Curso Online de Independência do Brasil

Curso Online de Independência do Brasil

Uma análise detalhada das intrincadas relações que levaram a independência do Brasil

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 4 horas

Por: R$ 40,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Uma análise detalhada das intrincadas relações que levaram a independência do Brasil

Pós graduação: Especialista em História da África. (UNB). Graduação: Professora Bacharel em História. (PUC MINAS). Professora de História. (Centro Educacional Leonardo da VInci) Professora de Formação Sócio-Histórica do Brasil. (FACEB).



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Independência do Brasil

    independência do brasil

    decisão do conselho do estado e dna. leopoldina
    o dia do fico
    as guerras pela independência
    portugal quer nos recolonizar
    as constituições (1823-1824)
    confederação do equador
    perda da cisplatina
    dívidas com a inglaterra
    indenização à portugal

  • O Dia do “FICO”

    o dia do “fico”

    apesar de toda pressão que a corte portuguesa fez, com o interesse de esvaziar o poder da monarquia no brasil, d. pedro i atendendo aos pedidos dos brasileiros ficou no brasil.

    essa decisão foi anunciada em 9 de janeiro de 1822, que ficou conhecido como o dia do fico.

    um rascunho da carta com essa decisão, escrita pelo príncipe sob o pseudônimo de simplício maria das necessidades (ao lado, a última folha, com essa assinatura) é conservada no museu imperial de petrópolis/rj:

  • o desembarque, no rio de janeiro, da princesa leopoldina foi registrado nesta imagem do ilustrador francês jean baptiste debret, conservada na biblioteca municipal de são paulo:

    palácio imperial de são cristóvão, na quinta da boa vista, no rio de janeiro

  • no dia 14 de agosto de 1822, d. pedro viajou para são paulo para resolver um problema político.

    deixou que d. leopoldina, sua mulher, ficasse no poder durante sua ausência.

    quando as coisas já tinham se acalmado e ele seguia para santos, chegaram ao rio de janeiro ordens das cortes: d. pedro deveria voltar para portugal naquele instante, josé bonifácio deveria ser julgado, e um novo ministério seria criado para colocar ordem naquela "bagunça".

    tudo isso destruía todas as medidas de d. pedro!

  • no dia 2 de setembro de 1822, o conselho de estado (josé bonifácio, clemente pereira, martim francisco, gonçalves ledo), reunido com dona leopoldina, tinha concluído que era necessário proclamar a independência.

    essa reunião é retratada por georgina de albuquerque, nesta pintura a óleo conservada no museu histórico nacional, no rio de janeiro:

  • d. leopoldina e josé bonifácio mandaram seus mensageiros correrem com essas notícias. um mensageiro encontrou-se com d. pedro às margens do riacho ipiranga, em são paulo. era a tarde do dia 7 de setembro de 1822.
    existem pelo menos seis versões dessa história, por isso ela já foi contada de diversas maneiras...
    uma delas, a do padre belchior, conta que d. pedro leu os decretos e perguntou:
    - e agora padre?
    o padre aconselhou d. pedro a proclamar a independência do brasil. senão, ele seria feito prisioneiro das cortes. não tinha jeito!
    trinta e oito pessoas assistiram à cena: d. pedro desembainhou (tirou) a espada, ergueu-a para o alto e gritou:

    independência ou morte!

    faça a indpendência antes que o povo a faça!

  • portugal não aceitara, evidentemente, o ato de independência de sua colônia americana.
    mostrara a disposição de manter, até as últimas conseqüências, os pontos do território brasileiro onde ainda exercia seu domínio.
    a guerra era inevitável.
    ameaçada em sua unidade e integridade, a nação, que se espalhava ao longo de 7680 quilômetros de costa, exigiu medidas urgentes.
    a primeira esquadra brasileira foi formada por navios deixados pelo próprio d. joão vi.

    portugal quer recolonizar o brasil

    lisboa, 1821: os revolucionários exigiam o retorno imediato do rei e a restauração do pacto colonial

    em ampla desvantagem, os brasileiros foram voto vencido
    nas cortes

  • A Proclamação da Independência

    a proclamação da independência

    em 7 de setembro de 1822, às margens do riacho ipiranga, na capital paulista, d. pedro decide proclamar a independência do brasil. 

    a cena foi assim descrita pelo pintor renée moreaux, em quadro a óleo mantido no museu imperial de petrópolis/rj.

  • em quadro a óleo sobre tela (415x760 cm), pintado em 1888, e denominado "independência ou morte", pedro américo retratou como teria sido o momento do grito às margens do ipiranga.

    o quadro está conservado no museu paulista, situado no mesmo
    lugar onde em 1822 foi declarada a independência do brasil:

    imagem: iconografia paulistana do séc. xix, 1998,
    metalivros/bolsa mercantil e futuros,  são paulo/sp

  • no dia 12 de outubro de 1822, no campo de santana, situado na capital carioca, dom pedro foi aclamado imperador do brasil. 
    a imagem é do ilustrador francês jean baptiste debret e é conservada no inst.estudos brasileiros da (usp), na capital paulista:

  • gabinete imperial

    sala do trono


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 40,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Independência do Brasil
  • O Dia do “FICO”
  • A Proclamação da Independência