Curso Online de A Ciência das Artes

Curso Online de A Ciência das Artes

1. Música 2. Dança 3. Teatro e Cinema 4. Escultura 5. Pintura Desenho 6. Letras (Literatura) 7. Arte religiosa 8. Arte natural 9. A...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 6 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

1. Música
2. Dança
3. Teatro e Cinema
4. Escultura
5. Pintura Desenho
6. Letras (Literatura)
7. Arte religiosa
8. Arte natural
9. Arte política
10. Arte plástica
11. Arte mágica
12. Artesanato
13. Decoração
14. Arte científica
15. Apologia aos Inventores
16. Sumário
17. Autobiografia

José Vieira Cabral Nasceu no dia 25 de agosto de 1.960 em Xambrê, Paraná, viveu ali até os seus oito anos de idade e depois os seus pais se mudaram para Maringá no mesmo Estado. E aos 19 anos mudou-se para São Caetano do Sul, Região do Grande ABC, São Paulo, onde permanece até o presente momento. O Autor/produtor foi comerciante a maior parte de sua vida, mas também trabalhou como empregado em algumas Empresas: Foi Administrativo e Encarregado de obras Civis, tendo como formação (Mestria em Construção Civil) e, mais de 100 Cursos de diversas áreas. Como Escritor e pesquisador escreveu diversas Obras Literárias e Didáticas: É fundador da Livraria e Editora Virtual Cabral Veríssimo (seu nome artístico) e pertencente ao Clube de autores. O seu Site:(ciacabralverissimo.loja2.com.br), onde produz os seus Livros e Cursos online para a plataforma da (www.buzzero.com/autores/jose-cabral).



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Certificado de Registro
    (Averbação)
     
    Fundaçăo
    BIBLIOTECA NACIONAL
    MINISTÉRIO DA CULTURA
    Registro: 369.733
    Livro: 684 Folha: 393
     
    A Ciência das Artes
    Ciências Humanas
     
    Todos os direitos
    Reservados do Autor
    José Vieira Cabral,
    CABRAL VERÍSSIMO,
    Autoria.
     
    Livraria e Editora Virtual
    Cabral Veríssimo i-Ltda.
    São Caetano do sul – SP
    CNPJ: 17.698.240/0001-04
     
     http://cabralverissimo.loja2.com.br
    E-mail: cabralverissimo@yahoo.com.br

    Música
    Dança
    Teatro e Cinema
    Escultura
    Pintura Desenho
    Letras (Literatura)
    Arte religiosa
    Arte natural
    Arte política
    Arte plástica
    Arte mágica
    Artesanato
    Decoração
    Arte científica
    Apologia aos Inventores
    Sumário
    Autobiografia

  • Dedicatória
     
    Dedico volume de Tratados do Surrealismo a todos os artistas, tendo a viva certeza de que, cada um se empenha em prol das artes, de maneira, direta ou indireta dando mais consistência ao alicerce cultural de um modo geral.
    Graças ao esforço prestado por cada artista: temos o que temos: Um verdadeiro Tesouro nacional! Munido de todos os gêneros de artes e níveis intelectuais; numa maravilhosa mistura de raciocínio humano, com virtudes vocacionais de cada fonte artística.
    A alma de um artista não morre... Ela não foge... Ela não corre... Ela vive estendida no campo magnético de suas obras, para avivar o conhecimento de todos que o busca! As obras de um artista estarão sempre circulando na sensibilidade humana: de artistas, cultivadores e outros que vão chegando...
    Que assim se cumpra em cada um de vós: o verdadeiro afinco da vocação, na exposição de suas obras, dentro de cada gênero de arte, em que fora cabível.

  • Abertura
     
    Achei bom, considerável; que esse volume fosse aberto em nome do surrealismo (A Ciência das Artes). já que sua fonte se faz presente em toda extensão de páginas significativas e dimensões elásticas de significados.
    O objetivo deste volume risca e traceja a imagem do surrealismo, estampando as cores do raciocínio humano, quando inspirados dentro de quaisquer dimensões de gêneros de arte.
    E foi por um desses raciocínios... Que de repente caiu-me uma sábia inspiração na alma e tangeu-me o espírito, para falar dessa força energética, que envolve o homem e a arte, numa busca imortal de novos valores.
    Pensei e repensei!... E depois de dizer pra mim mesmo, muitas vezes: “Não sou nenhum filósofo! Para falar de tais mistérios...” Mas descobri que precisava fazer justiça em prol do surrealismo; já que me coube, parte dos seus mistérios.
    As vocações artísticas e até mesmo as científicas; buscam os princípios e as causas de todas as coisas; e procuram representá-las da melhor forma possível; construindo o histórico da humanidade, do mundo inteiro.
    E por que não dizer: Que todo artista é um filósofo?! Já que ele se expressa dentro do gênero que lhe coube; assim como os filósofos se revelam pelas profundas expressões da alma.

  • A vocação artística consegue arrancar obras excelentes, emergidas no raciocínio de um artista, e pô-las para fora; reunindo uma junção magnífica de sêmen energético, estudos e experiências de vida – e nisso tudo, se revelam as características humanas e surrealistas.
    São esses valores, unânimes, que compõem os conhecimentos maciços dos intelectuais; elegendo-os idôneos à cultura; que artísticos e científicos; descobridores de mistérios, através de seus inventos habituais ou enigmáticos.
    São esses procuradores de artes e ciências, que se imortalizam através das obras que deixam – enaltecendo o constituinte de todos (O Surrealismo!).
    As obras de artes e ciências têm deixado marcas rigorosamente bem definidas em testemunhas dessa fonte; que vai além do realismo, buscar coisas no mundo invisível, trazendo-as para o “visível”, fazendo florescerem as ciências ocultas, numa maravilhosa adaptação à vida.
    O surrealismo nativo, não esnoba conhecimentos que não tenha; apenas exala essências, que efervescidas vaporizam os mais profundos sentimentos humanos.
    O surrealismo integral aglomera outras fontes que não fora trazido do berço de nascimento (e não esses espíritos de grandezas que fazem alterações ao nativismo dado por Deus!). Todavia; consideremos ambas as posições indispensáveis, para contribuições de uma cultura mundial.

  • Música
     
    A música é uma arte que marca presença em todo o nosso universo, modificando o comportamento humano mediante o som. Com ela muitos louvam o mundo com seus ídolos - mas outros louvam a Deus pela sua benignidade!
    A música é um fenômeno vibrante e belo! Que locomove a mente e o coração das pessoas pela sua riquíssima expressão sonora, mergulhadora no sentimentalismo: ela revira os confins da alma e lá no íntimo garimpam emoções, revigorando o sangue quase estagnado, devolvendo o ânimo de vida.
    Segundo a medicina:
    _ A música ativa nossa alma e entrando na mente, mexe na energia muscular fazendo-a mudar de estado (ativando-a ou reduzindo-a). Ela faz crescer ou decrescer a frequência das batidas do coração. Por isso, é importantíssimo sabermos ouvir música quando se faz uma refeição ou se trabalha.
    Podemos concluir tamanha eficácia que tem a música em relação à vida! Ela é capaz de trazer à tona os segredos do coração, publicando suas intenções pelo comportamento, mediante o som.
    Esse comportamento se deve à energia surrealista armazenada nas partituras musicais pelos compositores e depois expelida pelas execuções instrumentais e novamente armazenada em CDs para usuários.

  • Compositor:
     
    _ Entre o compositor e sua composição há um segredo enorme! Porque ela é capaz de mergulhar no seu subconsciente e buscar uma inspiração oculta, materializando-a numa partitura, através das figuras musicais.
    Nessa vocação: a energia surrealista se manifesta com a matéria prima adequada, organizando seus sentimentos e emoções musicais, para serem aplicadas mediante o som.
    A partitura toma ai uma posição de lâmpada, representando o compositor; e a luz aparece através da execução do som pelos instrumentos musicais. Considera-se o silêncio como um interruptor para a tal luz sonora: uma vez acionada por tais execuções; os músicos estão ligando a energia das inspirações do compositor à lâmpada, para evidenciar a sua iluminação.
    Para os que conhecem estudos musicais; a música existe antes mesmo do som; porque a partitura traz no seu pentagrama, as figuras musicais com seus respectivos valores, dando a eles... Melodias, acordes com seus ritmos.
     

  • Aceitação musical:
     
    _ Quando uma música revela sua magnífica luz; ela traz claridade diferente de outras composições. É ai que entra o teste de aceitação popular; ela é subjugada de acordo com ao gosto auditivo e não pelas qualidades intelectuais de músicos e compositores (porque buscam as próprias satisfações) e nesses grandes misturas de gostos, agregam: sensibilidade musical, de níveis altos, médios, baixos e baixíssimos (que são os leigos).
    A arte de compor para alcançar um bom espaço nesse mercado nunca foi fácil, justamente, por causa dessa dependência de aprovação popular de consumidores de gostos variáveis pelos estilos:
    _ Se classificarmos as idades em fases, cambaleia a preferência pelos estilos...
    _ É preciso penetrar no íntimo das pessoas, lhe acionando as sensibilidades para que eleja os valores musicais, e aí vemos todas essas injustiças que estão presentes no mundo das composições.
     
    Qualidades de um músico:
     
    _ O músico que toca de alma pronta sente em si virtudes equivalente ao que compôs tal música! Porque sua percepção alcança os passos do compositor no campo daquela inspiração _ e assim consegue atingir o objetivo da expressão da alma: essa igualdade de percepção se dá em virtude da energia surrealista.

  • Música sacra:
     
    _ Essas têm funções especiais! Seus efeitos têm virtude de expulsar a inquietação da alma, pelos cuidados, pelos cuidados terrenos, ou pela perturbação de espíritos malignos; elevando-a numa comunhão em Deus pelas coisas celestiais.
    A música sacra é capaz de expulsar toda a fúria de uma alma irada, aplacando-a com carícias de Deus tão penetrante _ que sua anestesia cala a pulsação revolta e acorda a emoção do amor pela vida e paz!

  • Vocalistas:
    A vocação de cantar bem exige uma boa articulação nas cordas vocais e timbre de voz adequada para cada expressão musical; de maneira que soe bem aos ouvidos das pessoas.
    _ Depois disso; vêm os referidos estudos de canto para que melhor se tenha um aproveitamento de voz; afinando-a para cada tono e semitom; até que se chegue ao melhor possível.
    O vocalista além de cantar, revelando afinação, timbre de voz e conhecimentos musicais _ precisa interpretar a letra de maneira agradável ao público.
    A música se torna conhecida, quase sempre somente pela voz, por isso a interpretação precisa estar em primeiro plano, na expressão da própria voz, a fim de transmitir por ela toda a intenção da história, aos que estão apenas ouvindo.
    Timbre:
    _ O timbre de voz é um fato importantíssimo para a valorização de uma canção ou cânticos religiosos etc. Uma melodia poderá expressar uma beleza que comova os corações; ou apenas jogar uma balde de água fria no ouvido.
    O timbre de voz que agrada e gera certo sucesso; é aquele que põe cores acústicas no percurso duma melodia, enquanto sobe e desce com a voz numa escada musical: os tonos e semitons fazem a elasticidade dos degraus crescentes e decrescentes: o valor de duração constrói o tamanho das pisadas dessa escada.
    Em tudo isso que falamos; exige um bom equilíbrio do vocalista para uma boa interpretação da letra e coreografia da música (e outros trejeitos pessoais).

  • Regente:
    O regente assume mediante a orquestra, uma posição importantíssima para afinações instrumentais e ajustes nas execuções; (concertos musicais).
    Os ouvidos dos regentes e maestros capturam quaisquer das imperfeições numa das execuções, a fim de aperfeiçoá-la para o bem unânime.
    Reger uma orquestra é tomar para si as régias amarradas ao andamento original e depois dirigi-las conforme suas inspirações intuitivas, em busca de uma velocidade maior ou menor para exercício de sensibilidade sua, e dos músicos vigentes.
    O regente, às vezes se empolga tanto!... Que sua energia desloca-o dos agarres e lança-o num vão tão excitante; que sua alma sobe as nuvens flutuantes imantadas pela fonte surrealista _ e nesse esplêndido encantamento, também alguns músicos que tocam de alma, conseguem se elevarem numa percepção incrível, digna de aplausos!
    Um batuta na mão de um desses regentes; escrevem nos ares numa lousa imaginária; arranjos belíssimos, sobrepostos às partituras em execuções. Para os instrumentistas nunca é imaginária uma regência; porque a partitura já existe mediante os seus olhos; o que ocorre na verdade no campo magnético da imaginação do regente; são as tentativas de mudança de andamento e valores de duração diferente sobreposto em algumas figuras musicais; nisso inclui cortes, estiramentos de sons; ou ainda isso ocorre com as fermatas (infinitos.).

  • Além de tudo isso; temos aí também as classificações de instrumentos e qualidades que são postos para execuções a títulos experimentais para exercícios unânimes. A apurada pelo regente subjugara tais efeitos experimentais e da mesma forma; os músicos!
    Esses ensaios são de suma importância para os concertistas porem em ordem suas orquestras.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • 1. Música
  • 2. Dança
  • 3. Teatro e Cinema
  • 4. Escultura
  • 5. Pintura Desenho
  • 6. Letras (Literatura)
  • 7. Arte religiosa
  • 8. Arte natural
  • 9. Arte política
  • 10. Arte plástica
  • 11. Arte mágica
  • 12. Artesanato
  • 13. Decoração
  • 14. Arte científica
  • 15. Apologia aos Inventores
  • 16. Sumário
  • 17. Autobiografia