinar necessária que atuará auxiliando o fonoaudiólogo no desenvolvimento global.
4-Deficiências Sensoriais
Compreender a importância da audição para o desenvolvimento da linguagem. Compreender as causas, os tipos de perda auditiva e relacioná-los com as alterações de linguagem de cada tipo de perda auditva, mínima, leve, moderada, severa e profunda. Compreender a importância da detecção precoce e do uso de suportes como o AASI e o implante coclear para a aquisição fonológica, sintática e semântica.

BIBLIOGRAFIA:

LIMONGI, Sueli Cecília Olivan, Fonoaudiologia, informação para formação: linguagem desenvolvimento normal, alterações e distúrbio. Rio ed Janeiro: Guanabara Koogan, 2003
FERRAZ, Maria da Conceição A. Manual prático de motricidade oral: avaliaçaõ e tratamento. 5º ed , Rio de Janeiro, Revinter.
LIMONGI, Sueli Cecília Olivan, Fonoaudiologia, informação para formação: procedimentos terapeuticos em linguagem. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2003

Graduada em Fonoaudiologia pela FUNORTE - Faculdades Unidas do Norte de Minas (2008), com especialização em Gestão em Saúde da Clínica na Atenção Primária à Saúde pela ESPMG - Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (2010). Complementei o quadro da Secretaria Municipal de Saúde em Itacarambi - MG atuando na equipe NASF - Núcleo de Apoio à Saúde da Família, de 2009 à 2012, correspondendo inclusive ao cargo de Fonoaudióloga Descentralizada do Programa Estadual de Saúde Auditiva. Aperfeiçoada em Audiologia Clínica (2011) e Pós-graduada em Audiologia pela FONOHOSP/INCISA (2014). Atualmente é Fonoaudióloga Audiologista, responsável pelo setor de Audiologia da PREVENIR - Clínica de Medicina do Trabalho e Docente junto à FASI - Faculdade de Saúde Ibituruna, além de membro titular do NDE - Núcleo Docente Estruturante na referida instituição, localizadas na cidade de Montes Claros - MG.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • DISTÚRBIOS DE LINGUAGEM ORAL

    DISTÚRBIOS DE LINGUAGEM ORAL

    Lílian de Souza Melo
    Fonoaudióloga
    Especialista em Gestão de Saúde
    Especialista em Audiologia Clínica

  • É muito comum, crianças que apresentam atraso ou alteração no desenvolvimento da fala e da linguagem apresentarem consequentemente, problemas futuros de aprendizagem. Crianças com problemas de aprendizagem em decorrência de alterações de linguagem, apresentam dificuldades que comprometem o seu desempenho em situação em sala de aula. Alteração no desenvolvimento da fala e da linguagem pode ocasionar déficits linguístico-cognitivos, o que leva à criança ao fracasso escolar.

  • Os distúrbios da línguagem oral podem ser muito prejudiciais ao desenvolvimento da criança e sua interação no meio social. È de suma importância detectá-las na infância de forma que possam ser diagnosticadas e tratadas a tempo.
    Muitos casos, por exemplo, como os que as crianças apresentam lesões cerebrais serão mais dificilmente tratados, mas uma intervenção em tempo oportuno ajudará a integrar o sujeito a sociedade de forma participativa.
    Há muita expectativa com relação aos resultados, visto que os estudos nesta área estão avançando.

  • PEA - Perturbações do espectro Autístico:

    PEA - Perturbações do espectro Autístico:

     

    Lílian de Souza Melo
    Fonoaudióloga
    Especialista em Gestão de Saúde
    Especialista em Audiologia Clínica

  • O autismo é tido como uma perturbação que afeta o desenvolvimento da criança ao nível da comunicação, da interação social e do comportamento, incidindo num repertório marcadamente restrito de atividades e interesses.
    Estas crianças têm como diagnóstico um distúrbio de comportamento “presente desde idades muito precoces, tipicamente antes dos três anos de idade e que se caracteriza sempre por desvios qualitativos na comunicação, socialização e imaginação”.

  • DEFINIÇÃO

    DEFINIÇÃO

  • Segundo Kanner:

    Segundo Kanner:

    A palavra Autismo provém da palavra grega «autos» que significa próprio e do sufixo «ismo» que significa orientação ou estado. Deste modo, pode-se entender o autismo como “uma condição ou estado de alguém que tem tendência para se alienar da realidade exterior, a par de uma atitude de permanente concentração em si próprio”

  • Este termo foi aplicado pela primeira vez em 1943 quando Leo Kanner, médico austríaco, publicou um artigo intitulado «Autistic disturbances of affective contact», no qual descreve crianças com comportamentos que lhe pareciam ser diferentes de todos os outros já estudados

  • Segundo Asperger:

    Segundo Asperger:

    No ano de 1944 um pediatra austríaco de nome Hans Asperger publicou um artigo em alemão intitulado «Die Autistischen Psychopathen im Kindesalter», cuja tradução para inglês só aconteceu em 1991 com o título «Autistic Psycophathy in Childhood», no qual descreve crianças com dificuldades na interação social, mas com capacidades comunicativas.
    As crianças objetos de estudo de Kanner e de Asperger “partilhavam algumas características, sobretudo uma tendência para manterem interesses obsessivos ou invulgares e uma preferência pelas rotinas.” Todavia apresentavam diferenças notórias ao nível da capacidade da utilização da linguagem para comunicar, sendo esta mais fluente nas crianças estudadas por Asperger.

  • Definição atual

    Definição atual

    Atualmente, a definição de Autismo, de acordo com a (DSM-IV-TR / Manual de Diagnóstico e Estatística dos Distúrbios Mentais ) é um “transtorno que consiste na presença de um desenvolvimento comprometido ou acentuadamente anormal da interacção social e da comunicação e um repertório muito restrito de actividades e interesses. As manifestações do transtorno variam imensamente, dependendo do nível de desenvolvimento e da idade cronológica do indivíduo”.

  • Transtorno do Espectro Autismo

    Transtorno do Espectro Autismo

    CONCEITO: 
    Distúrbio complexo do neurodesenvolvimento, com amplo espectro de manifestações clínicas, caracterizado por prejuízos na interação social, na comunicação verbal e não verbal (como sendo gestos, expressões faciais, linguagem corporal…) e por apresentar padrões restritos, repetitivos e estereotipados do comportamento, interesses e atividades.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 49,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • DISTÚRBIOS DE LINGUAGEM ORAL
  • PEA - Perturbações do espectro Autístico:
  • DEFINIÇÃO
  • Segundo Kanner:
  • Segundo Asperger:
  • Definição atual
  • Transtorno do Espectro Autismo
  • EPIDEMIOLOGIA
  • Epidemiologia
  • Prevalência:
  • TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA
  • ETIOLOGIA
  • Teoria Psicogênica:
  • Teorias Biológicas:
  • Teorias Psicológicas:
  • SINTOMAS
  • DNM – Desenvolvimento Neuropsicomotor
  • QUADRO CLÍNICO:
  • 0 A 6 MESES:
  • 6 A 12 MESES:
  • 2 A 3 ANOS:
  • 6 ANOS À ADOLESCÊNCIA:
  • O autismo poderá ser identificado através da observação de alguns comportamentos, sendo eles:
  • DIAGNÓSTICO
  • TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA
  • ANAMNESE
  • TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA
  • CLASSIFICAÇÃO
  • TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA
  • AVALIAÇÃO E TESTES
  • TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA
  • Alguns desses instrumentos mais utilizados são:
  • TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA
  • TRATAMENTO
  • TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA
  • Método ABA
  • O PAPEL DA FAMÍLIA
  • Os pais tem direito de:
  • INCLUSÃO E ESCOLA INCLUSIVA
  • Elementos essenciais à inclusão:
  • Professores devem:
  • SÍNDROME DE DOWN
  • Síndrome de Down
  • Sindrome de Down ou Trissomia do Cromossomo 21
  • Histórico
  • Etiologia:
  • Quais as características?
  • Características:
  • Alterações Auditivas:
  • Alterações na Cavidade Oral:
  • Alterações Respiratórias e Pulmonares
  • Infecções:
  • Alterações Neurológicas:
  • Novela: Páginas da Vida
  • Diagnóstico:
  • Prevenção:
  • Tipos de SD:
  • Desenvolvimento:
  • Linguagem:
  • Doença de Alzheimer:
  • Autismo Infantil e SD:
  • Incidência e Expectativa de Vida:
  • Protocolos de Acompanhamento
  • Protocolo de Acompanhamento: Período Neonatal e Primeiros meses
  • Protocolo de Acompanhamento: Período Pré-Escolar
  • Protocolo de Acompanhamento: Período Escolar
  • Protocolo de Acompanhamento: Período Adulto
  • Reabilitação Fonoaudiológica
  • Reabilitação Fonoaudiológica:
  • PARALISIA CEREBRAL
  • Definição
  • Paralisia cerebral
  • Etiologia
  • Causas
  • Etiologia
  • Epidemiologia
  • Classificação
  • Comprometimento Muscular
  • Monoplegia
  • Diplegia
  • Hemiplegia
  • Paraplegia
  • Tetra ou Quadriplegia
  • Tipos Clínicos
  • Tipos clínicos
  • PC Espástico
  • PC espástico
  • PC Extrapiramidal
  • PC Atáxico
  • PC Misto
  • Manifestações Clínicas
  • Manifestações clínicas
  • Intensidade dos sintomas
  • Diagnóstico
  • Exames complementares
  • Prognóstico
  • Condutas