Curso Online de Lei Federal nº 13.111.2015,  revendedores e consumidores de veículos  + Lei nº 9.716/98 da legislação tributária federal

Curso Online de Lei Federal nº 13.111.2015, revendedores e consumidores de veículos + Lei nº 9.716/98 da legislação tributária federal

01. Técnicas de vendas 02. Lei Federal nº 13.111.2015, destinada aos revendedores/concessionários e dos compradores/consumidores de veícu...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 4 horas

Por: R$ 45,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

01. Técnicas de vendas
02. Lei Federal nº 13.111.2015, destinada aos revendedores/concessionários e dos compradores/consumidores de veículos.
03. Lei nº 9.716/98 – artigo 5º > legislação tributária federal – comercio de veículos usados. Lucro presumido (com restrições) - lucro real - simples nacional (com restrições)
04. Cuidados ao comprar Veículos usados (Mecânica, lataria, pneus, parte elétrica e documentação precisam ser verificados).
05. Cuidados necessário para fazer um bom negócio

José Vieira Cabral Nasceu no dia 25 de agosto de 1.960 em Xambrê, Paraná, viveu ali até os seus oito anos de idade e depois os seus pais se mudaram para Maringá no mesmo Estado. E aos 19 anos mudou-se para São Caetano do Sul, Região do Grande ABC, São Paulo, onde permanece até o presente momento. O Autor/produtor foi comerciante a maior parte de sua vida, mas também trabalhou como empregado em algumas Empresas: Foi Administrativo e Encarregado de obras Civis, tendo como formação (Mestria em Construção Civil) e, mais de 100 Cursos de diversas áreas. Como Escritor e pesquisador escreveu diversas Obras Literárias e Didáticas: É fundador da Livraria e Editora Virtual Cabral Veríssimo (seu nome artístico) e pertencente ao Clube de autores. O seu Site:(ciacabralverissimo.loja2.com.br), onde produz os seus Livros e Cursos online para a plataforma da (www.buzzero.com/autores/jose-cabral).



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Lei Federal nº 13.111.2015,
    revendedores e consumidores de veículos
    + Lei nº 9.716/98 da legislação tributária federal

    Descrição:
    01. Técnicas de vendas
    02. Lei Federal nº 13.111.2015, destinada aos revendedores/concessionários e dos compradores/consumidores de veículos.
    03. Lei nº 9.716/98 – artigo 5º > legislação tributária federal – comercio de veículos usados. Lucro presumido (com restrições) - lucro real - simples nacional (com restrições)
    04. Cuidados ao comprar Veículos usados (Mecânica, lataria, pneus, parte elétrica e documentação precisam ser verificados).
    05. Cuidados necessário para fazer um bom negócio

  • 01. Técnicas de vendas

    Indecisão na escolha de compra
    A indecisão é um estado emocional de aflição, em que a pessoa não consegue escolher dentre as opções que estão disponíveis a ela, ou seja, se o seu cliente está indeciso, cabe a você, vendedor, reforçar que a escolha dele é positiva. O cliente indeciso precisa de ter argumentos sólidos, pois ele tem que se certificar de que o produto que escolhido vai atender às suas necessidades.
    Mas o que você faz quando recebe um sonoro “não” do seu cliente e a venda parece perdida? Você vai embora? Deixa para uma próxima oportunidade? Força mais um pouco para ver se o cliente fecha a compra? A resposta é: depende do cliente.
    Para não perder oportunidade de vendas e ser convincente no momento da decisão, confira algumas dicas que preparamos para te ajudar a fechar o negócio.

  • Respeite o processo da venda

    Para uma venda bem-sucedida, é preciso respeitar as 7 etapas do processo de vendas:
    Planejamento e preparação.
    Abordagem — que é a criação do diálogo de vendas.
    Levantamento de informações para conhecer as necessidades do cliente.
    Apresentação de valor (características x benefícios).
    Objeção e negociação.
    Fechamento.
    Pós-venda.
    Respeitar a ordem do processo de venda já é uma excelente maneira de convencer o cliente indeciso. Se o vendedor fez a abordagem correta, identificou o que o cliente precisa e mostrou as características do produto fazendo a relação custo x benefício, ele dificilmente terá alguma objeção sobre o produto ou serviço.

  • Ouça o que seu cliente tem a dizer

    O vendedor precisa saber falar menos e ouvir mais. É ouvindo que as oportunidades aparecem. Aprenda com esse exemplo: Mateus deseja trocar seu automóvel e foi a uma concessionária para pesquisar mais sobre o carro que quer comprar. O vendedor o aborda e Mateus conta que gostaria de um carro esportivo, mas está em dúvida quanto à escolha.
    Enquanto eles conversam, Mateus comenta que tem dois filhos e que sua esposa planeja de mais um no ano que vem. O vendedor, sem prestar atenção aos detalhes, continuou mostrando ao Mateus os carros esportivos que ele tanto deseja comprar. Após uma hora de demonstração, Mateus pede um cartão ao vendedor e nunca mais volta à concessionaria. Poucos dias depois, o vendedor vê Mateus com a sua nova minivan.
    Entendeu o que ocorreu aqui? Para comportar a família que vai crescer, Mateus abriu mão do sonhado carro esportivo por um maior e mais prático, adequado ao seu contexto e aos seus planos para o futuro..

  • Se o vendedor tivesse prestado mais atenção no momento da abordagem e levantamento de informações, poderia ter sugerido um veículo semelhante para Mateus e fechado a venda.

    Nunca discuta com um cliente indeciso

    É comum termos clientes que “sugam” o que podem dos vendedores e não estão nem aí para a relação de negócios. Eles acham que somente eles devem ganhar e que você deve agradecer a Deus por tê-lo como cliente. Nesse momento, é preciso ter bastante calma para não se irritar.
    Você pode resolver esse problema se colocando no lugar dele. Diga a ele que compreende (não que concorda) a situação e questione se existe algum outro fator que impede a compra naquele momento. Assim, você descobrirá quais são as “desculpas” que ele tem e trabalhar em cima do que realmente o impede de fechar negócio.

  • Caso a abordagem não seja feita dessa maneira, você acabará cedendo a pedidos que não cabem ao contexto da venda. Percebendo isso, a tendência é que esse tipo de cliente te aperte ainda mais. Então se lembre: nunca discuta com seu cliente, mantenha-se firme em sua argumentação.
    Prepare-se para contornar objeções
    O cliente que não deseja comprar um produto simplesmente dá as costas e sai de sua loja. O cliente indeciso, mas que deseja muito adquirir um produto ou serviço, faz objeções. É nesse momento que deve entrar em cena “a arte da venda”. Para o contorno de objeções ser bem-sucedido, o vendedor deve ter treinamento constante sobre técnicas de vendas, conhecer o produto que vende — o conhecimento técnico faz muita diferença nesse momento —, enfatizar o excelente pós-venda da empresa e agregar tudo isso à sua experiência como vendedor.

  • 02. Lei Federal nº 13.111.2015, destinada aos revendedores/concessionários e dos compradores/consumidores de veículos.
    Foi lançada em 25 de maio de 2015, as novas regras da Lei Federal nº 13.111.2015, destinada aos revendedores/concessionários e dos compradores/consumidores de veículos, que altera a venda dos veículos.
    A Lei determina sobre a obrigatoriedade, por parte do fornecedor, de informar os clientes sobre os tributos incidentes sob a operação de compra e venda do produto e quais os custos que ele está arcando, além de informar a situação do veículo no que se refere às pesquisas de roubo/furto, multas, impostos e demais despesas devidas, garantindo que o consumidor seja munido de todas as informações necessárias referentes ao veículo que está sendo adquirido. Vale frisar que, em alguns Estados, o laudo cautelar é exigido, mas, SP ainda não está praticando.

  • Não há dúvida de que a comercialização de veículos automotivos novos e usados está amparada pelo Código de Proteção e Defesa do Consumidor que, garante, entre outros direitos, que o consumidor tenha à disposição todas as informações necessárias para que a compra seja feita de forma consciente e livre de vícios.
    No que diz respeito ao valor dos tributos incidentes sobre a comercialização do veículo automotivo, o fornecedor/vendedor/loja/concessionária de veículos automotivos, deverá, obrigatoriamente, informar ao consumidor quais tributos incidiram sobre aquela determinada operação de compra e venda do veículo.
    Assim, finalmente, o consumidor poderá saber claramente no momento da contratação (de fechar o negócio) quais os custos que ele deverá arcar na operação. Situação que antes da vigência da lei nunca foi clara.

  • Na situação de regularidade do veículo, isto é, no momento da concretização da venda e compra, o comprador deverá ser informado da situação do veículo (vida pregressa, digamos assim) no que se a existência ou não de registro policial de roubo/furto, impostos, multas e taxas anuais devidas vinculadas ao bem.
    Neste contexto, estão não apenas os débitos de impostos que, porventura, estejam em aberto junto aos órgãos competentes, mas também, se há registro de alienação fiduciária (gravame) ou quaisquer outros registros e apontamentos que limitem ou impeçam a circulação do veículo junto às autoridades policiais de trânsito ou fazendária. As revendas devem apontar também, bloqueios REVAVAM, RENAJUD e os apontamentos RENAINF sobre débitos em outros Estados, além de onde o veículo foi registrado.

  • Devo lembrar ao púbico leitor que hoje já existem empresas do mercado que além dessas informações, ainda disponibilizam a pesquisa de leilão. E não é difícil, no mercado, encontrar empresas que procedam a realização de laudo cautelar (perícia) para informar a real situação do veículo e a sua pesquisa de informações cadastrais, as chamadas pesquisas veiculares.
    O Despachante.com disponibiliza esse serviço aos seus clientes há mais de dois anos com enorme sucesso. Agora, a União, finalmente resolveu legislar sobre o tema, em matéria de sua competência exclusiva (art. 22, da Constituição Federal de 1988).
    A transferência de veículo registrado no Estado de São Paulo para outra unidade da federação depende de desbloqueio do cadastro pela Coordenadoria do RENAVAM. Esta medida tem por objetivo impedir que inúmeros veículos, de forma fraudulenta, sejam transferidos de São Paulo para outros Estados e vice-versa,

  • com documentação de origem espúria ou até sem os mesmos, gerando transtornos aos legítimos proprietários que tentam licenciar ou transferir a propriedade por venda ou compra e se deparam com o fato do cadastro ter sido transferido irregularmente.
    Observe que geralmente o comprador de um veículo usado se limita, a saber, se tem condições de pagar pelo veículo seja à vista ou financiado e verifica, por cima, a condição do mesmo.
    Porém, o despachante sempre alertou aos seus comitentes que se o mesmo não quiser ficar sem o veículo em futuro próximo, deve tomar certas precauções.
    E além dos ditames da Lei Federal nº 13.11.2015 deve-se atentar que a transferência atualmente deve ser feita com firma reconhecida em Serviço Notarial (Cartório) com a presença física do vendedor.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 45,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • 01. Técnicas de vendas
  • 02. Lei Federal nº 13.111.2015, destinada aos revendedores/concessionários e dos compradores/consumidores de veículos.
  • 03. Lei nº 9.716/98 ? artigo 5º > legislação tributária federal ? comercio de veículos usados. Lucro presumido (com restrições) - lucro real - simples nacional (com restrições)
  • 04. Cuidados ao comprar Veículos usados (Mecânica, lataria, pneus, parte elétrica e documentação precisam ser verificados).
  • 05. Cuidados necessário para fazer um bom negócio