Curso Online de Farmácia Hospitalar - Parte II

Curso Online de Farmácia Hospitalar - Parte II

No curso de Farmácia Hospitalar abordaremos sobre a farmácia hospitalar as funções do farmacêutico, os procedimentos e áreas de atuação d...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 12 horas

Por: R$ 29,90
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

No curso de Farmácia Hospitalar abordaremos sobre a farmácia hospitalar as funções do farmacêutico, os procedimentos e áreas de atuação dentro do hospital.

Formação em Agronomia (UNICENTRO), pós-graduada em Pedagogia (UNICENTRO) e Educação Ambiental (UFPR). Experiência profissional como professora em diversas áreas de Ciências Agrárias; experiência em Educação à Distância; Tutora/Monitora; Palestras; Experiência em Cooperativa, Sindicato e Empresas Agrícolas. Experiência com cursos livres onlines desde 2012. Sou autodidata e busco incansavelmente o conhecimento das mais diversas áreas e uma frase que me define "Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção." (Paulo Freire)



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • FARMÁCIA HOSPITALAR

    Professora: Scheila de Fátima Scisloski

    FARMÁCIA HOSPITALAR

  • Conheça a Farmácia Hospitalar

    Conheça a Farmácia Hospitalar

    Dois assuntos, sob nossa ótica, são fundamentais em Farmácia Hospitalar para podermos entender o seu funcionamento e que são representados pelas teorias organizacionais e de gestão de serviços e pelo planejamento, considerando que não podemos divorciar os aspectos técnicos dos administrativos quando avaliamos este tipo de serviço.

    Considerando a importância desses assuntos, passaremos a abordar determinadas questões marcantes sobre ambos, com o objetivo de fundamentar colocações que serão abordadas nos proximamente.

  • É evidente que ambos assuntos são extremamente complexos e podem ser observados e analisados por ângulos diferenciados e portanto não é nossa proposta o tratamento profundo dos assuntos que podem e devem ser estudados através de diversas obras.

    Nossa intenção é somente contextualizar o pensamento de alguns autores sobre os referidos assuntos e refleti-los sob a ótica de uma Farmácia Hospitalar. 

    Conforme verificamos uma das atividades de relevância para o desenvolvimento de empresas privadas ou instituições estatais é sua organização ou estrutura organizacional.

  • A complexidade das organizações através do tempo fez com houvesse estudos cada vez mais profundos da questão e diversas teorias e autores tentaram explicar o desenvolvimento dessas organizações.

    Podemos verificar a estrutura organizativa da Farmácia Hospitalar através da dependência hierárquica refletida por seu organograma (estrutura formal), ou pelas observações e entrevistas realizadas (informal), tanto em nível interno como ambulatorial.

    A Farmácia Hospitalar pode ser enquadrada nas categorias de departamento, serviço e seção, funcionando no sistema hospitalar como apoio clínico.

  • Para tanto, deve estar integrada a outros grupos de serviços, tais como: laboratório de análises clínicas, radiologia, nutrição, central de esterilização, bem como a todas as clínicas existentes no hospital.

    Pode atuar também com a função de apoio administrativo, devendo, portanto, estar integrada a um grupo de serviços, como compras ou abastecimento (serviço de material) e administração geral (pessoal, manutenção, vigilância, etc.).

  • Outro fator importante está representado pelas linhas de supervisão e de coordenação.

    Quem supervisiona a Farmácia Hospitalar e que áreas de atividades são supervisionadas?.

    A quem cabe a supervisão do chefe ou encarregado da Farmácia e que áreas de atividades são supervisionadas?

    Quais são os mecanismos formais e informais com os serviços clínicos e de apoio (Comitês, Comissões, Conselhos) e com os níveis hierárquicos superiores da instituição. (Comitês, Comissões Regionais, Nacionais, etc.)? 

  • O estabelecimento de políticas, através de normas, manuais e diretrizes, que regulamentem o funcionamento da organização da farmácia, é necessário e essas normas devem constar em documentos vigentes, conhecidas por todos os usuários. 

    Para tanto, devem verificar-se a existência de um documento que contenha as funções da farmácia, assim como as tarefas e responsabilidade de cada servidor, além de outras.

  • É necessário identificar a participação do chefe ou encarregado pela Farmácia e de seu pessoal em cada um dos componentes da atenção farmacêutica, assim como também em outras atividades realizadas pela Unidade de Saúde que objetive o uso racional de medicamentos.

    Uma boa organização das farmácias é importante para se preservar a eficácia e as condições de integridade do medicamento, assim como reduzir perdas e garantir um ambiente agradável de trabalho.

  • Contribui para o bom desempenho profissional, agiliza a dispensação, evita erros e melhora a qualidade do atendimento dispensado ao paciente.

    O estabelecimento de políticas, através de normas, manuais e diretrizes, que regulamentem o funcionamento da organização da farmácia, é necessário e essas normas devem constar em documentos vigentes, conhecidas por todos os usuários.

    Para tanto, devem verificar-se a existência de um documento que contenha as funções da farmácia, assim como as tarefas e responsabilidade de cada servidor, além de outras.

  • No que se refere à área física devem ser consideradas as áreas de administração, de recepção, de envase, de distribuição e de produção.

    Em relação ao espaço físico o guia informa a possibilidade de utilização de alguns indicadores, como tais:
    250 leitos - 210 m²
    600 leitos - 375 m²
    1000 leitos - 500 m²

  • É importante destacar que os indicadores mencionados são elásticos e dependem do cenário e do contexto em que esta inserida a Farmácia.

    No caso de armazenagem de outros insumos, a área deve ser aumentada em 50% Para a área administrativa, recomenda-se 2 m² por funcionário, com uma altura mínima de 2,5 m² de pé direito.

    Também, deve-se considerar as condições específicas da armazenagem da área utilizada e a ventilação e iluminação adequada, preferencialmente natural.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 29,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • FARMÁCIA HOSPITALAR
  • Conheça a Farmácia Hospitalar
  • Atribuições Gerais da Farmácia Hospitalar
  • Conceitos Sobre Farmácia Hospitalar
  • Sistema de Distribuição de Medicamentoso por Dose Unitária
  • Distribuição de Medicamentos
  • Acondicionamento e Embalagem de Dose Unitária
  • Aspectos Administrativos
  • Sistema de Dose Unitária
  • Programa de Implantação de S.D.M.D.U.
  • Aspectos Econômicos
  • Tipos de S.D.M.D.U.
  • Legislação
  • Recursos Humanos
  • Comissões
  • Normas Obrigatórias que todo Farmacêutico Hospitalar Precisa Conhecer
  • Estrutura Organizacional (Organização)
  • Referências Bibliográficas